História As Melhoras Coisas Do Mundo. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Hentai, Linguagem Imprópria, Originais
Visualizações 45
Palavras 3.379
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Festa, Hentai, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Único capítulo pessoal, se realmente gostarem, eu peço pra ele dá continuação e irei postar aqui. ^-^ Agora vamos ao que interessa. Boa Leitura.

Capítulo 1 - Sexo é bom e recomendável.


Fanfic / Fanfiction As Melhoras Coisas Do Mundo. - Capítulo 1 - Sexo é bom e recomendável.

Júnior era um garoto normal, que havia acabado de terminar o ensino fundamental, e agora ia mudar completamente a sua vida em seu novo colégio enquanto estava no ensino medio. Bom, a minha história começa no meu quarto, eu havia acabado de acordar, após abrir meus olhos, ja notei algo estranho, eram 5:15 AM, e o meu despertador só tocava as 6:00, e é claro que eu nunca acordava mais cedo que o meu despertador atoa. Mas eu não havia acordado atoa, logo após olhar a hora no meu celular, que estava no meu peito, sentir o meu pênis um pouco estranho, ele estava meio molhado, e senti como se estivesse ganhando um boquete, então tirei rapidamente o cobertor, e não é que eu estava mesmo!? A minha prima estava passando aquela semana na minha casa, então nós tranzavamos as vezes, mas não achei que ela começaria tão cedo. 

 - Bom dia 

 Ela falou pra mim, enquanto me olhava com aquela cara de safada, e logo depois voltou a me chupar. Devo admitir que a minha prima era muito boa no que fazia, ela chupava tão bem que as vezes me fazia gozar rápido apenas me chupando, mas não naquela manhã; naquela manhã eu queria fuder. Então eu rapidamente me sentei e coloquei ela por cima de mim... eu não precisava chupa-la, ela era minha putinha, meu deposito de esperma, e ela sabia disso. Então encaixei meu pênis na buceta dela, de uma vez, e ela soltou um gemido alto, então eu rapidamente tapei a boca dela. 

 - Não geme alto assim sua safada, meus pais ainda estão dormindo...

 Eu falei no ouvido dela e comecei a meter com muita força ainda tapando a boca dela... ela ainda soltava gemidos altos, ja que eu estava fudendo ela tão forte, porém o som saía abafado por caisa das minhas mãos. Eu estava metendo nela com muita força, os olhos dela ja estavam revirados, e eu também ja estava aponto de gozar. 

 - _Onde você quer que eu deposite o meu esperma?_

 Eu sussurrei no ouvido dela e destampei a boca dela um pouco para ela poder falar.

 - _Ahh, den- ahh, dentro... hmm... goza dentro de mim_ 

 Ela falou enquanto gemia baixinho se segurando para não gemer alto, então e comecei a meter com mais força e quando estava prestes a gozar, eu deixei o meu pau o mais fundo possível nela e gozei como se não houvesse amanhã; quando fiz isso, ela não se aguentou e soltou um gemido alto e revirou os olhos enquanto tinha um orgasmo junto comigo. Depois de gozar, dei um forte tapa na cara dela, por ela ter gemido alto daquele jeito. 

 - _Tá maluca? Quer acordar a casa toda?_

 Falei e joguei ela na cama, onde ela ficou deitada na mesma posição - ela estava em êxtase de prazer - Então fui até a porta, e dei uma olhada para ver se ninguém tinha acordado, e me parecia que não, então voltei até a minha cama.

 - _Por que você ta deitada assim? Eu vou ter que te punir por fazer tanto barulho_ 

 Eu falei e logo coloquei ela de quatro (apesar de ter acabado de gozar meu pau ainda estava duro), então dei uma cuspida no meu pau e coloquei só a cabeça no cuzinho dela, e ela ja soltou um gemidinho abafado pelo travesseiro que ela estava mordendo e apertando com as mãos, Então eu dei um sorriso malicioso e empurrei o resto do pau de uma vez só nela, fazendo ela soltar um gemido que soou quase como um grito, porém o travesseiro abafou um pouco o som, e se meus pais não acordaram com aquele gemido de agora a pouco, não iriam acordar com esse. Comecei a meter fortemente no cuzinho dela enquanto ela se segurava ao máximo para não gemer tão alto, então segurei o cabelo dela e puxei um pouco, fazendo ela envergar a coluna e empinar a bunda ainda mais, enquanto eu metia. Então fui no ouvido dela e falei. - _Fala pra mim, onde você gosta de levar piroca, fala_

