História As Quatro Estações - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 10
Palavras 1.465
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Capítulo Treze


Point Of View de Giovanna

Suspiro e abro a porta, me escorando na mesma enquanto o encaro perguntando silenciosamente o ele queria e o que ele estava fazendo ali.

— Hm... Oi. — falou colocando as mãos no bolso.

— Oi. O que quer? — perguntei cruzando os braços e ele riu de forma anasalada.

— Sempre direta.

— É preciso. E você ainda não me respondeu.

— Vim ver se você está bem. Satisfeita?

— Sim. E sim, eu estou bem. Aliás, você já veio aqui para saber disso. Aislyn me disse. A palavra dela não conta?

— Sim, mas eu queria te ver.

— Já viu, e se me dá licença... — falei fechando a porta, mas ele colocou o pé no vão.

— Por que você está me evitando? — por que eu não sei o que eu ‘tô começando a sentir por você e eu não quero me machucar. Simples assim.

— Eu não estou te evitando. — mentira.

— Sim, está. E isso ‘tá rolando desde o lance do elevador.

— Não sei do que você está falando.

— Não se faça de desentendida. Não combina com você.

— Eu realmente não sei do que você está falando. Era só isso?

Ele suspirou e me olhou. Nossos olhares se encontraram e assim permaneceram por um longo tempo. Não dissemos uma palavra. Permanecemos em silêncio. Até ele quebra-lo com um pigarro.

— Você... Está muito ocupada?

— Um pouco.

— Vai sair?

— Não.

— Ótimo. Vem. — ele falou e me puxou. Franzi as sobrancelhas e me afastei. — O que foi agora?

— Eu estou usando pantufas.

— Coloca um chinelo, ou alguma coisa do tipo.

— Eu ia assistir uma premiação com a Aislyn.

— Já ouviu falar em internet?

— Eu prometi para ela.

— É MENTIRA, ELA NÃO PROMETEU NADA. — Aislyn gritou de dentro da casa, provavelmente estava atrás da porta ouvindo tudo.

Filha da mãe.

Yoongi esboçou um sorriso de canto e me olhou com a sobrancelha arqueada.

— Eu vou matar a Aislyn. — murmurei em português olhando para baixo.

— Qual a sua desculpa agora? — ele perguntou cruzando os braços.

— Eu não quero ir.

— Eu não ligo.

— Por que quer tanto que eu vá com você?

— Ainda não é a hora de responder essa pergunta. Mais alguma? — perguntou, mas eu fiquei em silêncio. — Ótimo. Agora vamos logo.

— Posso calçar um tênis pelo menos?

— Pode. Vou ficar esperando aqui.

Suspirei e assenti fechando a porta. Me direcionei até a sapateira e peguei meus tênis, logo indo até o sofá. Encarei Aislyn, que tinha um sorrisinho na cara enquanto assistia a televisão. Ela riu e me olhou.

— Que foi?

— Eu vou te matar.

— Vai não. Você vai é me agradecer depois. — falou e eu mandei um dedo do meio para ela enquanto começava a calçar meus tênis. — Ai, grossa. — brincou fazendo uma voz meio aviadada.

— Eu ia falar uma coisa, mas é melhor eu ficar quieta. Enfim... Tchau, valeu, falou, se eu não voltar já sabe o motivo. — falei me levantando.

— Tchau. — falou enquanto eu colocava a senha e na porta — E USEM...

— TCHAU AISLYN! — gritei e fechei a porta antes que ela terminasse a frase, dando de cara com Yoongi escorado na parede mexendo no celular.

Visão dos deuses.

Foco Giovanna. Foco.

— Tá pronta? — perguntou me tirando da minha discussão com meu subconsciente e eu assenti. — Ótimo. — falou guardando o aparelho no bolso da calça e foi até o elevador, apertando o botão.

— Para onde vamos? — perguntei quando o elevador chegou e ele exibiu seu sorriso gengival.

Por que tão fofo?

— É uma surpresa. — falou me tirando novamente dos meus pensamentos. E entrou no elevador.

[...]

— Chegamos. — anunciou ele estacionando o carro. Olhei em volta.

— Um estacionamento de uma pista de patinação? — perguntei retoricamente arqueando a sobrancelha e ele assentiu enquanto tirava a chave da ignição. — Yoongi, o que você ganha com tudo isso? — perguntei e ele me olhou.

— Não posso mais querer companhia para patinar?

— Você tem os meninos

— Taehyung está dormindo, pois tem faculdade amanhã de manhã. Jin, Hoseok e Namjoon trabalham a noite, Jimin está repassando o que vai ensinar na academia amanhã e Jungkook está descansando pois tem uma entrevista de emprego amanhã.

— Certo, e por que logo eu?

— Você foi a única que sobrou.

— Até parece que não tem outros amigos e além do mais, não somos próximos.

— Posso até ter outros amigos, mas eu te escolhi e além do mais, eu queria que fôssemos.

Ok, essa frase me deixou sem palavras. Novamente, eu não esperava por isso. Por isso, fiquei apenas olhando para ele, que retribuía na mesma intensidade. Ficamos assim por um longo tempo até eu suspirar.

