História As Voltas Que A Vida Dá - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren
Visualizações 121
Palavras 1.874
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


LEIAM 👇
Oi gente... Eu a cínica que disse que não demoraria 😂 . Mas até que não demorei vai... É que estava com bloqueio criativo, aí ia sair uma merda, na verdade ainda estou, só que como eu queria postar um fiz assim mesmo, então perdoem-me.
Bom, vou indicar uma música, aliás, indicar não, vocês vão escutar ela... Quando acabar se quiserem colocar um pedaço dá que os deixam mais tristes pode, vai ser melhor ainda. Mas vão escutar na hora que eu falar ok? Colocarei lá no final....
Relevem os erros.
Boa leitura. E até mais....

Capítulo 17 - Por favor Camila!


Lauren POV

—Então doutor, alguém pode doar?-sou afobada em minha pergunta.

Ele olha para os papéis em sua mão por alguns minutos que mais parecem ser uma eternidade. Começa ler algumas coisas e isso está me dando nos nervos. Minhas pernas balançam constantemente, se passar mais tempo eu vou cair aqui nesse chão e vão ter que me internar também...

—Bom, o que mostra aqui é... Doutor Tyrone, o senhor é O negativo, pode doar, claro se estiver disposto.-oh, eu não esperava por essa resposta tão direta, não mesmo, não é que eu esteja triste, pois, pelo menos ele poderá ajudar...—Dinah, você é O positivo, caso queira saber, E Lauren...-o médico continua falando.—Você também é O negativo, caso queira doar aos bancos do hospital seria ótimo.

—Espera, vamos mudar isso aí... Eu quero doar a Camila!-sou possessiva.—Tyrone, você pode doar ao hospital!

—Ok senhorita Jauregui, como quiser.-o homem responde.

—E então Doutor, Camila vai sair dessa agora?

—Bom Lauren, a gente vai resolver um problema,  mas ainda tem a questão do coma, sobre isso não podemos fazer nada, só depende dá própria Camila querer sair ou não dessa situação... Mas não desanime, nós vamos conseguir melhorar o que mais me preocupava, e é você quem vai ajuda-la não?-ele bate a mão em meu ombro de leve com um sorriso simpático.

Dou um sorriso para ele sem dentes, estou até um pouco mais calma agora, porém ainda sim tenho medo de que ela não acorde. Mas o que eu puder, qualquer chance que haver de salvar a vida de Camila, eu farei.

Sigo o médico para uma sala um pouco diferente dá que estava antes. Peço Dinah para vir comigo e ela não pensa muito, confesso que tenho um pequeno pavor de agulha, mas é preciso superar isso, pelo menos agora. O advogado vem também pra doar ao hospital, ele senta em uma poltrona perto dá minha, essa que parece mais com aquelas cadeiras que ficam na beira dá piscina, porém bem macias. Uma enfermeira chega perto de mim e começa tirar meu sangue, demora um pouco até que consigam achar minha veia. Ficamos nessa situação por quase uma hora... Quando tudo acaba minha amiga me obriga a comer, não sei se por causa do susto minha fome foi embora, mas foi necessário já que meu nervosismo e a falta de alimento em meu corpo quase me fizeram desmaiar.

Após liberados voltamos a sala do começo, agora meu sangue vai passar por um processo que o doutor explicou mas que eu não entendi para depois ir ao corpo de Camila. Enquanto isso espero ansiosamente nos braços de Waltz e na companhia do advogado para ver a garota, tomara que esses médicos façam o possível para salva-la e deixa-la bem, se precisar pagar eu pago, por falta de dinheiro é que não vai ser.

Deito-me no colo de Dinah que tira um cochilo sentada e com a cabeça apoiada, já está escuro lá fora e ela deve estar cansada já que ficou o dia inteiro escutando minhas lamentações, coloco os pés no sofá e tento me acomodar o máximo que consigo. Fecho os olhos e os pensamentos tomam conta dá minha mente...

