História As Primaveras Me Trazem Você - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Exibições 208
Palavras 6.557
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heeey Guys
Aqui estamos novamente.

Para quem acompanha a fic pelo Wattpad, a atualização do capitulo de hoje já esta disponivel a baixo.



Tenham uma boa leitura.

Capítulo 12 - Convite para Sabado


 

Era quinta-feira no final da tarde e Dinah estava analisando os armários para ver o que precisava ser resposto no restaurante, junto com seu irmão Fisi’iHoi. Ambos analisavam o estoque de alimentos da semana e prevendo uma rápida reposição para o final de semana, já que é quando a lanchonete tem o maior numero de clientes.

Ela tinha acabado de formar uma lista de compra junto ao seu irmão, quando retornava ao caixa para poder liberar sua irmã Kamila, onde a mesma iria para casa de trocar para ir a escola no começo da noite.

- Quem vai ficar com a Gina e o Seth hoje? – Kamila questionou Dinah, ciente de que ela e seu irmão Kauvaka, iriam a escola e alguém teria que assumir a responsabilidade de ficar em casa com os menores.

- Fisi’iHoi e Funaki ficarão em casa hoje com a Gina e o Seth. Corremos o risco de, quando chegar em casa, a metade  tenha sido destruída ou mesmo incendiada por completo, já que nossos pais ficarão aqui hoje. Mas vamos correr o risco! - Dinah deu os ombros e abriu a caixa registradora para organizar o dinheiro que seus irmãos sempre guardavam bagunçados. – Tem algum pedido a ser atendido? – Dinah olhou dentro do estabelecimento, verificando que havia apenas seis mesas sendo ocupada e a maioria dos clientes já estavam se alimentando.

- Só a mesa quatro que já foi atendida e está em espera. – Kamila atravessou o balcão e parou do outro lado em frente a irmã mais velha.

- Tudo bem... Eu assumo daqui. Pode ir descansar e se trocar para sua aula. – Dinah pegou o bloco de pedidos que sua irmã deixou no balcão e analisou os pedidos feitos.

Kamila se afastou do estabelecimento, enquanto Dinah pegou o controle do mini system e aumentou um pouco o volume, onde o som de Crazy In Love da Beyoncé soava razoavelmente pelo ambiente.

Dinah na empolgação da musica, bateu o braço na gaveta da registradora enquanto fazia um passe de dança, onde algumas moedas saltaram para fora, fazendo a maior se abaixar e pega-las com frustração.

- Crazy In Love? Sério?

Dinah ouviu uma voz próxima ao balcão, onde que pelo susto, ela se levantou batendo a cabeça na ponta da gaveta da maquina novamente. Assim que seus olhos esteve ao alcance para ver quem estava ali, ela os revirou e bufou.

- Que diabos você pensa que está fazendo para chegar me assuntando assim? Não é porque eu te chamo de fantasminha, que você está no direito de chegar dando susto nas pessoas. – Dinah colocou a mão na área onde havia batido e suavizando quando não viu vestígio de sangue em seus dedos.

Lauren permanecia a sua frente com um sorriso de divertimento nos lábios, enquanto analisava Dinah com as moedas que havia coletado do chão e as jogou de qualquer forma dentro da gaveta, antes de fecha-la.

- Estou bem, obrigada por perguntar. – Dinah fez drama ao lembrar que havia levado uma pancada quando se levantou e Lauren nem se preocupou em saber como ela estava.

- Nem foi tão ruim assim... – Dinah semicerrou os olhos para a morena a frente e Lauren sorriu ainda mais.

- É bom você tirar esse sorriso idiota agora antes que eu apague ele com meu punho. – Dinah fechou a mão em punho e a levantou em frente ao rosto de Lauren, que recuou dois passos para trás e levantou a mão em rendimento.

-Vamos com calma... Algo me diz que Normani ainda não passou por aqui hoje. – Lauren zombou e Dinah estreitou mais ainda o olhar pra ela. – Seus pais sabem que você ameaças os clientes dessa forma?

- E quem disse que você é cliente?

- Bom, eu vim como tal. Acha que eu ia dar a volta na cidade, para apenas ver sua cara? Eu vim pela comida... – Lauren explicou e Dinah a encarou, ainda não muito convencida.

- Tudo bem, escolha uma mesa que eu já vou anotar seu pedido. – Dinah foi até a mesa atrás e pegou seu bloco de anotações e uma caneta. Quando se virou, Lauren permanecia no mesmo lugar, ainda com um sorriso idiota que já estava tirando Dinah do serio. – Não vai se sentar?

- Vou sim! – Lauren se virou para o lado e puxou uma banqueta alta, se sentando e apoiando os cotovelos no balcão.

- Vai se sentar aqui? Só pode estar de brincadeira... Isso é alguma punição ou Mani mandou você vir pregar uma peça em mim? - Dinah começou a sondar Lauren, sabendo que algo não estava normal...

