História As mãos calosas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Dark L, Mãos, O Tempo Traz A Velhice, Sofrimento Jovem
Exibições 12
Palavras 655
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa Leitura. Fanfic original, apenas porque a inspiração me bateu de repente.

Capítulo 1 - Aparência não deve ser valorizada


Todas as vezes que dedicava seu carinho e amor pelo marido, ele a rejeitava. Reprimia seus gestos cheios de amor para dar; as palavras de conforto e zelo que tentavam afastar toda aquela amargura do homem; reprimia a atenção que dedicava gentilmente a ele.

Seus esforços para ser uma boa esposa não surtiam nenhum efeito. Tentou mudar um pouco por ele; o modo de se vestir. Agora é mais vaidosa. Sempre usava um brinco nas orelhas e não saía sem ao menos um batom. Inovou suas receitas. Do simples arroz com feijão e uma mistura, seus pratos se transformaram em lasanha; panqueca; tortas salgadas; sobremesas trabalhadas e caprichadas. Sua personalidade foi alterada também. De tímida e recatada para espontânea e otimista.

Nada adiantava.

Ele dizia que a comida faltava ora sal ora açúcar. Que estava muito crua ou passava do ponto. Seu paladar parecia nunca se satisfazer. Apesar disso ele comia, com uma carranca séria, mas comia. Criticava seu estilo de se vestir e apontava qualquer mínimo defeito. Seja a sobrancelha cujos pelos começavam a crescer ou a tinta desbotada do cabelo, revelando os fios brancos. Reclamava que às vezes estava melosa ou fria demais. Quando o tocava com as mãos, ele as repelia bruscamente, alegando que eram cheias de calos além de ser ásperas. Chegava a dizer que se sentia tocado por um homem.

A mulher desolada chorava pelo casamento que não conseguia salvar de jeito nenhum e pelo desprezo causado pela velhice. Como as coisas foram acabar assim? Ela se indagava. No começo eram só flores e alegria. Teria ela faltado em algo?

É mais fácil acreditar que a velhice realmente a detonou.

Um motivo forte. Ela sabia o quanto a aparência é atrativa aos olhos e a falta de beleza e juventude é sinônimo de desprezo, humilhação. Mas será mesmo que essas duas virtudes podem ser mais importantes para alguém a ponto de rejeitar uma pessoa?

A esposa descobriu que sim alguns dias depois. Pegou-o na cama com outra mulher. A amante era mais nova que ela, possuindo entre dezoito e vinte anos. O rosto juvenil de feições inocentes e maduras ao mesmo tempo. Não tem nenhum traço da velhice que a esposa tem. Sequer tinha maquiagem, apenas uma leve camada de pó. Pele de pêssego; corpo de manequim; cabelo sedoso e natural sem precisar de tinta. Mãos lisinhas e delicadas.

A mulher olhou a si no espelho. Viu suas rugas; a flacidez de sua pele por falta de colágeno; celulites e estrias; os fios branquinhos indesejados; as olheiras escuras junto das bolsas d’água. Por fim olhou as mãos, desgastadas; duras; grossas.

Lembrou de como seu marido deixava a outra massageá-lo com prazer, o tocar em qualquer região de sua pele sem pestanejar. E relembrou de como ele a afastava rigidamente a cada vez que ela sem querer encostava nele.

As lágrimas salgadas caíram nas duas palmas estendidas que ela observava. Não pelo marido; e sim pelo significado daquelas mãos que sentiram o peso de uma enxada cedo demais. Debaixo de sol, debaixo de chuva, ela levantava e abaixava a ferramenta para sustentar sua pobre família, que não tinha um mero pedaço de pão e só podia comer uma das três refeições necessárias. Sua infância foi a terra da roça, os utensílios agrícolas, o sol escaldante.

Ela lutou. Conseguiu dar a volta por cima e sair daquela miséria. Mas o tempo veio rápido para a mulher, as marcas do passado impregnavam seu corpo. Entretanto ela tem orgulho delas; denotam a sua luta nessa vida.

E não seria essa traição que a faria abaixar a cabeça como uma derrotada.

Novamente ela deu a volta e agora trabalha em prol de ajudar pessoas necessitadas. Mulheres vítimas de violência doméstica, crianças famintas ou até pessoas rejeitadas querendo um simples conselho. Sempre que tinha sucesso em ajudar um semelhante, recebia um aperto de mão. Suas mãos antes calosas e feias serviam para trazer felicidade para alguém.


Notas Finais


Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...