História Assim como eu - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Origem dos Guardiões
Personagens A Fada dos Dentes, Bicho-papão (Pitch Black), Coelhão, Jack Frost, Norte, Personagens Originais, Sandman "Sandy"
Tags A Origem Dos Guardiões, Drama, Jack Frost, Romance
Exibições 67
Palavras 2.505
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello Guys!! Como vão? Eu ia postar esse capítulo na segunda porém eu preferi postar hoje pelo simples fato de que...
HOJE É MEU ANIVERSÁRIO!!🎉🎉
Então eu quis fazer o capítulo um pouco maior do que os de costume, enfim tenham uma boa leitura e espero que gostem!

Capítulo 21 - Um plano


Fanfic / Fanfiction Assim como eu - Capítulo 21 - Um plano

“...e sim matando as crianças que acreditam”, essa minha última frase fica ecoando no silêncio que paira sobre a sala. Todos preocupados, tentam encontrar uma outra razão para a morte daquelas crianças mas sabem que o que eu disse é verdade por mais difícil que seja de aceitar. As crianças não estão apenas correndo o risco de nunca mais serem capazes de sonhar como da última vez, elas estão correndo risco de vida.

-Então… - Fada tenta falar, mas acaba gaguejando devido ao nervosismo - V-você acha que… todas as outras luzes que apagaram antes foi porque eles… m-mataram as crianças?

-Talvez... - fala Norte se virando para a TV e digitando alguma coisa no teclado

-O que você está fazendo? - pergunto

-Isso aqui não serve só para mostrar o que está passando em tempo real, ela também grava todas as notícias, eu falo TV mas está mais para computador. Então se eu pesquisar por grupo de crianças mortas pelo mundo há quatro dias atrás deve aparecer… na mosca - a tela se enche com três vídeos de reportagens diferentes, Norte dá play no primeiro e o repórter começa a falar em russo:

“Há poucas horas, finalmente foram encontrados todos os corpos das crianças que foram soterradas pela neve. Pela manhã, quatorze crianças estavam esquiando perto de uma montanha quando uma avalanche aconteceu, as engolindo por completo…” - Norte aperta outro botão e a segunda repórter começa a falar, dessa vez em árabe e pelo o que parece ela está no Egito:

“Hoje à tarde, aconteceu um acidente na estrada envolvendo um ônibus escolar que estava voltando de uma excursão com uma turma do primário. O motorista, por um motivo desconhecido, perdeu o controle do ônibus o fazendo cair de uma ribanceira, infelizmente, o motorista, a professora e os vinte e sete alunos não resistiram aos ferimentos e todos faleceram…” - Norte aperta outro botão e a última reportagem tem início com o repórter falando italiano:

“Durante à noite de hoje, aconteceu uma terrível catástrofe em um acampamento infantil. Enquanto todos estavam dormindo um animal selvagem atacou brutalmente todas as pessoas que lá estavam, quatro adultos e dezoito crianças. Os corpos dilacerados foram encontrados pela manhã por um guarda florestal, eles não sabem que tipo de animal pode ter feito isso mas a área inteira está fechada até ele ser pego…”

Norte pausa o vídeo e olha para nós com um olhar triste, na verdade, todos nós estamos com um olhar triste. A morte de alguém é algo horrível, mas quando se trata de crianças consegue ser pior, afinal elas tinham uma vida inteira pela frente.

-Essas mortes... não são coincidência - diz Coelhão

-Não mesmo - digo - O Abominável Homem das Neves deve ter começado aquela avalanche.

-E a Maria Sangrenta deve ter assustado o motorista do ônibus, como ela fez com aquele homem na Rússia - diz Jane

-Quanto às crianças no acampamento com certeza foi o mesmo que matou aquelas crianças no México - diz o Norte - Só temos que descobrir o que é.

