História As músicas que me guiaram - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Lydia Martin, Scott McCall, Stiles Stilinski
Tags Martinski, Sciles, Stydia, Sydia
Exibições 383
Palavras 1.780
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu seeei que demorei para postar. Mas foi por um motivo justo! Fiquei adiantando capítulos. Isso mesmo, ESTOU COM CAPÍTULOS PRONTOS *batam palmas para mim*
Então posso postar com mais tranquilidade haha
Enfim... Espero que gostem!
Boa leitura
P.s- A música que o Stiles canta: "Touchin on my- 30h!3" *sim, tirei essa música e essa banda do fundo do bau hahaha*

Capítulo 5 - Muita garota bonita


— Girl, I gotta go. I finished with the show. If you wanna me. I won't say no! — Stiles cantava aos berros, jogando a cabeça para o alto e apertando a pequenina mão de Lydia. — To-to-to-touchin on my. While I'm touchin on your. You know that we are gonna.

Lydia estava vermelha de vergonha, os olhos verdes arregalados, a cabeça baixa. Isso porque Stiles cantava no meio da rua vazia e mesmo tendo uma voz maravilhosa, a maneira como ele cantava era constrangedora. Além é claro, da letra indecente da música.

— Stiles! Você pode parar? — A voz dela era apenas um sussurro.

— Não. — Um sorriso vitorioso e debochado dominava os lábios tentadores. — A não ser é claro, que nessa festa você ocupe a minha boca. Se fizer isso, juro que paro de cantar.

Ela revirou os olhos e soltou a mão do aperto do melhor amigo. Ele riu satisfeito, vendo como Lydia se irritava fácil. Ela acelerou o passo e começou a andar a frente dele.

— Nossa, Lydia! Era sua intenção me dar essa visão do paraíso?

— O quê? — Desnorteada, ela virou a cabeça para trás, tentando entender a malicia na voz do amigo.

— Sua bunda está muito gostosa nesse vestido. — Comentou com naturalidade, vendo o rosto de Lydia perder a cor. — Agora faço questão que você ande na minha frente até a gente chegar na festa.

— Eu odeio você, Stilinski! — Ela esbravejou, parando de andar até o garoto alcançá-la com seus passos lentos e confiantes.

— Por quê?

— Você começa a cantar uma música antiga e indecente só para me irritar e...

— Não foi só para te irritar. Ver você brava foi só o bônus. — Interrompeu a fala de uma Lydia furiosa, envolvendo os ombros dela com os braços. — Cantei porque achei que tinha tudo a ver com nosso momento. Quer dizer, a linda poesia dessa música fala da garota tocar o pau do cantor, enquanto ele toca na...

— Stiles! — Foi a vez de Lydia interromper, as bochechas cor de vinho. — Por que essa música teria a ver com a gente? — Assim que perguntou, ela percebeu o erro que cometeu.

— Talvez porque eu acabei de te masturbar e você rebolou tanto, que eu gozei grudado na sua bunda. — O linguajar sem pudor, indecente de Stiles, fazia Lydia ter vontade de o estrangular. — Então acho que essa música é a trilha sonora perfeita.

Quando Stiles voltou a cantar a mesma música, Lydia respirou fundo e decidiu que era melhor não reclamar antes que ele falasse algo mais constrangedor. Então, aguentou a cantoria enquanto andava com o amigo para a maldita festa que estava sendo obrigada a ir.

A casa de Scott McCall era tão perto que os pais de Stiles e a mãe de Lydia não fizeram nenhuma questão de dar uma carona para os dois. Por isso, andaram até o lugar onde Stiles ansiava chegar.

— Eu odeio festas, odeio o Scott e você me arrasta para uma festa na casa dele! — Ainda mal-humorada, Lydia resmungou.

Stiles estava disposto a não brigar com Lydia. Soltou uma risada e desceu a mão até sua cintura fina. Enquanto ainda andavam, depositou um beijo inesperado no pescoço dela.

— Que mau humor, sereia. Nem parece que hoje eu toquei você duas vezes. — A frase maliciosa fez a espinha de Lydia arrepiar. — Você está tão linda com esse vestido. Não entendo como está estressada.

