História As prostitutas de New York - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Ashley Tisdale, Chaz Somers, Christian Beadles, Demi Lovato, Justin Bieber, Miley Cyrus, Pretty Little Liars, Rihanna, Ryan Butler, Selena Gomez
Personagens Emily Fields, Maya St. Germain
Exibições 16
Palavras 1.592
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 27 - Capítulo 27



        Estava nas ruas de Manhattan, Drake estava expandindo a boate e agora ele tinha colocado eu e mais umas meninas para marcas ponto na rua alguns dias, só por experiência pra ver se ia dar certo. Estava em uma rua onde tinha um barzinho, onde o público alvo era homens de 30 a 50 anos, que iam ali para se divertir. Estava meio distraída quando vi um homem de carro se aproximar, ele parecia ser rico pela BMW que possuía, assim que parou a minha frente abaixo o vidro do carro e perguntou. 
        - Quanto ta o programa ? - Ele riu com um sorriso safado, ele parecia ter uns 45 anos, sua mão pousada no volante mostrava uma aliança indicando que era casado. 
         - 250, mas acho que o preço não importa né - Disse rindo da forma mais oferecida do mundo, em todo esse tempo eu me transformei em uma puta prostituta. 
        - Verdade, não importa - Ele deu de ombros destravando a porta do carro - Entra ai gostosa. - Ele disse e assim eu entrei. 
        O caminho até o hotel mais próximo não era longe, não trocamos muitas palavras durante o caminho, eu apenas observei tudo em minha volta, a mulher dele tinha ligado algumas vezes ele apenas ignorou, uma coisa você aprende na vida de prostituta, quando seu casamento esta em crise seu marido apela pra primeira prostituta que vê pela frente. 
        Entramos no quarto do hotel e aquilo era magnífico, nunca vi tanto luxo em um lugar só, ele tirou sua gravata e afroxou sua blusa social. 
        - Quer alguma bebida ? Talvez um champanhe ? - Ele disse rindo 
        - Prefiro um whisky - disse e ele se assustou com minha escolha mas logo encheu meu copo, fui pra perto dele e o mesmo me entregou um copo de whisky e fizemos um brinde. Logo depois que eu bebi um gole ele me agarrou por trás dando um chupão no meu pescoço eu virei de frente pra ele tirando toda a sua roupa depois fiz o mesmo com a minha. Taquei ele em cima da cama e fui engatinhando até ele, o pênis dele já estava duro mas nem tanto então comecei a punheta-lo, abri o pacote de caminsinha e coloquei a mesma em seu pênis com a boca, depois sentei no seu pênis começando a dar umas calvagadas e ele apenas com a mão na minha cintura me ajudando a fazer os movimentos pra cima e pra baixo, logo depois ele me tocou na cama me fazendo ficar de quatro, ele introduziu seu pênis em minha vaginha fazendo movimentos brutos de vai e vem puxando meu cabelo me fazendo gemer coisas aleatórias, a cada momento que passava com maia foça ele introduzia seu pênis em mim me mando uns tapas na bunda que com toda certeza ia ficar a marca, eu gemia tanto e por surpresa não era por gemer, " pra satisfazer o cliente " e sim porquê ele estava me dando um puta tesão. As enfocadas foram ficando mais forte ainda me fazendo gozar logo depois que ele gozou. Ficamos cerca de 10 minutos deitados na cama se recuperando, logo depois eu me levantei e assim coloquei minha roupa. 
        - Qual seu nome ? - Ele perguntou e eu ri. 
        - Mane - Respondi terminando de ajeitar minha roupa. 
        - Eu sei que esse não é o seu nome - Ele disse vindo até a mim 
        - Então porque você perguntou ? - Sorri sarcástica. 
        - Também não sei - Ele deu de ombros - Onde posso te encontrar ? - Ele alisou minha coxa. 
        - Boate Movie, no Brooklyn. 
        - Você ainda vai fazer mais programas hoje ? - Ele perguntou 
        - Não, já vou voltar pra boate. - Disse vendo a hora, já eram 4:00 a.m., nossa eu já estava a 4 horas naquele hotel. 
         - Aceita uma carona ? Assim você me ensina o caminho pra mim sempre te visitar - Nossa, eu não tinha percebido como ele era um coroa gato. 
        - Claro que aceito - E assim descemos e fomos em direção ao seu carro. 
        No caminho todo trocamos algumas palavras, pra falar a verdade conversamos bastante mas sem perguntar da vida pessoal do outro. 



        Tinha acabado de acordar e ainda estava lembrando do programa de ontem, eu realmente estava querendo transar de novo com o carinha de ontem. 
