História As Primeiras Vezes do Amor - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Primeiro Amor, Sulay, Xiuchen, Yaoi
Visualizações 53
Palavras 3.337
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii Amorzinhos <3! Mais um capítulo para vocês. Obrigado a todos que me incentivaram a continuar esse projeto. Eu não estou tão confiante quanto a esse capítulo, mas espero que vocês gostem. Lembrando que eu não conheço muito da personalidade dos meninos do EXO, então não estranhe que eles possam estar agindo diferente do que vocês conhecem. Boa Leitura...

Capítulo 2 - O Primeiro Olhar


Capítulo II – O Primeiro Olhar

 

"Onde é este lugar com o qual eu sonho? O ar que eu expiro vira uma nuvem branca. Seus olhos brilhantes tornam-se o céu. Estou voando em um sonho azul infinito. Encontrei em você a felicidade que eu procurava até em meus sonhos azuis. Esqueça a tristeza do passado quando nós ainda nos conhecíamos".

Cloud 9 – EXO

 

Seoul - 2007

 

Atraído. Não havia outra palavra que pudesse definir o meu desejo insano de encarar o aluno transferido mais uma vez. Sem qualquer explicação, meus olhos insistiam em encarar o fundo da sala. Era como se Kyungsoo tivesse uma espécie de ímã sobrenatural que captava o meu corpo e me obrigava a olhar para trás.

E para deixar a minha situação ainda mais lastimável, até mesmo Chanyeol havia notado a minha repentina curiosidade pela penúltima cadeira da primeira fileira ao lado da janela. Vez ou outro, o garoto era obrigado a me cutucar para me fazer voltar ao normal e responder a pergunta de algum professor.

- O que há de errado com você? – Questiona o Park, enquanto nós copiávamos o texto que a professora de biologia passava no quadro. Desvio meu olhar do caderno e encaro meu amigo sem entender a sua pergunta. – Você não para de olhar para trás e está incrivelmente quieto.

- Não há nada de errado. – Respondo, olhando de soslaio para a direção que o outro apontava discretamente. - Você é que está imaginando coisas.

- Mesmo? – Ironiza Chanyeol, revirando os olhos. – O professor Kwak foi obrigado a gritar duas vezes com você para fazer você o encarar.

- O pato me odeia. Não é novidade que ele grite comigo. – Ressalto, dando de ombros, voltando a copiar a atividade. Na verdade, nem mesmo eu entendia o motivo de não querer que Chanyeol descobrisse o meu interesse além do normal pelo novo estudante.

- Isso é verdade. Ele realmente te odeia. – Concorda Chanyeol, relembrando que desde o primeiro dia de aula, o professor havia declarado ódio por mim sem uma explicação plausível. De todos os alunos que ele desprezava na escola, eu era de longe o seu alvo favorito de implicâncias e broncas exageradas. – Mas até mesmo a professora Lee chamou a sua atenção. E ela é sempre gentil com todos.

- Bom... – Penso em alguma desculpa para dar ao meu amigo pela minha falta de atenção, mas minha mente estava em branco. De fato, a professora Lee de biologia era sempre muito agradável e dificilmente chamava a atenção dos alunos. – Apenas esqueça isso.

Chanyeol me encara com desconfiança, mas resolve não insistir, provavelmente sabia que não adiantaria muito. Eu estava determinado a esconder de todas as maneiras os meus pensamentos estranhos quanto a Do Kyungsoo. Por fim, voltamos a prestar atenção na aula e eu comecei a me monitorar. Não queria levantar ainda mais questionamentos desnecessários de meu amigo e dos fofoqueiros de plantão que nos cercavam.

Com o fim das quatro primeiras aulas do dia, o intervalo finalmente chegou. Ao ouvir o som do sinal ecoar pelo prédio, respiro aliviado, cansado pela quantidade de matéria que havia sido passada, ainda que fosse o primeiro dia de aula. Aparentemente, os professores, diferente dos alunos, estavam animados pelo retorno da rotina acadêmica.

Enquanto esperava Chanyeol terminar de arrumar seus materiais para irmos para o intervalo, observo Kyungsoo e Baekhyun conversando de maneira discreta. O novato ajeitava seus óculos de armações redondas e aros finos, enquanto prestava atenção no que seu animado amigo falava. Ele parecia ter dificuldade de acompanhar a agitação do Byun, o que o deixava incrivelmente fofo.