-Essas mortes aconteceram logo depois do nosso encontro com o Breu no Palácio das Fadas, ficamos nos perguntando como as luzes poderiam ter se apagado sendo que ele estava conosco. Foram eles, Fada estava certa, os aliados do Breu fizeram essas luzes se apagarem - diz o Coelhão

-E haverá outros ataques. Temos que impedi-los de continuar com essa matança, afinal todos quando nos tornamos guardiões juramos proteger as crianças - afirma Norte

-Mas o próximo ataque pode ser em qualquer lugar do mundo, como vamos conseguir impedi-los? - pergunta Fada

-Temos que encontrar algum padrão nesses ataques - responde Norte - Algo que nos dê alguma pista de onde será o próximo.

Todos paramos para pensar e ficamos longos quarenta segundos em silêncio, o que me pareceu uma eternidade, cada um com seus próprios pensamentos, até que…

-Os continentes - Jane sussurra para ela mesma, ainda pensando sobre o assunto, mas como a sala está silenciosa todos ouvimos

-O que tem os continentes? - Coelhão pergunta e ela olha para nós

-Esse é o padrão. Cada ataque que eles fizeram foi em um continente diferente - Jane explica - Primeiro foi na Rússia, continente Asiático; depois no Egito, continente Africano; atacaram na Itália, continente Europeu e por último no México que é o continente Americano. O próximo ataque vai ser em algum país da Oceania.

-Faz sentido - concorda Norte após uns segundos de reflexão

-Realmente faz - digo

-Peraí, vocês vão mesmo acreditar que esse é o padrão? Pode ser só uma coincidência - Fada diz com desdém

-Sempre duvidando de mim, né Fada? Que bom, porque aí eu vou ter o prazer de ver sua cara sendo rachada mais uma vez  - fala Jane

-Fada, ela está certa - diz Norte - Eles realizaram quatro ataques em quatro de cinco continentes, só resta a Oceania. Parabéns pelo raciocínio Jane!

-Obrigada - ela responde com um sorriso vitorioso direcionado para a Fada, que revira os olhos claramente irritada

-Ok - Fada diz - Mas não se esqueçam que é de um continente que estamos falando e não de uma rua, mesmo que a gente vá para lá não significa que a gente vai estar no mesmo lugar que eles. Podemos estar em um país e eles atacarem em outro.

-Eles normalmente atacam em lugares sem muito movimento, então já temos por onde começar - digo - E provavelmente fazem isso para fazerem as mortes parecerem acidentes...

-...e assim não causar uma histeria em massa - Coelhão completa - Mas o que eu não entendo, é a razão para isso? Eles não se alimentam do medo?

-Sim - diz Norte - Mas o Breu é quem está comandando eles e as crianças não tem mais tanto medo dele quanto antes, ele quer que todos tenham medo dele e não dos seus aliados por isso está mandando eles fazerem sorrateiramente. Ele quer que o medo global seja dele e aposto que ele ainda está pensando em como fazer de uma forma triunfal. É claro que isso é apenas uma teoria, mas talvez seja verdade.

-Conhecemos o Breu, ele seria bem capaz disso - diz Fada

-Então já que eles estão fazendo tudo por baixo dos panos, também temos que fazer.

-Como assim Norte? - Coelhão pergunta

-Vamos ter que nos disfarçar.

-O quê? - nós todos dizemos ao mesmo tempo

-Nós vamos ter que procurar por eles e as crianças vão nos reconhecer, iremos chamar a atenção e os aliados do Breu vão nos descobrir e se isso acontecer é capaz de eles fazerem uma matança ainda maior e em outro lugar só para nós falharmos - ele explica

-Tem razão - todos concordamos

-Phil - Norte chama o Ieti que logo aparece - Eu preciso de disfarces para mim, para a Fada, para o Jack e para a Jane, mas eles precisam ser bons e discretos - o Ieti concorda e sai correndo da sala para algum lugar

-E quanto ao Sandy e o Coelhão? - diz a Fada

-Eles não vão.

-Por que? - pergunto

-Porque eles não tem um rosto humano. Lamento Coelhão, Sandy, mas acho que será difícil esconder um rosto dourado e um rosto de coelho sem chamar a atenção.