 - _No... ahh... no cuzinho... come meu cuzinhi com força vai_ 

 Ela me falou em contra-partida, então comecei a meter com mais força ainda. Já estava a ponto de gozar de novo, então fiz a mesma coisa que eu fiz quando gozei na buceta dela, coloquei o mais fundo possível e dei um jato no cuzinho dela, então tirei o pau pra fora rapidamente e puxei ela pelo cabelo para ela chegar com o rosto mais perto, então gozei o resto na boca e na cara dela. Quando soltei o cabelo dela ela simplesmente caiu na cama, estava exausta, sem conseguir se mexer, então eu falei no ouvido dela.

 - _Ve se arruma essa porra toda quando sair do meu quarto_

 Após falar isso eu fui andando até a porta e antes de sair olhei para ela, estava na minha cama exausta e coberta de esperma como a putinha que ela era, então fui até o banheiro e tomei um banho, e fui até a cozinha preparar meu café, mas quando cheguei lá ja tinha um café e dois pães preparados para mim com uma cartinha. ( _Espero que goste do café que eu fiz pra você_ ) E ainda tinha a assinatura da minha prima embaixo... ela era uma putinha muito util. Enfim... após tomar meu café da manhã eu fui para a escola, não queria chegar tarde, já que eu ainda teria que procurar a minha sala. Bom, peguei o ônibus e fui para a escola tranquilamente, ao chegar no portão do colégio, fui abordado por uma garota, era bonita, seios grandes, bundão, magrinha, ruiva natural e dos olhos verdes. 

 - _Ei garoto, eu nunca te vi por aqui, você deve ser novo... qual o seu nome?_ 

 Ela perguntou, com uma voz doce, cara... essa garota parecia um anjo.

 - _Meu nome é Junior, e o seu?_ 

Eu respondi rápido, procurando não olhar muito pra ela, ja que meus olhares espontaneamente iam desviar para os peitos. Enfim... ela se apresentou, disse que seu nome era "Julia" (dois nomes com " *J* " deve ser coisa do destino), então fomos conversando, nos conhecendo um pouco mais... cara, ela era demais, gostava das mesmas coisas que eu, as mesmas músicas, os mesmos tudo. Então o sinal bateu e eu perguntei pra ela se ela sabia onde era a sala 1001 e adivinhem!? Ela respondeu que essa era a sala dela, ela disse que tinha feito o nono ano ali só que a tarde, e mandou eu só seguir ela (da pra ficar melhor!?) Depois de irmos para a sala de aula, ela me apresentou a "turma" dela, e só falou bem de mim para as amigas dela, que eu era muito legal e etc. E ainda soltou um: "E ele não é de se jogar fora né meninas?" E todas deram um risinho como se concordassem (aquele dia estava muito bom). Bom, fiquei um tempo assistindo a aula até que a Julia pediu para a professora pra ir no banheiro, e ao passar por mim, deixou um bilhete na cadeira. "Me encontra no banheiro feminino". (CARALHOOO MANOOOOOO) Meu cérebro bugou nesse momento... o que uma 11/10 dessa quer comigo no banheiro? Bom, eu fui né, não podia recusar o convite... ao chegar lá, bati na porta do banheiro (que estava trancado) e ela perguntou: "quem é?", eu falei que era eu e ela abriu, quando eu entrei não acreditei no que eu vi, a 11/10 pelada, só me esperando. 

 - _Ta esperando o que? Vem..._ 

Ela falou com uma voz safada. Eu nem pensei duas vezes, ja puxei a camisinha do bolso (eu ando previnido) e ja fui pra cima com o pau durasso. Cheguei nela e ja joguei ela na parede de costas pra mim, nem me preocupei em trancar a porta... quando eu estava colocando ela tentou falar.