"—ENTÃO É ISSO CAMILA!? É POR ISSO QUE VOCÊ ESTÁ AGINDO ASSIM COMIGO? VOCÊ QUERIA GANHAR MINHA CONFIANÇA PRA TIRAR SOFI DE MIM?-chego gritando no quarto fazendo a garota pular.

—Do que você está falando Lauren? Está doida?

—Não, você está! O que significa isso Camila?

—Isso o que?

—Isso!-arremesso a pasta com os documentos em cima dá garota, ela os pega e começa a ler.—É isso que queria de mim não é? Você e aquele seu namoradinho contrataram um advogado pra tirar Sofi de mim, quer dizer que não terminou com ele? Você mentiu pra mim sua estúpida, é uma puta que faz o que for preciso pra ter o que quer, mesmo que seja transar com alguém que....

—Calma Lauren, e olhe lá como fala! Sim eu confesso que fiz isso mesmo...

—Viu, ainda confessa!-minha raiva está toda presente...

—Cala a boca e deixa eu terminar.-Camila levanta e vem até mim colocando a mão em meu peito.—Eu fiz isso mesmo quando ainda estava com Austin...-tento sair dos braços dela mas a mesma me segura firme.—...Mas me arrependi, eu ia ligar para o advogado hoje e pedir que cancelasse isso, mas não deu tempo e ele veio antes, eu queria sim tirar Sofi de você mas agora não quero, acredita em mim..."

A última coisa que lembro foi eu expulsando a garota com apenas um olhar. Eu não devia ter sido tão dura assim. Eu fui uma estúpida por agir como agi, mas ela não poderia ter me contado? Era só abrir aquela droga de boca e dizer o que estava acontecendo!

—Lauren, você já pode ver ela...-essas palavras soam como uma bela músicas para o meus ouvidos.

Não falo nada a não ser levantar-me rapidamente do colo de Waltz assustando-a.

—Dinah, muito obrigada por ter vindo comigo e ficado aqui até agora. Mas já pode ir descansar, eu vou ficar!

—Lauren, tem certeza que não quer que eu fique?

—Não meu amor, quero que descanse, e não se esqueça que tem que contar a Normani, afinal, as duas são melhores amigas, ela também precisa saber.-me aproximo dela e beijo seu rosto.—Um último pedido, avise a Ally que eu dormirei aqui essa noite e que não poderei pegar Sofi hoje, eu sei que ela vai entender...

—Ta bom, eu ficaria com ela, mas Ally também cuida muito bem e agora preciso avisar a Mani, ela vai ficar tão mal...

—Você consegue acalma-la, conseguiu até a mim. Agora vou lá antes que eu enlouqueça, tchau meu amor, obrigada mais uma vez... Tyrone, não esqueci de você, muito obrigada por ficar até agora também, nem era sua obrigação e ficou de bom grado.-aperto a mão do rapaz dando um sorriso simpático e ele retribui.

Dou as costas ao dois e vou com o doutor, não consigo fazer mais nada além de apressar o médico para que possamos chegar logo no quarto. Quando isso acontece e já estou parada do lado de fora, peço para que nos deixem sozinhas...

—Ok, mas qualquer coisa que acontecer você chama ou aperta um botão que tem do lado dá cama que eu venho rápido...

Assinto e vejo-o dando as costas a mim e saindo. Abro a porta vagarosamente com os olhos fechados, estou com medo do que vou ver... Quando entro no quarto um arrepio percorre meu corpo, a corrente de ar gelado que passa por ele faz com que o clima pareça com um filme de terror.

Lá está ela, tão frágil, deitada nessa maca desacordada, com todos esses tubos ligados. Em passos rápidos fico perto de Camila, pego sua mão extremamente gelada e começo acaricia-la.

—Oi Camz...-dou um beijo na mesma.—Eu sei, meio hipocrisia minha te chamar assim sendo eu causei isso!

Meus olhos começam lacrimejar. Mas dessa vez nem tento segurar o choro. O fato é que todas essas notícias que recebi esses dias estão acumuladas aqui, na minha mente e onde mais dói, no coração. Mesmo com tudo que chorei, não consegui me expressar de alguma maneira que conseguisse colocar tudo para fora. E esses sentimentos estão formando uma bola que está crescendo mais e mais. Mas no meio de tanta coisa ruim, no fundo, bem lá no fundo existe uma coisa boa. Algo que eu nunca imaginaria que aconteceria comigo, não agora, não com essa pessoa, não nessa situação. Porém não estou certa se é isso mesmo ou se é apenas pelo momento. Estou confusa...

