História Ascendente em Peixes - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Amiguinhos Retardados, Chanbaek, Louca Dos Signos, Match Astral, Menção Suchen, Sesoo, Signos
Exibições 396
Palavras 2.754
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, meus queridos!
Estou aqui com uma historeta novíssima pra vocês com um tema bem legal, né não? Eu sei que vocês amam essas coisas de signo, assim como eu fico doida querendo saber o mapa astral de todo mundo que eu conheço.

Leiam as notinhas finais para alguns esclarecimento necessários, ok?
E boa leitura, meus ciganinhos.

Capítulo 1 - Festa de Virgem


 

FESTA 1 - VIRGEM

 

Depois de quase cinco horas de festa, pessoas grudando uma nas outras, bebida barata e uma decepção astrológica, estou eu, Byun Baekhyun chorando enquanto como minhas batatas no Mc Donald’s. Bom, claramente eu tenho um motivo para chorar e eu juro que não tenho lua em câncer, nem em peixes. Minha lua é em gêmeos! Eu sou do tipo sensível, bruto, mas sensível e perdidamente apaixonado por um carinha que sequer sabe que nosso mapa astral combina em níveis tão altos que já planejei o nome dos nossos filhos. Eu não queria estar me empanturrando de batatinhas fritas (na verdade eu sempre quero me empanturrar de batatinhas fritas; sou taurino, oras), mas a vida é dura pra quem é mole, já dizia minha querida mãe e eu sou tão mole que nem sequer consigo olhar direito nos olhos do meu prometido pelas estrelas. Meus amigos costumavam me achar estranho com todo esse papo astral. Não que hoje eu não seja motivo de risadas ou referência pra qualquer parada esquisita, mas eles aprenderam a lidar com isso de uma forma um pouco mais madura. Quer dizer, não tão madura já que ainda sim eles duvidam das minhas capacidades astrológicas infalíveis de conquistar os amiguinhos bonitos.

                Eu não sei como eu sei, mas eu só sei que eu sei: o mundo é movido pelas estrelas e as estrelas dizem que nosso futuro é certo. E o triste presente também, que no momento preferia estar vendo algum pornô bacana a ter que lamentar a minha falta de culhões para beijar a boca dos meus sonhos. Nem bêbado eu consegui, imagine se eu estivesse sóbrio e com aquela mania ridícula de fazer bochecho com a própria saliva. Eu sou um cara que nasceu pra se foder. Meu pai abandonou a gente quando eu tinha uns seis anos, minha mãe é excluída de todos os eventos sociais da cidade e recentemente apelidada de “madame tinhosa” pelos vizinhos; isso só porque ela vende incenso e às vezes lê tarô na feirinha de domingo. Imaginem quando souberem que quando bebe demais tem tremeliques e começa a prever o futuro? Com certeza viraríamos a nova Salém do século vinte e um. Mesmo lunática, minha mãe é uma ótima pessoa e libriana pura, então me sinto confortável com ela e com suas pedrinhas coloridas embaixo da mesa de jantar.  Se não fosse por ela, eu não seria essa pessoa incrível que eu sou hoje. Esbelto, lindo, cintilando em baixo de qualquer céu, sorriso encantador, lábios de mel e olhos tão profundos quanto os mares célticos... Humildade não é comigo, mas eu costumo colocar a culpa no meu ascendente em leão.

                Meus amigos estão no presente momento, apenas recapitulando, assistindo minha terrível lástima banhada de ketchup e sal na ponta dos dedos depois da nossa aventura na festa mensal dos signos. Esse mês era a de virgem. Eu arrastava Kyungsoo e Sehun, meus melhores e piores amigos, para todas as festas com essa temática astrológica, nós até ganhávamos broches de signos pra sair por ai procurando uma boca compatível de acordo com o horoscopo. Kyungsoo não acredita nessas coisas de mapa astral e signos (típico de capricorniano), já Sehun usa da minha sabedoria astrológica para se dar bem com as garotinhas inocentes e piscianas. Pobres almas, mal sabem que estão lidando com um ariano feroz. Na maior parte do tempo estou sendo martirizado pelos meus amigos ou sendo obrigatoriamente consolado com tapinhas nas costas e piadinhas de macho.