 - _Espe..._

 Ela nem precisou terminar e eu ja empurrei tudo... não vou esperar nada... já nadei tanto, não vou morrer na areia. Então eu comecei a ja meter com força; ela ja parecia experiente, mesmo eu metendo com tanta força ela conseguia segurar os gemidos e isso me deixava ainda mais excitado.

 - _Tira a camisinha seu gostoso, quero sentir essa piroca gostosa na pele_

 Ela falou entre os gemidos, mas eu não tive coragem... acabei de conhecer a mina, vai que ela me passa uma aids aí... então continuei metendo sem responder, comi ela em todas as posições que dava pra meter dentro de um banheiro, a gente deve ter perdido umas 1:30 de aula, e eu ja gozei umas 4 vezes, e ja gastei as quatro camisinhas que eu tinha. A julia ainda continuou insistindo pra eu meter com ela na pele, mas eu disse "não" mais uma vez e ela ficou puta e saiu do banheiro. Logo depois de ela sair, eu saí também e um garoto me viu... quando me viu arregalou os olhos e me chamou, então eu fui pra perto dele, logo que eu cheguei ele falou. 

 - _Cara... você não comeu a julia não né?_ 

 - _Mano... - Rebati rapidamente - acho que isso não te diz respeito_

 - _Cara... - Ele respondeu - essa garota tem fama de passar AIDS pra todos os novatos do colegio_

 FILHA DA PUTAAA... ESSA VAGABUNDA QUERIA ME PASSAR AIDS!? No meu primeiro dia de aula eu ja ia pegar aids!? Não respondi nada... só fui pra sala puto da vida, e ao chegar lá os amigos dela olharam pra mim e depois olharam pra ela como se dissessem "Não conseguiu passar AIDS pra ele otaria kkk". Bom, tenho que admitir que eu até dei um sorriso da cara da safada, mas logo me sentei longe daquele grupinho. Assim que eu sentei eu olhei para os meus dois lados, e por ironia do destino eram rostos familiares; do meu lado esquerdo, a minha melhor amiga de infância (Karina), e do outro a minha crush suprema de todo o universo (Larissa). Não acredito que as duas tinham vindo para a mesma escola que eu... na hora eu cumprimentei as duas, elas ja se conheciam, então não precisei apresenta-las. Depois de um tempinho conversando a minha amiga me entregou um bilhetinho: "Ela disse que ta afim de você, tenta chegar nela". Mano... eu sou afim dessa garota desde o primário, é claro que eu ia chegar nela. Na mesma hora eu ja peguei o meu celular e mandei uma mensagem pra ela bem direta: "vamos ficar depois da aula" Nem mandei ponto de interrogação pra ela saber que eu não estava pedindo, eu estava simplesmente comunicando ela, garotas gostam de caras assim... que tomam a iniciativa. Então o sinal tocou e a turma foi dispensada, saímos do colégio e fomos até a praça para ficarmos, chegando lá eu ja fui logo agarrando ela... ficamos nos beijando um pouco, até que ela sussurrou no meu ouvido. 

- _Meus pais estão viajando_

 Eu ja sabia o que isso significava... parecia até um sonho, então ja levantei rapidamente e fui pro ponto com ela. Fomos juntos pra casa dela, chegando lá não teve nem preliminares, ela ja me jogou na cama e tirou a minha roupa sentada por cima de mim, essa Larissa parecia gostar de um sexo agressivo, então ja retribui e arranquei a roupa dela rapido também, e quando estavamos pelados ela nem brincou, só deu uma cuspida na minha piroca e ja enfiou tudo na buceta, ja comecou a sentar com força em mim, a gente estava fudendo sem camisinha mesmo, ela eu confiava que não iria me passar nenhuma doença. Ela estava sentando com muita força, aquela foda estava muito boa, cada vez que meu pau entrava ela gritava de prazer, então quando deu 9 minutos contados eu gozei, sim... eu gozei tudo dentro dela. Mas apesar de ter gozado eu queria mais, mas ela simplesmente falou que não e falou que era melhor eu ir embora, então eu simplesmente fui. Bom, passaram-se os dias e eu estava cada vez gostando mais da Larissa, ela estava sendo muito gentil comigo, me tratava super bem e sempre fazia as coisas pra mim, porém nós nunca mais ficamos. Certo dia, ela me parou num canto e me falou.