- Eu só vim comer... Nem vi Normani essa semana. Para não dizer que não nos falamos, ela me ligou terça-feira para ver se eu tinha falado com meu pai sobre o salão para o casamento da Ally.

- Então, porque está sentada no meu balcão sendo que tem pelo menos doze mesas disponíveis para você escolher? – Lauren se virou analisando o espaço e as localizações das mesas vazias. Assim que ela escaneou o local, virou-se novamente, encontrando Dinah a estudando.

- Eu acho que aqui parece um bom lugar, sabe?! Assim podemos, sei lá, conversar... Sempre nos falamos com o restante das meninas juntas, nunca conversamos a sós.

- O que? Está tentando dar em cima de mim? – Dinah abriu a boca indignada e Lauren a olhou incrédula. – Eu sei que sou gostosa e irresistível, mas desculpe Branquela... Eu estou com a Mani agora e você deveria ter mais vergonha na sua cara já que ela é sua melhor amiga. Que tipo de pessoa dá em cima da namorada da melhor amiga? Talvez a uns noves meses atrás se você fosse muito melhor com as palavras eu até pensaria em te dar uma chance.

- O que? Não! – Lauren arregalou os olhos com a suposição da mais alta. – Dinah! – Ela a repreendeu, dando-lhe um tapa no braço. – Deixa de falar besteira. Eu nem se quer projetei algo do tipo em minha mente e você nem é tudo isso ai também não!

- Okay... Isso é uma pegadinha não é?!

- Não... Eu só quero comer e conversar. Não vejo problema nisso.

Dinah se dando por vencida, resolveu aceitar as palavras de Lauren, pegando um bloco de anotações e o colocando a frente. Lauren vendo que a garota maior havia desistido, sorriu e se acomodou melhor no espaço.

- Okay... O que vai querer comer?

- Bom, hambúrguer que Troy comeu aquele dia parece um bom pedido para a fome que eu estou. Acabei de sair da Filial e realmente estou faminta.

- Hambúrguer duplo com bacon e cheddar? – Dinah perguntou para conferir e Lauren assentiu com um grande sorriso. – batatas também?

- Oh sim... Uma porção media! Pra beber pode ser um refrigerante light. – Lauren afirmou e Dinah abriu um sorriso debochado.

- Claro que quer um refrigerante light... Depois de pedir a morte em forma de gordura, um refrigerante light não vai lhe deixar dormir com a consciência pesada.

- Quer que eu troque todo  meu pedido por uma garrafa de água mineral sem gás? – Lauren levantou uma sobrancelha e analisou Dinah. – Acho que seus pais não vão gostar de saber que você fica analisando os pedidos dos clientes.

- Urgh... Como você é irritante! – A mais alta colocou a mão na propria testa e a correu até o final do rosto em descrença. – Você é tão insuportável. Não tem nem vinte minutos que está aqui e eu já quero te jogar de porta a  fora. Como conseguiu enganar a sociedade com esse papel de boa moça?

Lauren riu do comentário de Dinah e se segurou no balcão para não cair.

- O que? Vai me dizer que Mani não falou sobre mim? Ela nunca te contou sobre nosso tempo de escola? Sobre o que fazíamos?

- Não... Mas acho que vou querer saber sobre isso e você vai me contar. – Dinah apontou a caneta de forma ameaçadora para Lauren que levantou a mão em redenção.

- Eu conto, mas antes, pode levar meu pedido? Eu realmente quero come-lo antes da meia noite.

Dinah acenou para o garçom que estava indo rumo a cozinha e entrou o papel com a anotação, pedindo para passar o pedido a frente. Assim que o rapaz desapareceu pela porta dupla que acessava a cozinha, Dinah voltou-se a Lauren para questiona-la sobre o que ela e a namorada faziam no tempo de colégio. Lauren de bom agrado, começou a contar sobre as fugas para festas e sobre a forma que conseguiam cabular aulas para ir a cafeteria comer ou tomar sorvete. Lauren aproveitando a deixa, contou sobre como Mani era seletiva quando escolhia as pessoas que se relacionava. Dinah não se conteve em segurar a risada ao saber que Ally, apesar de hoje parecer a santidade em pessoa, já fez coisas quem nem ela se atreveria a fazer, mas nada superou o fato em descobrir que a baixinha era briguenta e barraqueira e já saiu varias vezes com a mão cheia de cabelos alheios em briga com meninas por ciumes dos antigos namorados.

- Eu não acredito. A besourinho era na verdade um galo de briga na escola. – Dinah apoiava a mão na boca para tentar abafar o riso. – Coitado do Troy... Alguem precisa alertar ele. Ele está para colocar a corda no pescoço literalmente.

- Não subestime o tamanho da Ally... Apesar de ser pequena e parecer adorável, ela é um pequeno demônio quando está furiosa. Acredite, ela consegue ser muito aterrorizante quando quer.

