História Askov Taste Love - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, One Direction, Selena Gomez
Personagens Harry Styles, Justin Bieber, Selena Gomez
Tags Festa, Harlena, Harry Styles, Jelena, Justin Bieber, Romance, Selena Gomez, Triângulo Amoroso
Exibições 67
Palavras 2.224
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DEMOREI, EU SEI !!!! Tentarei não demorar no proximo.

Boa leitura <3

Capítulo 3 - Capitulo 2 - Apenas sua diversão


Fanfic / Fanfiction Askov Taste Love - Capítulo 3 - Capitulo 2 - Apenas sua diversão

  Jason parou o carro e desceu, abrindo a porta para mim. Desci e olhei em volta, não tinha carro nenhum, o que me fez franzir a testa. Olhei para ele e vi que estava com um sorriso no rosto, curiosa perguntei o por quê de seu sorriso e ele respondeu apenas que era um sorriso normal. Resolvi fingir acreditar e entramos. O local era um pequeno restaurante : poucas mesas redondas com um vasinho de flor no centro, lamparinas nas paredes e um lustre no meio do teto. 

  Ele puxou a cadeira e me sentei, vendo ele sentar-se também à minha frente, pegando o cardápio logo em seguida. Enquanto eu ainda escolhia, Jason ficou a olhar me mordendo o lábio inferior. Depois de escolhido os pratos, ficamos em um silêncio total observando as pessoas, mas de vez em quando podia sentir seu olhar sobre mim. A música de fundo era um som até que legal, mas não para um restaurante - talvez para uma festa seria melhor. 

 

  - O que foi ? Parece incomodada. - ele quebrou o silêncio depois de uns minutos. 

  - Claro que estou incomodada, Jason. Você fica me olhando assim toda hora, como se fosse me comer apenas com o olhar. - digo desviando o olhar para a outra mesa ao lado. 

  - Desculpa. - ele disse, ao dar uma risadinha. - Mas parando pra observar, você até é bonita mesmo. 

 

  Fala sério ! Ele disse que sou até que bonita - mesmo eu sendo linda, porém desleixada. Não sou desleixada, só não uso roupas de grife ou saltos altos como todas as idiotas da escola. Não sou obrigada. 

  O olhei com uma sobrancelha erguida, cruzando os braços sobre a mesa e ele colocou uma mão na mesa e a outra na perna, olhando-me também. 

 

  - Então não sou o seu tipo, é isso ? Porque pelo o quê você mesmo me disse, eu sou a melhor parceira de cama que você já teve. 

  - Não disse isso. Quer dizer, isso é você não ser o meu tipo. Na verdade, nem tenho essa coisa de "tipo de garota". - respondeu. 

  - Espera aí. Você está dizendo que só pega por pegar ? Não tem gosto ? Tipo específico ? 

  - Isso aí, Kheila. 

 

  Mais uma vez o silêncio é chefe entre nós, deixando um clima ruim. Finalmente a comida chega e começamos a comer. Estava boa, saborosa. Não o olhava enquanto comíamos, não gostava que me vissem comendo, e foi o que ele ficou fazendo : me olhava toda hora enquanto mastigava. Peguei minha taça com vinho branco e dei um gole, andando com os olhos até Jason. 

 

  - Para de me olhar, Jason. 

  - Você está bonita de maquiagem. Não vai assim pra escola por quê ? Chamaria atenção. 

  - Não sou as putas que você vê e pega na escola. E vou para estudar, não me mostrar para adolescentes com hormônios a flor da pele. 

  - Falando assim parece que você não é uma no meio de tantos adolescentes cursando o terceiro ano. 

  - Estou prestes a fazer dezenove, então já sou adulta. Você acabou de fazer 17. 

  - E isso faz com quê eu me pergunte todo dia : por que um adolescente ? Por que gosta de mim ? Porque vejo que, diferente das outras, você realmente gosta de mim. 

  - Não gosto de você, apenas o uso da mesma maneira que você me usa. - eu menti. Não iria deixar o garoto galinha da escola saber disso e se aproveitar. Ele franziu a testa, parecia surpreso. - O que foi ? Não gosta de ser usado como objeto sexual ? 

  - Tinha certeza que você gostava de mim. Tantas queriam estar no seu lugar e você me fala que não gosta de mim ? 

  - Eu gostei de você. - menti. Ainda gosto. - Principalmente quando fiquei com sua virgindade dois anos atrás. - dei um sorriso. 

  - Dá pra parar de falar isso ? 

  - Ok. Vou parar de falar que fui eu que iniciei sua vida sexual. Fala aí, sou a melhor né. - ele estava vermelho. - Mudando de assunto. Quantas já trouxe aqui ? 