 - _Junior... eu preciso falar uma coisa seria com você_ 

 Nessa hora eu ja entrei em choque, nunca tinha visto ela assim... o que será que tinha acontecido? Então ela me disse. 

 - _Junior, eu estou grávida de você_

 Nessa hora minha mente ficou em branco, eu não podia ser pai aquela hora, o que essa garota está pensando? Sinceramente, pensei até em dar um soco na barriga dela... mas isso também não era culpa dela, ela também ia sofrer com isso, então decidi que iria apoiar ela, então simplesmente soltei um: "Tudo bem, eu vou assumir". Depois de alguns meses, eu e Larissa ja estávamos namorando, e nosso filho estava com 7 meses. Eu fui pra casa dela como de costume, estavamos assistindo TV, quando de repente um primo dela chegou do nada e simplesmente falou. 

 - _Larissa... eu me decidi, eu vou assumir meu filho_ 

 Na hora eu não entendi nada, e ela começou a mandar ele ir embora, pra calar a boca, então eu finalmente raciocinei e me levantei para falar com ele.

 - _Do que você ta falando cara?_ 

Ela estava sentando com muita força, aquela foda estava muito boa, cada vez que meu pau entrava ela gritava de prazer, então quando deu 9 minutos contados eu gozei, sim... eu gozei tudo dentro dela. Mas apesar de ter gozado eu queria mais, mas ela simplesmente falou que não e falou que era melhor eu ir embora, então eu simplesmente fui.

Bom, passaram-se os dias e eu estava cada vez gostando mais da Larissa, ela estava sendo muito gentil comigo, me tratava super bem e sempre fazia as coisas pra mim, porém nós nunca mais ficamos.

Certo dia, ela me parou num canto e me falou.

- _Junior... eu preciso falar uma coisa seria com você_

Nessa hora eu ja entrei em choque, nunca tinha visto ela assim... o que será que tinha acontecido? Então ela me disse.

- _Junior, eu estou grávida de você_

Nessa hora minha mente ficou em branco, eu não podia ser pai aquela hora, o que essa garota está pensando? Sinceramente, pensei até em dar um soco na barriga dela... mas isso também não era culpa dela, ela também ia sofrer com isso, então decidi que iria apoiar ela, então simplesmente soltei um: "Tudo bem, eu vou assumir". Depois de alguns meses, eu e Larissa ja estávamos namorando, e nosso filho estava com 7 meses. Eu fui pra casa dela como de costume, estavamos assistindo TV, quando de repente um primo dela chegou do nada e simplesmente falou.

- _Larissa... eu me decidi, eu vou assumir meu filho_

Na hora eu não entendi nada, e ela começou a mandar ele ir embora, pra calar a boca, então eu finalmente raciocinei e me levantei para falar com ele.

- _Do que você ta falando cara?_

Eu falei com a voz alta e bem grossa para todos eles prestarem atenção em mim, então ele me falou que tinha engravidado ela. Na hora eu não acreditei, fiquei um tempo em choque, sem resposta, e me sentei no sofá abalado, a Larissa ainda estava tentando mandar ele ir embora, então eu perguntei para ele quando eles tinham tranzado, e quando ele me falou a data, tudo se encaixava, era uma semana antes de eu tranzar com ela, ela ja sabia que estava grávida. Eu era simplesmente o otario que ia assumir. Na hora eu ja saí de lá e me segurei pra não dar um couro naquela vagabunda, xinguei muito ela, ainda bem que os pais dela não estavam em casa.

Ao chegar em casa eu contei tudo para a minha prima, ela estava morando na minha casa agora, mas desde que eu comecei a namorar a larissa a gente nunca mais tranzou, então após eu contar tudo pra ela ela simplesmente falou.