- Eu sempre disse que as baixinhas são as piores, mas ninguém nunca me ouvia! – Dinah passou o dedo no canto dos olhos, limpando uma lagrima que escorria de tanto rir. Lauren estava se divertindo em contar as presepadas apenas para ver a garota a frente se desmanchando de rir. – Mas eu ainda quero ver essa gravação da Mani com a calça enroscada no muro da escola enquanto vocês tentavam fugir.

- Oh sim... Eu ainda tenho. Ally e eu saímos correndo e a deixamos lá. Ela começou a gritar e chorar. Mas o pior foi que ela se esforçou tanto para se desprender, que acabou rasgando a calça. Foi insano!

- Imagino que tenha sido. – Dinah arrumou a postura e se recompôs após vinte minutos de boas risadas. – Parece que seu pedido está vindo. – Dinah olhou para o lado onde o jovem rapaz se aproximava com uma bandeja, a colocando no balcão. – Espere aqui um pouco, okay? Tem um casal querendo acertar a conta.

Lauren assentiu e Dinah saiu com o bloco em mãos até a mesa onde o casal estava. Aproveitando que a ausência da outra garota, Lauren abriu a latinha de refrigerante e pegou seu lanche cuidadosamente para não deixa-lo derramar nada que havia dentro, levando-o até a boca para uma grande mordida.

- Porra... Só fui atender uma mesa e praticamente você já acabou com o lanche. – Dinah olhou incrédula para Lauren que estava quase finalizando seu hambúrguer duplo.

- Eu disse que estava com fome... – Ela se justificou dando mais uma mordida em seu lanche.

Dinah vendo que Lauren estava apenas com a lata de refrigerante aberta, foi até a mesinha ao fundo, pegando um copo e um canudo e colocando na bandeja. Lauren vendo que Dinah havia notado que ela não tinha com o que beber, deu um sorriso sem mostrar os dentes, em agradecimento.

A morena parecia concentrada em sua atividade de morder, mastigar e engolir e Dinah achou graça disso. Ela esperou que Lauren colocasse o ultimo pedaço de lanche na boca e limpasse a mão no guardanapo de papel, antes de se colocar a falar novamente.

- Estou sabendo que tem planos com minha amiga para sabado. Achei que eu era a parceira de filmes dela. – Dinah disse divertida ao lembrar da coversa de segunda-feira com Camila.

Em compensação, Lauren engoliu com dificuldade e arregalou os olhos para a garota maior. Ela colocou um pouco do refrigerante no copo e tomou dois goles grandes, antes de voltar a atenção para Dinah.

- Bom... É que... Bem, vocês vão para o baile. Só nós duas que não vamos, então por que não nos divertirmos de alguma forma também? Não acha justo? – Lauren levou o copo novamente até os lábios e olhou Dinah por cima.

- Você acha que eu sou trouxa, não é?! – Dinah questionou e Lauren a encarou franzindo o cenho. – Eu sei de tudo, Jauregui! Eu sei que você e minha melhor amiga se beijaram.

Lauren se engasgou com o refrigerante, quase caindo do banco. Dinah tentou acudi-la enquanto as pessoas do restaurante olhavam assustada e Dinah sorria para mostrar que estava tudo bem. 

- Se recomponha, por favor?! – Dinah disse próximo ao ouvido de Lauren, ainda mantendo contato visual com os clientes e sorrindo. – Você está assuntando minha clientela! – Ela deu um tapa nas costas de Lauren, fazendo a garota quase cuspir um dos pulmões para fora. – Está tudo bem pessoal, ela só engasgou. Está tudo sob controle!

Lauren aspirou uma grande quantidade de ar e tentou se recompor. Dinah a soltou e analisou os olhos arregalados e o rosto corado com uma leve camada de suor na testa. Lauren pegou o copo de refrigerante e tomou um gole.

- Quer me matar? Como me pega despercebida de uma para outra assim? E como você descobriu sobre isso! – Lauren susurrava forte, mostrando seu desespero pelo assunto com a garota a frente.

- Bom, primeiro que até um cego percebe sua mudança de comportamento com a Mila. Hoje vendo seu lado descontraido eu tive plena certeza disso. Outra pela cara de trouxa que você fica quando ela esta por perto e o seu sorriso estupido pra ela. Deveria melhorar isso se sua intenção é disfarçar.

- Isso é exagero seu... E não foi nada alem de um beijo. Na verdade foi apenas um selinho. Nada significante. – Lauren deu os ombros e pegou uma batata, levando até a boca. Quando ela levantou o olhar, viu Dinah com um olhar penetrante a encarando. – O que foi?

Dinah amaçou um dos guardanapos de papel a sua frente. Lauren percebeu a força que a maior colocava força graças a coloração clara que a junta de seus dedos tomaram. Dinah fechou os olhos e liberou o pedaço de papel totalmente amaçado. Ela respirou audivelmente três vezes antes de abrir os olhos e encarar Lauren, que estava aparentemente incomodada com o comportamento de Dinah.

