História Assassin'S Creed: Roots - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Assassin's Creed
Tags Ação, Assassin's Creed, Aventura, Ficção, Ficção Cientifica, Violencia
Visualizações 7
Palavras 1.924
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom...mais um capítulo!

Capítulo 9 - "Revelações"


Fanfic / Fanfiction Assassin'S Creed: Roots - Capítulo 9 - "Revelações"

Terça-Feira, 15 de Outubro de 2013, 18:00

Os corredores frios e sem vida da Abstergo sempre me deixavam com calafrios.
Eu continuava a andar com Josef pelos corredores pensando que eu ia voltar para aquela máquina de tortura chamada Animus, mas fui surpreendido.

Dr. Josef: (*Parando de andar*) Vocês dois esperem aqui! (*Apontando para os guardas*)
Guardas: (*Em silêncio*)
Ethan: O Animus não era para aquele lado Doutor?
Dr. Josef: Não estamos indo para o Animus Ethan...

Me assustei com a frase do Doutor porém confesso que era difícil eu temer alguma coisa depois que começou esse pesadelo.
Quem iria ligar? Eu já estava morto para todos lá fora...
Josef e eu entramos em um elevador, o silêncio dele me causava um certo medo...

Ethan: Está tudo bem Josef? Está muito calado ultimamente...
Dr. Josef: Está...está sim...(*Triste*)

A cada andar que subíamos, mais o medo me tomava...Até que chegamos ao telhado e o Doutor me pediu para sair e sentar em um banco...
Uma linda vista cercava os telhados da Indústria, ecos de buzinas e motores dos carros me fazia sentir vivo novamente...fazia dias que eu não saia e respirava o ar puro do mundo exterior...o ar puro que me dizia se eu estava vivo ou não.
A sensação que tive de liberdade era imensa...

Ethan: É bonito aqui...
Dr. Josef: Sim...um pouco de ar fresco faz bem a qualquer um não é? (*Rindo*)
Ethan: Por que me trouxe aqui? (*Assustado*)
Dr. Josef: Para conversarmos um pouco Ethan...
Ethan: Sobre?
Dr. Josef: Seu comportamento...
Ethan: Estou apresentado má conduta...Vai me dizer que minha pena vai ser aumentada?
Dr. Josef: (*Sorrindo*) Não...
Ethan: (*Sorrindo*)
Dr. Josef: Quando você chegou aqui eu olhei pra você e pensei “Este é o sujeito? Com certeza vai dar trabalho!” mas você me surpreendeu...Até agora você foi o único que não rejeitou o Animus, não precisou passar por uma Reabilitação ou algo do tipo. Com poucos dias aqui você fez mais progresso do que todos que estão aqui.
A pergunta que fica é...por que?
Ethan: Talvez porque eu seja mais uma pessoa que dormiu e está esperando acordar desse pesadelo...
Dr. Josef: E um dia você vai, em breve e mais rápido que eu imaginei...apenas continue seguindo seu ritmo...e eu vou cumprir minha parte do trato...
Ethan: Eu agradeço...mas tenho uma pergunta para você...
Dr. Josef: Então pergunte...
Ethan: Por que eu? Por que trabalhar tanto em uma máquina complexa para uma pessoa tão aleatória como eu?
Dr. Josef: Por que preciso de você e o mundo precisa de nós...olhe para isso (*apontando para a cidade*) Milhões de pessoas vivendo suas vidas em torno de um sistema que elas mesmo criam...pessoas sem ambições e egoístas a ponto de não olhar para o lado e notar que está acontecendo um crime em um beco escuro ou desperdiçando a sua preciosa saúde com coisas tão tóxicas quanto os lixos que diariamente são jogados nas ruas, lagoas e mares do mundo todo.
 

As palavras do Doutor me fizeram pensar, pela primeira vez eu parei de acreditar nas histórias da minha Avó...Seriam os Templários homens tão ruins e ambiciosos?

