História As paixões de July - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang, EXO, House, Infinite, SHINee, UNIQ, VIXX
Personagens Cho Seung Yeon, D-Lite (Daesung), Dongwoo, Eric Foreman, Gregory House, Hoya, James Wilson, Jinki Lee (Onew), Jonghyun Kim, Kai, KiBum "Key" Kim, Kris Wu, Leo, Lisa Cuddy, Minho Choi, Myungsoo (L), N, Personagens Originais, Ravi, Robert Chase, Suho, Sunggyu, Taemin Lee, Taeyang, Wang Yibo
Tags Bigbang, Daesung, Dongwoo, Dr Eric Foreman, Dr House, Dr James Wilson, Dr Robert Chase, Exo, Hakyeon, Infinite, Kai, Kim Jongin, Kpop, Medicina, Minho, Sangue, Sunggyu, Taemin, Traição, Vixx
Visualizações 154
Palavras 655
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - VIII


Demorei o máximo que pude para sair do meu quarto e evitar a conversa, hoje eu iria trabalhar no turno intermediário, então ficaria até uma parte da tarde em casa. Minha esperança era que Wilson saísse cedo. Fiquei esperando por silêncio. Quando achei que estava tudo quieto saí para tomar café, estava faminta, pois não comi nada e não queria comer as frutas pela manhã.

Abri a porta devagar e olhai para fora, tudo parecia estar vazio.  Então finalmente fui em direção da cozinha para preparar algo, imaginava que depois de tudo algo mudaria. Qual foi minha surpresa a bancada posta para dois e um bilhete (reafirmo o povo que gosta de bilhete), dizia, o café está pronto e eu estou no meu quarto, assim que for toma-lo me chame, estarei esperando para tomarmos juntos como fazemos sempre que podemos.

Então!?! Fui até seu quarto e bati na porta com esperança de não ser verdade, de ele ter ido trabalhar, só que não, ele abriu a porta com o mesmo sorriso de sempre e me deu bom dia. Isso foi assustador. (Lembrei dos meus tempos de criança, minha mãe me cumprimentava com um sorriso na frente das pessoas, mas me espancava quando ninguém estava junto para ver.), porém, estávamos sozinhos, mas, o que estava por vir? Sem recuar olhei em seus olhos e respondi da mesma forma.

Sentamos e começamos a comer sem falar nada. Foi então que o silêncio foi quebrado.

-Fiquei sabendo que passou o dia na emergência ontem! Algum motivo especial ou apenas por não ter um caso, o que não é comum para especialistas.

Engasguei para falar, não queria mentir, então falei uma meia verdade.

-O Raphael e eu ficamos entediados lá em cima e como havia poucos médicos atendendo fomos ajudar, acho que não há nada de vergonhoso para um especialista ajudar na emergência! Acredito que o contrario, temos experiência e podemos descartar de cara muitas hipóteses de doenças incomuns.

-Achei que estava me evitando! Disse ele.

Como sair dessa sem mentir, eu estava mesmo...

-De maneira alguma, eu evito são problemas! Respondi sem pestanejar.

Então o inevitável aconteceu.

-Mas você não pensou em evitar problemas quando beijou o Dr. Chase! Disse Wilson em tom sarcástico.

-Na verdade Wilson, eu não pensei, aconteceu! Simples assim! Eu acho que você não está tão preocupado assim como parece, mas, como teve ajuda para pensar durante quase uma noite inteira, o assuntou proporções maiores que realmente tem. (Fui interrompida bruscamente antes que pudesse continuar)

-Sua garota inocente, não tem ideia do que aquele filhinho de mamãe representa, uma criança mimada que sempre teve tudo que quis, está jogando com você! Você realmente acreditou nas palavras dele? Que quer cuida-la, não deixar você sozinha, acha mesmo que é verdade? (Falou em tom mais áspero)

-Não, realmente não acredito que ele vá cumprir estas “promessas”, mas também eu não preciso de alguém assim, para isso eu tenho você meu “irmão mais velho”! E está realmente cumprindo bem seu papel... Eu sei que estou segura, e que você quer que eu não me machuque ou me magoe, mas você não estará sempre ao meu lado. Fique apenas ao meu lado e me ofereça seu ombro quando eu precisar chorar, seus ouvidos quando precisar desabafar e seu braços quando precisar de consolo.

Ele ficou me olhando por alguns minutos em silêncio tomando seu café.

Depois deste tempo, simplesmente balançou sua cabeça. –Está certa, eu agi como se você fosse uma criança, você chegou aqui sozinha, sabe se cuidar, fiquei paranoico ao imaginar que algo pudesse te acontecer. Eu prometi que iria te cuidar!

-Prometeu? Para quem? Como assim? Não consegui ligar na hora minha contratação no hospital com Wilson e meu “padrinho” no Brasil.

Wilson simplesmente ignorou minhas perguntas. Alegou estar com pressa, tinha que ir ao supermercado, pediu para colocar as coisas na lavadora antes de sair.

Então fiz algumas coisas em casa e fui trabalhar. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...