História Assuntos Familiares (Segunda temporada) - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Família, Gay, Gravidez Masculina, Itachi, Naruto, Romance, Sakura, Sasuke, Yaoi, Yuri
Visualizações 595
Palavras 3.258
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Lemon, Luta, Romance e Novela, Saga, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, agora que finalizei Dias Presentes, vou me concentrar para finalizar Assuntos Familiares.
Curtam o capítulo!

Capítulo 36 - Capítulo 36


Naruto suspirou fazendo um som saísse ruidoso. Hoje, eles tinham percorrido o caminho restante casa. Queriam chegar na aldeia o mais rápido possível, já que já perderam dois dias. Naruto queria caminhar por conta própria, porém depois de apenas alguns passos ele já estava cansado e tinha dificuldade em respirar, Sasuke o carregava nas costas.

Embora Sakura tivesse sofrido uma lesão menor, ela não estava em sua capacidade total, após ter usado muito chakra nos últimos dois dias para curar Naruto. Mesmo com as habilidades curativas da Raposa de Nove Caudas, Naruto estava curando lentamente.

Sasuke sentou-se no chão abaixando Naruto, e depois sentou ao lado do loiro, apoiando-se na mesma árvore que o loiro. Naruto imediatamente se curvou um pouco e depositou a cabeça no ombro do marido. O moreno olhou-o e depois se inclinou contra ele. Naruto olhou para cima e deu um sorriso cansado antes de fechar os olhos.

Sakura ficou em silêncio e também descansou contra uma árvore.

Naruto sorriu quando Sasuke sussurrou em seu ouvido. De repente, Naruto olhou para Sasuke com incredulidade. Sasuke apenas encolheu os ombros e recostou-se novamente contra a árvore. Naruto olhou por um tempo para Sasuke até ele se virar e observar Sakura.

Naruto começou a tocar o colarinho ensanguentado. Embora eles tivessem lavado sua jaqueta uma vez, nem todo o sangue havia sido retirado.

Puxando a mão para trás, ele fechou os olhos uma vez mais. Ele podia sentir o cheiro de lavanda. Sorriu. Ele podia ver um campo florido à distância; as flores lilás, brancas e amarelas que se misturavam.

Assim como ele queria caminhar em direção ao campo, ele sentiu alguém tocar sua gola e ele abriu os olhos. Realmente foi Sakura.

Sakura sentou-se com seus palpites na frente dele, quando abriu o colarinho e agora estava começando a afrouxar o curativo. Ela notou que ele tinha os olhos abertos e olhou para ele.

— Preciso trocar a atadura. Você poderia se inclinar para frente um pouco, longe da árvore?

Naruto desencostou e permitiu que Sakura desenrolasse a atadura, e quanto mais fez, mais vermelha tornou-se. Finalmente, ela terminou e levantou-se para pegar outra bandagem. A brisa do vento, apesar de ser muito fraca, realmente machucou roçou silenciosamente contra a ferida.

Sasuke estava um pouco mais afastado, provavelmente verificando a rota que levaria mais rápido para casa.

A garota estava cuidadosamente limpando a ferida com um pano úmido. Naruto sibilou enquanto ela limpou e um ponto particularmente sensível. Sakura olhou para ele em breve, entretanto continuou esfregando até que rodeou com a ferida para tirar o sangue seco ao redor e afastou o pano.

Naruto viu um brilho rosa e sentiu seu toque de cura o atravessar.

Um sorriso apareceu no rosto de Sakura e ela disse:

— Você finalmente está começando a curar sozinho. Isso é bom.

Sakura poderia dizer que agora que o veneno estava fora de seu sistema, sua própria cura finalmente havia entrado. Ela tentou olhar para a parte de trás do pescoço e viu que a outra extremidade da ferida tinha fechado bem. Não havia sangue nesse lado. Sakura tocou com a bolsa para obter uma cura perfeita.

Naruto a observava cada movimento, mais fora de tédio do que por curiosidade.