De repente, ao notar meu olhar sobre si, ele me encara. Durante alguns instantes, permaneço correspondendo ao olhar, paralisado por ter sido pego pelo estudante transferido. A confusão estampada em sua face se torna ainda maior ao ver que eu não tinha intenção alguma de quebrar aquele estranho contato. Por algum motivo, meu coração passa a bater acelerado. Eu estava nervoso.

Os olhos de Kyungsoo eram como chocolate amargo, o meu tipo de favorito de chocolate. Escuros e brilhantes, eles pareciam esconder inúmeros mistérios. Eu não conseguia decifrar o que se passava em sua mente, mas isso só despertava ainda mais a minha curiosidade. Aquele momento não durou muito mais que alguns segundos, mas parecia que o tempo havia parado por horas, apenas para que eu pudesse admirar Do Kyungsoo.

- Jong-In? – Chanyeol coloca sua mão sobre o meu ombro e me sacode levemente. Desvio meu olhar de Kyungsoo e volto a minha atenção para meu amigo, que me encarava com um misto de preocupação e confusão.

- O que foi? – Pergunto, olhando mais uma vez para Kyungsoo, que já não me encarava mais e possuía as bochechas levemente coradas. Enquanto isso, Baekhyun ria e parecia achar graça do comportamento do amigo de infância.

- Como assim “o que foi”? Eu estou te chamando a séculos e você parece perdido no mundo da lua, enquanto fica encarando o Baekhyun e o amigo dele. – Reclama o mais alto, cruzando os braços.

- Vamos logo encontrar o Se-hun e o Jung-myeon. – Mudo de assunto, passando a andar em direção a saída da sala. Aquele momento havia sido estranho demais e meu coração parecia a ponto de querer sair pela boca.

Ainda inconformado com o meu atípico comportamento, Chanyeol me segue. Ao sair da sala de aula, encontramos uma intensa multidão de alunos indo e vindo pelo corredor, procurando seus amigos ou apenas passeando pela escola. Sabendo que meus outros dois amigos já deveriam ter ido para nosso ponto de encontro, o Park e eu descemos os três andares e vamos em direção ao campo de futebol da escola.

E como era de se esperar do lugar mais divertido do Yansei School, a arquibancada do campo de futebol estava repleta de estudantes, lanchando e reunidos em seus grupos de amigos. No campo sintético, os jogadores de futebol e as líderes de torcida treinavam para o campeonato que se iniciaria em duas semanas.

- Você está vendo eles? – Pergunta Chanyeol, procurando nossos amigos, enquanto andávamos pela arquibancada.

- Ali! – Aponto para os dois garotos no último andar da arquibancada, acompanhados de Luhan e YiXing. – Parece que ficaremos de vela de novo hoje.

- Parece que sim. – Concorda Chanyeol, rindo levemente. – Fiquei sabendo que Se-hun e Luhan haviam brigado, mas acho que era boatos.

- Eles brigam e cinco minutos depois estão se pegando. Não estou surpreso que eles já estejam agindo como o casal apaixonado meloso de novo. – Respondo, dando de ombros e o outro balança a cabeça, concordando. Aproximamo-nos mais do grupo e Jun-myeon é o primeiro a notar a nossa presença.

- Finalmente vocês chegaram! Achei que só os veria no final das aulas. – Dramatiza Jun-myeon, pegando mais um salgadinho no pacote que o namorado segurava. – Oi Chan!

- Oi Jun-myeon! Se-hun! – Cumprimenta o mais alto, fazendo um toque especial com o Kim e, em seguida, com Se-hun. – Quanto tempo, YiXing e Luhan!

- Que exagero. – Reviro os olhos e rio em seguida. – Oi Lay! Oi Luhan!

- Drama é o nome do meio do Suho. – Afirma Lay, rindo do namorado. – Oi Chan. Sentem-se. Luhan trouxe alguns salgadinhos da loja do pai dele.

- Oba! Lanche de graça é o meu conceito preferido. – Digo, pegando um dos pacotes que havia sido oferecido. – Amo você, Luhan.

- O que você disse? – Pergunta Se-hun com falsa indignação.

- Deixa de ser falso, Jong-In. – Responde Luhan, rindo. – Só me ama se eu aparecer com comida?

- É claro! – Afirmo, colocando uma porção de salgadinhos na boca. O chinês ri e balança a cabeça, negando.

Apesar de não ser tão próximo dos namorados de meus melhores amigos, era sempre divertido quando nos reuníamos. As risadas e brincadeiras, que já eram altas e extravagantes, acabavam por nos tornar um grupo ainda mais barulhentos que o normal. E no geral, eu era o dono das risadas mais escandalosas de todos os seis, no entanto, naquele dia, eu estava incrivelmente quieto.

