História Asas negras - MITW - Capítulo 30


Escrita por: ~

Exibições 164
Palavras 1.008
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OINN <3

Espero que gostem <33

Capítulo 30 - Dois dias - 11


Fanfic / Fanfiction Asas negras - MITW - Capítulo 30 - Dois dias - 11

Pac começava a se sacudir, eu pensei em pedir ajuda... Mas, não posso. Eu tenho que fazer alguma coisa para acordá-lo, levantei ele da cama, mas na hora que levantei ele, levantei sua blusa junto, e vi um símbolo na sua barriga.

 

[ ... ] 

 

Observei o símbolo, era escuro, como se tivesse selado... Olhei para ele e vi algumas lágrimas escorrendo do seu rosto... Isso dói em mim, eu não sei por que, apenas dói vê-lo assim. Triste e sofrendo, isso me machuca. Já esta de noite e eu não sei oque eu faço, eu não posso sair daqui e simplesmente chamar alguém, eu preciso esperar ele acorda automaticamente.

 

 P . O . V   "Tarik"

 

Parece que ele está caindo no meu jogo, está funcionando como o esperado... Ele vai aceitar a minha ajuda e logo em seguida trocarei de corpo com ele... E poderei matar o Lange, é uma das coisas que eu mais quero, mas... Se isso acontecer, pode virar uma guerra, matar um demônio é uma coisa meio que proibida, principalmente se for um dos herdeiros de satanás... Ele não descobriu sua força, isso pode ser bom, pois ninguém vai protegê-lo pelos meus cálculos, ele não possuía ninguém além do Pac e do cachorro.

- D-Dois dias? – Ele falou e logo em seguida suspirando e ficou me olhando pensativo, vamos, vamos.

- Um dia – Ele falou com firmeza, vou ter que manipular ele para ele pensar, ou seja, chantagem emocional, melhor coisa que eu sei fazer.

- Se eu passar um dia, no outro dia seguinte você terá que ver os rostos deles dois, e eu sei que você não quer isso. – Falei, eu sei a fraqueza dele, sei que ele quer da um tempo para pensar, acha que foi traído.

- Então... Ta bom irei trocar com você, mas quero fazer uma pergunta. – Ele falou e logo em seguida acabei sorrindo, caiu.

- Fale.

- Eles vão saber que é você? – Ele perguntou. Olha, na verdade eles vão saber que sou eu sim, pois trocamos de corpo, mas nossos pecados continuam os mesmos. Tipo, se eu matar alguém no corpo dele, as asas dele vão continuar da mesma cor, pois nossos corpos são os mesmos, mas nossas almas são diferentes.

- Sim, eles vão saber que sou eu, mas isso não vai ser nenhum problema – Afirmei. – Então... Vamos trocar? – Perguntei sorrindo.

- V-Vamos

 

P . O . V   Mikhael Linnyker

 

Eu estava pensando o tempo inteiro em como acordá-lo até que eu vejo ele se movimentar lentamente e piscar os olhos com força. Não é o Pac, primeira coisa que eu reparei eram suas asas, que estavam negras.

 

P . O . V  "Tarik"

 

Pisquei os olhos com força, sentei na cama respirando fundo, meu plano deu certo, finalmente conseguirei fazer oque tem que ser feito.

Olhei para frente e me surpreendi com aquele cachorro me olhando fixamente, desviei o olhar, não gosto dele me olhando assim, da raiva. Eu o odeio.

- Oque é? – Perguntei reparando que ele não tirava os olhos de mim, já estou sem ficando sem paciência. Me levantei lentamente da cama ficando de pé.

- Vai ficar olhando por quanto tempo, cachorro? – Falei já em pé, me espreguiçando, ele se levantou da cama e ficou de frente para mim. Segurou meus ombros firmemente.

- O QUE VOCÊ FEZ COM ELE? – Ele me perguntou me empurrando até a parede, senti minhas asas baterem contra a parede, não doeu, não doeu...

- O QUE É QUE VOCÊ QUER ANIMAL? AGRADEÇA ESTOU FAZENDO UM FAVOR A ELE E A VOCÊ! – Falei igualando o meu tom de voz igual a ele. Quem esse puto acha que é? Estúpido! Cachorro! Imundo!

- Um favor? Me faz rir pelo amor de Deus! Quem você acha que é para mandar na vida dele?

- Você fala da vida dele, e nem cuida da sua própria, pelo menos ele tem sentimentos, e não fica comendo nenhuma outra pessoa! IDIOTA! – Eu falei e gritei quando chamei ele de idiota, estou com vontade de matar ele, mas por algum motivo, eu não consigo fazer nada contra ele... Mas, eu o odeio.

- Argh, não vale a pena discutir com você. – Ele falou saindo da minha frente e se jogando na cama. Agora eu me irritei.

- Eu juro que vou te matar! – Falei indo na direção dele, mas por um deslize meu, ele acabou me puxando junto pelo pulso, me fazendo cair na cama, ele ficou na minha frente eu estava deitado em baixo dele, as pernas dele ficavam envolta da minha perna, e ele segurava minhas duas mãos juntas. Eu sentia sua respiração bater contra a minha, e a única coisa que eu sentia naquele momento era raiva. Mas por segundos, ela foi substituída por outra reação que nem eu mesmo sabia oque era.

- Então... Me mata – Ele falou sorrindo, os dentes dele eram bem brancos. Sua boca era fina e parecia bem macia.

- Não tente me irritar – Falei e por mais um descuido, acabei sorrindo. Não posso sorrir, eu não sou assim. Espero que os sentimentos do Pac não estejam sendo passados para mim. Não temos o mesmo sentimento, somos opostos então é impossível.

- Estou te irritando?

- Possivelmente sim.

- Possível? – O.K ele está tentando me irritar, não vai conseguir.

- Possível. – Afirmei.

- Achei que era impossível.

- Achou errado. – Falei curto e grosso.

- Já pode sair? – Falei me referindo a posição que estávamos, era bem estranha.

- Não estou afim.

- Está querendo me seduzir? – Falei, acabei deixando um sorriso escapar.

- É possível te seduzir? – Ele disse.

- Provavelmente sim.

- Achei que não tinha sentimentos. – Ele falou

- E não tenho... Cachorro.

- Então não há problema ficarmos assim – Ele falou sorrindo, olhei novamente para seus lábios e ele reparou, mas ficou quieto.

- Ei... – Ele falou e prestei atenção novamente em seus olhos...

- Então porque seu coração está batendo tão rápido assim? – Ele falou e pela primeira vez... Percebi o quanto seus olhos eram bonitos...

 

 

 


Notas Finais


Nada a comentar
heuheuehue

;-;
OONTW ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...