História "As trevas de uma mente destruída" - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 9
Palavras 1.318
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Éééé mais um capítulo espero que gostem e não se assustem

Capítulo 3 - "Calibre 38"


Fanfic / Fanfiction "As trevas de uma mente destruída" - Capítulo 3 - "Calibre 38"

Dia 29 fevereiro de 2009 

Hoje pela manhã Dr Tomás me ligou disse que enviou uns documentos para meu email e disse que a investigação estava encerrada 

Eu ainda não tive a coragem de pegar o notebook, estou com medo, me levanto pego o notebook jogo na cama e abro no meu email

Começo a ler os dados do homem que matou meus pais, é bem novo é um pouco mais velho que eu no fim do documento tem um vídeo do acidente não o vejo não preciso ver isso mas tem uma nota 

** Ele terá um encontro hoje as 23:30 em bar não é tão longe chego em 30min 

São 22:36 meu Deus milhões de coisas passando pela minha cabeça não sei o que eu faço acho que....

Estou correndo meus pés estão me levando não quero ir naquela gaveta merda estou perto....

Abro a gaveta a um canivete e uma arma de minha coleção um calibre 38 a única que não registrei no meu nome ainda pego os dois e corro até a garagem pego meu carro mais sútil abro a Garagem e acelero estou correndo a 120 km/h estou com raiva merda o que eu to fazendo, agora são 23:17 estou na frente de um bar chamado DOCE desço do carro entro no bar, sento me em uma mesa no canto olho o bar vejo várias pessoas comuns vejo um homem de capuz mas não é ele, sei por quer na descrição falava que ele não tinha um dos dedos na mão direita e essa pessoa encapuzada tinha, derrepente a porta faz um barulho e olho para lá é ele senti uma vontade disparar contra ele porém me controlei ele se sentou na mesa em que estava o cara com um capuz...

O cara deu um envelope que era dinheiro tinha certeza

Me levando 

- ei vocês dois 

Percebo que não foi uma atitude muito inteligênte por quer agora os dois correram um para cada lado, segui atrás de Samuel no caso o assassino dos meus pais, ele é bem rápido porém sou mais e quando ele entram em um beco dou uma coronhada em sua nuca ele cai, vou até o carro e vou em direção aonde ele está caído e o coloco no carro o levo até uma casa antiga dos meus pais onde é afastada de tudo a viagem leva 2h abro as portas de trás ele ainda está inconsciente o levo para o porão abro um espaço pego uma cadeira e o amarro com um nó que aprendi quando era escoteiro, amordaceio, coloquei um saco de pano em sua cabeça e subir cair em uma cama minha vista escureceu 

Dia 30 fevereiro de 2009

Acordo olho no relógio são 10h da manhã, Me levanto vou até o porão ele está tentando se soltar 

- bom dia

Ele parar para me ouvi

- se prepare para o pior dia da sua vida seu filho da puta

Quando ele ouve começa a se mexer tentando se soltar subo estou com fome vou até o carro não muito longe tem uma última loja de pescador da estrada 

Chego, pego comida varias ferramentas e volto para o carro 

Quando entro na casa sinto um calafrio e caiu no chão coloca as mãos na cabeça meu Deus o que eu estou fazendo balanço a cabeça e continuo junto as coisas do chão e entro 

Estou descendo as escadas 

Quando chego perto dele desfiro um soco em seu estomago oque faz ele se declinar um pouco em sieguida uma joelhado em seu queixo vejo o sangue escorendo, tiro o saco da sua cara vejo seu rosto roxo os olhos fachados.

- olhe para mim seu filho da puta! Olhe bem no fundo dos meus olhos 

- porquer você matou meus pais?