Observo Camila de cima a baixo, ela está coberta com um lençol dá cintura até os pés. Sua barriga está descoberta e toda a parte de cima também, usa apenas um topper branco... Em volta do seu umbigo tem alguns arranhões, uns profundos outros nem tanto. Em seu peito há fios ligados a um aparelho que mostra seus batimentos cardíacos. Vou para o seu rosto, esse está judiado, seus lábios ressecados com alguns cortes dão pena, o olho esquerdo meio roxeado mostra que a pancada foi forte...

Algumas lágrimas grossas começam a cair em minha face. Descem quente expressando tudo que estou sentindo. Deus, onde o senhor está agora? Por quê você me abandonou? O que eu te fiz para me fazer assim tão infeliz? Eu... Eu devo continuar acreditando no senhor?

(Dêem play na música e acompanhe com a tradução que vou colocar aí...)

Como você pode questionar a existência de Deus
Quando você pergunta ao próprio Deus?
Por que você iria pedir a ajuda de Deus
Se você não aceitaria a ajuda?

Se você for embora, eu precisarei de você
Se você for embora, então como tudo isso poder ser real?
Quando estou de pé, eu acredito em você
Quando não estou, nem pareço sentir meus joelhos.

Como você pode me dizer que sou importante
Quando eles me mastigaram, cuspiram, mijaram em mim?
Por que você me diria que isso é destino
Quando eles riram de mim, todos os dias, na minha cara?

Eles dizem que o fim está chegando
Mas o fim já está aqui
Eu disse que hoje não passa de um rumor
Que vamos rir disso em um ano
Ou dois, ou três, ou quatro, ou cinco, que seja

Se você for embora, eu precisarei de você
Se você for embora, então como tudo isso poder ser real?
Quando estou de pé, eu acredito em você
Quando não estou, nem pareço sentir meus joelhos

Como você poderia dizer que sou importante
Quando eles me mastigaram, cuspiram, mijaram em mim?
Por que você me diria que isso é destino
Quando eles riram de mim, todos os dias, na minha cara?

Como? Oh

Como você poderia dizer que sou importante
Quando eles me mastigaram, cuspiram, mijaram em mim?
Por que você me diria que isso é destino
Quando eles riram de mim, todos os dias, na minha cara?

Como?
Como você poderia dizer que sou importante?
Como?
Como você poderia me dizer que isso é destino?
Como?

—Eu não queria que tivesse acontecido isso Camila, eu juro... Bastava a gente conversar porra? Eu sei que na hora não te deixei falar, mas era por que estava com raiva. E você simplesmente podia ter conversado comigo antes, sua idiota!-coloco agora as duas mãos em seus braços e começo balança-la.—Agora você está aí, machucada, em coma, sem saber quando vai acordar... Não me deixa Camila, por favor...
Levanto-a um pouco e me sento na cama, puxo-a pra cima e deixo sua cabeça em meu peito, passo meus braços em volta do seu corpo com cuidado por causa dos aparelhos, começo um carinho em seus cabelos, dou um beijo calmo na lateral de seu rosto. Eu não sei nem se poderia estar fazendo isso, mas preciso desse abraço, preciso senti-la perto de mim, sentir seu corpo, seu cheiro natural... Eu preciso dela!

—De novo não Camz.-aperto-a um pouco mais como se alguém a qualquer momento pudesse tira-la de mim.—Você e Sofi são tudo que eu tenho agora. Pense nela, pense em mim, não nos deixe. EU NÃO QUERO TE PERDER! Não posso perder mais ninguém que eu ame.... 

 


Notas Finais


E então? Gostaram?
O Link dá música, caso não tenha como entrar por aqui, procurem no YouTube.
How-The Neighbourhood

https://youtu.be/TkeQzC5w_As


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...