- _Que bom que aquela vagabunda me devolveu você._

Ela falou com uma voz safada mas me disse que não podiamos transar hoje, e que ela ia me fazer uma surpresa amanhã.

Bom, já era o outro dia. Dia de sabado pra completar, e eu tinha acordado novamente com a minha prima chupando meu pau. Eu cheguei a sentir uma nostalgia, mas dessa vez tinha alguma coisa diferente, eu inclinei um pouco a cabeça e pude ver uma pessoa sentada atrás da minha prima, ERA A KARINA. O que a minha melhor amiga estava fazendo ali? Enquanto a minha prima me fazia um boquete, eu estava muito confuso, até que minha prima falou: "pode vir Karina".

Então ela veio se aproximando de mim um pouco timida, mas logo pegou meu pau e começou a chupar também.

- _Gostou da surpresa?_

Minha prima falou e logo depois voltou a me chupar. Depois de um tempo, minha prima, encaixou a buceta no meu pau, e começou a sentar devagarzinho, como se acariciasse meu pau com a buceta, mas ficou assim por pouco tempo, então ela se levantou e falou, só queria lubrificar um pouco pra ela, ela falou se referindo a Karina, que por sua vez, sentou por cima de mim e e foi descendo devagarzinho com a buceta no meu pau, ela era muito mais apertada que o normal, e ela fazia uma expressão de quem estava sentindo um pouco de dor enquanto descia, então quando ela estava com o pau todo dentro dela, ela se curvou pra mim e sussurrou.

- _Seu safado... você tomou a minha virgindade_

Cara... eu nunca tinha tirado a virgindade de ninguem. Quando ela levantou, tinha um pouco de sangue, mas ela continuou sentando, como se não incomodasse, e parecia que ja não doía mais, ela estava sentando devagar, então ja não estava sentindo dor. Nós ficamos naquela posição por um tempo, até eu gozar. Depois de gozar, eu convidei as duas para irem até o banheiro comigo, elas concordaram e nós fomos tomar banho.

Chegando no banheiro, nós nos lavamos, eu tirei o sangue do meu pau, e a karina fez o mesmo, então enquanto ela estava se lavando, minha prima olhou pra mim com uma cara de safada e ja me jogou no chão.

- _Eu tava esperando essa pica a muito tempo_

Ela falou com uma voz de safada e eu ja fiquei de pau duro na hora, então ela ja ajeitou ele na buceta e começou a sentar com força, e aquela água escorrendo estava deixando tudo mais gostoso. Minha prima estava gritando muito alto então mandei ela parar, mas Karina ja se agachou perto de mim e falou.

- _Relaxa... não tem ninguém em casa_

E então me beijou. Após ela fazer isso, eu gozei, gozei na minha prima enquanto a karina e beijava, karina ja saiu de cima da minha rola e se sentou ali no canto, cansada, então me levantei ainda beijando Karina e joguei a mesma na parede, de costas pra mim, então puxei a bunda dela pra trás e falei.

- _Empina essa bunda pra mim vai_

E ela empinou, como uma cachorrinha obedescendo o dono, então eu dei umas pinceladas na buceta dela e enfiei meu pau, ela ainda era muito apertada, e aquilo era ótimo, mas ela ja não era uma virgem, então eu soquei com força na buceta dela, e cada vez que eu colocava ela gemi mais alto, então, na hora de gozar, eu falei que ia gozar na cara dela e ela ja se abaixou para perto da minha prima, que em contrapartida ja se ajoelhou para receber porra como a Karina, então eu gozei na boca das duas, que ficaram ali um tempo se beijando.

Depois de tudo nós tomamos banho e minha "amiga" foi para casa. Ja se passaram 10 meses desde que isso tudo aconteceu, eu ja estou terminando o segundo ano, e quase todos os dias ainda tranzo com a minha prima e a Karina. Da pra dizer que eu estou em um triangulo amoroso, e a minha ex crush, esta morando em um barraco na favela com o primo traficante dela e a Julia morreu de aids. Então, parece que eu terminei muito bem


Notas Finais


Comentarios positivos e negativos são bem vindos e criticas construtivas tambem. ^~^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...