Lydia não queria ceder a voz arrastada e propositalmente sexy do amigo. Cruzou os braços na altura do peito e respirou fundo, olhando de relance para o próprio corpo.

Ela usava um vestido azul que parecia muito colado e muito curto para seu gosto. Por que ela estava usando aquela peça que mostrava tanto do seu corpo? Porque Stiles amava aquele vestido.

Quando comprou aquela peça, Stiles estava com ela e assim que Lydia saiu do provador de roupa, o garoto surtou. Usou uma quantidade assustadora de palavrões e a elogiou alto o suficiente para toda loja escutar.

“ Gostosa, sexy, linda, maravilhosa”, foram alguns dos infinitos adjetivos que Stiles usou para falar da melhor amiga. Assim, Lydia acabou comprando o vestido que era da cor predileta dele. Até porque, sempre que iam sair Stiles insistia que ela usasse aquela roupa.

— Você pode, por favor, não falar toda hora o que gente fez? — Ela pediu bem baixinho, o rosto corado.

— Por quê? Você disse que gostou.

— Foi muito gostoso. — Ela respondeu sem nem perceber, os olhos verdes fixos no chão. — Mas...

— Você tem vergonha da pessoa que mais a ama no mundo.

As palavras doces derreteram Lydia. Um sorriso brotou nos lábios grossos e todo mau humor por ser obrigada a ir para uma festa, sumiu. Stiles percebeu isso com facilidade e retribui o sorriso quando eles chegaram em frente à casa de McCall.

— Não sei como você me convence a ir nesses lugares. — Ela estava tão apavorada ao escutar a música berrando e ao ver a multidão de pessoas, que sua voz tremeu.

— Eu sou sexy. — Foi a explicação de Stiles enquanto empurrava as costas da amiga, a obrigando a andar em direção a festa.

— O quê? — Ela não entendia como Stiles conseguia se elogiar com tanta frequência.

— Você faz tudo que eu peço, porque sou sexy. Não consegue resistir! — Ele não se importou de gritar para que Lydia escutasse por cima da música alta.

Lydia não tentou responder, estava preocupada demais com a quantidade de pessoas na casa. Aquilo parecia um pesadelo para ela. Tinha muita gente, cheiro de bebida, a música alta demais e para piorar, pessoas fumando.

Scott tinha a mesma idade de Lydia, quinze anos. Mas a liberdade que ele tinha, a forma como agia, era como se fosse muito mais velho. Com aqueles olhos escuros pedintes, pele bronzeada e corpo atlético devido os constantes treinos de lacrosse, McCall conseguia tudo o que queria.

Ele era um clichê ambulante. O típico popular, pegador e esportista. Porém, o que mais incomodava Lydia, não era suas atitudes ruins, mas sim o fato de que Scott era irritante de tão simpático e de que Stiles era tão popular quanto ele. Ela sabia que era questão de tempo até seu melhor amigo se aproximar do McCall.

— Tem muita garota bonita aqui. — O comentário dito na orelha de Lydia fez o corpo dela arder de raiva. — Olha como a Malia está... — E aquela frase incompleta, aumentou o ódio dela.

Stiles tinha uma quedinha por Malia desde que era pequeno. Ele nunca nutriu nada que o fizesse tentar se aproximar da garota, mas sempre a achou bonita e falava dela para Lydia. Ele não tinha noção do ódio que a melhor amiga sentia de Malia por causa disso.

Os olhos verdes encararam o rosto de Stiles com um ódio mortal. O Stilinski abriu um meio sorriso debochado e pensou em falar algum comentário maldoso, porém, quando percebeu o tamanho da raiva da amiga, se calou.

Ela parou de andar bem de frente da festa e a raiva foi tão grande, que seu rosto pálido se tornou muito vermelho. Os lábios grossos formaram um bico e Stiles ficou tão desnorteado, que seu sorriso sumiu aos poucos, sendo substituído por uma expressão de surpresa.

— Eu juro por Deus, que se eu ver você olhando para alguma garota, vou fazer você se arrepender pelo resto da sua vida! — A ameaça estava transbordando de tanto ciúme, que Stiles não soube como reagir.

