História As Long as You Love Me - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Cailin Russo, Gigi Hadid, Hailey Rhode Baldwin, Justin Bieber, Nat Wolff, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber, Selena Gomez
Tags Justin Bieber, Selena Gomez
Exibições 15
Palavras 2.412
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello!!
Boa leitura!

Capítulo 4 - Sentimentos


Justin Bieber Point of View


Quando chegamos em meu apartamento, a primeira coisa que fiz, foi levar Selena para conhecer a cobertura. Mostrei a ela os cinco quartos de hóspedes,  a pequena biblioteca que ficava ao lado de um dos quartos, e o resto do apartamento.  Eu sabia que ela já estava cansada, com toda a correria do dia, mas ainda tinha que apresentar os seguranças que iam ficar com ela a todo momento. Porém, ela foi arrumar suas coisas e tomar um banho, como ela mesma disse.


Estou na sacada da cobertura a alguns minutos, dez, vinte, trinta minutos? Não sei ao certo.  Sempre vinha aqui a noite, gostava como a cidade ficava iluminada e bonita. 

Vejo uma silhueta parar ao meu lado. É Selena. Está só de camisola e com o cabelo solto, jogado para o lado. Caralho. Ela sabe como provocar um homem.


- Você gosta de ficar aqui, não é? - pergunta ela.

- Na maior parte do tempo livre, sim.


Viro-me, para olha-la. Ela está apoiada na proteção de vidro, e está empinando a bunda. Me lembro de ter que apresentar os seguranças pra ela.


- Vem. - digo e caminho para entrar no apartamento.  

- Já vou. - ela diz e empina mais a bunda quando eu passo. Não me  seguro, e dou um belo de um tapa. Ouço ela me xingar e saio dali. Os três seguranças que eu contratei, estão parados, em pé na entrada do apartamento.  Cumprimento-os com aperto de mão, e em seguida selena aparece.


- Venha aqui. - chamo-a. Ela se aproxima e para do meu lado. Ficamos de frente para os seguranças. 

- Bem, essa é a Srta. Gomez - aponto para Selena, que ri - e vocês vão fazer a segurança dela, dia e noite. Onde ela for, pelo menos um de vocês estarão com ela. Não quero saber de desculpas caso aconteça algo. Estou pagando muito bem para vocês ficarem de olho nela. - termino de falar e todos assentem.


- Oi, podem me chamar apenas de Selena. - ela diz e da um fraco sorriso amigável.


- Srta. Gomez. - repito.


Eles se apresentam para ela.


- Jason Taylor. 

- Aindan Harper.

- Elliot Travelian.


Todos se apresentam e cumprimentam Selena.


- Será um prazer servi-la. - Elliot diz e olha para ela maliciosamente.  Cerro os olhos e olho para ele. Entro na frente de Selena. E continuo a falar.


- Quero que um de vocês fique no apartamento com ela.


- Eu posso ficar aqui. - Elliot diz.


Essa porra só pode estar me testando. Travo o maxilar e respondo-o.


- Quero alguém para fazer a Segurança dela, não para ficar cobiçando-a.


- Jason, você pode ficar aqui? - pergunta Selena, saindo de trás de mim.


- Claro, Srta. Gomez.

Selena sorri em agradecimento.


-  Elliot, você vai ficar na casa dela. E, qualquer movimento estranho, use a força.


- Aidan, você acompanhará ela, a onde ela for. - digo e todos assentem. - Podem ir agora, mas, amanhã quero todos em seus devidos lugares, bem cedo. - termino e saio dali.


Preciso de um banho, estou exausto, e preciso dormir. Caminho em passos largos até meu quarto. Entro no mesmo e fecho a porta. Vou direto ao banheiro. Tiro a roupa e entro no box. Ligo o chuveiro de deixo a água quente cair sobre mim e relaxar meus músculos. 