- Okay... – Dinah passou a mão nos cabelos e olhou para o lado. – Está vendo aquela mesa isolada no fundo? – Dinah apontou para o local e os olhos de Lauren logo correram pelo salão em busca do ponto apontado. – Me espera ali... Vou pedir para meu pai tomar conta do caixa.

Lauren sem entender nada, pegou sua lata de refrigerante e sua porção de batata, andando silenciosamente até o local que Dinah informou. Assim que ela se acomodou em uma das cadeiras, viu Dinah sair de trás do balcão com duas latas de refrigerante em mãos e seu pai indo até o caixa.

Dinah esticou uma das latas de refrigerante com um canudo para Lauren e abriu o outro para si, se sentando logo em seguida de frente para a administradora.

- Não se preocupe, essa é cortesia da casa. – Dinah informou quando Lauren parou um olhar confuso para a lata a frente. – Temos que esclarecer umas coisas.

- Okay... – Lauren colocou sua batata na boca e mastigou lentamente.

- Bom, afinal, o que você quer com a Mila?

- Amizade? Quero dizer, meio que agora somos todos um convívio único, certo?! Você é namorada de uma das minhas melhores amigas e Camila é sua melhor amiga. Meio que todas estamos num único ciclo de convívio.

- Certo. Então, se você quer ser apenas amiga dela, por que diabos a beijou? Mila e eu somos amigas desde sempre e nunca precisei dar um selinho em prol da nossa amizade. Não sei se isso é costume seu, mas eu não saio beijando minhas amigas assim não. – Dinah refletiu sobre suas palavras por um momento e logo levantou uma sobrancelha ao questionar-se a si mesma. – Caso seja um costume, está proibida de beijar a Mani. – Lauren fez uma careta em discordância e encarou Dinah com incredulidade.

- Eu não beijaria a Mani... Nem a Ally... Isso seria muito estranho!

- Imaginei... Tanto que por isso não acreditei nas suas palavras de querer apenas amizade com a Mila. Por isso, quero deixar algumas coisas bem claras aqui. Chancho é meu bebê. Se você ferir os sentimentos delas eu vou ferir seu rostinho lindo com uma faca e depois jogar gordura quente! Eu não sei o que está se passando na sua cabeça, mas sei muito bem a bagunça que você está fazendo no coração e na mente da minha amiga. Camila é uma garota muito especial e de bom coração. Ela já sofreu muito pra uma garota tão pequena. Ela foi abandonada pelo namorado e se fechou para qualquer aproximação amorosa. Ela perdeu o pai e se fechou para qualquer divertimento na vida. Ela se fechou de tal forma que evitava qualquer contato com pessoas. Ela se isolou de tudo e todos. Eu fui a única que persisti por ela. Eu fui quem aos poucos foi tirando ela de trás dos muros que ela criou em defesa de seus sentimentos. Aos poucos estou conseguindo traze-la para a vida, sair para se divertir, interagir com outras pessoas. – Dinah passou a mão direita sobre os cabelos e analisou o rosto não expressivo de Lauren. Enquanto isso, Lauren estava atenta a todas as palavras. Qualquer informação que fosse referente a jovem Latina, sempre conseguia a atenção da morena. – Não queira saber como foi difícil inclui-la. Ela não se submetia a sair com mais ninguém alem de mim. Meio que aos poucos eu me isolei por ela também. Quando Mani apareceu, foi como tentar empurrar uma rocha em uma subida. Ela se fechava a qualquer ideia de estar comigo, Mani e qualquer outra pessoa. Não sei se por sorte, ou sei lá o que fosse, Mani começou a frequentar a floricultura e conseguiu ganhar a confiança dela.

- Isso é engraçado. – Lauren deu um sorriso debochado. – Eu me lembro que final do ano quando eu fui na floricultura com a minha irmã, ela não se mostrou nenhum um pouco de antipatia ou algo do tipo.

- Não é porque ela é atenciosa atendendo as pessoas, que realmente ela está dando qualquer tipo de confiança. – Dinah concluiu diretamente. – Ela sabe levar bem o profissionalismo e meio que isso é uma jogada para conseguir deixar o cliente mais a vontade. Cliente satisfeito com o bom atendimento, sempre volta. – Lauren pareceu considerar as palavras de Dinah como algo importante a ser lembrado. – Enfim, a primeira vez que saímos, eu achei que ela teria algum surto de querer ir embora, porem ela se mostrou a vontade. Mani sempre dando atenção e ela pareceu confortável. Depois de algumas semanas, apresentamos Ally e Troy que nem deram a chance dela se intimidar. Ally foi um amor com a Mila e Troy sempre brincando e dando atenção como se conhecessem de meses. Foi a primeira vez que vi ela descontraída e a vontade com pessoas diferente. Foi quando vi que a minha Mila, aquela garota amigável e tagarela, que tinha assuntos de anos para falar em minutos, que sorria por tudo e sempre demonstrando interesse nos assuntos, estava de volta. Foi quando vi que ela finalmente conseguiu superar qualquer dor ou algo do tipo. Todos a viam como uma garota forte antes, mas eu sabia que por dento ela ainda estava destruída. Desde então, ela só veio melhorando e hoje não vejo rasto de tristeza e inconformações na vida dela.