Ela terminou e empurrou uma garrafa de água nas mãos.

— Beba!

Naruto pegou a garrafa em suas mãos e começou engoli o líqudo. Ele não estava em condições de comer nada sólido, até agora, apenas na água e outros sucos.

— Eu finalmente consegui fechar a ferida. Mas tenha cuidado para não reabrir.

Naruto sorriu e falou as palavras 'obrigado'. Sakura estendeu a mão e puxou Naruto para cima. Sasuke aproximou e agachou para que Naruto subisse em suas coisas. Naruto abraçou seu marido tão ligeiramente. Sua cauda lentamente varreu para frente e para trás.

~oÕo~

Eles haviam caminhado por longas horas e estava quase escuro. Sasuke encontrou um bom lugar para descansar e agora estavam colocando todas as coisas e fazendo suas camas.

Sakura dormiu no momento em que estava em sua cama improvisada. Naruto e Sasuke estavam encostados uns contra os outros também na frente do fogo.

Naruto recuperou notavelmente energia nas últimas horas. Ele estava novamente segurando uma garrafa nas mãos, estava vazio. Jogando com ele, olhou para a floresta escura. Ele cedeu Sasuke, que olhou para cima e apontou para si mesmo e depois para os arbustos.

— Há algo lá? — Sasuke sabia disso desde que Naruto pegava a cauda, ​​sua visão noturna também melhorar.

Naruto sacudiu a cabeça.

— Você está com dor?

Naruto balançou a cabeça novamente, ficando um pouco frustrado, mas alargou os olhos.

— Ah, você precisa ir. — Sasuke exclamou e Naruto assentiu. — Eu irei com você, caso alguma coisa aconteça...

Naruto deu-lhe um olhar, dizendo-lhe que era perfeitamente capaz de ir sozinho, virou-se e entrou nos arbustos. Sasuke olhou para Sakura adormecida e seguiu Naruto.

Depois de caminhar cerca de 10 metros, Naruto de repente parou, virou-se para Sasuke e sorriu. Ele então apontou para o leste e caminhou naquela direção.

Depois de mais alguns metros, ele descobriu o que Naruto quis dizer. Havia um onsen, mas ainda pertencia à natureza. Naruto brilhou seu sorriso faceiro.

— Foi esse o seu plano o tempo todo? — Sasuke perguntou, parecendo divertido com o Onsen. Naruto sacudiu a cabeça, mas não muito convincente. — Você só queria estar sozinho?

Naruto sorriu, gesticulando com as mãos. Eles tiraram suas roupas e entraram na água morna. Primeiro, sentaram-se por cerca de cinco minutos, então Naruto mudou-se para Sasuke e começou a lavá-lo. Sasuke alcançou o pescoço de Naruto e removeu o curativo.

A ferida tinha começado a cicatrizar. A ferida ainda era obviamente crua e vermelha. Parecia que poderia abrir-se em um toque.

O moreno inclinou a cabeça em direção a ele e beijou um lugar ao lado dele, Naruto empurrou-o de volta gentilmente, balançando a cabeça. Em vez disso, agarrou o cabelo de Sasuke e o puxou para um beijo. Sasuke respondeu empurrando sua língua através dos lábios do outro homem. Sasuke deixou suas mãos viajar sobre estômago.

Ao mesmo tempo, Naruto estava dando a Sasuke algum tipo de massagem, o que fez tremores agradáveis escorrer sua espinha. Sasuke ergueu uma perna sobre Naruto e sentou-se em seu colo e empurrou-o até ele se debruçou contra a borda do onsen. Eles se separaram por um momento, Naruto fazendo alguns barulhos, tentando dizer algo, mas obviamente não está gerenciando.

— Hmm, perdi isso.

Sasuke queria esperar por Naruto para recuperar o fôlego, mas Naruto já estava de volta em ação e o beijou novamente. Sasuke o empurrou para trás um pouco e, em vez disso, sugou o lobo da orelha. Dessa forma, Naruto ainda conseguiu recuperar o fôlego.

