História As oito meninas da minha vida. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Vocaloid
Personagens Gumi Megpoid, IA, Len Kagamine, Luka Megurine, Miku Hatsune, Rin Kagamine
Tags Len Harem
Exibições 36
Palavras 1.744
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


olá jovens

Capítulo 2 - Decepção familiar


Fanfic / Fanfiction As oito meninas da minha vida. - Capítulo 2 - Decepção familiar

Rin não conseguia prestar atenção da aula talvez fosse o fato de estar curiosa e com ciúmes do irmão que saiu com sua prima talvez fosse o fato do aluno novo a incomodar um pouco com seus cabelos rosas e touca cinza,o aluno novo foi apresentado pela professora de química e dês de então fica encarando a loira enquanto a mesma tentava resolver um problema de química que parecia impossível para a mesma.

-que decepção –a voz de seu pai ressoou em sua cabeça-não consegue resolver um misero problema.

A loira se controlou para não rasgar a folha de seu próprio caderno ao lembrar-se da voz do pai durante uma de suas aulas particulares.

-vamos rin são só alguns problemas de nível médio –ele disse –len já faz os da faculdade.

A loira suspirou odiava ser comparada ao irmão que era duramente preparado para o pai ,a loira não conseguiu resolver os problemas sozinha ao cair da noite no quarto deles len a ensinou como fazer e a beijou aquele foi a primeira vez que len a beijou.

A loira se deixou viajar em suas memorias ate o momento que o irmão foi expulso de casa ,ela e sua mãe choravam e seu pai leon estava furioso ele se virou para a loira com ódio em seus olhos azuis.

-decepção e isso que vocês são –leon kagamine disse e quando sua mãe tentou dizer algo ele a fintou –rin será minha herdeira amanha ela vai para um colégio interno para aprender a ser alguém.

Sua mãe não discutiu e rin acabou chorando encostada em seus bonecos de pelúcia todos com o cheiro do irmão e dela mesma a loira se levantou decidida não obedeceria o pai pelo contrario encontraria o irmão seu Romeo.

Rin acordou de suas memorias quando o sinal tocou anunciando o fim da aula de química a loira sorriu enquanto gumi vinha á sua mesa sorridente a pequena lhe deu um abraço e lhe mostrou um cartaz do torneio estadual de boxe que aconteceria logo.

-você consegue pequena – a loira incentivou e gumi sorriu.

-sim –a pequena disse e rin sorriu para sua irmãzinha.

Por mais que a decepção ainda a rondasse sabia que nunca sentiria isso ao lado de sua família.

Miku suspirou ao terminar a lição odiava usar seu lado nerd ,mas a professora de matemática não lhe deu muitas escolhas a princesa suspirou cansada enquanto todos na sala a encararam com duvida afinal sua fama era ser uma princesa que implicava com os nerds não uma aluna capaz de responder um problema de matemática.

-quem diria a princesa não tem cérebro de jujuba –ouviu de uma menina e se virou furiosa com seus olhos esmeraldas para encontrar uma menina bronzeada de cabelos negros tinha mechas azuis e seus olhos eram de um azul intenso iguais aos de len.

-quem diria a índia sabe falar minha língua –miku devolveu e a menina riu.

-para alguém que perdeu o namorado e o cargo de princesa você e bem confiante –a morena respondeu e miku riu debochada.

-falou uma zé ninguém.-miku disse e sorriu irônica a menina bronzeada suspirou e saiu da sala ao som do sinal.

A esverdeada pensou em ir na sala de suas amigas e família ,mas não estava com muito humor para piadas tanto dela quanto as de gumi ,IA ,rin e luka a esverdeada as amava porém não tinha muita paciência naquele momento miku preferiu ir em um lugar onde ninguém a encontraria ou sonharia em a encontrar lá a biblioteca onde sorriu ao pegar um livro que já viu len lendo a princesa se perguntou qual seria seus sentimentos para com o loiro.

Seu celular tocou uma melodia suave com a voz de len a esverdeada sorriu ao toque de Orange a musica do loiro que ela gravou o numero trouxe uma careta ao seu rosto quando atendeu.

-mikuo –ela disse para o irmão que suspirou.

-oni-chan seria ótimo –o irmão disse irônico –nosso pai esta te chamando vadia .

-porque eu deveria ir ?-ela perguntou venenosa.

-gosta dos carros e cartão de credito?-ele perguntou –acho que sim né então traga essa sua bunda arrogante para cá.

Mikuo desligou fazendo miku o xingar e ir na direção do diretor depois de avisar que estava com um problema em casa e pedir licença a esverdeada esperou o carro do pai ir busca-la e ele veio num modelo mais esporte do que o comum prateado com um grande H na porta a princesa suspirou e entrou no carro.

O caminho foi silencioso o motorista era um dos que trabalhava diretamente para seu pai ou seja miku não tinha o mínimo interesse em trocar qualquer palavra com o mesmo que a deixou na porta de uma enorme mansão a esverdeada suspirou e abriu o portão,os jardins da mansão hatsune eram os mais lindos que miku já virá com suas inúmeras flores e rosas de todas as cores e tipos e uma grande fonte onde jorrava agua cristalina a esverdeada sorriu ao se lembrar de suas brincadeiras ali.