- Nossa... – Lauren falou enquanto dissolvia as informações. – Ela realmente é uma garota forte. Eu admiro isso nela. Ela fisicamente parece tão frágil, mas é tão valente.

- Ela é uma guerreira. – Dinah concluiu. – Porem até as mais fortes das armaduras, tem alguma irresistência. E no caso da Mila, é os sentimentos.

- E por que está me contando isso? – Lauren por fim tomou coragem de questionar, vendo que Dinah queria a levar a algum fundamento naquela conversa, só que até então a garota não tinha conseguido decifrar o que a maior estava querendo dizer.

- Camila gosta de você! – Os olhos de Lauren se arregalaram e sua boca se abriu em descrença. – Ela gosta de você e eu tenho medo de que isso possa se tornar mais profundo do que está sendo. Ela vê você como uma obra de arte valiosa em seu caminho e eu não quero ver minha amiga afundando novamente. – Você a beijou, ela beijou você... Porra, Lauren... Você não tem ideia do estrago que está fazendo. Ela esta abrindo as portas do coração dela pra você. Ela não teve nenhum tipo de contato desde que Austin a abandonou e você do nada, aparece de Nova York pra cá, entra na nossa vida, entra na vida da Mila e agora esta a frente de poder dominar o coração dela. Eu tive vontade de socar sua cara naquele balcão quando você abriu sua boca grande pra dizer que não foi nada, foi apenas um selinho. Isso pode ter sido pra você, mas não pra ela. Ela me mandou mensagem durante o domingo todo dizendo que precisava falar comigo. Eu quase larguei minha namorada na casa da avó dela e parti pra cá só para acalmar a euforia da minha amiga.

Lauren ouvindo as palavras de Dinah, abriu um largo sorriso, imaginando a cena de Camila com os olhos brilhantes e um lindo sorriso no rosto.

- Eu não imaginava isso. – Lauren confessou e Dinah revirou os olhos.

- Claro que não imaginava. Você é idiota demais pra perceber isso. Na segunda eu caminhei mais de meia hora somente para ir tomar café com ela e ouvir o que ela tinha para me contar. O insignificante selinho que você deu a ela, vindo da boca dela, parecia aqueles beijos quentes de novela mexicana. Ai você, idiota, vem me falar que foi “apenas um selinho” . Minha vontade era de chutar seu traseiro daqui, até a sua casa! – Lauren arregalou os olhos e colocou a mão na parte de trás do corpo.

- Okay, meu traseiro não precisa sofrer danos nenhum. Eu meio que me precipitei ao dizer. Logicamente não foi apenas um selinho. – Dinah estreitou os olhos para Lauren, acreditando que ela estava dizendo aquilo apenas para não correr o risco de levar chutes na bunda. – Não me olhe assim, eu estou sendo sincera com você, assim como você foi comigo. – Lauren pegou sua lata nova de refrigerante e a abriu, colocando o canudo e puxando o liquido até a boca duas vezes. – Eu sei o quando Camila é importante para você e também consigo compreender e ver o quão incrível ela é. Eu sei porque eu vejo isso nela o tempo todo. Queria eu ter a metade da força de vida q ela tem. Camila havia me contado um pouco da sua historia e eu perguntei a Mani também. Eu sei bem o que ela passou, claro que não na pratica, mas a gente consegue imaginar a dor. Eu de forma alguma quero machuca-la e me sentiria a pior pessoa do mundo caso fizesse isso.

- Então, por que está brincando com ela dessa forma? – Dinah perguntou mostrando interesse em saber a justificativa da garota a frente.

- Eu não estou brincando com ela. Eu estou confusa! Não é como se eu nunca tivesse tido problemas de relacionamento. Você não sabe o que eu passei fora de Miami e...

- Eu sei o que aconteceu. Mani me contou! – Dinah a cortou e Lauren levantou as sobrancelhas em surpresa. – Eu não a deixei em paz enquanto não tivesse certeza de quem você realmente era, ainda mais quando percebi seus olhares para Mila. Mani e Ally podem até ser lerdas demais pra perceber, mas eu desde de o dia do aniversario, venho sondando você. Camila te deu uma liberdade que me deixou um tanto chocada. Eu espero que você não estrague isso.

- Eu não vou. Eu não vou estragar e de forma alguma isso me veio em mente. Ela é incrível demais e meio que me sinto abalada por isso. Sabe, como se fosse incapaz de ser real. Ela é tão intensa em tudo. Ela vê e coloca tanta beleza em casa misero detalhe. Como não se admirar com isso? Eu jamais encontrei alguém em qualquer lugar que fosse como ela. Camila é cativante e tão cheia de vida. Ela parece uma pequena garota, porem tão poderosa.