Minha cabeça ainda estava no momento em que meus olhos se encontraram com os de Kyungsoo. Eu não sabia bem o motivo, mas eu me sentia curioso sobre o estudante transferido. Eu queria me tornar seu amigo. Sentia que ele poderia ser uma pessoa incrivelmente interessante. No entanto, algo dentro de mim me deixava hesitante, temeroso, tímido demais para alguém como eu.

Vejo Se-hun e Luhan trocando alguns carinhos, enquanto Jun-myeon e YiXing se beijavam vez ou outra, demonstrando sua intensa paixão. Apesar de reclamar com meus amigos por eles me trocarem muitas vezes pelos seus namorados, eu realmente ficava feliz por vê-los tão animados e radiantes.

Chanyeol e eu conversávamos sobre nada em especial e aproveitávamos do vento que batia em nossos rostos. A chuva havia dado uma trégua, mas era notório que era apenas por aquele momento. Ainda que a arquibancada fosse coberta, não demoraria muito para que os jogadores e as líderes de torcidas fossem expulsos do grandioso campo de futebol.

- Jong-In... – Chanyeol me chama disfarçadamente. Olho para o garoto e ele aponta para a arquibancada do outro lado do campo de futebol. Forço um pouco a minha visão e logo entendo o que havia chamado a atenção de meu amigo. – Veja! São o Baekhyun e o Kyungsoo.

- E daí? – Pergunto, tentando parecer indiferente a informação, mas a verdade é que eu estava muito agitado e, de certo modo, feliz por ver o dono dos olhos de chocolate amargo.

- E daí que podemos usar essa oportunidade para nos aproximar do aluno novo. Você pode ir com esse seu jeito todo extrovertido e se tornar próximo de Kyungsoo. E então, você pode falar bem de mim para ele e, consequentemente, o Baekhyun vai ficar sabendo e....

- Não viaja, Chan. – Corto o outro, rindo de sua inocência. – É muito mais fácil você chegar no Baekhyun de uma vez. Deixa de ser covarde!

- O que vocês tanto cochicham aí? Parecem duas velhas fofoqueiras. – Brinca Jun-myeon, rindo brevemente.

- O Chan está babando, como sempre, pelo Baekhyun. – Respondo, rindo de meu amigo e colega de sala.

- Olha só quem fala. – Chanyeol carregava um sorriso perigoso em seus lábios e eu sabia que ele falaria alguma besteira caso abrisse a boca. – O Jong...

- Esse garoto é tão brincalhão! – Rio alto, passando meus braços por cima dos ombros de Chanyeol e o trago para mais perto. – Cala a boca, traidor.

- Você que começou. – Responde, sorrindo presunçoso. Eu sabia que havia me entregado com essa atitude, mas meu espirito não suportaria ter que lidar com a as implicâncias de Jun-myeon e Se-hun.

- O que você ia dizendo, Chanyeol? – Pergunta Se-hun com curiosidade.

- Ele não ia dizer nada. – Interfiro, nervoso.

- Não era o que parecia. – Concorda Luhan, encarando-nos com desconfiança. – Você parecia estar insinuando que o Jong-In está interessado em alguém?

- Uh! Isso seria interessante de ser ver. – Afirma YiXing, batendo palmas animado. – O cara que sempre afirmou que nunca nasceu para amar, apaixonado.

- Eu não estou apaixonado! – Exclamo com confiança. Eu realmente não estou apaixonado. Atraído? Talvez. Mas eu tenho certeza que o que sinto por Kyungsoo não é amor.

- E por que você está tão nervoso? – Pergunta Jun-myeon, presunçoso. Eu conhecia aquele olhar direcionado a mim de meu melhor amigo. Ele havia descoberto o meu ponto fraco e usaria de tudo para me fazer passar vergonha e lamentar os dias que eu fiz o mesmo com ele.

Maldito Chanyeol!

- Você e sua boca grande. – Sussurro para Chanyeol, que ri e dá de ombros, sem se importar com o meu comentário. Empurro o Park e suspiro, entediado. – Eu não estou nervoso. Vocês que estão falando idiotices!

- Quem é a pessoa, Chanyeol? – Pergunta Se-hun com interesse. Ele havia entrado na onda de Jun-myeon.

- Ele não é ninguém! – Respondo, impedindo que Chanyeol tivesse a chance de falar alguma coisa.

- Ah, então realmente tem alguém e é um cara? – Arregalo meus olhos diante da fala de Jun-myeon, que ri com ainda mais intensidade ao ver o meu espanto.