- Baekhyun, eu ainda não entendo porque você leva tão a sério essas coisas.

- É porque você não entende a gravidade do assunto. – Eu estava um pouco, talvez demais, bêbado e falava tão alto e com um choro entalado na garganta que Kyungsoo olhou para os lados morrendo de vergonha. Não o culpo, mas se ele prestasse mais atenção, aquele lugar estava cheio de bêbados batendo a larica de fim de role.

- A única gravidade aqui vai ser a do seu estômago. Eu não quero ver quando tudo isso sair da sua boca e for pro chão.

- Que nojo, Sehun!

- Eu estou falando sério, Soo. O Baekhyun tá verde! Olha a cara verde dele.

Minhas bochechas foram pegas pelas mãos geladas do meu amigo, quase tive um choque térmico e Kyungsoo me encarava com certo nojo.

- Verde. – Concordou o capricorniano.

- Tira essas mãos heterossexuais de mim, Oh Sehun! – estapeei meu amigo e voltei minha atenção a Kyungsoo a frente, apontando uma de minhas batatas, continuando:

- E você só diz isso porque não admite que gosta daquele cara.

- Eu não gosto dele.

- Gosta.

- Não gosto.

- Claro que gosta.

- De que cara vocês estão falando? – Sehun perguntou confuso, tomando um gole do seu suco de laranja que ele acreditava ser saudável. 

- Kim Jongin! – gritei e levei um chute por de baixo da mesa por parte de Kyungsoo.

- Kim Jongin? – Sehun não continha o riso no rosto - Aquele Kim Jongin?

- Aquele Kim Jongin.

- Tá bem na fita, hein Kyungsoo? Até eu pegaria Kim Jongin. – Sehun cutucou meu amigo com um sorriso torto nos lábios, recebendo um empurrão bem bruto por parte do outro.

- Você beija qualquer coisa que se mexe, Sehun.

Kyungsoo murmurou revirando os olhos e eu não compreendia aquela teimosia toda. Ele não tinha nada, absolutamente nada em touro no mapa astral dele. No máximo um áries aqui e outro virgem ali, mas o bicho era mais teimoso do que eu.

- Você gosta dele, Soo. – continuei a implicar.

- Eu não gosto.

- Mas eu fiz o seu mapa astral e o dele, super combina.

- Mas eu não gosto dele!

- Gosta sim, é por causa da sua lua em libra.

 - Isso não é nada científico.

- A ciência ajudou você ficar com alguém até hoje? – rebati com total autoridade no que estava falando, até levantei um pouco a bunda da cadeira. Estava imponderado.

 - Não, mas...

- Então, meu mapa astral vai te ajudar a conquistar o Jongin.

- E por acaso seu mapa astral já ajudou você a ficar com o Park?

Filho de uma puta desgraçada e sem tampa na panela! Desculpe tia Do, mas o seu filho é um perfeito de um manipulador barato, sem vergonha, uma homenzinho ruim e sem coração! Um capricorniano frio e extremamente perverso. Tinha que mencionar justo ele agora?!

- Hoje não, mas nosso amor está escrito nas estrelas. Eu não tenho culpa dele ser um sagitariano demente. E pessoas com sol em sagitário são bem lerdas.

Sehun me olhou divertido e eu com toda minha delicadeza de elefante, perguntei o que caralhos era aquele sorrisinho nojento nos lábios heterossexuais dele.

- Eu sei bem o seu mapa astral, Baekkie.

Argh. Odiava quando ele me chamava assim. Parecia até que eu tinha um primo caipira com uma paixonite aguda pelo garoto da cidade grande.