-perdidas em pensamentos irmãzinha –a voz de seu irmão atrás de si a vez pular para encontrar o herdeiro de seu pai e seu irmão mais velho mikuo sorrindo para ela.

Mikuo era bem mais alto com cabelo verde agua curto e um sorriso ainda mais sínico que o de miku seus olhos tinham um tão venenoso de verde e ele carregava um boque de rosas vermelhas que ofereceu a irmã que a pegou hesitante.

-relaxe isso é um presente porque não a vejo a muito tempo –o esverdeado explicou –ou prefere um abraço –ele abriu os braços e a mais nova recusou com a cabeça e ele sorriu.

-vamos princesa nosso pai nós aguarda –o mais velho disse.

Miku seguiu o irmão através do jardim e para dentro da mansão onde suas memorias de infância a invadiram sua mãe morrerá em seu parto dês de então seu irmão e pai tem sido sua única família bem eles tentavam porque a princesa se fechou em um escudo de sarcasmo inquebrável para sua própria segurança afinal mikuo se fechou em um escudo de arrogância e seu pai em seus planos para expandir ainda mais a fortuna da já rica família.

Encontraram seu pai em seu escritório houve uma época em que seto hatsune pode ser chamado de lindo ou sedutor ,mas essa época se foi o homem agora usava uma longa barba e cabelos curtos lhe dando o aspecto de algum eremita seus olhos eram vermelhos e seus cabelos verdes.

-meus filhos –o velho disse frio miku nunca sentiu muito calor no pai.

-meu velho porque nós chamou aqui –mikuo foi direto ao assunto e seu pai sorriu.

-digamos que eu achei pessoas muito ricas e solteiras –o velho disse e jogou uma pasta na mesa a frente de si.

-quem seria ?-miku disse pegando uma pasta e escondendo a surpresa ao ver que eram fotos de len e rin.

-os gêmeos kagamine herdeiros da segunda maior empresa do país-seu pai disse sorrindo.

- eu os conheço –a esverdeada disse e fechou a pasta –fique longe deles os dois –a esverdeada disse dando as costas.

-estou decepcionado –ouviu seu pai dizer enquanto saia.

-também estou –ela respondeu.

Miku deixou a casa da família certa de que mudara e não deixaria seu pai ou seu irmão usar sua preciosa nova família de jeito nenhum nunca.

Len e neru se divertiram bastante no shopping que foram depois de neru decidir que tiraria seu primo de sua pequena esfera de depressão a loira o levou ao fliperama mais próximo e massacrou o primo em vários jogos coisa que fez len sorrir e começar a jogar a serio e no final acabaram jogando a maquina de pegas ursos len e neru juntos pegaram 9 bichinhos de pelúcia de acordo com a loira um para membro da família deles.

-espero que elas gostem –len disse sorrindo carregando as bolsas e neru sorriu assim como o primo.

-vão sim –len puxou a prima e a beijou.

-obrigado –ele disse depois deles se separaram por ar neru sorriu e colocou a mão nos lábios macios dele.

-espere até chegarmos em casa –ela disse e len sorriu.

Quando estavam  a um esquina de casa uma grande van branca parou na frente deles com um grande K na lataria len já sabia de quem era e deu as bolsas para sua prima.

-priminha vá na frente –len disse serio e a loira obedeceu passando sem problemas pela van que se abriu revelando um jovem com cabelos loiros apagados e olhos vermelhos usava um terno branco e um sorriso amigável.

-hey len –yohio o braço direito de seu pai disse.

-hey yoshio –len respondeu –meu pai quer me ver ?

O loiro fez sim com a cabeça e len suspirou entrando na van.

-é uma boa cidade –o loiro maior disse ele sempre simpatizou com len.

-eu sei –len respondeu.

Seu pai o encontrou em um grande prédio de negócios no centro da cidade leon kagamine esperava seu filho sentado em uma cadeira luxuosa o patriarca dos kagamines sorriu ao ver seu único filho que não retribuiu o sorriso.

-pensei que a parte eu não tenho mais filho fosse verdade –o loiro disparou e leon deu os ombros.

-nem filha tenho mais –ele disse e len gelou.

-pensou que a esconderia de mim ? que adorável –o mais velho disse e deu um de seus famosos sorrisos maldosos.

-vejo que continua o bastardo de sempre –len disse e leon sorriu fazendo um gesto de mão para yohio sair da sala.

-então esta pronto para ser homem?-seu pai disse –eu pretendo lhe dar uma pequena empresa se deixar rin voltar comigo-len suspirou.

-isso não depende de mim duvido que ela vai querer ir a qualquer lugar com você-leon riu e se levantou indo até seu filho e tocando seu ombro.

-no mundo dos adultos não se tem que querer –o mais velho disse.

-fique com sua empresa leon –len disse e se virou para sair quando o pai agarrou seu pulso o fazendo o encarar.

-quem você acha que é ?-ele disse e len o empurrou se libertando.

-seu filho –len disse e leon cuspiu no chão.

-não tenho filho –ele afirmou –mas você muleke precisa de uma lição.

Len sorriu montando guarda assim como seu pai.

-engraçado não tenho pai –ele afirmou –mas você precisa de um chute nessa sua bunda velha.


Notas Finais


len vs leon no próximo
u.u


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...