Depois de um momento, Naruto se afastou do aperto de Sasuke e se curvou, dando-lhe beijos no pescoço. Sasuke ofegou, Naruto sabia que ele gostava disso. Então Sasuke deixou seus braços viajarem pelo corpo de Naruto até a cauda e começou a traçar círculos acima da cauda.

Naruto abriu um momento para dar um suspiro e sua cauda subiu. Parecia um chocalho, porém logo se transformou em um estranho som ronronante. Não é exatamente o que deveria ser, mais perto.

Sasuke sorriu.

As suas ereções esfregando uma contra a outra. Ambos gostaram muito. Sua outra mão seguiu para frente de Naruto, indo cada vez mais baixo.

~oÕo~

Sasuke e Naruto voltaram quase uma hora depois para o acampamento com cabelos molhados. Depararam com uma Sakura estava acordada e mau-humorada.

— Porque demoraram?

— Onsen, — ele explicou, apontando o ombro dele, quando viu Naruto olhar para ele.

Naruto respirou fundo e voltou para a árvore, descansando contra ela.

— Vocês são incorrigíveis, nem quando está ferido, param. — disse Sakura.

— Vai fazer! — Sasuke disse e sentou-se ao lado de Naruto, que deixou a cabeça descansada no ombro de Sasuke e se inclinou para trás. Ficaram adormecidos quase que imediatamente.

~oÕo~

Os olhos perolados encaravam o teto com expressão confusa. Apesar da explicação de Tsunade-sama, ainda era difícil entender o fato que estava vivo.

Desde criança, Neji aceitou que seu destino era morrer jovem, essa era a sina do selo pássaro. Ele era da casta mais baixa da família Hyuuga, ele aceitou seu destino.

Claro que algumas coisas mudaram em sua mentalidade após conhecer Uzumaki Naruto. Aquele garoto falador e esparramado lhe mostrou os verdadeiros valores da vida e por quem lutar. Foi assim que ele morreu, lutando para proteger seu clã, sua família e amigos. Talvez por isso que era tão desesperador aceitar que estava vivo.

Ele tinha em suas mãos uma segunda chance e não sabia o que fazer com isso.

Neji puxou o ar para seus pulmões com rapidez e os soltou lentamente. Ele virou o rosto para esquerda quando o barulho de porta chamou sua atenção. Ele moveu com cuidado e sentou na cama.

— Hinata-sama!

— Por favor, Neji-oni-san… Deixamos de lado essa formalidade. — ela disse com cuidado. A garota depositou sobre a pequena mesa uma cesta de frutas recém-compradas e depois sentou na cadeira ao lado da cama. — Como se sente

— Ainda confuso! Eu…

— Acho que vai levar um tempinho para lidar com isso. — ela disse em tom gentil. Hinata era uma brisa suave em um dia quente. Como Neji nunca percebeu isso antes era um mistério. — Papai pediu para avisar que virá mais tarde para falar com você, ele não veio antes porque está lidando com alguns assuntos do Clã.

— Hn… Aposto que estou causando problemas…

— De maneira alguma! Sua morte foi dolorosa para todos… — Hinata disse com a voz trêmula. Ela levou muito tempo para aceitar a morte de seu primo, quem sempre viu como irmão mais velho. — Mas… Trouxe mudanças para o nosso clã!

— Mudanças?

— Você não se viu no espelho ainda?! — ela comentou. Hinata retirou um pequeno espelho de sua bolsa e entregou ao primo. — Veja!

— O quê? — Neji disse incerto.

Hinata acenou com a mão, indicando para ver seu próprio rosto no pequeno espelho.

Neji suspirou e aceitou a indicação. Em primeiro momento, ele olhou sem interesse. Seus olhos eram os mesmos e sua pele pálida, tudo parecia igual, até que percebeu que faltava algo. Um selo que carregava desde criança. — Como?

