História As sombras de Edigar e Castiel de sangue. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Caçadores, Castiel, Demonios, Edigar, Gêmeos, Mistério, Passado, Sobrenarural, Sombras, Vampiros, Yaoi
Visualizações 15
Palavras 1.668
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Esse cap é focado nos irmãos mais velhos de Edigar. Deu trabalho então, espero que gostem!
Obrigado (de novo) por lerem e muitíssimo obrigado a quem passou e comentou, Valeu! mesmo, mesmo, mesmo, mesmo! mesmo!!!!!!

Capítulo 9 - 08 - Eu sou você...até que a morte nos separe!


08

Eu sou você...até que a morte nos separe!

"Ah!... Minha doce alma gêmea! O meu fogo te liberta, te enlouquece. O teu gelo me aprisiona, me controla. Em seus braços eu encontro minha prisão e em meu corpo a tua louca obsessão..."

  Acordei de manhã, era simplesmente uma linda quarta feira. Resolvi me preparar para escola, as aulas hoje começaria cedo. Levantei, olhei para aquele corpo que antes se fazia presente ao meu lado, logo recebi a minha dose diária da minha droga favorita, agora eu estava pronta pra começar o dia!

  Tomei um banho, vesti o uniforme, cequei o cabelo, sentei na cama para coloca minhas meias. Fiz questão de levá-las pelas minhas pernas lentamente até acima do joelho, eu havia notado que ele me olhava e queria provoca-lo um pouco. Ele logo sentou-se na cama para me observar melhor.

  -Bom dia,Perola?

  -você acordou meu irmão? Que bom! Eu já estava ficando tristinha sem você pra me proteger... - Falei fazendo rostinho de tristeza, obviamente só para brincar.

  Ele era incrível, aqueles cabelos prata como os meus, olhos azuis, corpo bem desenhado. Eramos gêmeos, porém tínhamos personalidades digamos um pouco diferentes. Ele era alto, inteligente, excelente sniper  ou seria maravilhoso com qualquer arma de fogo.

Era equilibrado, forte, um prodígio nas artes marciais de nossa família. A magia do gelo era a prova da frieza de sua alma, simplesmente o melhor mago do gelo. Tudo que ele podia fazer contrastava com sua personalidade séria, reservada, responsável e extremamente calculista. Sem dúvida ele era o tipo certo de garoto errado e o melhor em batalha!

  No meu caso era a princesa da família. Cabelos prata levemente cachado, pele Branca, eu até era um pouco pequena, mas sem dúvida sou esperta! Eu era a melhor feiticeira do fogo. Diferente das bruxas convencionais, nada de morrer queimada numa fogueira, porque o fogo é minha alma. Sou o tipo de garota calma, rosto singelo e aparência frágil. Todos sempre me diceram que eu e meu irmão eramos uma dupla perfeita, e somos! Ele com as habilidades na luta e no gelo eu com a magia do fogo e a velocidade, sou a mais rápida da família. Somos a melhor dupla porque nos completamos, por que nascemos para esta juntos e assim é que vamos ficar para sempre....

  Levantei da cama é fui arrumar o que seria preciso para as aulas do dia e ele foi se apronta para as aulas. Saímos juntos diretamente para o refeitório tomar um café da manhã. Ovos e bacon, nos dois escolhemos a mesma coisa como sempre. sentamos e começamos a comer é conversar.

  -Está mais linda do que ontem, querida irmã. - Disse ele com um leve sorriso no rosto.

  -Você me diz isso todos os dias. - Falei sorrindo.

  -Pérola, estive pensando como sempre vai ao dormitorio dos garotos sem ser vista pelos monitores?

  -Esqueceu com quem está falando irmãozinho - falei com sorriso maléfico.

  Ele sorriu como quem já me conhecia muito bem. Eu odiava dormi sozinha, desde pequena sempre dormimos juntos.

  Não passou muito tempo, meu irmão mais novo, sentou-se a mesa também.

  -Que cara é essa Edigar?Viu assombração? - falei preocupada com aquela expressão estranha em seu rosto.

  -Não, só não dormi bem está noite.

  Pietro olhou para mim como quem sábia bem o motivo, sendo sincera nós três vivíamos juntos a muito tempo para não saber sobre os pesadelos que não deixavam Edigar durmi a noite.

  Isso já estava na vida dele desde dos seis anos de idade. Antes disso ele já tinha dificuldades para dominar seus poderes. Diferente de mim e de Pietro ele controlava o fogo, o gelo, o raio e as "sombras". Edigar também tinha a estranha habilidade de manipular o sangue e as vezes o vento. Não tínhamos plenos conhecimentos sobre suas habilidades, ninguém na família tinha. Todos nós sabíamos que a medida em que ele crescia, ficava mais forte, aonde isso iria...?

  Nós três temos poderes psíquicos, Pietro não só pode apaga mente como também reescreve lembranças. Eu leio mentes e posso movimenta objetos. Edigar pode controlar pessoas e prever o futuro por treze segundo, treze minutos ante que ele aconteça. No passado eram só cinco minutos de distância do futuro e apenas cinco segundos de visão.

  Pietro sem duvida, sempre muito protetor comigo e meu irmão mais novo, parecia extremamente preocupado.

  -É os pesadelos de novo? - Perguntou Pietro.

  -Sim, são eles mesmo. Não me deixam dormi.

  -Acho que devíamos fala com nosso pai.

  -Pietro! Não quero envolver nosso pai nos meus problemas de novo.

