História 「Asas De Vidro」Jikook - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook
Exibições 83
Palavras 1.521
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura. <3
Obs: Nao foi revisada.

Capítulo 2 - Dimensões Paralelas


Fanfic / Fanfiction 「Asas De Vidro」Jikook - Capítulo 2 - Dimensões Paralelas

Jimin POV:

-Jiminie. O quê foi? -Ele pergunta enquanto eu tranco a porta.

-Nem eu sei. -Falo jogando a chave em um canto qualquer.

-Você está louco? E se a gente perder a chave? Aish! -Ele corre pra pegar a chave de volta.

-E você se importa com isso Hoseok? Tem um bando de assasinos nos procurando, e você se preoculpa com uma chave?

-Ué! Como que a gente vai sair depois? -Ele a limpa.

-A gente não vai sair, caramba. -Eu me sento em uma cadeira e apoio a cabeça na mão.

-P-Perai... Assasinos? -Ele fala se aproximando de mim. -Pode me contar tudo, Jimin. -Ele bota a mão na cintura e transmite um medo só pelo o olhar, o tipico "olhar de mãe".

-Aish. É complicado. -Bagunço os meus cabelos, nervoso.

-Me conta logo! -Ele altera a voz e se agacha na minha frente.

-Tá... É aquele menino, ele apareceu do nada na cozinha... -Engulo em seco. -Ele disse que era pra gente se esconder o mais rápido possivel, por que tinha assasinos nos procurando e... -Falo rapido.

-Aish! Jiminie, você acredita em uma idiotice dessas? -Ele sorri. -Dai-me paciência. -Ele se alevanta e vai em direção a porta.

-Não, Hoseok. Por favor, não vá. -Seguro o seu pulso.

-Você está me assustando! Para com isso, Jimin! -Eu o seguro mais forte e ele me olha irritado. -Eu disse pra parar! -Ele grita e joga o seu braço pra cima, no objetivo de se soltar, ele acaba batendo com o cotovelo bem no meu nariz. -Ai, Jimin, desculpa! -Ele arregala os olhos e vem em minha direção.

-Aish. -Falo e boto a mão rapidamente no local.

-Tira, Jimin. Deixa eu ver. -Ele segura o meu pulso, abaixando-o.
Olho pra minha mão e vejo sangue nas minhas mãos. -Aish. -Ele balança a cabeça e vai em direção a um armário, tirando de lá um lenço.
Eu abaixo a cabeça e coloco a mão no nariz. -Vem aqui, Jimin. -Olho para ele e o sigo.

Suspiro pesadamente enquanto ele me limpava cuidadosamente.

-Está doendo? -Faço sinal de mais ou menos com a mão. -Me desculpa. -Ele larga o lenço no balcão e me abraça.

-Tudo bem. -Rio fraco. -Não foi nada. -Falo logo me distanciando.

-Olha, Jimin. Eu... -Ele desvia o olhar e eu apenas o olho com um brilho no olhar.
Eu quero que ele falasse "Me desculpa por desconfiar de você, vamos ficar aqui."

Mas... Agora que eu parei pra pensar... Por quê eu confiei naquele menino mesmo?

-Quê foi, Jimin? -Olho para ele novamente que tinha um semblante preoculpado.

-Vamos... Sair logo daqui. -Abaixo a cabeça e caminho até a porta. Sinto ele pegar na minha mão.

-Se você confia mesmo naquele menino... -Olho pra ele novamente e encaro um ponto aleatório em seguida.

-Eu não confio. -Sorrio.

Mas eu não estava confiante, e muito menos com coragem de abrir aquela porta.
Seguro forte a maçaneta e minha cabeça se alevanta rapidamente ao ouvir o barulho de alguém batendo desesperadamente na porta.

-Jimin, abre. -Hoseok fala. Olho pra ele e o mesmo estava paralisado olhando pra porta. Seu olhar para em mim e ele faz um sinal positivo com a cabeça e sorrindo em seguida.
Rodeio rapidamente a chave e a porta abre rapidamente fazendo com que eu quase caisse pra trás, mas por sorte Hoseok me segura.

-Jimin. -Fala aquele menino novamente, do mesmo jeito que ele estava hoje de manhã.

-O quê você quer com o Jimin, em? Quem te deu permisão pra entrar aqui? -Hoseok fala irritado partindo pra cima dele, mas eu o seguro.

-Olha, eu não quero nada com o Jimin. Eu sei que você pode achar estranho, e achar que eu sou um completo idiota. Mas eu vim falar que um vim de uma Dimensão Paralela a essa. E eu... -Ele fala apressadamente e ofegante. -Eu... Eu não sei o por quê estão mandando te matar, Jimin. -Ele olha para mim. -Mas dizem que você tem uma ligação com a borboleta de asas de vidro.

-Borboleta de asas de vidro? -Pergunta Hoseok sarcástico.

-E por quê você está nos ajudando? -Finalmente questiono.

-Eu faço parte do BWGP, onde todos os qualificados tem de proteger os seres humanos que tem esta "ligação" a esse fenômeno. É uma causa rara, então como eu sou o primeiro qualificado e o mais habilidoso com esse tipo de coisa, eles mandaram apenas eu te proteger, Jimin. -Ele se aproxima de mim e bota a mãos nos meus ombros.

