História Assuma Jungkook! - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Namjin, Vhope
Exibições 80
Palavras 2.198
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei! Estourando o prazo!! hahahah

E gente eu amei esse capítulo! Eu estou apaixonada por ele *------*
Espero que gostem. Espero mesmo. E eu estou com muuuuitas ideias para colocar em prática na estória. Mal vejo a hora.

Boa leitura. Beijooooos!!

Capítulo 5 - A briga e as pazes?


 

“Jimin me desculpa. Me deixa explicar. Vamos conversar.”

1 mensagem de texto

 

“Jimin me responde. Eu sei que você está vendo essas mensagens.

Nós precisamos conversar.”

3 mensagem de texto.

 

“Jimin, você realmente estava falando sério quando me disse para não te procurar?”

“Nós realmente precisamos conversar.”

5 mensagens de texto.

 

“O que você quer que eu diga? Que eu explique os meus motivos? O que você quer que eu faça? Que peça desculpas? Eu quero fazer todas essas coisas. Mas você precisa me responder para isso.”

8 mensagens de texto.

 

“Jimin eu preciso falar com você. Eu estou te ligando a dias, você sabe como eu odeio fazer ligações, falar ao telefone. Mas para você estou ligando.”

1 mensagem de voz.

 

“Jimin me atende. Vamos conversar, eu tenho uma explicação para tudo. Mas eu não quero ter que falar por telefone.”

3 mensagens de voz.

 

“Eu realmente não quis te machucar. Eu não quero te machucar. Não vou ficar tratando as coisas como passado porque elas não são.”

6 mensagens de voz.

 

“Jimin…. Eu realmente quero conversar com você. Você se importa tão pouco assim para deixar tudo desse jeito? Eu quero muito conversar com você.”

8 mensagens de voz.

 

10 mensagens de texto e 8 mensagens de voz. Esse era o número exato de recados que Jungkook havia deixado para Jimin desde a noite de sexta quando se viram pela última vez e o ruivo o disse para não procurá-lo mais.

O que Jimin não conseguia mais era mensurar a quantidade de vezes que já havia lido aqueles sms’s e ouvido a voz do mais jovem mais abalada, mesmo que tentando controlar-se, a cada nova mensagem na caixa postal. Estava doendo em si fazer aquilo com ele. Sim. Mas a dor era ainda muito maior quando ele lembrava da forma como havia sido tratado naquela noite.

Não fora convidado por ele para sair com seus amigos. Fora tratado com indiferença, o que já era espantoso pois Jungkook sempre foi muito atencioso para com ele. Mas o pior de tudo foi ouvir os presentes se referindo a ele como o ‘Hétero do grupo’. Foi aí que a verdade caiu sobre si como uma rocha empurrada pelo Papa Léguas despencando de um penhasco e caindo em cima do Coiote. Jungkook era hétero? E a sua reação inicial foi de olhar para ele com seu olhar de ‘Hétero? É mesmo? Você não me parecia nada hétero quando ficou duro comigo em cima de você no sofá da minha sala’.

Pior do que isso era constatar que toda a indiferença de Jungkook tinha um nome, e não era a aparente heterossexualidade, era: vergonha. Jungkook simplesmente possuía vergonha do que tinham, de levá-lo aos amigos expondo a relação que eles realmente tem, ou tinham. Ele nem sequer se mostrava próximo, como um amigo. Era tão extremo que o tratava como se fosse alguém com quem não tivesse relação alguma. E nem possuísse interesse em qualquer aproximação.

Estar com ele parecia tão horrível assim? Ele lhe era tão nojento assim? Tão vergonhoso?

Mesmo chorando e quase incapaz de consegui sair de casa, querendo falar com Jungkook, acreditando que deveria possuir algum tipo de explicação para aquele comportamento dele, também decidiu que não ia aceitar ser tratado como qualquer um, ou até mesmo como um nada. Ele não era alguém para ser usado às escondidas e depois jogado fora. Não era descartável. Não era um corpo com a função de satisfazer taras reprimidas de alguém.

Ele havia entrado nessa de verdade, e não só com a cabeça de baixo. E não aceitaria ser valorizado por menos do que sabia que realmente merecia. E era por isso que as ligações de Jungkook não seriam atendidas e nem suas mensagens respondidas.

 

~:~

 

- Kook, o que te traz aqui? - Taehyung falou ao abrir a porta de casa para o amigo.

- Você está só ou o Hope tá aí? - Jungkook estava visivelmente perturbado.

- Estou só. - O mais velho revirou os olhos. - Você acha que eu vivo pregado nele é? - Olhava o amigo com leve contestação enquanto ele entrava em sua residência.