- Ela é poderosa. Acredite, Lauren. Ela faz e diz coisa que as vezes até Deus duvida. Ela é tão grandiosa em seus sonhos que eu odeio ver alguém tentando coloca-la de volta na vida real. Eu sempre estarei por ela, eu vou protege-la. Não importa quem seja, se ferir minha irmãzinha, eu vou a ferir também.

- Eu sei. Eu admiro isso de sua parte. Eu não quero ser a pessoa a cruzar seu caminho para isso, Dinah! Eu não quero fazer mal a ela. Porem, é algo novo pra mim. Eu tive relacionamentos frustrante e nenhum deles envolvia uma garota. Eu tenho medo de me envolver e sair ferida, mas algo aqui... – Lauren colocou a mão direita em seu coração. – Grita tão alto quando estou com ela. Eu perco a razão, eu perco a sanidade mental, eu me perco quando a vejo. – Dinah abriu a boca em surpresa e só então Lauren se deu conta de suas palavras. – Merda, Dinah! Olha o que você me fez falar. – Lauren colocou a mão no rosto e jogou o corpo no encosto da cadeira, passando a mão em seguida em seus longos cabelos escuros.

- Então você não está se aproveitando da Mila? – Dinah perguntou estudando o comportamento de Lauren. A morena parou seu movimento e encarou Dinah como se esperasse que aquilo fosse alguma piada. Porem quando ela não expressou nenhum tipo de reação do tipo, ela logo se pôs a falar.

- Só pode estar de zoeira, né?! Que tipo de monstro acha que eu sou? Dinah, eu não sou esse tipo de pessoa. Eu sei muito bem o que Camila significa para você, Mani e Ally. Eu não seria idiota a ponto de pensar em tal coisa. Eu realmente não quero fazer nada de mal a ela. Eu só não sei na verdade o que está acontecendo comigo em relação a ela. Eu não sei se é admiração, ou sei lá. Eu só sei que, nossa... Eu me sinto, eu não nem como descrever o que sinto quando a vejo...

- Devo me preocupar? – Dinah perguntou a si mesmo, venho a forma expressiva que Lauren estava buscando por palavras significativas sem ter muito sucesso. – Acho que devo me preocupar... – Ela refletiu mais uma vez.

- O que está falando? – Lauren perguntou ao ver que Dinah não estava dando atenção a suas palavras

- Lauren, você está ficando apaixonada pela Chancho? – Dinah foi direto ao ponto. Lauren soltou a lata em sua mão, deixando-a na mesa. Ela processou a pergunta de Dinah por alguns segundos, antes de arregalar os olhos e encarar a maior.

- Apaixonada? Não, eu não estou! Quero dizer, eu acho que não estou. Bom, eu não sei. Eu não sei, Dinah! – Lauren colocou a mão na cabeça e olhou em volta da lanchonete como se buscasse por alguém que estivesse atento a conversa, só então se dando em conta que estavam num lugar mais afastado.

- Okay... Vamos começar de novo. – Dinah respirou fundo e segurou esquerda de Lauren, que havia retornado a mesa. – O que você sente a respeito dela. – Lauren abriu a boca para começar a falar, mas Dinah a cortou.- Não estou falando das qualidades que você vê nela. Quero saber sobre como você se sente referente a ela.

- Okay... Eu penso nela.

- Com que frequência?

- O tempo todo...

- Está zoando né? – Dinah perguntou divertida. – Isso é por causa do filme, não é?!

- Não... estou falando serio. Eu penso nela todos os dias de manhã quando olho o vasinho de flores que ela me deu. Eu penso nela quando passo próximo a rua da floricultura quando troco o caminho da empresa. Eu penso nela quando vou no meu restaurante favorito, porque a primeira vez que fui lá após retornar a Miami eu vi você e ela lá. Quando eu vou assistir algum filme com minha irmã, penso que talvez ela adoraria ver aquele filme. Sempre quando vejo flores lembro dela, sempre quando ouço alguma musica, penso que talvez ela conheça, toda vez que...

- Okay... já entendi. Urgh... Isso está pior do que eu imaginava. Achei que era só a Mila que estava caída, mas você está tombada.

- Você não vai contar isso a ela, não é?! – Lauren perguntou ao recordar que entre Dinah e Camila não havia segredos. – Eu sei que vocês tem essa de melhores amigas que dividem tudo uma com a outra.

- Não... Isso é um segredo nosso! - Dinah sorriu para deixar Lauren mais confortável. – Eu quero é que você não faça nada para machuca-la. Eu gosto de você, mas minha prioridade sempre será ela. Então, não quero precisar quebrar sua cara, entende? – Dinah fechou a mão em punhos e bateu contra a outra mão.

- Oh, não se preocupe com isso! – Lauren colocou a mão em cima do punho fechado de Dinah, o empurrando para trás. – A ultima coisa que eu quero é prejudica-la. Eu quero apenas conhece-la mais, entender melhor... você sabe, eu nunca... Eu não sei como é isso de relacionar com garotas.