Dr. Josef: Homens como eu e você Ethan, somos os pontos vermelhos nesse mar de azul que é o mundo. Nós lutamos por uma causa que era para ser de todos, mas são os poucos que fazem a diferença.
Ethan: (*Pensativo*)
Dr. Josef: A jornada é perigosa Ethan...o Animus tem um efeito colateral chamado “Sangramento”.
Ethan:
Sangramento?
Dr. Josef: Isso causa um vínculo muito grande entre você e seu ancestral, você absorve suas capacidades mentais e físicas fazendo com que nos casos mais graves você acabe tendo um “choque neural” causando sua morte...
Ethan: Então está dizendo que a cada vez que entro naquela coisa eu estou morrendo aos poucos? (*Levantando da cadeira irritado*)
Dr. Josef: Não, esse efeito só ocorre quando você faz uso do animus por muito tempo...o problema é que a versão do Animus que criei ela acelera esse efeito...
Ethan: Não sei se consigo Doutor...
Dr. Josef: Você é o único que consegue...pense nas vidas que você vai salvar...
Ethan: E pra que? Ninguém saberá quem foram as pessoas por trás disso...somos apenas seus escravos, trabalhando contra a nossa vontade e sendo obrigados a lutar por uma causa que não é nossa...
Dr. Josef: A decisão é sua Ethan...se não quer fazer isso por você faça isso pelo Mundo! (*Indo em direção ao elevador*) Fique o quanto quiser...Mandarei os guardas subirem quando tocar o sinal de recolher.
Ethan: Aonde você vai?
Dr. Josef: Fazer algumas atualizações no Animus para amanhã...na verdade vou te dar alguns dias de descanso, você merece. Aproveite esses dias e pense um pouco sobre seu destino...

Eu fui em direção a ponta do terraço e comecei a pensar sobre o que eu poderia fazer...eu poderia me jogar dali e acabar logo com isso... ou descer por aquele elevador e conquistar minha liberdade seguindo o plano do Doutor Bizarro.
Por horas pensei sobre isso...e quando finalmente tomei minha decisão o sinal de recolher tocou e tive que descer rapidamente com os guardas...
 

Terça-Feira, 15 de Outubro de 2013, 21:00

Quando desci já era bem tarde...o cansaço me tomou de novo e logo fui ao meu dormitório descansar...ao menos consegui algumas revelações hoje...

Quarta-Feira, 16 de Outubro de 2013, 9:00

Acordei tarde e logo corri para o refeitório para conversar com meus amigos sobre as minhas descobertas...

(No Refeitório)

Ethan: Olá Marlon, Michael...Line (*Acenando pra todos*)
Marlon, Michael e Eveline: Bom dia Ethan!
Ethan: Conversei com o Doutor ontem...Sabiam que há uma elevador para o terraço?
Marlon: Sim...sabemos...
Michael: Éh...eu mapeei a Indústria toda...eu sei as localizações importantes e como sair daqui...
Ethan: E os que estamos esperando então?
Eveline: Você...
Ethan: Como assim?
Eveline: Se você descobrir onde está à Maça do Éden através de seu Ancestral e dar para nós poderemos salvar o futuro da humanidade...
Ethan: Mas esse é o mesmo objetivo dos Templários não é?
Marlon: Tem muita diferença entre “Salvar” e “Escravizar” Ethan!
Michael: A paz pode ser obtida de diversas formas...e a forma deles é errada!
Ethan: O que há de errado em querer o melhor pra todos?
Eveline: “O melhor?” está mesmo convencido de que eles são “Os melhores”? Ok... pra mim já deu! (*Levantando e saindo da cena com raiva!*)
Ethan: Line...espera! (*Gritando*)
Marlon e Michael: (*Ignorando a cena*)(*assobiando*)...
Ethan: O que eu fiz de errado em?
Michael: Pobre Ethan...ainda não caiu na real...(*rindo*)
Marlon: Bom Ethan...vem comigo! Vou te dar um pequeno choque de realidade!
Michael: Pegue esses comunicadores!
Ethan: Como deixaram você entrar aqui com isso?
Michael: Não deixaram...
Marlon: Apenas me siga Ethan, vamos dar uma voltinha...
Ethan: É seguro?
Michael: Vou coordenar tudo pelo meu notebook...Fique calmo e faça o que o Marlon fazer!
Ethan: Ok! (*Preocupado*)

Coloquei o comunicador no ouvido assim como Marlon, fizemos alguns testes para sabermos se estava tudo funcionando.
Eu confesso que estava preocupado pois sabia que isso era contra as regras, mas confiei nas habilidades de Michael e a destreza de Marlon.
Segui Marlon pelos corredores da Abstergo em direção ao Animus, eu já havia caminhado por esses corredores ontem, mas nunca havia notado o quanto são movimentados.
Meu coração batia forte por causa do perigo e a Adrenalina me tomava, nunca fui de quebrar as regras mas confesso que estava começando a gostar da maneira que os Assassinos agiam.
Eu segui Marlon por todos os corredores, ele conhecia algumas passagens as quais nos deixavam longe dos guardas. Mas não conseguimos evitar todos.

