História As seis - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~Mang-Chan

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Yui Komori
Tags Amor, Ayato Sakamaki, Hentai, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Originais, Reiji Sakamaki, Romance, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Suspense, Terror
Visualizações 46
Palavras 1.621
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


HEY amores! Então gente estamos aqui com mais uma fic para vocês e dessa vez estamos trazendo logo de cara seis garotas com poderes indescritiveis e personalidade forte. Espero que gostem.

ps- a foto de capa da história é somente uma base e não a personagem em si.

Capítulo 1 - Laço de "sangue".


Capitulo 1 – “Irmãs”

Em uma casa na cidade de Quioto moravam seis garotas, aparentemente normais. Elas estavam prontas para se mudar e servir de sacrifício para um bando de vampiros famintos, os Sakamaki.

- Yuni, saia dai – mandou Mizaki a mais velha.

Asano Mizaki, a mais “velha” das garotas, com isso também era a mais “responsável” das seis, ou era para ser, a kitsune tinha o péssimo abito de se atrasar ou ser mais lerda em relação às coisas. Bem... De personalidade ela podia ser bem estupida, mas em beleza corporal não se podia dizer o mesmo. A moça com certeza podia ser chamada de bela, seus cabelos azuis iam até a cintura e seus olhos alaranjados davam um ar de sensualidade e mistério. Além das coisas ditas à garota também vinha de uma raça diferente, como dito antes, era um kitsune. Esses seres são como raposas, mas nesse caso a nossa Miza-chan consegue esconder sua metade das outras pessoas.

- Ah Miza, só mais um pouquinho e já vou. Né bonnie? – defende-se Yuni enquanto abraça sua ursinha de pelúcia mais forte.

Suzuki Yuni, a metamorfo e mais nova das seis. Bem... A pequena maluquinha tinha uma personalidade difícil, em vezes poderia ser comparada a uma criança de cinco anos e vivia grudada em sua ursinha de pelúcia Bonnie, sim era como se o bichinho conversasse com ela, um tanto insano eu diria. Bom... Fora isso a menina/ moça era “normal”, seu corpo não se comparava ao da Miza, mas também não ficava para trás tendo lindas curvas e proporções exatas, semelhante a uma bonequinha. Os cabelos da jovem também eram lindos, num gesto infantil as madeixas coloridas eram presas uma de cada lado, num tipo de Maria Chiquinha muito fofa, e claro que para dar um charme metade do cabelo da garota era roxo e as pontas tingidas com tons fortes de laranja, rosa e amarelo sol, os olhos também não ficam para trás possuindo uma heterocromia ocular, cada olho de uma cor, o lado esquerdo em rosa e o direito verde.

- Deixe a garota em paz, peluda – pronunciou-se Ayumi sem emoção.

Susuka Ayumi a vampira e mais velha de todas. Personalidade? Bom... Podemos dizer que não havia muito que ser apreciado, a garota sempre agia de maneira fria, por vezes grossa e até mesmo com desinteresse, mas também se fosse irritada não teria um para contar a historia no final. De beleza? Bem... Ela podia ser modelo gótica que ficaria famosa no outro dia ou em uma hora de lançamento. A guria tinha um corpão, sua bunda era o melhor, mas não dava para ser bem vista com o look que a moça usava. Os cabelos já era outra historia, um modelo bem moderno e despojado chegava a ser parecido com a personalidade da mesma, os fios curtos na altura do ombro davam um charme intenso e a coloração platinada com a raiz preta dava ares misteriosos tanto quanto seus olhos ônix, ás orbes da vampira eram de um breu sem fim, qualquer um que ousasse encarar por muito tempo poderia se perder na escuridão.

- Cale a boca, sanguessuga, deixe a raposinha fazer o que deve – reclamou Hana enquanto em fim desgrudava a cara de seu livro de feitiços.

Sazuki Hana, a feiticeira/ bruxa e a do meio. Bem... A bruxinha tinha uma personalidade enigmática, fanática por limpeza e perfeccionismo, mas geralmente quieta e cínica quando possível, também usufruía da frieza ao pronunciar qualquer coisa. De aparência a garota não era nada de mais, tinha o mesmo corpo da companheira sanguessuga, mas com menos proporções. Os cabelos da feiticeira também eram de ralar na cara das inimigas, com fios ondulados e até a metade do braço, a coloração, como a da outras, também era diferente contando com o começo roxo e as pontas misturadas entre azul e verde, os olhos da mocinha já podiam ser ditos como outra historia, o olhar gelado misturado com a cor azul breu dava arrepios em quem olhasse.

- Hana, esta muito afiada esses dias não é? Vai dizer que conseguiu transformar seu sapo em um príncipe. – debochou Aya

Aoki Aya, a demônio e empatada com a bruxa. Bem... Essa sim tinha uma personalidade de dar nos nervoso, deboche era seu segundo nome, amava provocações e podia te deixar no pior dos pesadelos apenas com um simples olhar. De aparência ela era bonita e tinha o corpo ajeitado, um tanquinho de dar inveja e peitos fartos hehe. Os cabelos da garota eram tão bonitos quanto o das outras contando com a coloração totalmente roxa por nascença, os fios além de ter essa cor estranha ainda eram grandes batendo na cintura, os olhos também não ficavam para trás, ás orbes marrom madeira e o preto sombrio lutando por espaço deixavam qualquer ser humano em transe e dor esternos.