  - Nenhuma. 

  - Mais de três ? - ele revirou os olhos e concordou com a cabeça - Eu o conheço, sei quando mente. 

  - Nada mal, Akley. 

  - Oito anos de conhecimento sobre você, não é mesmo ? - perguntei, e ele fez que sim. 

 

  Eu e Jason nos conhecemos quando ele tinha nove anos de idade, assim que eu e minha família nos mudamos para o lado da casa dele e desde então ficamos próximos. Mas isso mudou quando crescemos e eu comecei a frequentar o ensino médio. Jason disse que ele não era um bom amigo, que eu devia me afastar dele e fazer amizade com gente da minha idade - o que seria difícil pois eu já gostava dele. E foi aí que ele mudou. No ano seguinte, Jason começou o ensino médio. Ele havia mudado, tanto na personalidade quanto na aparência, e isso chamava a atenção das garotas oferecidas da escola, me deixando com ciúmes. Foi quando ele se tornou o Jason Edwards, o garanhão da escola. 

  Não podendo suportar isso, não ia à escola e também não saía de casa. Emagreci vários quilos e hoje em dia só saio para ir trabalhar, mas graças a Deus estou já superando isso. Principalmente agora que estou finalmente saindo em um encontro de verdade com ele, sem sexo, apenas eu e ele. 

  Fiquei feliz em sair com ele, mesmo sabendo que no final disso tudo eu iria me machucar e ele sairá com mais umas bilhões de garotas depois de mim. Mas também fiquei feliz por ele admitir que nenhuma garota faz sexo melhor que eu. Adoro. 

 

  - Vamos ? - perguntou colocando o dinheiro na mesa após recebermos o valor da conta. 

  - Sim. 

 

  Caminhamos pra fora e o céu estava nublado. Entramos no carro, liguei o som e olhei para ele. Tocava Halsey - Colors, amo essa música. 

 

  - Vamos onde ? - perguntei curiosa. 

  - Vamos em uma festa. Lembra do Max ? Aniversário dele hoje. - ligou o carro e saiu andando. 

  - Mentira ! O Max que comia cola no terceiro ano do fundamental ? Faz muito tempo, uns cinco anos. - ri lembrando dele. Ele era um porco que comia cola o tempo todo. Teve uma vez que ele comeu tanta cola, que ficou internado quatro dias e a turma toda o visitou, todos com um tubinho de cola na mão apenas para zoar com a cara dele. - Não acredito que ele ainda está vivo depois de tanta cola no organismo. 

  - Pois é. Mantivemos contato todos esses anos. Ele mudou. 

  - E nunca me falou ? Sinto falta de zoar ele e depois ele descontar em você. Era legal ver você não sabendo se defender, até porquê você estava no primeiro. - falava em meio aos risos. Realmente era engraçado ver Jason apanhando. 

  - Isso porque não era com você. - disse já irritadinho. 

 

  Continuamos a conversa e não paramos até chegar na festa. Era em um casa de um andar, porém parecia grande. O som dava para a ouvir do outro lado da rua, assim como as vozes das pessoas lá dentro, provavelmente todas bêbadas. Ele então pegou na minha mão, piscou e me puxou para si, agarrando minha cintura. Entramos na casa e Jason começou a cumprimentar várias pessoas, algumas eu até que conhecia. 

 

  - E essa garota aí, Jason ? 

  - Essa é a Kheila, amiga minha. - diz ele, olhando pra mim. Amiga. 

  - Só amigos, Jason ? Fala sério, não pode estar só na zona de amizade com essa gatinha. - olhei direito o garoto e o reconheci. 

  - Agora sou gatinha, Max ? Que estranho, não pensava isso anos atrás. - digo, cruzando os braços. - Garoto Cola. 

 

  Ele me encarou, provavelmente surpreso por eu ter falado seu antigo apelido. Sorri para ele e mostrei a língua. Realmente ele havia mudado, estava até mais bonito: ruivo sardento, os olhos mais verdes que antigamente, um estilo melhor e estava mais alto que eu. Ele me olhou de cima a baixo e riu. 

 

  - Akley ? Kheila ! Caramba, quanto tempo. Você cresceu, está bem hein. - coloca o braço em volta do meu pescoço. 

  -  Você também não está nada mal.

  - Nunca fui. - verdade. Convencido. - E o que há entre você e Jason ? - ele perguntou ao me puxar para o lado. 

  - Por que acha que temos algo ? Jason lá é garoto para ter algo sério com alguém ? 

  - Isso é verdade. Mas fiquei curioso e confuso ao vê-lo com uma garota como acompanhante em uma festa, normalmente ele sai da festa acompanhado, pronto para ir comer a garota. - pegou um copo com catuaba e limão e me entregou, dando um gole assim que peguei. 