— Certo... Mas já vou logo avisando que você vai ter que me ensinar. — adverti, mas ele sorriu.

Meu Deus, para de sorrir assim, eu não tenho estruturas para isso.

— Sem problemas.

[...]

— Yoongi eu vou cair! — exclamei enquanto me segurava com força numa barra de ferro que havia no muro que rodava a pista.

— Não vai, relaxa, eu estou aqui.

— É disso que eu tenho medo. — falei sem desgrudar do ferro.

— Relaxa e confia em mim. Eu vou fazer de tudo para não te deixar cair. — falou estendendo a mão para mim. Olhei para ele e depois para sua mão, até que por fim, a segurei com força. — Isso. Agora solta o ferro e vem até aqui. — falou segurando minha mão com força enquanto eu ia lentamente até ele. — Isso. Agora com cuidado faça como se estivesse andando. — instruiu enquanto me acompanhava observando meus passos.

— Por que patinar no gelo é tão difícil? — perguntei após quase escorregar.

— Não é tão difícil assim. — comentou afrouxando o aperto em minha mão e eu até consegui patinar por alguns segundos antes de escorregar e cair de bunda no chão, o que arrancou gargalhadas dele. Fechei a cara.

— Para de rir! — exigi enquanto me arrastava até a barra de ferro e tentava me levantar apoiando-me nela, só que eu me desequilibrei e escorreguei de novo, arrancando mais gargalhadas dele.

Meu deus, até a risada dele é bonita.

É oficial. Eu estou definitivamente ferrada.

— Filho da mãe. — murmurei em português até que finalmente consegui me colocar de pé – apoiada na barra de ferro, mas em pé.

— Parei. — falou tentando parar de rir, falhando miseravelmente. — Mas eu não consigo! — acrescentou cedendo ao riso. — Foi muito engraçado! — exclamou respirando fundo para conter o riso. — Agora eu parei.

Revirei os olhos.

— Vou estar na lanchonete. — falei – tentando – ir até o portãozinho da pista ainda apoiada na barra de ferro.

— Ô Giovanna! — chamou, mas eu ignorei. — Espera aí! Eu vou também! — avisou, vindo atrás de mim.

[...]

— Isso ‘tá muito bom! — falei dando mais uma mordida no meu hotteok*.

— Ainda não consigo entender como você não gosta de hoppang**. Sinceramente. — falou enquanto comia e eu apenas dei de ombros.

— Não gosto de feijão.

— Então você não come quase nada, certo? Quase todas as comidas tem feijão.

— Tipo isso.

Ele negou com a cabeça.

— Você é estranha.

— Obrigada.

— Vamos, termine logo de comer. Eu estou com sono e já está ficando tarde.

— Ninguém mandou me tirar de casa. Agora aguente.

— É o que estou fazendo. E com muito prazer, diga-se de passagem.

Ok, eu não esperava por isso três. Por isso, resolvi apenas terminar logo a minha “panqueca”. Quando terminei apalpei meus bolsos. Eu havia esquecido a carteira em casa.

— Não acredito. — exclamei em português.

— Eu não entendi merda nenhuma do que você disse, mas tenho que perguntar, o que foi?

— Esqueci minha carteira em casa.

— Sem problema, eu pago ‘pra você.

— Mas eu quero pagar. Eu tenho o meu próprio dinheiro.

— Só acho que não tem como a senhorita independente aí pagar se está sem a carteira.

E novamente, eu tive que ficar quieta pelo simples motivo de eu não ter resposta para dar. Suspirei fundo e me afundei na cadeira.

— Então vai lá.

— Agora?

— Claro meu querido. Eu tenho que trabalhar e estudar amanhã. Vamos logo.

— Louca.

— Os loucos são os melhores.

[...]

— Certo, está entregue. — ele falou quando chegamos no prédio.

— Obrigada Yoongi. Até que a noite foi legal.

— De nada e digo o mesmo. A melhor parte foi te ver caindo no gelo. Ah, e tentando patinar. Foram as melhores partes da noite. E as mais engraçadas também.

Rimos.

— Idiota.

Silêncio.

— Então... Eu vou para casa agora. — avisei quando o elevador chegou.

— Certo.

Olhei para ele e dei um meio sorriso.

— Nos vemos por aí?

— Sim.

E com o coração aos pulos, me aproximei dele. Fiquei na ponta dos pés e beijei sua bochecha.

— Tchau, cosplay de Gasparzinho. — murmurei em seu ouvido e apertei novamente o botão do elevador.

— Tchau, pirralha. — rebateu, mas eu já havia entrado no elevador e as portas já haviam fechado.

Me escorei numa das paredes enquanto o elevador subia até o décimo andar e enquanto isso, me olhei no espelho.

Ainda havia um sorriso bobo no meu rosto.

E a causa dele era Min Yoongi.

Continua...


Notas Finais


*Hotteok é uma panqueca recheada com calda de açúcar mascavo, canela e amendoim, mas também pode ser recheada com nozes ou amêndoas e mel. É muito consumida no inverno.

**Hoppang é um lanche quente que é consumido em toda a Coréia . Consiste em uma bola de farinha de arroz pré-cozida com algum enchimento, como pasta de feijão doce.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...