- Você mesmo se entrega, Jong-In. – Fala Chanyeol, dando tapinhas em minhas costas.

- Eu tenho pena de você, Jong-In. – Afirma Luhan, rindo com divertimento. – Muita pena mesmo. Esses dois não largaram do seu pé!

Desvio meu olhar de meus amigos e passo a ignorar seus comentários estúpidos. Volto a observar o outro lado da arquibancada e vejo apenas Baekhyun com mais dois outros garotos. Pela distância, eu não tinha muita certeza, mas pareciam ser Kim Jong-dae e Kim Min-seok. Olho em volta à procura de Kyungsoo, mas desisto de procurá-lo quando os primeiros pingos de chuva voltam a cair pela cidade.

- Parece que nosso intervalo acabou mais cedo. – Comenta YiXing, recolhendo nosso lanche e o lixo que estava a nossa volta.

Infelizes, começamos a repetir a ação do chinês e corremos para dentro da escola. Não demora muito para que o sereno se torne uma intensa tempestade. Observo, um pouco melancólico, a paisagem através da janela da sala de Se-hun e Luhan, e suspiro. O dia não estava sendo como o esperado.

Meus amigos continuavam a conversar animados e eu apenas estava sentado ao lado da janela, observando a chuva sem qualquer ânimo, algo surpreendente e bem atípico de mim. Assim como a minha família pela manhã, eu não me sentia muito bem em dias chuvosos. Na verdade, o clima úmido e melancólico é o que eu mais odeio. E talvez, por saberem disso, meus amigos simplesmente pararam de me provocar e permitiram que eu ficasse quieto.

Encosto minha cabeça no vidro e passo a encarar o outro lado do prédio. Ainda faltava um tempo para o fim do intervalo, mas eu não me sentia nenhum pouco motivado a voltar para aproveitar o momento. De repente, vejo uma silhueta aparecer na janela do outro lado do prédio, mais especificamente, na janela da minha sala de aula.

Por causa da chuva, eu não conseguia ver muito bem quem era, mas por algum motivo, aquilo despertou ainda mais a minha curiosidade. A pessoa também encarava a paisagem e, ainda que eu não conseguisse ver seu rosto, ela parecia confortável com o que via. Despertado pelo desejo de saciar a minha curiosidade, abro a janela da sala de Se-hun e surpreendo-me ao reconhecer quem despertara o meu interesse repentino.

Do Kyungsoo também observava a paisagem chuvosa com a janela aberta e sorria levemente. Seu cabelo negro e liso balançava ao ritmo do vento gélido que fazia naquele momento. Ele fecha os olhos e seu sorriso se alarga ao respirar fundo e sentir alguns pingos de chuva o atingir. A cena era algo simples, mas havia algo de especial que me fazia querer eternizar aquele momento somente para ver aquela expressão adorável de Kyungsoo.

Meus olhos captavam cada um de seus movimentos, hipnotizado pela maneira singela, mas graciosa, com que ele se mexia. Era como se ele estivesse sobre efeito de um encanto, enquanto ele balançava suavemente. Meu coração volta a bater descompassado, agitado. Eu nunca havia me sentido assim por observar uma pessoa em uma atividade como aquela.

O sinal do início das aulas toca, despertando-me mais uma vez de meu devaneio diante da beleza do novato. Eu desejava com todas as minhas forças ser alvo de seus olhos chocolate amargo mais uma vez. Ainda sem acreditar que havia acabado o feitiço que havia me atingido e fez com que eu me desligasse da realidade, vejo Kyungsoo suspirar e se afastar da janela. O show havia chegado ao fim.

- Jong-In? – Ouço Chanyeol se colocar ao meu lado e me chamar. – Está tudo bem?

Não o respondo. Apenas permaneço quieto, encarando a janela do outro lado do prédio, atordoado demais para formular qualquer frase que fizesse sentido. Eu não conseguia entender o porquê de ter tanto interesse por uma pessoa que eu havia acabado de conhecer e que não sabia nada além de seu nome e sua cidade natal.

- O que está acontecendo comigo? – Sussurro a mim mesmo, sentindo meu coração continuar a se remexer, inquieto e alucinado.

Chanyeol sorri e parece entender o que se passava em minha cabeça, enquanto encarar o mesmo lugar que eu. Ele passa seu braço por cima dos meus ombros e me conduz em direção a saída da sala. A próxima aula iria começar e, ainda que fosse o primeiro dia de aula, o professor de geografia não teria piedade alguma em nos castigar por chegarmos atrasados.

