História As mulheres da vida do Batman - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Batman, Liga da Justiça, Mulher Gato, Mulher Maravilha
Personagens Alfred Pennyworth, Bruce Wayne (Batman), Canário Negro, Diana Prince (Mulher Maravilha), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina), Pamela Lillian Isley, Selina Kyle (Mulher-Gato)
Tags Arlequina, Batman, Canário Negro, Cronicas, Dibruce, Dinah Lance, Harley, Hera Venenosa, Ivvy, Mulher Gato, Mulher Maravilha, Romance, Zatanna
Exibições 228
Palavras 885
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ois,
Eu sempre peço desculpas é até cansativo isso, não é por preguiça que não atualizo rápido mas sim porque tenho um rotina escolar intensa e isso acaba afetando diretamente os meus lazeres e hobbies. Então dessa vez nem irei pedir desculpas, mas sim que não desistam da história porque eu não vou parar de escrever ela.
Eu me esforcei pra escrever esse capitulo, não sou a maior fã da Selina mas concordo que ela foi a principal amante do Morcegão, desde já peço desculpas por algum erro meu.
Espero que gostem, de coração.
Boa leitura!

Capítulo 4 - Selina Kyle


— Alfred.

— Aqui Bruce.

— Me traga um vinho da safra de 1952, especificamente o Cos d’Estournel, fazendo favor.

— Entendido senhor.

Levo meus dedos as minhas pálpebras massageando-as, minha cabeça ardia de dor. As lembranças atordoavam a minha alma. Porém, tinha que continuar não iria conseguir dormir de qualquer jeito. A dor precisava ser sentida.

Alfred logo me trouxe a garrafa da bebida pedida e com todo o seu prestigio me serviu. O gosto intenso do conhaque foi substituído pelo excêntrico paladar amadeirado do vinho. Uma delícia. O sabor e o aroma da bebida fizeram minha mente viajar no tempo, era com ela que eu o bebia, e numa grandiosa coincidência era dela a próxima foto.

Selina Kyle. A gatuna que roubou minha sanidade por um longo tempo, a mulher a qual achei que tivesse roubado meu coração. Lembrar-se dela era como apreciar aquele vinho. No início doce como um favo de mel, aquele tipo de sabor agradável que te traz mil e uma sensações prazerosas. Entretanto, quando você o engole o seu interior conhece o verdadeiro gosto, que não chega nem perto de agradável, um tanto amargo, amadeirado e nada suave, muito menos doce.

Minha experiência com Selina não podia ser ilustrada de outra forma. No início um Oasis tudo na maior perfeição, até cheguei a acreditar que ela poderia mudar que ela mudaria por mim. Iludi-me por anos, até que finalmente cai numa real, tendo como resultado um coração quebrado.

Ela me conheceu como Bruce Wayne primeiramente, em um jantar na casa dos imperadores da máfia de Gotham, os Falcones. Impecavelmente bela em um vestido negro com uma fenda bastante convidativa, não conseguia tirar o olho dela tempo algum durante o jantar. Entretanto não rolou nada demais entre nossas personalidades conhecidas pela sociedade.

Mas foi quando eu vi como a Mulher Gato pela primeira vez senti que poderia explodir de excitação, só de observar ela naquele uniforme. Coberta do pescoço aos pés de um couro negro colado ao corpo, moldando cada curva do seu corpo perfeito. Ela era inteiramente sexy.

Naquele nosso jogo de gato e rato eu me vi completamente encurralado, não conseguia fugir do sentimento que crescia cada dia mais entre nós. Não conseguia tratá-la como qualquer um vilão que combatia, tinha algo nela de diferente. Ela não era nenhuma vilã, assassina ou psicopata, estava mais para anti-herói. Ela simplesmente roubava, uma verdadeira gatuna, considerava até um dom a habilidade que ela tinha ao roubar, era quase imperceptível as suas ações. Silenciosa como um gato

Com o tempo foi ficando impossível simplesmente só observá-la, tinha que tomar uma atitude. E foi o que eu fiz.

Tomando coragem fui a seduzindo também e percebia que ela me queria da mesma forma que eu a desejava, era inegável a tensão sexual que existia entre nós dois. Não consegui ceder ao desejo. Saciei dos meus prazeres carnais juntamente com ela, eu tento e não consigo achar palavras até hoje para poder descrever nossos momentos, ela era inteiramente perfeita.

Nosso atípico relacionamento foi evoluindo, passando de um intenso sexo casual para um estado de companheirismo, passei a confiar nela. De um intenso prazer, passou a ser paixão para mais tarde ser redescoberto o amor.

Estava vivendo um sonho com Selina. A amava tanto que não me preocupei em revelar minha identidade para ela, assumindo assim um relacionamento oficial, sendo para o sol Bruce e Selina e para a lua Batman e Mulher-Gato. Tudo estava perfeito.

Acreditei que estava mudando-a, tinha fé que ela largaria as suas práticas criminais, eu a supriria em todos os sentidos ela não precisaria mais roubar. Porém mesmo com todo apoio ela não queria largar seu “eu” criminoso, era uma forma que ela encontrara de se sentir livre ao roubar. Mesmo com todos os sermões, com todas as conversas pacíficas e discussões ela não quis abandonar o seu lado sujo.

Em um piscar de olhos tudo foi desandando. Ela preferiu jogar fora todos os nossos sonhos e planos, rasgando nossos sentimentos como se fosse uma folha de papel e os jogando no lixo, para poder viver sua vida como a gata das ruas de Gotham.

Pela primeira vez na vida tive meu coração quebrado, não conseguia ao certo distinguir os sentimentos. Eram várias as gamas de emoção e muitos acredito até não possuir denominação sendo conhecido somente por quem os sente, ia de uma profunda tristeza até uma amarga raiva, amarga como o vinho. Odiava-me por não ter enxergado o quão raso era os sentimentos dela, eu me entreguei por completo enquanto ela simplesmente se saciava comigo.

Fomos nos distanciando cada vez mais. Da mesma forma que começou, como um flash, terminou. De um sonho em casar, ter filhos e viver para sempre juntos voltou a ser somente sexo casual, só prazer. O companheirismo não se apagou, profissionalmente, devido os seus contatos no mundo do crime ela me ajudava a encontrar diversos criminosos nas noites solitárias de Gotham.

Passado um tempo fui entendendo que nós dois nunca deveríamos ter passado de um sexo casual. Ela nunca seria minha companheira, nossas ideologias de vida eram completamente distintas e nossas mentes totalmente fechadas para novas possibilidades. Selina nasceu pra ser um passarinho solta e solitária como um gato. E eu… nasci pra viver nas sombras apenas assistindo a felicidade alheia, nas trevas como um morcego.


Notas Finais


Gostaram?
Não esqueçam de comentar, é sempre bom saber a opinião de vocês e é uma grande motivação também.
Até a próxima!

Ps: Estou postando minhas fanfics no wattpad, quem puder dar uma forcinha lá é mt bem vindo.
https://www.wattpad.com/user/batwonder


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...