        Tomei um banho, mesmo tendo tomado banho antes de dormi eu quis tomar outro banho. Fiz minha higiene matinal e coloquei uma roupa confortável, hoje era 31 de janeiro, não acredito que fevereiro já estava chegando e assim o frio iria diminuir. Desci com Audrey e Caissy e fui tomar café da manhã com as meninas, peguei um pouco de vitamina de morango e um prato de ovos com baicon, graças a deus esse ano eu não estava mais tendo crises de bulimia e estava a mais de um mês sem provocar o meu próprio vômito e sem usar droga. 
        - Bom dia gente - Disse sorrindo para as meninas. 
        - Nossa, quanto tempo eu não via a Louise acordando feliz - Karine disse 
        - Decidi que vou voltar a ser feliz como antes e não vou deixar me atingir por ninguém. 
        Continuamos conversando coisas aleatorias até Jessica se aproximar de nois. 
         -  Bom dia meninas - Ela disse e todas respondemos - Louise, o Drake pediu pra você ir na sala dele que ele quer falar com você. - Isso me fez gelar, Drake não dirigia a palavra a mim desde o dia da sua festa de aniversário, tudo o que ele queria falar comigo ele passava pra Jessica e ela que vinha falar. 
        - Nossa, você ficou tensa - Amanda disse. 
        - Gente, eu to com medo dessa conversa com o Drake, meu deus, agora sim meu coração gelou. 
        - Relaxa amiga, relaxa - Amanda disse - Vai na fe e esse esse gay fizer uma coisa com a você ou te mandar embora ele vai ter que se ver com a gente - Ela disse e todas riram e concordaram. 
        Terminei de tomar o café e fui em direção ao escritório do Drake, bati varias vezes na porta e fui entrando como de costume. 
        - Oi - Disse sem graça - Mandou me chamar ? 
        - Sim, então a gente tem que conversar sobre o que aconteceu na minha festa. Você pode até está errada mas acho que você tem o direito de se explicar, afinal sempre existe dois lados da história ne ? E me desculpe por não ter te procurado antes. É que eu não conseguia olhar pra sua cara e não queria ser grosso com você.
        - Então, você esta certo e eu te entendo - Disse deitando no sofá, nossa como eu era abusada. - Vou te contar toda a minha história com ele - Disse fazendo ele fazer uma careta. - Lembra daquele dia que a Ashley me dopou ? Então, ele me levou pra casa dele, eu estava muito ruim naquele dia e eu me ofereci pra ele então a gente acabou transando, no outro dia a gente prometeu que isso nunca mais ia se repetir e OK, eu comecei a namorar com você mas quando a gente terminou eu não sabia o que fazer, eu realmente achei que você estava me traindo, era o que parecia, até te peço desculpas mas se fosse ao contrario você ia achar o mesmo. Entoa eu fui até o Chris, a gente transou mais uma vez a partir dai criamos uma amizade, no dia da festa do Richard eu acabei dormindo na casa dele porque ele que me ajudou a sair, meu pai estava lá e foi assim que ele descobriu que eu estava me prostituindo, ele me ajudou a conquistar minhas irmãs e tudo, eu não queria pensar em você porque você a todos os princípios tinha me traído mas ai você foi reconquistando minha confiança, ai no ano novo ele pediu pra ficar comigo mas eu disse que não, a gente nao deveria fazer isso porque voces dois eram melhores amigos, foi ai que ele disse que não se importava com você, que só queria desgraças sua vida entoa eu percebi que estava senso usada, não fiquei com ele e dias depois terminei tudo com ele foi por isso que ele contou tudo pra Megan. - Soltei tudo e ele ficou em silêncio por uns dois minutos.  
        - Nossa  - Ele finalmente falou - é, eu realmente não vou bancar o hipócrita e dizer que você tinha que acreditar em mim porque se fosse comigo eu também não iria acreditar e sobre o Chris, é nois dois fomos usados. - Ele deu de ombros - mas eu quero que a gente passe uma borracha por cima disso tudo e recomence uma amizade OK ? Porque agora eu concordo com você e acho melhor por enquanto a gente só ter amizade, não da pra ter namoro agora, temos que reviver juntos de novo - Ele riu. 
        - OK - Eu disse dando um abraço nele. 
        - Mas esse não é o foco da conversa. - Ele disse 
        - Não ? - Eu fiquei surpresa. 
        - Não - Ele riu - Uma revista vai fazer um ensaio sexy com varias mulheres vestidas com roupas de homens, tem umas cinco marcas de roupas envolvidas e eu indiquei que você para ser modelo com as minhas roupas - Ele disse e eu estava surpresa- Topa ? 
        - Topo - Disse rindo e abraçando ele. 
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...