- Sério? O que é? – perguntei nem dando tanta bola.

- Fogo no rabo.

- Há, Há! Muito engraçado. – emburrei ao ver meus dois amigos rindo que nem retardados. Kyungsoo mal conseguia se conter, parecia um pimentão de tão vermelho!

- Baekhyun tem lua em quero dar. – o capricorniano metido a aquariano engraçadinho resolveu entrar na onda. Joguei algumas batatinhas neles enquanto tentava inutilmente manter a compostura dentro daquele estabelecimento respeitado.

- Idiotas! – berrei – Eu ainda vou me casar com Park Chanyeol.

- Mas é sério, Baekhyun, esse teu amor platônico perdura há quase um ano. – Kyungsoo fez aspas ao proferir a palavra platônico; meu amigo capricorniano era um espertinho miserável e cético, sabia que o termo estava errado, mas ainda sim queria pagar de sabichão na frente de um bêbado triste e deixar claro o seu uso do senso comum... Metido.

- Não use Platão em vão. – provoquei o vendo revirar os olhos. – Sagitarianos são espíritos livres, eles só precisam ser laçados do jeito certo.

- E como você vai fazer isso, vaqueiro?

Olhei bem fundo em seus olhos e lhe apontei uma batata frita. Eu estava tão bacana, queria poder gravar minha fala seguinte.

- Esqueceu que eu sou taurino, amor? – Eu sou um gênio, é oficial. Vacas, touro, vaqueiro, laçar... Pisquei para Kyungsoo e logo depois vi aqueles olhos enormes ficarem o dobro do tamanho. Isso só poderia significar uma coisa, e quando digo coisa, ela tem um metro e oitenta e quatro de altura, orelhas salientes e uma boca proibida. O demônio dos meus sonhos e meu inferno na terra.

- E aí, gente.

                Park Chanyeol tinha essa vibe, todo mundo parava para olhar o que ele estava fazendo, mesmo que simplesmente respirando ainda sim era mais interessante do que qualquer coisa. Até minhas batatinhas fritas se tornaram banais quando aquele perfume entrou no meu nariz, seu braço tocou levemente no meu e eu pude sentir meu estômago embrulhar de verdade. Conheci Chanyeol há alguns meses num sarau enquanto estava sentado na calçada esperando Sehun tomar vergonha na cara e parar de engolir uma menina atrás do poste. Foi amor a primeira vista, algo que até hoje não consigo explicar quando ele sentou ao meu lado e puxou assunto; elogiou meu cabelo (na época estava cor-de-rosa) e disse que me conhecia de vista. Descobri mais tarde que ele estudou com Sehun no ensino fundamental, namorava uma menina bem feia e fresca (ela se recusou a comer pizza congelada! Maior heresia que eu já presenciei), queria ser músico e potencialmente lerdo. Depois do término com a namoradinha, eu parti pra cima, só que o bichinho é tão devagar que até ele perceber minhas investidas, o genocídio negro haverá sido exterminado do planeta.

Ah, mas tão lindo...

- Gostou da festa, Chanyeol? – Sehun perguntou roubando uma de suas batatas.

- É demais, vocês deveriam ter me convidado antes!

- Nós convidamos... – murmurei e o Park arcou uma sobrancelha em dúvida, mas apenas neguei com a cabeça e voltei as minhas queridas batatas frias.

- Do que estavam falando?

Ele perguntou com aquele sorrido lindo. Eu daria a vida do meu irmão por esse sorriso. Bom, se eu tivesse um irmão.

- Signos. – Kyungsoo disse seco. – Baekhyun estava enchendo a nossa cabeça com essas lorotas de novo.

- Ah, estavam falando sobre astronomia?

Tão lindo, mas tão burro.

- Astrologia. – corrigi com um sorriso amarelo.

- Eu sou de...

- Sagitário. – fui tão rápido na resposta que até meus amigos me olharam assustados e me senti um pouco acuado. Não que eu não curtisse esse lance de ser o centro das atenções, mas eu entendi que fiz um papelão.

