História .às quatro da tarde - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Suga
Tags Au!kids, Dia Das Crianças, Fluffy, Yoonseok
Visualizações 39
Palavras 1.048
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fluffy, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi oi
essa fanfic é pra madu, a mais yoonseok Stan que eu conheço ( além de ser um bebê que merece fanfic de ddc, não vou nem falar sobre o fato de que estou devendo uma yoonseok desde o aniversário dela),
eu espero que goste, já que fluffy não é meu ponto forte

Capítulo 1 - Nas sextas-feiras, usamos pijamas;


Certo dia, uma colega de escola de Yoongi o chamou, com todo o ar de seus pulmões, de garotinho egoísta por não lhe dar uma bala. E mesmo que o pequeno mal soubesse o que aquilo significava, tomou aquilo para si e, quando descobriu seu significado, já estava tão acostumado com a nova característica que apenas a deixou ficar por ali.

Sua mamãe vivia o lembrando que meninos egoístas não faziam o que ele fazia, mas de nada adiantava na mente daquela criança de dez anos. 

Meio que só começou a repensar esse adjetivo quando seu melhor amigo, Hoseok, começou a ficar cada vez mais afastadinho de si (fora os dias em que aparecia e nem queria brincar, de tão tristinho). 

E, poxa! Era o Hoseok, ele nunca ficava quieto á não ser que estivesse comendo – às vezes, nem assim.

Então Yoongi esperou, esperou e esperou até que seu amiguinho quisesse falar consigo, mas quando assistiu aquela novela com sua mãe em que um casal terminava seu namoro e não se falavam mais, o menino entrou em desespero.

Quer dizer, não é como se as crianças se gostassem ou algo assim (Yoongi já até chegou a quase namorar a menininha que o chamou de egoísta!), mas o garoto realmente se empenhou em alimentar a paranóia de que a situação era a mesma. 

Portanto, naquela sexta-feira em que sua mamãe chegava às quatro da tarde, o Min se arrumou todo cheirosinho, como seu papai o ensinou, apenas para que fosse tentar reatar sua – talvez, ainda – nem terminada amizade. 

É claro que quando sua mamãe chegou e estranhou todo aquele perfume do marido espalhado pela casa, a criança já se preparou para a bronca. Mas meio que estava tudo bem, contanto que ela não o proibisse de sair. 

E deu tudo certo, na verdade. 

Até o minuto em que ele parou na frente da porta do amigo, e simplesmente não conseguia bater nela. No seu coraçãozinho, a cena do término permanecia o deixando tristinho (quase mais do que seu amigo estava).

— O que foi, hyung? – perguntou o garotinho, após abrir a porta de surpresa, já sabendo que o amigo ia até sua casa nas sextas-feiras. 

Meio que Yoongi não se lembrou dessa parte da amizade em que sempre viam filmes aos finais de tarde de sextas. 

— Eu que te pergunto, Hoseok-ssi! – falou, repentinamente se sentindo um bobo. 

E Hoseok continuou ali, paradinho com a mão na maçaneta, confuso. Naquela semana, não era a que iriam para a casa do Min, ao invés da sua? Tinham combinado isso de trocar as casas!

— Vamos pro seu quarto – decretou Yoongi, entrando mesmo sem ser convidado (já era da família, mesmo) e puxando o outro pela mãozinha. 

— Yoonggie, o que foi? – perguntou, ao chegarem no seu quarto cheio de desenhos pelas paredes. 

Seu aniversário havia sido há pouco tempo e, de presente, sua mamãe o havia deixado arrumar o quarto como quisesse. De longe, uma das últimas memórias felizes da amizade antes do mais novo começar a ficar chateado pelos cantos.

— Sabe, eu estava vendo TV com a mamãe e aí, o casal terminava! Sabe, eu nem gostava muito dela mesmo mas, poxa! Eles terminaram só porque ela gostava de outro! Mamãe me disse que ela estava certa, Hoseok-ssi, mas eu acho que não! – começou, de uma só vez, confundindo o amigo que havia deitado no tapete do quarto. — E aí, eu pensei! Se você está tristinho comigo, é porque tem outro amiguinho, né? E aí, não sabe como me contar, é isso? Pode me falar, eu não vou ficar triste. 

Desabafou completamente, as mãozinhas tremendo de nervoso e vergonha enquanto o amigo continuava deitadinho no tapete, confuso como nunca sob tantos "e aí".

— Você é um bobão, Yoongi-ah. – falou, sorrindo com aquele sorriso de dentinhos de leite aqui, permanentes acolá (fora o espacinho vazio em que ainda cresciam mais!). — É que minha mamãe me contou que meu papai vai ter outro filho! Você não precisa ter medo, é meu melhor amigo do mundo!

— Ah, então não vamos terminar, né? – falou, com os olhinhos já cheio de lágrimas de medo. 

— Nunquinha. Eu é que 'tô com medo, sabia? Meu papai já nem fala comigo e agora vai ter outro eu! – falou, repentinamente amuadinho, como tem ficado nos últimos dias. 

— Não se preocupe, Hoseok-ssi, se seu papai te trocar eu falo pro meu papai brigar com ele! – sorriu grandão, segundo Jung, do jeito que ele tanto gostava e fazia tê-lo vontade de sorrir, também. — E também, se ele te trocar, eu vou continuar aqui, 'tá bom? Não precisa ficar triste, eu também fico! 

E com todas as palavras juntinhas no ouvido de Hoseok, as lágrimas vieram fortíssimas, fazendo com que o amigo se desesperasse mas, nem tanto depois, chorasse junto. 

Os soluços não demoraram a chegar, e logo a Sra. Jung estava no batente da porta, preocupadíssima com os ruídos dos garotinhos. É claro que toda a preocupação se dissipou no momento em que os olhou, ali tão juntinhos no tapete, entre lágrimas e paredes pintadas aleatoriamente. 

Nem choraram tanto depois disso, apenas tentando entender afinal, o porquê de terem chorado. Nem se sentiam mais tão tristes!

— Obrigado, Yoongi-ah, você é mesmo o melhor amigo de todos! – falou, num rompante se levantando do tapetinho, sorridente como nunca deveria ter deixado de estar — Só não conta pros outros, tá bom? Ninguém mais pode ficar tristinho aqui!

Ambos sabiam que os outros logo saberiam, também. Até porque, Yoongi adorava se gabar de como ele e Hoseok eram os melhores amigos de todos, sempre juntinhos e nunquinha – quase – brigados. 

E o dia que começou cheio de desespero e carinhas tristes, terminou quando todos os amiguinhos se sentaram na calçada da casa de Jimin, cansadinhos que só, olhando o sol se pôr atrás da casa de Namjoon – foi um choque o dia em que descobriram que o sol estava muito mais longe que ali, no cantinho do quintal do amigo. 

Entre carinhas de sono, gritos e baguncinhas na calçada, cada um foi pro seu canto – exceto por Yoongi, é claro. Afinal, ainda era sexta-feira! E com sexta, queremos dizer o dia de filmes de super-heróis e pipocas cheinhas de manteiga (sem mais nenhuma lágrima, amém).


Notas Finais


+tarde faço uma capa, espero que tenha te ajudado de alguma forma, beijo bebê

bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...