- Quietas um minuto, Onegai – pediu Angel com sua calmaria e falta de emoção de sempre.

Akemi Angel , a anjo e segunda mais nova. Essa poderia se dizer que era a melhor de todas em personalidade, a calmaria e falta de interesse constante ajudavam muito no trabalho, mas, além disso, ela não era um anjo bom como pensam, na verdade o seu jeito pacifico e quieto de ser poderia ser um disfarce para seu verdadeiro eu, nunca em hipótese algum devem irritar a pequena anja, ela pode ser pior do que as outras. Em beleza poderia ser dito que ela era um anjo de verdade, uma beleza tão natural e única, hipnotizaria qualquer pessoa. Os cabelos loiros e lisos davam contraste a sua pele pálida, os fios sempre contidos pelo fone que a mesma usava eram misteriosos, já os olhos, bem... As orbes sim davam medo, mesmo que quase nunca abertas – já que a Akemi preferia ficar de olhos fechados curtindo suas musicas – tinham um vermelho intenso, talvez mais escuro que sangue, ao abrir os olhos à pequena garota poderia fazer você sentir sensações terríveis além de naturalmente causar um impacto único. Anjos também podem ser maus.

- Parem de discutir de uma vez. Vamos Yuni- chan, saia dai e vamos. – finalizou Mizaki com a maior calma possível.

E essas eram as seis, as seis “irmãs” eternas. Mesmo que não fossem parentes de sangue, dês do dia em que se conheceram, não se desgrudaram, acabaram por criar um laço de irmãs e fariam tudo para se proteger e cuidar uma da outra, cada uma do seu jeito. As habilidades quando juntadas também eram assustadoras. Para noção de todos esses poderes combinados poderiam destruir Tóquio em um piscar de olhos.

- Mizaki, você já ouviu alguma historia sobre os Sakamaki? – perguntou Aya com interesse.

- Já – respondeu calma enquanto terminava de fechar a ultima mala.

- Hm... E? – tentou continuar.

- Bem... Pelo que consegui saber eles mataram todas as suas damas de sangue e só restou uma no final.

- Nossa! – exclamou Yuni – Você ouviu Bonnie? Vamos ser mortas.

- Pare de falar besteiras Yuni, é obvio que não vão nos matar, não agora e nem que fosse, eu não vou servir de brinquedo para marmanjo não. – ralhou Aya

- Parem de falar sobre isso, já basta – encerrou Ayumi.

- Angel, você não vai dizer nada? – perguntou Hana.

A loira negou com um gesto simples e se recostou ainda mais no sofá para escutar sua musica.

- Tsk... Muda de uma figa, tem língua para enfeitar só pode. – murmurou Ayumi descontente.

- Vamos logo, o carro chegou – alertou Mizaki já pegando suas coisas e as de Yuni.

Todas as garotas começaram a pegar suas malas e seguir a kitsune, por mais raro que fosse todas em silencio, mas sem nenhum requisito de medo ou apreensão. A verdade é que nenhuma delas se importava por ter que servir de alimento para vampiros, inclusive uma delas sentia prazer com a dor causada pelo ato.

- A viajem é demorada? – perguntou Yuni

- Não, chegamos daqui a pouco. – respondeu Miza.

E assim foram, todas elas recostadas fazendo suas coisas. Mizaki observando a rua pela janela, Yuni conversando com sua pelúcia, Ayumi jogada de qualquer jeito fitando o vazio, Aya cochilando e acordando, Hana lendo seus feitiços e Angel ouvindo suas musicas, cada uma do seu modo esperando o que o destino lhes guardasse.

- Chegamos – avisou o motorista.

Todas as garotas se entreolharam sem emoção, menos Angel que permanecia com seus olhos fechados apreciando suas musicas.

- Vamos... – Chamou a Kitsune.

As garotas colocaram-se a pegar as malas e segurar seus pertences. Mizaki segurou a mão de Yuni e pegaram suas malas, Aya começou há flutuar um pouco e as suas coisas também, Hana usou seu feitiço para fazer sua bagagem flutuar e a seguir e Angel cruzou as pernas e começou a flutuar sobre as garotas com suas malas ao seu lado do mesmo modo.

- Quem esta livre para bater na porta? – perguntou Mizaki

- Tsk... Eu vou. – pronunciou-se Aya fazendo a porta se abrir sozinha.

- Aya, tínhamos que bater – brigou a kitsune.

- Aff reclama não só entra.

As garotas entram e todas menos a anja começaram a fitar o local, e como efeito do que viam, sorriram satisfeitas, o lugar era bonito e parecia confortável também.

- Vamos deixara s coisas aqui e procurar nossos “donos”.  – disse Miza-chan.

As garotas assentiram e fizeram como a mais velha pediu, logo após foram direto até uma grande porta onde se dava para sentir movimentação.

- É aqui. – confirmou Hana

- entra logo, raposinha – apressou Aya.

- Não me apresse demônio. – exaltou-se a kitsune

- sou mesmo – retrucou com deboche.

E assim a porta foi aberta revelando a enorme sala, e junto havia alguns garotos peculiares espalhados pelo cômodo.

- Prazer em conhecer vocês, Sakamakis.


Notas Finais


Se gostaram não esqueça de favoritar e comentar, bjão! Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...