  - Pelo amor de Deus, Max. E eu sou lá mulher de dar no primeiro encontro?

  - Sei lá.

  - Louco. A propósito, feliz aniversário. 

 

  Depois da conversa, continuamos a beber. Max socava bebida atrás de bebida na minha boca, e eu de algum modo adorava isso. A bebida sempre me ajudou a esquecer os problemas, muitas vezes a bebida em si fazia eu ter um problema, mas também era minha solução. 

  Eu já não estava mais sóbria. Estava apertada para ir ao banheiro, então puxei Jason e avisei ele onde iria. Entrei no banheiro e alguém entrou logo atrás apressado. 

 

  - Jason, quero fazer xixi. - digo e sinto mãos fortes em minha cintura, apertando-me forte. - Jason...Caralho.

  - Cala a boca. - disse ao pé do meu ouvido e senti meus pelos arrepiarem-se. 

 

  Não resisti. Ele logo abriu o zíper de meu vestido e eu retirei a camiseta dele, exibindo seu lindo tanquinho. Ele me colocou em cima da pia e começou a beijar meu pescoço, o que me deixou toda arrepiada, enquanto eu passava a mão em seu cabelo. Ele se abaixou e abriu as minhas pernas com as mãos, já sabia o que ele irá fazer, então não protestei ao sentir que ele havia tirado minha calcinha - até porque adorava sua língua. Gemia baixo sentia aquela boca em minha intimidade, lambendo, chupando e dando leves mordidas. Ambos já estávamos nus, suados por estar dentro de um banheiro quente. Ele chupava um dos meus seios enquanto apertava sem força o outro, depois ele subiu depositando beijos até chegar a minha boca, onde mordeu o lábio inferior e eu aproveitei e chupei seu lábio. 

 

  - Você com certeza é boa no que faz.

 

  Soltei uma risadinha e mordi sua orelha. Ele se apoiou com uma das mãos na parede ao meu lado e a outra segurava seu pênis, pronto para me penetrar. Antes disso, ele passou a cabeça por minha vagina e parou, penetrando-me lentamente. Um gemido saiu de minha boca mas foi abafado com um beijo de Jason. Edwards começou devagar os movimentos de vai e vem, mas logo foi aumentando, assim como os gemidos baixos de nós dois. Minutos depois, Jason já havia ejaculado, claro que foi fora, e saímos do banheiro como se nada tivesse acontecido, voltando a nos embebedar.

  - Você é a garota que o Jason pega só quando está na seca né ? - um garoto com o celular na mão disse. Ele olhava para mim e depois encarava o celular.

  - O que ? N-não ! Quem disse isso ? - já estava nervosa. Peguei o celular do garoto e li. 

 

  "Jason - Peguei de novo. Ela achou que nãi íamos transar hoje."

  "Eliot - Caralho, Jason. Eu que queria pegar ela. E ai, vai pegar de novo ?"

  "Jason - Claro que vou ! Ela é a minha salvação quando as outras não podem, ou quando eu não quero nenhuma. E além disso, ela é muito gostosa na transa. Não se esqueça que ela é minha diversão, sempre será."

  

  Engoli em seco já com lágrimas se formando nos meus olhos e fui até Jason e dei-lhe um tapa na cara. Ele ficou sem entender nada, mas tenho certeza que logo entenderá. 

 

  - Vai se foder, Jason. 

 

  Sai de perto dele e Max me segurou, perguntando o que houve, apenas respondi que não interessava a ele e sai da festa. 

 

  Era três da madrugada e eu andava sozinha na rua. Estava frio e o tempo continuava nublado, confesso que estava com medo. Tonta, me sentei na calçada em frente à um hotel e tirei o salto. Que alivio. 

 

  - Quer ajuda ?

 

  Com dificuldade, me levantei apoiando-me no poste e olhei a pessoa, eu com certeza o conhecia. 

 

  - Por que acha que preciso de ajuda ? - perguntei a ele.

  - Está na cara que você está bêbada.

  - Não estou bêbada. - falei e dei um passo em falso, caindo em seguida no chão. - Olha aqui, não se aproveite de mim, Martins.

  - Não vou.

 

  Ele me pegou no colo, me colocou no banco de trás do carro e partimos para um romo que não sei qual é. Estou no banco de trás de um carro, bêbada e indo para um lugar que não sei qual com um homem que mal conheço. Sou louca ?


Notas Finais


Desculpa qualquer erro <3

Link do trailer pra quem não viu : https://www.youtube.com/watch?v=tYHMlsDoSSk&t=1s

OBRIGADA MONAS <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...