-E... Quando que eles vão parar de me perseguir? -Pergunto com um pouco de receio.

-Até... -Ele sorri. -Aniquilarmos todos eles.

-Isso é muito confuso. -Hoseok sussura olhando para baixo.

-Vocês já podem sair. A área está limpa. -Ele se distancia de mim, abrindo a porta. -Vocês me dão a permissão de ficar os vigiando?

-Tanto faz. -Hoseok dá de ombros, subindo as escadas. -Mas vê se não olha por trás da janela, vai que eu estou pelado lá. -Ele sorri.

-Eu não faria isso. -Ele fala dando uma risada fraca e olha para mim novamente.

-Eu ainda não sei o seu nome. -Falo botando a mão na cintura e pendendo a cabeça pro lado.

-Jungkook. Mas pode me chamar de kookie. -Ele coça a nuca, corando. -É ridiculo, mas todos me chamam assim.

-Que nada. É fofo, kookie -Sorrio minimamente e ele retribui.

-Ahm... Eu... Eu irei pra fora então. -Ele dá as costas pra mim e eu o sigo. Quando eu abro a porta, eu seguro seu ombro.

-Eu... -Olho pra baixo. -Você vai ficar bem lá fora? Não quer passar a noite aqui?

-Eu recuso. -Ele ri fracamente. -Você me conheceu agora, Jimin. Como pode confiar em mim assim, tão rápido?

-Sei lá... Meio que você me passou um pouco de confiança. -Eu olho para ele, o mesmo me olha e fica alguns segundos em silêncio.

-Mesmo assim, eu não quero te atrapalhar. -Ele sorri, mostrando aquele tipico sorriso de coelho. -Boa noite. -Ele desce as pequenas escadas do jardim. Ele se senta na calçada da rua e pega um papel de seu bolço.

Eu fecho a porta e me encosto na mesma.

-Isso é loucura. -Sorrio. -Eu nen acredito nisso... -Passo a mão no meu cabelo e me desencosto da porta, subo as escadas e caminho até o meu quarto.

Jungkook POV:

"Oi, meu coelhinho.
Aqui é a sua omma.
Eu tentei de várias maneiras te mandar essa carta, me desculpe por não conseguir te mandar quando você não estava caçando aqueles idiotas, eu sei que você anda oculpado.
Eu me orgulho de você filho, por tentar proteger os que restaram da nossa espécie. Eu te amo muito, meu bebê. Eu sei que você não gosta de eu te chamar assim, mas você sempre será o meu bebê. Você cresceu tão rápido, e durante esse tempo, parece que acabamos nos separando ainda mais, não é?
Espero que você esteja bem, com esse lindo sorriso de coelhinho que eu sinto falta, e saúde.
Filho, eu sei que pode ser um peso a mais pra você, mas você poderia fazer um favor pra mim?
Já que você voltou pra Terra, poderia visitar o seu pai? Ele anda bem doente, e com muita saudade tua.
Por favor, meu amor, faça isso por mim.
Beijos. "

Dobro a carta ao meio e a boto no bolço da calça.
Eu não quero e não posso visitar o meu pai, depois de tudo o que ele já me fez passar.
Mas eu não irei decepcionar a minha Omma.

Não desta vez.

-Jungkook. -Ouço aquela voz conhecida e me viro para trás. -Você... Está chorando? -Ele estava de roupão e esfregando os olhos com as suas mãos pequenas. Seus cabelos bagunçados e sua voz de sono.

-Eu... -Sinto uma lágrima molhar a minha mão. -Não acredito que eu estou chorando. -Rio fraco, secando as lágrimas.

-Tudo bem, kookie. É normal as pessoas chorarem. -Ele se senta do meu lado e sorri, fazendo com que os seus olhos desapareçam.
Sorrio com isso.

-É... No meu mundo não... É considerado vulgar e desrespeitoso. -Olho para o chão.

-Oquê!? Tá falando sério? -Ele ri.

-Sério. -Olho para cima e observo os pequenos pontos de luz no céu. -Aqui... O céu é tão bonito. -Sorrio. -O quê isso? -Me assusto ao ver um ponto deixando um rastro de luz no espaço.

-É uma estrela cadente. Faça um pedido. -Ele sorri apontando para a mesma.

-Um pedido? Hum... -Penso um pouco. -Eu... Quero ver a minha mãe... -Sussuro e sinto lágrimas em meus olhos novamente. Jimin me encara e sorri. -Agora é a sua vez. -Falo para o mesmo, que ri.

-Ah, kookie. Uma estrela cadente só realiza um único pedido e...

-Pede logo. -Seguro a sua mão.  Ele suspira e olha para o céu.
Ele fecha os olhos e sente o vento fraco se bater contra a sua pele, e fazendo com que os seus cabelos voarem levemente.

-Eu quero a minha familia de volta. -Ele sussura calmamente e percebo lágrimas escorregando pela a sua pele. Ele sorri levemente e segura forte a minha mão.

Continua...


Notas Finais


Até amanhã.
😽😽


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...