Saio do banheiro com a toalha enrolada na cintura. Vou até meu closet que hoje, está com todas as minhas vestimentas ali, desde os ternos até minhas calças de moletom. Pego uma cueca preta da Calvin Klein, e visto-a. Pego a toalha e dou uma secada em meu cabelo.  Volto ao banheiro e penduro-a e caminho até a saída do quarto. Passo pelo corredor apagando as luzes, e entro no quarto que Selena está.  A luz dos abajures do lado da cama estam acesas, e ela está dormindo. Vou até ela, e apago as luzes.  Sinto-a segurar em meu braço, e meio sonolenta diz:


- Durma comigo, só essa noite. - ela pede.


- Tudo bem, me espere. Já volto. - ela apenas assente.


Apago todas as luzes do apartamento e volto ao quarto que Selena está. Me deito ao seu lado, e passo meu braço por sua cintura me aproximando de si. Pouso minha cabeça em seu ombro e fecho meus olhos, adormecendo gradativamente.


No dia seguinte, acordo com a claridade inundando o quarto. Ainda estou grudado em Selena, ela está segurando meu braço em volta de si. Tiro-o e me levanto da cama. Dou uma última olhada em Selena, que dorme calmamente. E saio de lá.


Ja arrumado, saio do apartamento, e vou pegar meu carro, tenho muito a fazer.


Selena Gomez Point of View.


Quando acordo não encontro Justin na cama. O que não me surpreende já que diferente de mim, ele tem um emprego.  Levanto-me da cama e vou até o banheiro fazer minha higiene pessoal.  Saio do banheiro, pego um short e uma regata branca e os visto. Calço minhas sapatilhas e saio do quarto.


Na cozinha vejo um bilhete na geladeira e leio. "Deixei o café pronto para você, se não acordar muito tarde, ainda estará quente. Tem panquecas no forno. Bom apetite".


Tomo o café, como, e depois lavo o sujei. Não tenho muito o que fazer. Sem emprego eu me sinto uma inútil. Vou até o quarto que estou ficando, e pego minha câmera. Em seguida saio de lá.


Na sala, vejo Jason parado em frente ao elevador. Sorrio ao  vê-lo. Caminho até ele em passos largos. Cumprimento-o com um beijo no rosto. 

- Bom dia, Jason. - digo sorrindo.


- Bom dia, Srta. Gomez. - ele exibe um fraco sorriso.


- Longe do Justin pode me chamar só de Selena. - digo.


- Certo. - ele me olha de cima abaixo e pergunta. - Você vai sair?


- Não. Vou ficar ali na sacada, tirando algumas fotos, aproveitando desse sol fraco. - digo. Jason assente e eu vou até a sacada.


Não está calor, mas o sol está fraco e o tempo está gostoso. Pego minha câmera e tiro algumas fotos minha. Fazendo careta, sorrindo, mostrando a língua e fazendo bico. Fico um longo tempo na sacada, penso em sair, mas não tenho onde ir, e não confio nesses seguranças. Só de pensar que James pode estar por aqui,  ou me procurando, me dá calafrios.  Olho a hora no celular, são quase quatro da tarde.  Volto para dentro do apartamento. Fico na sala assistindo desenho na tv. Sinto meu celular vibrar e pego-o.


Mensagem de Nat: "Podemos nos encontrar no "Smell of  Coffee"?"

Respondo no mesmo instante:"Claro"

Outra mensagem dele chega: "Tudo bem. Pode aparecer la pelas cinco?" Respondo apenas um "sim".


- Vamos sair, Jason. - grito para ele, mesmo estando a poucos metros dele.


- Acho melhor esperar Justin chegar. Ahm, daqui dez minutos ele chega. - Jason diz olhando em seu relógio.


Bufo e sento-me no sofa de novo. Fico mexendo no celular, enquanto espero. 


Depois de uns dez minutos ouço a porta do elevador se abrir e me levanto do sofá.


- Jason. - ouço aquela voz.

 Justin  chegou.


Me aproximo dele e o cumprimento com um abraço.


- Tudo bem? - pergunto quando nos separamos. Ele assente com a cabeça e sai, indo direto para seu quarto.


- Jason, vamos. - digo e aperto o botão do elevador.