- Isso. – argh, aquele sorriso bem na minha fuça! – Como você sabe?

- Tá no weibo.

- Tô.

É sério, ele é lindo, eu juro que ele é o ser humano mais lindo do universo inteiro. Park Chanyeol não precisa ser mais nada, só bonito.

- A sua data de aniversário, Chanyeol. – Sehun responde segurando um riso.

- Ah, é verdade!

                Houve um silêncio desconfortável, quer dizer, eu me senti no meio de uma bolha patológica de desastres pré-adolescentes e mãos suadas em baixo da mesa. Era como uma segunda puberdade ficar tanto tempo ao lado de Chanyeol desse jeito. Nem prestei muita atenção quando Sehun começou a puxar um assunto aleatório com ele ou quando Kyungsoo se desligou no seu celular, trocando mensagens, ouvindo áudios e não ligando para meus pedidos de socorros.

- E aí, Baekkie?

Puta que me pariu, viu, mãe?! Se com Sehun eu tinha a impressão de que ele era meu primo do interior, quando Chanyeol me chamava desse jeito eu me sentia uma cadela no cio.

- H-hn? – meu Deus, eu só sei passar micão.

- Curtiu a festa?

- Ah, estava...

- Ele tá puto porque não ficou com o cara que ele gosta. – Ah, então quando era pra me colocar na cruz a bruxa das trevas resolve se intrometer. Capricorniano traíra.

- É verdade, olha só a cara de bunda que ele tá. – Sehun completou, aquele cínico.

- Eu não sabia que Baekhyun gostava de alguém... Quem é, Baekkie?

Chanyeol me perguntou com todo aquele mel na voz e eu só tive vontade de socar a cara bonita dele.

- Um cara aí. – disse descontraído, ou tentando – Mas o mapa astral não colabora, o ascendente então... Mas ei, gente.

Todos olharam pra mim.

- Sabiam que queijo é horrível? 

Eu sou péssimo, eu sei.

- Que? – meus amigos me questionaram com rugas de noventa anos na testa.

- É sério, dá gazes. Faz super mal pro intestino. – disse seríssimo e convicto. É total verdade, lactose incha e te faz ficar parecendo um botijão de gás sem mangueirinha.

- Idaí, Baekhyun? – Kyungsoo revirou os olhos.

- Idaí, meu caro, eu vou viajar pra Busan nas férias e vou num open de queijo e vinhos. Pensa naquela onda de ar quente que virá no verão: sou eu explodindo ali em cima da sua cabeça.

                Kyungsoo me olhou com tanto nojo, tanto desprezo que por alguns segundos eu me arrependi de ter dito aquilo. Mas foi só ouvir aquela gargalhada tão gostosa ao meu lado que meu sorriso se fez na horinha! Park Chanyeol tinha uma risada alta, presente, grossa e tão contagiante que nem Sehun aguentou ficar sem rir. Eu poderia literalmente morar na risada do Chanyeol, era música para meus ouvidos. Música puríssima!

- Baekhyun, eu não sabia que você era tão esperto! – Chanyeol bagunçou meus cabelos, ainda sorrindo pra mim com aquelas fileiras de dentes branquinhos.

Recordo-me quando vi pela primeira vez aquele sorriso: a nota mental foi que ele me lembrava do Totoro. Fofo, grande e com um sorriso assustadoramente adorável.

- Você não existe, Byun.

- Olha, Chanyeol, quer ver se não sou só um sonho?

                Tentei parecer sério na minha cantadinha mal feita, mas Chanyeol só riu mais e levantou para jogar o resto do seu lanche fora. Fechei a cara imediatamente e Kyungsoo me olhou com pena, uma pena de mentirinha, porque ele adorava me ver sofrer. Minhas sofrências eram como as novelinhas mexicanas que ele assistia todo sábado de manhã.

