História Assassina de aluguel- Yandere simulator - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Yandere Simulator
Exibições 35
Palavras 1.316
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Escolar, Hentai, Romance e Novela, Super Sentai, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Sem imagem por não encontrar uma boa

Capítulo 4 - Capítulo 4 (Assassino de Assassina)


Se eu dissesse o quanto a minha vida é normal.... estaria mentindo. São 3 e meia da manhã e eu já tenho que matar um indivíduo que nem conheço, exceto pelas informações que Info-chan me passou. Uma mulher chamada Sayona Yamada,  32 anos. Cabelos pretos, olhos da mesma cor. Dona de casa com dois filhos. Não sei porque devo matá-la, só que vou matar. Eu estava sozinha, e por algum motivo EU tinha que fazer isso. Ákira ficou em casa, e eu estava com uma faca e uma pistola no cinto. Usava o uniforme da escola mesmo. Se for pra estragar alguma roupa que estrague ela, não minhas roupas que uso diariamente. 

A mulher morava numa enorme mansão, era linda realmente. Parecia ter vários seguranças, então eu tinha que tomar cuidado. Pensa Ayano, como você vai entrar aí...

-Ayano?- AI MEU DEUS!

-Que foi?- Pergunto escondendo a faca rapidamente mas sem olhar para a pessoa.

-O que está fazendo na minha casa?

AI MEU DEUS É O TARO!

-É-é que.... É sua casa? Nossa é bonita.- Parabéns pela maravilhosa mudança de assunto. Idiota...

-Obrigado. Mas não sabia que você sabia aonde eu morava.

-A é que bom... você tem algum irmão, tio ou alguma coisa assim?

-Tenho. Como qualquer outra pessoa.- Ele diz desconfiado.-Moro com minha mãe Sayona e minha irmã Seya. Mas e você? O que faz aqui?- Ele pergunta docemente.

-Ah é que eu tava... de passagem sabe?

-Na frente da minha casa?

-Ah, é.... que como era sua casa, decidi dar um oi. Oi.- Dou meia volta indo embora. QUE MERDA QUE EU FIZ?! Eu travei cara.... Certo, agora tenho que pensar em um jeito de entrar numa mansão supervisionada e não ser vista pelo Taro e pela irmã mais nova... ai droga. Bom, parece que tem uma janela que dá para o segundo andar, mas tenho que dar um jeito das câmeras não me gravarem fazendo o que vou fazer. Pego a faca, e começo com uma câmera fácil. Corto os fios a desligando e passo para outra. Depois de terminar, dou um pulo apoiando meus pés na parede e chegando a janela, entro como se já fizesse isso a anos (e faço) Apesar de não ser o melhor e mais seguro trabalho né...

A janela dava para um longo corredor, com vários retratos do Taro e de outras pessoas que nunca vi. Eu preciso ser discreta, então para de ficar olhando as coisas e se concentre na missão Ayano. Passei pelo corredor e fiquei abrindo porta por porta. A Info me disse que a mãe de Taro é anti-social, e que vive trancada no quarto, depois de fazer as coisas da casa e tal, só tenho que tomar cuidado para não entrar no quarto do.....

-Tá de brincadeira....- Murmuro vendo o Taro dormindo quando abro uma porta aleatória. Ele era tão fofo dormindo.... Mas não. Eu tenho que continuar. Fecho a porta devagar e volto a procurar pelo quarto certo. Encontrei uma porta diferente das outras, não era nem um pouco chamativa, era somente de um tipo de madeira diferente. eu diria pinheiro. Abri a porta devagar e encontrei quem eu procurava observando o luar através da varanda. A Mulher era bonita, me lembrava Taro,os traços eram incrivelmente iguais. Fui chegando devagar com a faca em mãos, claro que eu estava usando luvas, mas eu ia queimar a faca e o corpo de qualquer forma, então não faz diferença. Ou... tive uma ideia melhor.

-Ah, é outra que chamei- Como assim?- Você veio pelo anúncio na internet né?- Ela se vira e escondo a faca rapidamente.

-C-claro.- Nem sei o que ele tá falando....