- Acho melhor você trocar de roupa. Está frio la fora.


- Ok.


Caminho rapidamente até o corredor dos quartos, entro no que eu estou ficando e fecho a porta. Pego uma calça jenas, cintura alta e uma jaqueta. Vou até o cabide na porta do armário, pego minha bolsa e saio.


Bem, como Jason disse, está frio aqui fora. Caminhamos lado a lado, durante os dez minutos, até chegar a cafeteria. Entro na mesma, sentindo aquele cheiro bom de café. Vou até a mesa em que Nat está, e, me sento de frente para ele.


- Finalmente, Gomez. - Nat diz e ri.


- Desculpa a demora.


- Não estava em sua casa? - Nat pergunta e franze o cenho.


- Não. Por enquanto vou ficar no apartamento de um amigo.


- Por causa de James?


Fico surpresa com sua pergunta. Nat sabia mais do que eu imaginava.


- Minha mãe ja te contou? - pergunto. Mas, ja sei a resposta.


- Contou ontem.


Reviro os olhos.


- Acredita que Justin contratou seguranças para me vigiarem? - pergunto. Nat arregala os olhos.


- Seguranças? O que ele é seu? Namoradou ou Pai?  - ele pergunta e ri.


- Nenhum dos dois. Só amigo. - explico.


- Não parece. Só de falar dele seus olhos chegam a brilhar. - Nat djz e ri.


- Já fez o pedido? - pergunto. Desvio totalmente do assunto.


- Não. Estava esperando você chegar.


Um pouco depois, Liz, vem até nós e fazemos o pedido.  Para mim, um cappuccino, e para Nat, café expresso. Peço para Liz, dois Frappuccinos para levar.


Não demora muito até o pedido chegar.  

- Sabe, Nat Wolff, você não me contou onde está trabalhando. - digo. Bebo um pouco de meu cappuccino.


- Vai no hospital particular de Seattle, que você vai descobrir.  - ele diz e sorri.


- É médico ou enfermeiro? - sou direta.


- Enfermeiro. Por enquanto, daqui a alguns anos pretendo ja estar exercendo a profissão de uncologista pediátrico. - ele diz e bebe um pouco de seu café.


- Tá, mas o que isso significa? - pergunto.  Dou longos goles em meu cappuccino.


- Significa que eu vou curar o câncer de crianças. Eu e Deus.


- O que?


- Estou brincando.  Ja pensou em alguém sem comparando a Deus? - ele ri.


- Babaca. - digo e rio.


Termino o meu cappuccino e me levanto para pagar. Nat também termina seu café e saímos da cafeteria. Entrego os Frappuccinos para Jason, e aviso que um é dele.

Nat e eu caminhamos pelas ruas. Conto a ele sobre a exposição, e ele fica mais feliz do que imaginava. Paramos em  frente ao prédio de Justin.


- Belo prédio, qual andar você está morando? - ele pergunta.


- Na cobertura.


- Ótimo, quero conhecer.


- Você sabe que eu não sou a dona. Não sei se posso. - entorto os lábios


- Ahm, tudo bem então. - ele diz.


- Deixa pra outro dia. Agora vou subir. - digo e deposito um beijo em sua bochecha. 

- Tchau. - ele diz e acena.


Subo com Jason até a cobertura.  Jason me agradece pelo Frappuccino. E me entrega o outro, que eu tinha comprado para Justin. Entro no apartamento e vou direto ao quarto de Justin. Bato duas vezes na porta, mas não tenho resposta. Entro no quarto, mas Justin não está. Ouço barulho de chuveiro, então presumo que ele esteja no banho. Sento-me na cama dele e fico esperando. Justin sai do banheiro com uma toalha enrolada na cintura.  Seu cabelo molhado cai um pouco em sua testa.


- Selena. - ele parece se assustar.

- Ahm eu só vim trazer o Frappuccino que eu comprei pra você. - digo.