- Ela também não sabe. Eu e Normani também não sabíamos! Apenas vão com calma... Vão conversando e se conhecendo. Se for pra ser, vocês saberão logo. Assim foi comigo e com a Mani. Nos demos a chance de se conhecer antes de tirar qualquer conclusão. Faça o mesmo e não irá se arrepender. Peço que tenha um pouco de paciência com a minha amiga. Ela só teve um relacionamento e foi abandonada. Ela talvez ainda esteja fechada.

- O que espera que eu faça então? – Lauren parecia incerta com as palavras de Dinah.

- Deixa ela descobrir o sentimentos dela por você. Ela tem aquelas preocupações em pensar o que sua família vai pensar ou o que os fofoqueiros da igreja vão dizer. Ela tem que ver que o sentimento é maior que tudo que ela terá que enfrentar. Faça ela ver que valerá a pena. Ela precisa disso, ela não pode se amarrar um sentimento tão bonito a uma única pessoa no passado. Se você estiver realmente disposta a conquista-la, mostre que valerá a pena, Lauren. Mostre que você pode completar a felicidade dela. Eu estou com você nessa, mas pra isso tem que me prometer que não me fará me arrepender de estar dando apoio a isso. – Dinah sorriu ao perceber suas palavras. Camila sempre foi uma peça preciosa na vida dela. Ela sempre teve esse sentimento de cuidado e proteção com a menor e até hoje levava isso consigo. Ela estava confiando a Lauren a ideia de mostrar a Camila que o amor realmente existe e quão iluminado é esse sentimento.

- Eu sou grata pela sua compreensão e pelo apoio. Não se preocupe Dinah, eu não vou precipitar nada. Isso é algo que tem que ir aos poucos acho que pra ambos os lados. Eu também não tinha esperança de ter minha vida amorosa sacudida tão cedo. Acho que ir levando aos poucos, é o melhor para nós duas. Ainda temos muito o que conhecer uma na outra.

- Sabe... – Dinah começou a falar ao se lembrar de algo. – Você poderia começar a surpreendendo com uma coisa bem simples. Que com certeza vai ser significativo para ela.

- O que está tramando, senhorita Jane? – Lauren semicerrou os olhos para a garota maior, porem sorria ao tentar imaginar o que Dinah tinha em mente.

- Sabe que esse final de semana tem o baile de primavera, não é? – Lauren assentiu com a cabeça e Dinah prosseguiu. – Acho que já sabe que ela perdeu o baile de formatura, fora toda a festa porque o pai dela estava muito mal.

- Sim... Isso foi muito triste, não é?! Afinal, Temos apenas um baile de formatura do colégio. – Lauren concluiu e Dinah assentiu.

- Ela nunca foi a nenhum baile. Naquele tempo ela já não tinha mais o Austin, porem um garoto da igreja dela que também era da nossa turma, a convidou para ser seu par no baile e tudo parecia certo, mas infelizmente, não foi assim. Tio Ale adoeceu ainda mais e ela não tinha capacidade sentimental para ir a lugar algum. Ela sempre quis ir ao baile de primavera. Quando eu namorava, eu sempre ia, mas ela nunca quis ir porque não queria ficar de vela, mesmo sabendo que eu jamais iria deixa-la de lado. Mesmo assim ela achava que não era o certo. Esse ano eu estarei indo novamente e com a Mani. Ally tem o Troy e bem, eu ia pedir para o Shawn acompanha-la.

- Por que você iria pedir a esse cara? – Lauren perguntou indignada e Dinah riu. 

– Ele gosta dele e vive de investida. Ele vive aqui me pedindo dicas de como chegar nela e... Olha, ele é muito na dela. Ele é um garoto.

- E por que não avisou ele a respeito disso? – No fundo Lauren repudiava a ideia de um suposto admirador ir até Camila para convida-la para um baile, mas ela estava ainda mais interessada na justificativa de Dinah para não seguir a ideia de incentiva-lo a fazer.

- Por que eu lembrei de você. Temos você agora. Camila se sente muito mais a vontade com você no meio das pessoas do que com qualquer outro. Eu vi como vocês interagiram tão bem na festa dela.

- Espera... você quer que eu a convide para um baile, sabendo que ela me disse que ela não dança? Eu me lembro que ela disse isso no aniversario dela, por isso fomos para mesa conversar. – Lauren protestou ao recordar do dia que foram até a pista no meio do salão para dançar ao som do Dj.

- Oh, ela disse. Realmente ela disse isso. Bom, meio que ela mentiu para você. – Dinah riu ao ver a cara de confusão de Lauren. – Ela é realmente desajeitada para dançar, mas ela muito o fez de negar, foi por causa da família dela. Ela estava um pouco desconfortável pela família estar ali a olhando e acredito por você estar ali também. Meio que ela não queria passar vergonha na frente de alguém que mal conhecia.