Ele abre os olhos aqueles são pretos, estão vermelhos de sangue e cansados e percebo que o tempo já o torturou bastante 

Tiro a mordaça e espero a resposta ele não diz nada 

Pego uma faca 

- fale seu desgraçado, grito e envio a faca em sua coxa 

Ele dar um grito de dor olho nos olhos dele e vejo a dor passando, sinto um certo prazer quando vejo, ele diz 

- não posso falar quem mandou eu matar a puta da sua mãe e o bêbado do seu pai 

- OK

Vou até a mesa na qual botei todos os objetos, pego o alicate de corte chego mais perto dele seguro sua cabeça e corto bem devagar sua orelha ele dar um grito muito mais não paro vou cortando até que já tirei toda ela fora 

- vamos me conte poquer matou meus pais? 

Ele me olha novamente, ele sabe que irar morrer masmo assim não fala nada 

- OK

Rasgo sua camisa pego vários anzóis e envio em sua pele enfio primeiro, ele grita muito enfio segundo o terceiro o quart...... Quando termino ele tem cerca de 45 anzóis nos seus ombros parou de brincar 

- porque matou meus pais? 

Ele vai responder vejo sua boca se abrindo 

Ele fala baixo e pausadamente como se estivesse morrendo

- eu matei pois precisava de dinheiro

- como assim?, perguntei assustado 

- Me mandaram mar, matar seus pais, me ofereceram muito dinheiro 

- Quem? Seu maldito

- não posso dizer 

- por quer? 

- ele vai mandar matar minha esposa! 

- Você tem certeza que não vai me falar ? 

Ele faz negativo com sua cabeça, pego a faca da sua coxa e estou cortando a pele dele onde os anzóis estavam, jogo no chão uma tira de pele com carne cheias de anzóis e pego e vou para o outro ombro vou tirando a pele devagar afundando a faca nas partes onde os anzóis estão enfiados

- vamos me fale quem? 

Ele diz chorando 

- por favor não me faça dizer

- diga me, que eu te mando para o inferno mais rápido se não vou continuar por horas e horas até você morrer da tanta dor 

Observo ele como um predador observa sua presa então ele diz

- **********s *******s

- como? Hã? Não pode ser não ele 

Começo a chorar pego o 38 dou um tiro na cabeça do assassino 

E me jogo criança  com o 38 na mão fico chorando como uma criança olho para a escada vajo Loren correndo até mim tirando o 38 de minha mão ela senta ao meu lado me coloca em seus peitos aqueles lindos peitos ela me abraça  

- o que você fez seu tolo

Ela está chorando também

- eu te amo, Digo me levantando

Aponto para o corpo 

- Este é o assassino dos meus pais, mas quem madou foi o melhor amigo do meu pai que estava chorando no enterro dele 

- calma Igor 

Ela tenta chegar perto de eu a empurrou

- vá embora eu te amo mas vai embora nunca mais quero olhar para você

Ela volta a chorar 

- deixa eu te ajudarIgor? 

- Não, eu sou um homem que não mereço nada de uma mulher linda e espetácular como você, agora vá embora não me procure por favor 

Ela sai correndo sobe as escadas 

Olho para o corpo desamarro e o jogo no chão, começo a cortar seu corpo em pedaços coloco dentro dos sacos inclusive as ferramentas, depois subo coloco tudo dentro de um cofre que coloquei dentro da lancha piloto 30min e jogo o cofre que afunda rapidamente ele tinha 30 kg sozinho com o corpo deve ter uns 90 a 100 kg volto limpo o local e vou para casa

Entro em meu apartamento sem ninguém me ver vou até a sala de video apago os videos de mim entrando todo ensanguentado ainda bem que o vigia nunca está aqui 

Entro em meu apartamento vou direto para o banheiro tomo um banho e estou pensando em tudo o que fiz e sinto as vezes vergonha outras só queria ouvi novamente o grito daquele desgraçado 

Saiu do banheiro deito em minha cama nú 

E dou um sorriso.

- agora só falta mais um












Notas Finais


Fui bem macabro me desculpe...rsrs
Espero que tenham gostado
Desculpe qualquer erro
Até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...