Marlon: (*Fazendo um sinal para Ethan parar*)
Ethan: O que foi?
Marlon: Fala baixo...dois guardas, a nossa frente...fique na cobertura...
Ethan: Ferrou-se...
Marlon: Não! O único que ferra com tudo aqui é você!
Ethan: (*Abismado*)
Marlon: Aí, Quatro...ta na escuta?
Michael(No rádio): Afirmativo...
Marlon: Corredor seis, dois hostis na nossa frente...preciso de uma distração rápido!
 Michael(No rádio): Entendido Cinco!
Ethan(Pensamentos): “Quatro” e “Cinco”...Sério isso?

Antes que os Guardas pudessem desconfiar de nossa presença, o sistema de incêndio do corredor “misteriosamente” foi ligado fazendo com que milhares de jatos de água fossem lançados do teto direto nos guardas.
Enquanto a neblina causada pelos jatos de água se tornava densa e os guardas reclamavam de estarem encharcados, passamos pelos corredores sem sermos percebidos chegando assim a uma porta.
O estranho é que a porta dava para aquele corredor bizarro, cuja janela dava vista aquela bizarra área psiquiátrica...

Marlon: É aqui (*apontando para a janela*) Doutor Josef te contou algo sobre essa área Ethan?
Ethan: Não, mas deixou um ar de mistério.
Marlon: “Mistérios”, é disso que os Templários vivem...
Ethan: (*Olhando pela janela*)
Marlon: É triste não é? As pessoas debilitadas lá em baixo, mesmo contra a sua vontade...sendo cuidadas como se fossem idosas...porém tão jovens (*Triste*) você sabe por que elas estão ali Ethan?
Ethan: Não...
Marlon: 10% é por que rejeitaram o Animus e acabaram com suas mentes em pedaços...
Ethan: E os outros 90% ?
Marlon: Exposição prolongada ao Animus...
Ethan: (*Assustado*)
Marlon: No fim todos ali são inocentes, o Animus não é um tipo de “Máquina do Tempo” que simplesmente te leva a fazer uma visita ao seu Ancestral...o Animus é uma cadeira elétrica como aquelas usadas na prisão, mas ao invés de te matar de maneira rápida ele te mata de maneira lenta e silenciosa como um câncer...
Ethan: Como assim?
Marlon: Cada vez que você entra no Animus você sofre o efeito de “Sangramento” esse efeito pode ser benéfico por um lado, já que ele te faz ganhar as habilidades do seu ancestral desde Língua até Combate. Mas para que isso aconteça você precisa estabelecer um vínculo com o seu ancestral, e esse vínculo causa efeitos colaterais como: alucinações, confusão mental e nos casos mais graves a morte...
Ethan: (*Em choque*) Eu...eu não sabia...
Marlon: Não se culpe...você não é o único...mas eu só quero que entenda que se os Templários fossem os “Mocinhos” dessa estória...eles fariam isso com pessoas comuns como você?
Ethan: (*Arrependido*) Eu preciso me Desculpar com a Line! (*olhando para a janela triste*)
Marlon: Ahh Ethan...Não estou querendo introduzir você a esse mundo...mas pare para pensar: quantas pessoas já estiveram no seu lugar e quantas delas escolheram o lado errado dessa guerra?
Você tem uma decisão fácil a tomar...O Bem ou o Mal? A Liberdade ou a ordem?
Ethan: Eu entendo...mas o que posso fazer?
Marlon: Continue sendo você, porém mantenha o pensamento no bem, lute pela liberdade não só sua, mas de todos que estão aqui...não deixe essa prisão te mudar...mude essa prisão...
Ethan: Eu já tomei minha decisão...Obrigado Marlon...
Marlon: Estamos apenas fazendo nosso trabalho...E espero que você faça o seu...
Ethan: Farei! Que o Credo nos guie...
Marlon: A nós e a todos!
Ethan: (*Sorrindo*)...
Marlon: Você tem potencial garoto...quando tudo isso acabar será bem vindo ao Credo!
Ethan: Agradeço ao convite...Preciso me desculpar com Eveline, onde posso encontrar ela?
Marlon: Você é corajoso... ela está no dormitório...te levo até lá, mas por hora, vamos sair daqui certo?
Ethan: Certo!

A partir dali eu sabia o que devia fazer, pela primeira vez as coisas começavam a fazer sentido...
Não era um pesadelo...eu tinha que encarar a realidade mesmo sendo difícil...
Eu tinha amigos...mesmo que nunca os mereci...

Marlon e eu saímos do corredor ele voltou ao refeitório após me passar a localização do dormitório de Eveline...eu precisava me desculpar...
Os templários de fato não são “Os melhores”...  e espero não ter percebido isso tarde!

Dali para frente, meu destino começava a se revelar...O destino de um Assassino...
 


Notas Finais


E como sempre, espero que gostem :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...