- Querem carona? – Sehun mal esperou Chanyeol terminar de falar e já se levantou gritando que iria no banco da frente.

- Já que insiste... – Kyungsoo se levantou e eu acabei ficando por último, suspirando em cima das minhas batatinhas interminadas e ao lado do amor da minha vida. Chanyeol me encarou com aqueles olhos enormes e adoráveis, parecia uma criança curiosa enquanto assistia minha auto mutilação mental antes de levantar da cadeira da lanchonete e ficar a sua frente.

                Eu sempre me esquecia que ele era alto, absurdamente alto, eu parecia uma bostinha ao lado dele. Seus olhos abaixaram-se pra mim e por alguns segundos, nós dois nos encaramos e eu o imaginei se abaixando e pedindo minha mão em casamento. Quando ele sorriu de lado, eu engoli um grito na garganta e tentei parecer descontraído, mas Chanyeol se movimentou e eu dei um passo pra trás em total alerta: crush se aproximando!

- Gostei na nova cor. – Seus dedos passearam pelos meus fios negros, arrumando um pouquinho os teimosos que caíam sobre meus olhos.

- Obrigado. – eu estava quente, fervendo, borbulhando de felicidade e vergonha! Que horror eu nem parecia taurino confiante e garanhão.

- Ficou melhor do que o rosa, você combina com preto.

Chanyeol não parava de me elogiar, não tirava as mãos dos meus cabelos e eu sentia que iria vomitar se ele não fosse embora da minha frente. Que maravilha, vomitar na blusa preferida da paixonite seria tudo o que eu queria para fechar a minha noite com chave de ouro.  

E eu sei que é a preferida dele, eu só sei. Ele é apaixonado por Disclosure.

-Bom, - limpei a garganta – fiquei em dúvida se ficaria bonito com esse tom...

- Você ficaria bonito com qualquer cor, Baekkie.  

                Naquele momento eu jurei ter delirado, do tipo alucinado mesmo que Chanyeol havia me dito isso. Eu estava muito bêbado, estava com febres de quarenta graus e com uma rave no meu estômago! Gaguejei na hora de agrade-lo, tentei duas vezes falar alguma coisa, mas cada vez que eu tentava, mais ridículo eu parecia, eu fiquei nervoso, histérico, as conversas ao meu redor pareciam mais altas, o barulho do milk shake na máquina triturava os meus ouvidos, meus olhos embaçaram, minha garganta secou, meu coração grudava na boca e quando dei por mim, na primeira sílaba do seu nome, botei tudo pra fora.

Park Chanyeol se transformou no meu vazo sanitário.

 

 


Notas Finais


ESCLARECIMENTOS IMPORTANTINHOS (curiosidades tbm):
Essa história surgiu a partir de acontecimentos reais (sim!!!) que me ocorreram, ocorreram com amigos e etc. Me tomei como base total para construir o personagem principal e desenrolar a história (inclusive, ele tem o mesmo mapa astral que eu rs) e meus amigos. Aqui em sp tem todo mês a festa dos signos e eu vou t o d o mês (na verdade, praticamente todos) e eu sempre conto a Ma minhas aventuras, até um dia que ela pegou e me deu a ideia de transferir tudo isso pra uma história, achei um máximo porque tô viajando horrores com esse plot.

Postarei todo sábado. Serão três ou quatro cap, três ou quatro acontecimentos, três ou quatro frustrações do nosso Byun com seu crush em sagitarianos, hehe. Não planejo estender tanto.

E sobre a questão de asc, lua, vênus e blá blá eu fui no que me parece mais com a carinha deles aqui. Usei o signo sol como base, óbvio, mas ai de resto eu fui construindo os personagens e os moldando a minha necessidade.

ps: galera, o role no Mc Donald's é total verídico, passei o maior micão.

Até mais, ok?
ps: capinha feita pela Ma. ♥
Vocês podem me encontrar aqui: https://twitter.com/bouxian


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...