- Então, acha que ela não vai me dar um fora se eu a chamar? – Lauren mordeu o canudinho e Dinah revirou os olhos.

- Se eu achasse que ela te dispensaria, não iria te induzir a ir até ela.

- Mas eu não tenho os ingressos e duvido muito que ainda tenha para comprar. É o baile de primavera e você sabe, todo mundo fica ansioso por ele.

- Se o problema for os ingressos, não se preocupe que eu dou um jeito! – Dinah disse com um sorriso vitorioso e Lauren a encarou desconfiada. – Eu não vou falsificar nem algo do tipo. Sempre tem alguém afim de vender os ingressos porque não poderá mais ir ao baile. terça-feira mesmo eu comprei dois pares de uns clientes que não vão e revendi para outros. Sempre aparece e assim que alguém oferecer eu aviso você. Dê um jeito de convida-la o mais rápido possível, por favor!

Lauren abriu um sorriso grandioso para Dinah, que não se opôs a retribuir. Lauren se levantou e tirou uma nota de cinquenta dólares da carteira e deixou sobre a mesa. Dinah olhou sem entender quando viu Lauren se levantar apressadamente.

- Onde você vai? – Dinah questionou ao ver o sorriso estampado no rosto da morena.

- Convidar a Camila? – Lauren levantou uma sobrancelha para maior, como se quisesse dizer que era algo obvio.

- A essa hora? E esse dinheiro?  Seu pedido ficou dezessete dólares apenas. Eu tenho que devolver seu troco.

Lauren se aproximou rapidamente e abraçou Dinah que foi pega de surpresa. Assim que ela a soltou, Dinah percebeu o estado de euforia da administradora.

- Fica pra descontar os ingressos, depois eu repasso o restante. Obrigada Dinah!

Dinah sorriu e negou com a cabeça. Pegou o dinheiro e colocou no bolso as calça e acenou para que Lauren se retirasse. A morena não pensou duas vezes antes de dar meia volta e desaparecer pelo pequeno corredor até a saída.

Em rápidos passos, Lauren chegou até seu Renegade preto que estava do outro lado da rua. Ela destravou o veiculo e rapidamente o adentrou. Em questão de minutos, a morena estava rodando pelas ruas de Miami em direção a pequena casa de cerquinha de madeira.

Assim que ela parou em frente a casa que estava se tornando um tanto conhecida pela morena, ela desceu e pegou o celular, procurando em seus contatos o ultimo numero que foi salvo e logo fazendo chamar. A cada toque de chamada, Lauren sentia seu coração errar uma batida, ciente que a qualquer segundo a voz que ela tanto esperava ouvir, iria preencher seu ouvido.

- Alô? – A voz quase falha de Camila soou pelo dispositivo móvel de Lauren. A administradora abriu um largo sorriso e sentiu seu peito aquecer.

- Camz... Tudo bem?

- Sim e com você?

- Estou bem! – Lauren ouviu um riso baixo que provavelmente escapou dos lábios da Latina. – Você pode vir aqui fora?

- Aqui fora? – Ela repetiu. – Você está aqui em frente? – Camila levantou a voz e Lauren riu.

- Se eu não tiver errado de casa, acredito que estou. Só você saindo para eu saber se estou certa ou não.

- Espera... Estou indo.

Alguns barulhos se tornaram audíveis. Lauren ouviu a voz da pequena Sofia perguntando onde Camila estava indo e a mais velha respondendo que já voltava e era para ela continuar assistindo o filme. Em questão de segundos, o barulho da maçaneta da porta pode ser ouvido pelo celular e a figura de Camila com uma camiseta  do Ed Sheeran e uma calça de moletom e chinelo de dedo surgiram ao alcance de visão de Lauren.

A florista se aproximou da cerquinha enquanto Lauren permanecia encostada no carro. Camila abriu o pequeno portão, encarando desconfiadamente Lauren, que permanecia com um sorriso no rosto.

Lauren finalizou a ligação já que não seria mais necessário.

- Acho que acertei novamente. – Lauren disse divertida e Camila deu um empurrão em seu ombro de brincadeira.

- Duh! – Camila respondeu dando um beijo na bochecha de Lauren. – Não me interprete mal, mas a que devo sua visita inesperada?

- Vim falar sobre sábado...

- Ah sobre a noite de filmes? – Camila lembrou e Lauren concordou. – O que foi, não vai poder?

- Não... Tenho outro compromisso. – Lauren coçou a nuca e Camila a olhou com compreensão. – Na verdade eu ainda não tenho, mas gostaria de ter. – Camila a encarou sem entender nada e preferiu não questionar, entendendo que não poderia forçar nada com Lauren. – Camz, que ir comigo no baile de primavera, sábado?

 


Notas Finais


E Dinah jogou Lauren contra a parede...
Será que Camila vai topar?

Link: https://www.wattpad.com/339967959-as-primaveras-me-trazem-voc%C3%AA-convite-para-s%C3%A1bado
Até breve!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...