Coloco o copo de Frappuccino no criado mudo. Me levanto e saio do quarto. Em seguida entro no meu,  tiro a sapatilha, bolsa e a jaqueta. Jogo-os em qualquer lugar do quarto e me retiro de la. Vou para sacada, e, mesmo com o vento gélido batendo em meus braços, eu fico ali. Olhando tudo de cima. Apoio meus braços na proteção de vidro e respiro, inspiro e penso.  Eu deveria ligar pra minha mãe, mas, tinha quase certeza que ela voltaria a falar sobre aquele assunto. O melhor a fazer era ficar aqui, no momento. Penso na exposição, nas fotografias, não poderia deixar de  colocar as fotos que tirei de Justin, ele estava lindo, como também, as fotos que tirei de Nat, a um tempo atrás. Nat, foi bom pensar nele, quero dizer, no que ele me disse "Só de falar dele seus olhos chegam a brilhar." Será? Não pode ser. Eu não posso gostar dele tão facilmente, nem faz tanto tempo que nos conhecemos. Ai, que droga.


- Selena. - ouço me chamarem.  Mas, nem faço questão de me virar pra olhar. Já sabia quem estava me chamando.


- Sim. - respondo.


- Está tudo bem? - pergunta. Olho de canto, e, vejo Justin se aproximar de mim. 


Poderia dizer que sim, mas, estaria mentindo, se eu estivesse bem não precisaria ficar aqui. Porém, se eu dissesse que não está tudo bem, ele faria milhares de perguntas, e eu não estou afim de ficar respondendo um questionário. Então dou uma resposta simples.


- Está tudo indo bem.


- Ahm....porque está fugindo de mim? - ele pergunta e se vira para me olhar.


- Não estou fugindo.


- Ah, não?


Bufo. Eu não sei porque mas, estava sim e estou fugindo dele. Me viro para olha-lo.


- Não me interprete mal. Mesmo que nos conhecemos a pouco tempo, eu não sei como dizer isso, mas, eu me apeguei a você - ele ouve tudo, atentamente. - e, mesmo que eu negue e diga que somos apenas amigos, eu sei que la no fundo, eu sinto algo a mais por você. Um sentimento diferente.


Quando termino de falar, Justin continua me olhando, sem dizer nada. E isso começa a me intrigar. Ele se aproxima ainda mais de mim, a ponto de eu poder sentir sua respiração bater contra mim. Ele passa seus braços por minha cintura e eu passo minhas mãos por sua nuca, então, Justin, simplesmente me beija. Eu retribuo, não querendo que acaba nunca. Ele parece desesperado por isso, porém me beija com ternura, e carinho. Contudo, temos que nos separar, devido a falta de ar.


Ele me olha e sorri. E, então começa a falar.


- Eu não queria me envolver emocionalmente, não agora. Mas, você de certa forma me traz paz, me deixa calmo, e  me faz sentir menos vazio. Então, podemos tentar. - Justin diz e tira seus braços de minha cintura.


- Tentar? - pergunto franzindo o cenho.


- Isso, tentar.  - ele diz e coça a cabeça.


- Certo. - digo e sorrio.


Justin não perde tempo e me abraça forte, me aquecendo. Ele me solta e me olha.


- Vem, está frio e você está sem casaco. - ele diz e me puxa para dentro do apartamento. 


Eu não imaginei que tudo aconteceria tão rápido assim. Não imaginei que gostaria de uma pessoa assim, não depois de decepções que eu ja tive, depois de quebrarem meu coração e sempre agirem como se eu fosse a culpada por isso.  Justin seria a tentativa de dar certo. Eu não amo ele, mas eu gosto, a ponto de sentir ciúmes.  E, espero que essa não seja uma tentativa em vão.


...


"Eu deixarei meu coração na porta

  Eu não direi uma palavra

  Elas ja foram todas ditas antes, você sabe

  Então porque nós não fingimos

  Como se não tivéssemos medo do que virá

  Ou medo que nada reste"

All I ask - Adele


Notas Finais


Gente, não sei se vocês estão gostando pq ninguém fala nada, se esse capítulo for como o outro sem comentário e nada, vou parar de escrever. Porque poxa é minha primeira fanfic, e sem incentivo não da.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...