História As Memorias de um paranóico - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias The GazettE
Personagens Aoi, Kai, Personagens Originais, Reita, Ruki, Uruha
Tags Aoiha, Miyavi, Reituki, Uruki
Exibições 9
Palavras 1.107
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - A primeira vez. Part 1


Foi a primeira vez. O silêncio era absoluto. Mais que isso. Era assustador. Era como se as paredes zombassem de mim. Era como se elas brincassem com minha sanidade, fazendo com que eu me encolhesse entre elas. Como se ela guardasse ali dentro do banheiro, todo o ocorrido comigo e Miyavi. Esperar que esse acontecimento fosse revelado a quem entrasse lá. 

 Fiquei sentado no chão com uma dúvida enorme na cabeça. Meu cabelo caia sobre meus olhos. Minha cabeça se escorava na parede. Qual havia sido a razão daquela atitude? Fiquei assustado, sim. Mas foi... bom. Eu conseguia lembrar perfeitamente como era o gosto do beijo. Aquela língua atrevida fazendo uma ronda em minha boca. Aquelas mãos me me seguravam com força, ja que minhas pernas bambearam... Sim... mas eu não deveria ter gostado daquilo. Ainda mais VINDO DE MIYAVI.


- Por Kami Sama. Não creio que ele beijou você! - Dizia Takanori animado depois de descobrir o que "rolou" no banheiro a alguns minutos atrás. Ele ria da situação. . 


- Hm... - Resmunguei nervoso  parando na beira da calçada e acendendo um cigarro. - Ja pode parar Taka. - Logo ele tossiu pelo cheiro.


- Quem tem que parar é você. Joga isso fora, Kou. - ,Disse tomando uma pose seria. Em seguida soprei fumaça em seu rosto em forma de provocação. Na qual o fez tossir mais. - Você... vai acabar morrendo assim.


- Ja to morto. Só não caí no chão ainda... 


Quando eu iria por o cigarro na boca novamente, Takanori o pegou da minha mão e jogou na rua.


- Taka! Era o último!






Ele ficou pasmado e completamente empolgado, soltando gritinhos como uma garota e dizendo "O Miyavi gosta de você..." sempre que lembrava da minha tal confição.



 Passando alguns dias. Reita ja havia ido embora. As coisas ficaram estranhamente tranquilas. Miyavi se afastou de nós, talvez porque não havia mais grassa sem Akira. Passou a andar com outros amigos dele.


- Kou.. 


 - Hm...


 - Posso te fazer uma pergunta? 


- Que pergunta, Taka? - Franzi o cenho desviando os olhos dos livros didático. - A gente tem que estudar. Já é reta final de ano...


 - Por favor.. - Era difícil negar um pedido do baixinho. Acabei por ceder.


 -Tá.. 


 - Como você se sentiu... - Disse timidamente - Quando o Miyavi beijou você? - Aquela pergunta me fez corar. Afinal.. quepergunta era aquela?


 - Por que pergunta? 


 - Só responda. Foi bom?


 Eu poderia enfiar a cara no colchão de tanta vergonha. Mas... não havia mais ninguém naquele quarto alem de nós dois. Fitei seu rosto por um tempo demorado, até que respondi.


 - Hmm...bem... foi. - Respondi tímido. Taka deu um sorriso sapeca. Não durou muitos segundos e nós ja estávamos com as caras enfiadas nos livros. Voltando toda atenção para a matéria. Mas também nossa concentração não durou muito. 


 - Que inveja. - Iníciou Takanori.


- Hm... inveja de que? - Indagei o encarando. Takanori se consertou sentado na cama me olhando indignado.


-Etto... Eu tenho quinze anos, Shima. E até hoje eu não beijei ninguém...


- Ah Taka... por isso?


 - É. Você ja beijou um monte de pessoas. Eu não. - Logo abaixou a cabeça fazendo-se de coitado. - Ninguém me quer. 