  Vendo a conversa dos dois, fiquei um pouco assustada, quando os sonhos de Edigar começava a almenta, era sinal que algo não estava bem.

  Eles ainda continuavam a conversar sobre o porquê deviam ou não falar com nosso pai. A conversa não continuou porque era hora de ir para sala de aula. Pietro fez questão de dizer que eles continuariam aquela conversa depois. Pietro e eu seguimos juntos porque Estávamos na mesma sala.

  Após o término das aulas, eu estava conversando com Helena minha amiga quando meu irmão chegou e pediu que eu acompanhasse ele. Me despedi de Helena e fui, fomos à biblioteca. Quando chegamos ele me deu uma carta.

  -Temos um trabalhinho Pérola.

   -Sério? - Falei sorrindo, aquilo me animava.

   -Dessa vez vamos matar um político, nosso pai disse que não deve haver testemunhas.

  Nossa, eu estava em êxtase. Para mim, matar tem um gosto especial.

    -Ok, quando deve ser feito?

    -Hoje mesmo, nesta noite o alvo vai dar uma festinha para os amigos mais proximos e é lá que ele deve morrer.

    -Que ótima notícia, esse dia está perfeito pra alguém morrer. - Falei sorrindo.

  Pietro se aproximou com aqueles lindos olhos que me fitavam, colocou os braços em torno da minha cintura puxando-me para um beijo. Eu realmente estava esperando por aquele beijo o dia todo. Quando ele se afastou, se despidiu de mim dizendo que me esperaria as sete no portão de saída da escola.

-Esteja pronta!

-Estarei - Falei mandando um beijinho.

  A festa estava cheia, políticos renomados, grandes empresários, militares e até o chefe da guarda pessoal do rei. Entramos pelos fundos direto para a cozinha, sem que focemos notados.

  Tudo já estava planejado, antes de entramos havíamos nos certificado de saber onde ficava a chave geral da mansão. Só precisamos de um apagão completo das luzes da casa. De modo a não ser notada confirmei a onde estava meu alvo enquanto meu irmão se encarregava de apagar as luzes no momento certo. Entrei na festa e me aproximei do alvo sem chamar atenção, dei a ordem pelo comunicador e as luzes foram apagadas.

   Saquei a arma e disparei diretamente no alvo, todos se assustaram com o barulho. Saí correndo pelos fundos, passando pela cozinha, onde todos ainda estavam assustados com o tiro e a falta de luz, saindo diretamente no jardim onde Pietro me esperava. A luzes voltaram e ouvi os gritos de todos assustados com o corpo no chão, mas já estavamos quase fora da propriedade.

  Quando Estávamos quase fora, dois guardas da mansão nos virão é tentaram nos parar. O primeiro correu até mim com uma arma na mão e mandou que eu ficasse parada, soltasse as armas e colocasse as mãos pra cima, fiz o que ele mandou. Ele chegou perto de mim para perga as armas que eu havia soltado. Acertei ele com um chute, ele quase caiu, mas ainda ficou de pé, antes que ele terminasse de se levanta acertei um soco no seu rosto, fui um pouco pra tras do homem. Saltei pra cima dele tomando certo impulso em suas costas, de modo  que me agarrei com seu pescoço, não esquecendo de prender bem minhas pernas em seu intorno. Coloquei por trás de sua cabeça as mãos no rosto dele e o encinerei com fogo, Ele gritou até a morte.

   Enquanto eu derrubava meu inimigo, meu irmão fingia também colocar as armas no chão, deixando o homem se aproximar dele, em seguida segurando em seu braço e congelando a arma. Puchou firmimente o homem pelo mesmo braço e por cima de seu próprio corpo de maneira a levá-lo ao chão, o homem ainda no chão tentou escapar pegando a arma e atirando contra Pietro, mas meu irmão já havia cogelado a arma. Peguei a arma que usará para matar meu alvo e joguei ela para o meu irmão, ele a pegou, mirando ela logo em seguida contra o guarda que começou a súplicas por sua vida.

  -Desculpe-me senhor, sem testemunhas - Dando três tiros no guarda,antes de ir ateei fogo no corpo, para não deixar vestigios. Voltamos sem mais problemas.

  Ao voltar quase fomos pegos pelo inspetor que verificava a escola, já eram quase meia noite. Corri para o meu dormitório e meu irmão para o dele, terminando assim nossa jornada perigosa.

    Depois de um bom banho e está quase pronta pra dormi, resolvi fazer a minha visita cotidiana ao meu irmãozinho. Quando ele abriu a porta estava sem camisa, com aquele rosto frio e excitante.

  -Cheguei...! - Falei mordendo os lábios

Ele olhou para mim de cima para baixo e provavelmente para o meu curto vestidinho.

  Quando terminou de inspecionar o produto me puxou pelo braço direto para os seus. Ele estava me beijando enquanto me segurava pela cintura com o braço e fechava o porta com o outro. Antes que estivéssemos na cama parou e me olhou com o desejo que só eu despertava naquele homem tão controlado e responsável.

  -Essa sua cara de santa me deixa louco!

  -Eu sei! Como eu sou santa, seja iluminado está noite com toda a minha luz.... - Falei provocando-o!

  -Sim...me ilumine com sua luz. - Ele disse me possuindo.

   -Me preencha com sua trevas - falei sentido essas palavras com toda a minha alma.

   -Porque... Eu sou você e você sou eu nessa doce fixação... - Completamos este juramento juntos, unindo nossos corpos e Almas de modo que nada nos separaria, assim como deve ser, assim como sempre será...!


Notas Finais


Lembrem-se de comentar o que acharam!😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...