Lydia apesar de ser uma menina doce, tinha um temperamento difícil. Se afastou de Stiles com passos largos. Pareceu esquecer o medo que tinha de pessoas e se infiltrou na festa bufando alto, empurrando qualquer um que estivesse em seu caminho.

Stiles precisou correr para alcançá-la. Ele só conseguiu agarrar no braço da melhor amiga, quando eles já tinham entrado na casa transformada em uma imensa pista de dança. Ele puxou Lydia para seu corpo e encarou, encantado, a expressão de ódio dela.

— Você tem tanto ciúmes de mim? — O modo como ela lambeu os lábios, impaciente, o fez perceber que não devia ter falado aquilo. — Lydia, você é a garota mais linda e mais gostosa dessa festa! Por que eu olharia para outra garota quando tenho você?

— Porque tem muita garota bonita aqui. — Miseravelmente, ela tentou imitar a voz de Stiles. Porém a raiva era tão grande, que o amigo não teve coragem de debochar. — E sua paixão está desfilando com aquele vestido curto!

Lydia ficava cada mais vermelha de ódio. Fuzilava Malia com os olhos, vendo garota morena cercada por garotos. A Martin sentia tanto ciúme, que não percebia como Stiles a devorava com o olhar, sem nem perceber a existência de Malia.

Ele amava vê-la irritada. O jeito que Lydia ficava ao mostrar sua personalidade difícil e encantadora, por algum motivo, o deixava excitado. Cada expressão da amiga, cada gesto raivoso, parecia sexy aos seus olhos.

— Eu não sou apaixonado por ela. — Era difícil para Stiles falar por causa da sensualidade natural de Lydia. — Só acho ela gostosa, mas você também é!

Assim que falou, a culpa caiu na cabeça de Stiles. Ele imediatamente percebeu que falou “também”, como se comparasse o corpo das duas garotas. Soube no mesmo instante que Lydia ficaria furiosa com aquilo.

Mesmo que ela não confessasse, Stiles sabia o quanto a amiga sentia ciúmes dele e que odiava quando ele elogiava outras garotas. O Stilinski conhecia muito bem o temperamento bravo de Lydia, mas ainda assim, se surpreendia em como ela ficava enciumada.

— Ótimo. Então vai correr atrás da gostosa! — As palavras brutas de Lydia não combinavam com o rosto angelical.

— Lydia!

A garota não escutou o chamado do amigo. Ela marchou pela casa cheia e mais uma vez, saiu empurrando as pessoas que a atrapalhavam. Os saltos baixos que ela usava pareciam queria afundar no chão devido a força que ela fazia ao andar.

Stiles seguiu a amiga sem acreditar que tinha feito ela ficar assim quando mal chegaram na festa. Ele paralisou com a boca escancarada assim que viu sua amiga, normalmente tão tímida, agarrando a mão de um garoto desconhecido.

Ele viu Lydia falar algo para o garoto por cima da música alta e então, a ruiva colocou os braços nos ombros do desconhecido. Direcionou os olhos verdes para Stiles e começou a balançar o quadril.

— Deus! Ela quer fazer ciúmes em mim. — Em choque, Stiles percebeu com facilidade a intenção daqueles olhos verdes.

O pior? Mesmo sabendo que Lydia fazia aquilo de proposito, como uma vingança para suas palavras infelizes, ele sabia que cederia a provocação. Vendo a melhor amiga se mover, ele fechou as mãos em punho e bufou.

Não tinha condições para responder sobre seus atos. Lydia era dele. Sempre foi. Não ficaria olhando ela dançar com outro garoto daquela forma sugestiva.


Notas Finais


Então.. O que acharam?
No decorrer da fic vocês vão ver os personagens amadurecendo. Lembrem que eles ainda são muito novinhos!
O capítulo 10 vai ser o último deles nessa idade.. e até lá, vocês já vão poder ver a amizade colorida ficando mais estável e a Lydia se tornando mais segura.
Sim! Podem ficar tranquilos que a Lydia aos poucos vai ganhar mais confiança e enlouquecer muito o Stiles.
Espero que gostem tanto da evolução deles, como eu estou amando escrever!
Beijinhos e até logo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...