- Sim. Acho. - O moreno virou para o castanho sorrindo e recebendo um sorriso de volta.

- Tá. - Taehyung descruzou os braços desfazendo a pose que tinha. - E o que te trouxe até aqui?

- Eu só precisava conversar com alguém.

- Eita é sério assim. Vou fazer um chá para nós.

- Não precisa. - Jungkook sentava no sofá. - Só senta aqui e conversa comigo. - Taehyung o obedeceu e sentou-se.

- Estranho você querer conversar comigo e não com o Jin Hyung.

- Quando eu lhe contar você vai entender que ele não é a pessoa mais recomendada para saber disso.

- Então conta logo. Tô ficando nervoso. Você está com alguma doença?

- Não é isso. - Jungkook respirou fundo. Ainda hesitava em dizer. - Eu acho que estou apaixonado.

- Ai meu Deus! Te fisgaram! - Taehyung fez uma cara de surpresa. - Quem é a deusa?

- É… é…. - Ele procurava as palavras com que falar. Resolveu respirar fundo e dizer tudo de uma vez. - É um homem!

- O QUE?! - Ele deu um grito. - Você está apaixonado por um homem? Você virou gay Jungkook?!

- Não virei gay. Eu só gosto dele. - Seu rosto estava completamente vermelho. E ao lembrar de Jimin ele sentiu uma leve vontade de chorar. - Nós temos um caso.

- Você tendo um caso com um homem. Isso é algo que eu não esperava ouvir. - Taehyung sorriu e pôs a mão sobre a mão do outro. - É o Jimin não é?

- Como você sabe? - O olhava surpreso. Que palpite certeiro! Ou apenas era tão óbvio assim.

- Eu lembro muito bem de como você ficou mexido quando o viu a primeira vez. E eu notei o jeito como ele te olhava no bar.

- Ele não quer mais falar comigo. - Jungkook disse com pesar. - Desde aquele dia do bar.

- Por quê?

- Você vai me bater quando eu disser. Mas eu não o convidei. Ele apareceu lá e eu simplesmente tratei ele como se não tivéssemos nada. Como se nem fossemos amigos.

- Você é idiota?? Por que você fez isso seu estúpido? - O mais jovem levou um tapa na cabeça.

- Eu não sabia o que fazer. Eu não estava preparado para assumir as coisas assim para vocês de uma hora para outra. Ainda estava tentando lidar com isso sozinho.

- Estou tentando entender você. - De repente a expressão de Taehyung mudou. - E eu ainda fiquei te chamando de hétero na frente dele. Desculpa Jungkook, deve só ter piorado tudo.

- Não precisa se desculpar. - Jungkook respirou fundo. - Eu não sei mais o que fazer. Ele não responde minhas mensagens, não atende minhas ligações. E se ele nunca mais quiser me ver Tae? O que eu faço?

- Você gosta mesmo dele? - Jungkook balançou a cabeça afirmativamente. - Quer estar com ele? Não quer machucá-lo?

- Não Tae. Você acha que eu ia entrar nisso para brincar de ser homossexual? Claro que não! Jimin não é qualquer coisa. Ele não é qualquer um.

- O que você ainda está fazendo sentado no meu sofá ao invés de estar batendo na porta da casa dele agora?

 

O mais novo entendeu o recado e o conselho do amigo. Abrindo um sorriso, lhe dizendo um obrigado, saiu correndo da casa até seu carro. Era isso que iria fazer. Esperaria chegar o horário em que tinha certeza que Jimin estaria em casa e iria falar com ele. O faria ser escutado. Não podia simplesmente deixar as coisas assim como se não significasse nada.
 

~:~

 

Ouviu o interfone tocar e o atendeu. O porteiro do prédio o avisou de que havia uma visita, pediu autorização para deixá-lo subir. Era Kim Seokjin. O ruivo autorizou a subida do novo amigo, achando estranho a sua visita, e até mesmo o conhecimento de seus endereço, talvez o tivesse pedido a Yoongi.

Se perguntou o que o trazia até lá, não pensaria que era algo sobre Jungkook, o desagradável assunto que ele evitava. Definitivamente não seria sobre isso, afinal ninguém poderia saber sobre eles não é mesmo?

Com a boca amarga por sentir novamente o gosto ruim da atitude de Jeon, Jimin abriu a porta do seu apartamento quando a campainha soou. Para sua surpresa não havia Seokjin algum, apenas Jungkook parado em sua porta com a cara de quem parecia pronto para disparar milhões de desculpas como tiros de uma metralhadora.