Após me despedir somente de Se-hun e Luhan, porque Jun-myeon e YiXing já haviam ido para suas salas, Chanyeol e eu fizemos nosso caminho até a nossa sala de aula. Ao chegar a porta, não consigo evitar de olhar para Kyungsoo, sentando ao lado da janela, ainda encarando a paisagem. Ele parecia absorto em seus pensamentos e ignorava o barulho que se fazia ao seu redor.

- Jong-In! Finalmente eu te encontrei. – Fala Jong-dae, sorrindo simpático. Min-seok vinha o seu lado e o mesmo, após acenar para mim, começa a conversar com Chanyeol. Desvio meu olhar de Kyungsoo para Jong-dae e correspondo ao seu cumprimento. – O show de vocês foi incrível. Pena que Jun-myeon não foi.

- Ele teve que resolver alguns problemas com o YiXing e não pode ir. – Respondo dando de ombros. – Mas, mudando de assunto. Por que você estava me procurando?

- Ah, sim! Então, você lembra que eu comentei alguns dias atrás sobre a festa de aniversário do meu irmão? – Pergunta o outro, olhando-me com expectativa.

- Claro. Você disse que a festa de vinte e um do seu irmão seria a festa do século. – Digo, recordando do comentário do rapaz. Animo ao pensar do que o Jong-dae pretendia comigo em relação a essa festa. Não era novidade que as festas de sua família eram sempre as melhores. Então eu ansiava por uma oferta tentadora de sua parte.

- Vai ser a melhor festa de todas! – Concorda Min-seok, passando a prestar atenção em nossa conversa. - Jong-deok e os amigos dele estão incrivelmente animados e, por isso, planejaram inúmeras atrações para a festa.

- Min e eu falamos do SKS para o meu irmão e ele acabou ficando curioso pela apresentação de vocês. Nós o levamos no seu último show e Jong-deok ficou extremamente animado. – Explica Jong-dae, olhando-me esperançoso, como se sua fala fosse o suficiente para me fazer entender o que ele queria.

- Muito bem, pessoal. Sei que todos estão animados com a volta as aulas, mas precisamos começar o restante da matéria que falta para o término do ano. – Avisar o senhor Son, professor de geografia, entrando na sala de aula.

- Bela hora para o professor chegar. – Resmunga Min-seok, entediado.

- Sentem-se, Kim Jong-dae, Kim Min-seok, Park Chanyeol e Kim Jong-In. – Pede o professor, colocando seus materiais sobre a mesa.

- O que eu preciso saber é se o SKS está livre para tocar na festa do meu irmão daqui um mês? – Pergunta Jong-dae, caminhando em direção ao seu assento que ficava a três cadeiras atrás da minha. – Pense e me dê sua resposta pelo Kakao.

- Que incrível! O Jong-dae está pedindo para vocês tocarem na melhor festa do ano. – Sussurra Chanyeol, animado. – Vocês vão, não é mesmo? Vocês têm que ir!

 Antes que eu tivesse a chance de responder Chanyeol, meu celular começa a vibrar em meu bolso. Tomando cuidado para que o professor não notasse que eu não estava prestando atenção em sua aula, pego o aparelho eletrônico e abro a conversa do KakaoTalk. Jong-dae havia acabado de me enviar uma mensagem.

“O novato e o Baek estarão na festa. Min percebeu que você está interessado no aluno transferido. Cante na festa do meu irmão e eu tenho certeza que ele não vai conseguir mais te ignorar!”

- Sim, Chan. O SKS vai tocar na festa do século e eu tenho certeza que ela será inesquecível. – Respondo ao meu amigo, sem saber ao certo o motivo de ter me animado tanto com a possibilidade de Kyungsoo nos ver tocando. Eu só posso estar ficando louco.


Notas Finais


Oii Amorzinhos <3! O que vocês acharam? Eu estou bem ansiosa para saber se vocês vão continuar acompanhando esse projeto. Ah, eu mudei um pequeno detalhe nessa fic. Na oneshot (Primeiro Amor), eles se olham pela primeira vez nos olhos quando é revelado as duplas para o trabalho da escola, mas por causa do que pensei para a história, eu acabei escolhendo fazer o primeiro olhar aqui. Espero que entendam. Obrigada a você que leu até aqui. Favorite e deixe seu comentário. Isso me ajuda muito a escrever. Feliz dia dos pais! Beijocas <3

Primeiro Amor: https://spiritfanfics.com/historia/primeiro-amor-9185408


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...