-Tudo bem Norte, entendemos - diz Coelhão

-Quanto a nós, é só colocarmos umas roupas, umas perucas e…

-Perucas? - Jane e eu dizemos ao mesmo tempo interrompendo Norte

-É claro, vocês são dois adolescentes de cabelo branco, são altamente reconhecíveis.

-Tá mas… - Jane fala - Eu preciso usar um disfarce? Ninguém me vê mesmo.

-Mas os imortais sim, se eles te verem saberão que todos estaremos lá. Esses disfarces não são só para as pessoas são para eles também, para que caso eles nos vejam não nos reconheçam - Norte explica e nós concordamos. Após alguns poucos minutos, Phil entra na sala com quatro caixas e entrega uma para cada um - Seus disfarces estão aí, se precisarem de ajuda para colocar alguma coisa peçam aos Ietis. Nos encontramos no salão do globo.

-Como eles já arrumaram as roupas? - Jane pergunta

-Tem umas crianças que pedem algumas dessas coisas, não sei porquê mas pedem. Então eles só pegaram do estoque de presentes e provavelmente no máximo devem ter feito alguns ajustes nas roupas. Mas chega de papo, andem vão se trocar.

Cada um vai em direção ao seu respectivo quarto sem contestar, eu entro no meu e coloco a caixa em cima da cama a abrindo e tirando tudo o que tem lá dentro, um par de tênis preto, calça baggy azul, uma camiseta  branca e uma camisa de manga longa xadrez azul para colocar por cima da camiseta. Me troco rápido, olho dentro da caixa e percebo que ainda falta a peruca, não tenho dificuldade para colocá-la, apenas ajeito o meu cabelo para nenhuma parte ficar aparecendo, no final me olho no espelho e estranho um pouco, afinal agora me encontro loiro e com o cabelo um pouco maior que o de costume, logo eu saio do quarto para não perdermos tempo.

Chego no salão do globo e vejo o Norte usando óculos e roupas verdes de velhinho com chapeuzinho e tudo, inclusive ele está com uma bengala na mão, o que me faz rir, sua barba grande ele escondeu por dentro da roupa e colocou uma falsa preta e menor por cima, para não dar para ver que a original, e típica do Papai Noel, estava escondida.

Fada está com um peruca preta Chanel com uma franja grande para esconder a parte do seu rosto que é verde e vestida dos pés a cabeça, já que seu corpo é inteiro de penas, está com botas, luvas, uma blusa com gola alta. Ela também usa um sobretudo para esconder as asas e o rabo.

-Olha quem ficou bem no disfarce - ela diz ao me ver

-Já estamos prontos? - pergunto

-Só falta a Jane, ela estava com dificuldades para colocar aquele cabelo todo na peruca, então pediu ajuda para o Phil - ele aponta para um canto, vejo o Ieti na frente dela até que ele diz “Pronto!” e quando eu a vejo tudo o que passa na minha cabeça é… Uau!

Ela está com uma peruca ruiva ondulada, que é menor que seu cabelo normal, e um vestido lilás de alças que caiu perfeitamente em seu corpo ressaltando, muito bem por sinal, a sua cintura fina, daí para baixo ele é solto e vai até metade das suas coxas. Phil lhe dá um espelho para Jane se ver e ela fica admirada com o que vê, na verdade eu também fico admirado com o que vejo, ela realmente está…

-Está pronta Jane? - Norte pergunta para ela, me tirando de meus pensamentos

-Estou - ela diz olhando em nossa direção e vejo o sorriso que ela tinha no rosto desaparecer quando ela percebe que eu estou aqui e que estou olhando para ela. Jane olha para mim rapidamente mas logo abaixa o olhar, acho que por vergonha, mas de quê?  - Norte eu preciso mesmo usar um vestido? - ela pergunta, chegando mais perto de nós - Não posso usar calças?

-Por que?

-É que eu estou me sentindo… exposta demais - ela diz segurando seu cajado na frente de si com as duas mãos, confirmando minhas suspeitas de que ela está com vergonha

-Acredite Jane - diz o Coelhão - Existem vestidos que te deixariam muito mais exposta do esse. Você está comportada.