-Vamos começar?- Ele vem até mim e segura gentilmente meu braço. Eu em. Me solto dela e o abraço por trás. Entregando a faca para ela. Devem estar me achando louca? Talvez, mas olha só. Antes que ela reagisse, tampo sua boca e a faço cortar o próprio pescoço. Ela cai surpresa se engasgando fracamente, enquanto eu sorria. Vou deixar a faca aí, é como se ela tivesse cometido suicídio. Ou seja, ninguém vai desconfiar. Bom, ora de voltar pra casa. Pulo a janela do quarto mesmo, mas esquecendo de duas coisas: Primeira que tem guardas e câmeras por toda a parte. E segunda: QUE EU PULEI DA PORRA DA JANELA DO SEGUNDO ANDAR! Ótimo. Torci o tornozelo.

Um alarme soa e só ouço latidos de cachorros, aqueles bem grandes mesmo. Ai merda.... Pulo um arbusto ainda com o tornozelo torcido e me escondo. Até vários guardas enormes passarem bem perto de mim com lanternas e segurando cachorros pela coleira, que latiam sem parar. Estou com cheiro de sangue, se eu não sair daqui certamente irão me farejar. Espero eles saírem, e corro daqui. Cara, essa foi a missão mais chata que eu já tive, e pra piorar TINHA QUE CHOVER NÉ KAMI?!

Chego em casa totalmente encharcada, pingando água pelos cabelos, e com o uniforme colado em meu corpo. Vejo Ákira dormindo no sofá, sorrio, vou até lá e lhe dou um beijo na testa. Subo as escadas e tomo um banho quente, lavando os cabelos e depois os seco com a toalha. Coloco um pijama com uma blusa fina de panda, um shorts do mesmo material e me deito na cama.

(Imagem do pijama nas notas finais.)

Acordo com meu irmão me sacudindo. Eu estava morrendo de sono por causa daquela missão idiota, mas se eu faltasse aula, iriam suspeitar. Me levantei e fui para o banheiro fazer minha higienes matinais, tomei um banho e vesti meu uniforme. (Também na descrição). E fui junto com Ákira para a escola. Leo e Lua só iriam voltar semana que vem, mas Info-chan nos matem informados de como eles estão, então tudo bem. Chegando na escola, vi Taro e sua irmã muito tristes, e um grupinho tentando acalmá-los. É mesmo, era a mãe deles né? Nossa, matei a mamãe.... tô muito triste. Só que não.

-Gente, o quê houve?- Pergunto "preocupada", já que eu não posso levantar suspeitas.- O quê aconteceu Taro? Seya?

-Logo depois que eu acordei, fui ver como estava minha mãe, eu bati na porta mas ela não respondia.- Seya começa.- Quando decidi finalmente abrir, vi ela morta no chão, com uma faca ao seu lado. - Ela começa a chorar.- Eu sabia que ela tinha alguns problemas quanto a isso, mas não pensei que....- Ele não conseguiu completar.

-Ela se suicidou?- Ákira pergunta olhando para mim quase que surpreso por eu não ter me livrado do corpo.

-A polícia acha que sim. Encontraram as digitais dela na faca, e o seu pescoço cortado....- Taro diz.- Mas também disseram que pode ser um truque. De um assassino bem treinado.- AI MEU DEUS.

-Mas, ninguém conseguiria entrar lá certo? Percebi o quanto de proteção tem.- Comento.

-As câmeras tiveram os fios cortados pela mesma faca, e o alarme havia tocado. Foi isso que nos acordou e vimos nossa mãe morta.- Saye diz ainda chorando.

-Ayano, você estava lá. Viu alguém que pudesse ter entrado?- Taro se dirige a mim.

-Não. Logo depois de falar com você eu fui embora.- MENTIRA!

-Sentimos muito pela sua perda.-Ákira fala.

-Quem quer que tenha feito isso....- Taro começa entre dentes e com os punhos cerrados, mas logo sai correndo entrando num lugar aleatório. Vou atrás dele devagar e só o vejo xingando muito irritado, e o vejo socar a parede.- Quem quer que tenha feito isso... será morto. Pelas minhas mãos. Não deixarei que viva.- Aquilo doeu. Doeu de verdade,meu coração foi quebrado, mas eu merecia, matei a mãe dele e agora ele quer me matar mesmo não sabendo quem a matou. Estou muito encrencada. Porque se eu tivesse que lutar com ele pra ver quem sobrevive, eu não conseguiria. Não sei porque, mas esse garoto tocou meu coração como mais ninguém, ele me deixou incapacitada de matá-lo se preciso.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...