 

- O que você está fazendo aqui? - O mais baixo sustentava a sua expressão de ‘Você não é bem vindo’.

- Eu preciso falar com você.

- Por que disse que era Jin Hyung?

- Você não me deixaria subir se eu falasse que era eu.

- É, tem razão. Não deixaria mesmo. - Virou as costas e entrou em silêncio, sendo seguido pelo mais jovem em seguida.

- Jimin me escuta. - Jungkook começou. - Eu não sei porque eu fiz aquilo. Quer dizer, eu sei. Mas eu me arrependo muito. Eu só não estava preparado para levar o que há entre nós dois a público. Não sabia como reagir. Por isso não te convidei.

- Não há nada entre nós. - Jimi disse frio. Tão seco.

- Jimin não diz isso. - O mais jovem praticamente suplicava ao outro. - Por favor, não diz isso. Não trata o que nós somos como passado.

- A questão não é não ter sido convidado. - Jimin cruzou os braço. Ignorando o pedido de Jungkook. - E sim a forma como você me tratou. Você ME IGNOROU JUNGKOOK! - Jimin deu um grito que assustou o mais novo. - Na frente de todos eles! Tem ideia de como eu me senti?

- Desculpa. Eu não queria te machucar.

- Mas machucou! E muito! - Jimin caminhava de um lado para o outro da sala tentando se acalmar. Jungkook permanecia parado. - Eu ainda tive que ficar ouvindo eles dizerem que você é hétero! Você é hétero Jungkook?? Tudo isso foi só um ‘Vou experimentar’ de um jovem entediado é?

- Não! Não foi Jimin. Não é isso.

- Eu fui sincero com você Jungkook! Esse tempo todo! Por que você não foi sincero comigo? - Jungkook fez menção de falar mas Jimin o interrompeu. - Eu sou alguém que sabe o que quer. Eu sempre soube. Eu não tenho paciência para ficar perdendo tempo com não sabe o que quer Jungkook! E pior ainda: que nem quer o mesmo que eu!

- Eu sei o que eu quero! - Jungkook elevou a voz.

- O que? Uma vagina e um par de peitos? Veio ao lugar errado. Eu não tenho nada disso! Ou quer transar comigo escondido e pagar de hétero na frente dos seus amigo? Lugar errado t- Os gritos de Jimin foram interrompidos por Jungkook.

- EU QUERO VOCÊ! - O mais jovem gritou.

- O que? - O ruivo se calou e o fitou surpreso.

- Eu quero você Jimin! Apenas você! Porra! Custa entender que eu te quero, e não um par de peitos? E muito menos apenas sexo com você? É difícil entender que eu não paro de pensar em você desde a primeira vez que te vi? Que eu estou enlouquecendo só de pensar que você não quer mais me ver?

- Jungkook, cala a boca. - Jimin falou, baixo demais para que o outro ouvisse em meio ao tom de voz alterado com que ele falava.

- Eu realmente vou pirar se você não me quiser mais. Porque eu te quero tanto Jimin. Você não tem noção do quanto. Eu só queria ouvir você dizer que também me quer. Eu sei que você quer.

- CALA A BOCA JUNGKOOK! - Com o grito o moreno se calou e olhou para ele com os olhos arregalados. A vontade de chorar foi muito forte. De repente não sentia mais vontade de explicar nada, só queria dar as costas e ir embora. Mas ainda tinha que revidar.

- O que você disse?

- Eu disse pra calar a porra da boca. - Jimin repetiu mais uma vez. - Cala essa boca e me beija! Agora.

 

Ao ouvir isso um alívio extremo se apoderou do corpo de Jungkook e ele apenas correu na direção do ruivo agarrando seu rosto entre as mãos e selando seus lábios com todo desejo, intensidade, desespero e necessidade que era possível demonstrar naquele momento. E Jimin o correspondia à altura. Apenas os dois sabiam o quanto pareceu que nunca mais sentiriam aquelas sensações novamente. As sensações que só sentiam juntos.

 

- Eu te quero Jungkook. - Jimin disse ao soltar seus lábios dos dele ainda ofegante. - Muito.

- Me perdoa por ter sido um idiota, um imbecil. - O mais novo o abraçou apertado como se tivesse medo que ele sumisse de seus braços.

- Perdoo seu idiota. - E se soltando um pouco se juntaram novamente um aos lábios do outro.


Notas Finais


E o que acharam???

Gente deixa eu perguntar algo que eu esqueci no capítulo passado: Quem vocês acham que é o ativo e o passivo dessa relação? kk Quero saber a opinião de vocês.

Até o próximo capítulo. Beijoooooos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...