-Isso é o que dá quando você passa trezentos anos usando moletom e calças - Fada diz - Afinal são só suas pernas que estão de fora, não é a sua bunda. Eu bem que gostaria de estar com as minhas pernas de fora agora mas tenho que ficar coberta dos pés a cabeça.

-Isso é que dá quando se é um beija-flor ambulante - responde Jane

-Já podemos ir? Acho que agora já estamos todos prontos - falo antes que a Fada tivesse a chance de falar e uma briga entre essas duas começasse

-Quase - Norte nos entrega lentes castanhas - Coloquem e antes que perguntem o porquê, queremos ser discretos e olhos claros normalmente chamam a atenção, ainda mais o seu que é roxo, Fada - sem contestar, todos colocamos as lentes - Agora, esse é o plano. Nós vamos para as áreas mais escondidas dos países da Oceania, como vilarejos, acampamentos, esses lugares mais afastados e caso a gente não encontre nada de anormal, passamos para outro lugar - ele entrega um globo de neve para a Fada e para mim - Vamos nos locomover pelos portais, é só pensarem para onde querem ir e jogar o globo no chão que o portal se abre, mas lembrem-se de abrir o portal escondidos, para nenhuma pessoa ver.

-Espera - Jane diz - Nós não vamos juntos?

-Nós vamos nos separar, para cobrir uma área maior.

-Então por que eu não ganhei um globo?

-Porque você vai com o Jack.

-Por que? - pergunta Fada

-Porque a Jane vai precisar de alguém como “escudo” para as pessoas não a atravessarem e os aliados do Breu descobrirem que ela não é mortal - explica Norte - E se só ela ficar se esquivando das pessoas ao invés de se esquivarem dela também, eles irão desconfiar.

-SE eles estiverem realmente lá e SE nos verem - digo

-Se existe um SE, então existe uma possibilidade.

-Estamos prontos agora? - pergunta Fada

-Sim, não espera já ia me esquecer - Norte pega alguma coisa em uma caixa e vem na direção da Jane e de mim, ele prende alguma coisa em nossos cajados que parece ser um mini botão e eles instantaneamente encolhem, cabendo perfeitamente na palma de nossas mãos

-O que você fez? - perguntamos juntos

-Os Ietis estão trabalhando em um encolhedor há muito tempo, que bom que funciona, apesar de ainda estar em teste. Vocês não iam ficar andando por aí com seus cajados enormes, iriam ser reconhecidos na hora, desse jeito é só guardarem no bolso de vocês. É só apertar esse botãozinho que eles voltam ao tamanho normal, mas isso só funciona uma vez então tenham certeza do seu alvo porque se vocês apertarem o botão uma vez o cajado não vai diminuir de novo, entenderam?

-Sim - respondemos

-E se a gente ver alguma coisa? Como fazemos para chamar os outros? - Fada pergunta

-Os globos de neve foram modificados, não conectam só lugares mas também pessoas então pensem em nós que o portal se abrirá onde estivermos e nós atravessaremos até você - diz Norte

Um dos Ietis chega e nos entrega mapas com fotos dos lugares da Oceania onde deveríamos ir, o do Norte e da Fada eram lugares diferentes do meu e da Jane, para não perdermos tempo indo no mesmo lugar várias vezes.

-Pensem em um desses lugares das fotos para abrirem o portal. Acho que agora estamos prontos - Norte abre o seu portal e em seguida nós outros também - Sandy, Coelhão, fiquem de olho na TV do mundo - eles dois concordam e Norte se vira para nós - Ajam como mortais - e ele passa pelo seu portal e logo a Fada passa pelo dela

-Vamos ruivinha? - pergunto para Jane que ri, ela respira fundo antes de responder

-Vamos loirinho - ela diz me fazendo rir

E nós dois passamos pelo nosso portal, sem saber o que encontraremos pela frente.


Notas Finais


Comentem aí o que vocês acharam e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...