 - Aah Chibi. Não fica assim. Vira e mexe você acha alguma pessoa que vai querer essa sua boquinha.


 - Isso é coisa de hetero. Não de... você sabe. - Logo suspirou melancólico.


 Sim. Takanori era homossexual. 


 - Isso não é problema. - Tentei anima-lo. - Você é lindo Taka. - Ele digiu um olhar para o lado em forma de discórdia. - Olha... vai aparacer alguma pessoa quando você menos esperar.


 [Consegui? Eu consegui?? Acho que consegui dar a ele esperança disso.]


 O pequeno virou se de forma que ficássemos frente a frente e próximos. Pegou o livro que estava em minha mão na qual foi jogado do outro lado da cama. Assustei com sua ação.


- Realmente eu não quero esperar. - Disse arredando o corpo mais para frente. Ficamos poucos centímetros de distância. - Me beija.


 [ Mais em? Que isso Taka?] 


 -Que?? Que pedido foi esse, Matsumoto? - Enfim ele fez um muxoxo, respirou fundo e inflou as bochechas. 


 - Pensa. Eu não quero passar mais quinze anos da minha vida sem saber o que é beijar na boca Uru. Faz isso por mim cara. - Aquilo parecia uma súplica Será que eu atendo esse pedido?







Takanori Matsumoto


 Eu sentia um receio enorme dentro de mim. Mas não demonstraria isso nem fodendo. Kouyou parecia pensativo em questão de me beijar ou não.


 - Cara. Você é meu amigo... tem certeza que quer isso? - Disse o loiro. Dei uma cara de "Claro né?". 


 - Kou. Você é meu melhor amigo. E me entende. Quem pideria ser melhor? - Vi Kouyou revirar os olhos.


 - Ta... coisa chata. Mas eu acho melhor você me beijar. Eu não vou dar conta disso. 


 - Mas você leva jeito,Shima. - Falei manhoso. Ele riu.


 - Levaria jeito se não fosse com meu melhor amigo. 


 - Ok. - Concordei e logo fui aproximando meus lábios dos de Kou, e automaticamente fechara os olhos.


 Não.


Não consigo.


 - AI!! Não dá. - Expus começando a rir envergonhado. E me afastando de Kouyou. Ele abriu os olhos me encarando com tédio.


- Quem quer isso é você, Taka.


- Toma a iniciativa. Por favooooor. - Minhas bochechas coravam de vergonha. Kouyou cedeu meu pedido. 


 - Tudo bem... - Disse ele - Feche os olhos. Obedeci sentindo ele puxar meu queixo para mais perto. Ambos nos encontrávamos de olhos fechados. Momentaneamente me senti preparado para receber aqueles lábios.  


Eles quase se tocaram. Mas, por susto recuei rapidamente. Kouyou riu amargamente.


-Você assusta quando chega perto, Ruki. Relaxa! - Disse ele sem paciência.


- É difícil.  - Kou riu soprado. Se afastou novamente e respirou fundo.


- Vamos de novo. A última vez em. - Assenti com a cabeça. - Vou tentar ir mais devagar. - Disse ele quase sussurrando. 


Ele se consertou em minha frente, logo acariciando meu rosto com a ponta dos dedos. Meus olhos não se fecharam ainda, estavam presos as órbitas cor de mel do maior. Vagarosamente afastou meus cabelos do olho, tendo uma visão melhor do meu rosto. Seu rosto vinha se aproximando devagar, o que me deixou um pouco tenso.


- Takash... 


-Shhh. - Repreendeu ele com o dedo indicador em meus lábios. Logo fechei os olhos devagar, sentindo sua outra mão segurar meus cabelos na nuca.-  Re. La. Xa.  - Disse ele pausadamente, assim que seu dedo se afastou dos meus lábios que estavam imóveis esperando o contato de outros lábios para que este pudesse se mover.








Notas Finais


Eu ia terminar mais deu preguiça😊
No próximo eu continuo eh óbvio.


Taka é BV. Q kawaii


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...