— O selo pássaro foi desfeito alguns meses atrás… Um pouco depois do fim da guerra. Não temos mais duas ramificações dentro do clã… Sou apenas único Clã… Os Hyuuga… — Hinata disse com orgulho.

Os olhos perolados de Neji arregalaram. Ainda era difícil de aceitar a falta do selo amaldiçoado do que o fato que estava vivo.

— Mas…

— Você é livre para traçar seu destino, Neji-oni-san… — disse Hinata.

— Ainda… Uau! — ele abaixou a mão com o espelho e manteve encarando sua prima. — Como… Como estão todos? — perguntando querendo mudar de assunto. Precisava de tempo para lidar com isso. Não tenho mais amarras.

— Estão bem… Gai, Lee e Ten ten irão vir amanhã lhe visitar. Eles entenderam que hoje está reservado para a família. Todos Clã estão loucos para vê-lo. Hanabi está organizando uma festa para quando sair daqui. — disse Hinata.

— E os demais? Naruto? Vocês…

— Não! Eu sempre amei Naruto, mas entendi que esse sentimento era mais admiração ou fraterno. Ele está casado com Uchiha Sasuke e tem… Dois filhos.

Os olhos de Neji arregalaram. — Quantos anos eu fiquei… Morto?

Hinata caiu na gargalhada e passou a contar para seu primo sobre os últimos acontecimentos, desde como a quarta guerra terminou até a ressuscitação dele e Uchiha Itachi.

Como levaria um tempinho, ela ocupou em descascar uma laranja para o primo e explicou com calma e suavidade os recentes acontecimentos.

~oÕo~

Era em torno do meio-dia quando a equipe 7 chegou no portão de Konoha e foram direto para o hospital. Tsunade estava lá esperando por eles com a adição de um médico da Hyuuga. Sasuke havia enviado uma mensagem através de cobra invocada.

Naruto foi levado diretamente para uma sala de exame e Shizune o ajudou a tirar a jaqueta e camisa. A médica Hyuuga levou Sakura para outra sala por ordem de Tsunade para avaliar seu ferimento.

Sasuke manteve-se perto da maca como estava o marido, nunca afastando os olhos de Naruto, concentrando-se no azul.

Tsunade percebeu que o símbolo da raposa estava visível. Na verdade, era muito bonito se você se esqueceu de que era um selo que estava guardando Kyuubi no Kitsune; um demônio temido.

Tsunade olhou para o loiro. Ela tirou a bandana do pescoço e avaliou a ferida. As duas feridas, entrada e saída, estavam cruas e rosadas, mas não havia mais sangue.

— Tudo bem, — disse Tsunade.

Ela avaliou com seu chakra a situação do ferimento interno. Poderia dizer que a cicatrização estava quase completa, assim como as cordas vocais. Obviamente se não fosse pela raposa, mesmo que Naruto sobrevivesse, ele perderia a voz.

— Pode falar algo? — a loira pediu.

Naruto olhou para Sasuke e depois Tsunade.

— Claro Baa-chan… Mas é ainda um pouco doloroso falar. — Naruto disse. Sua voz soou grave.

— Hn! Precisará de mais um tempinho para volta ao normal.

— Ele precisa ficar no hospital? — Sasuke perguntou, preocupado, desaparecendo lentamente de seu rosto, pois sua mão queria acariciar o rosto de Naruto.

— Não vejo necessidade. Apenas evite gritar ou forçar de mais a voz. Retorne daqui 3 dias para outro check-up. — disse Tsunade.

— Então posso ir? Estou cansado, — Naruto disse. — Eu quero pegar as crianças e ir para casa.

— Talvez Uchiha queira demorar um pouco mais. Seu irmão acordou. — disse Tsunade.

Os olhos negros de Sasuke se arregalaram por breves segundos, antes de retorna a expressão imparcial.

— Oh, Neji também?

— Sim!

— Que legal! — Naruto sentou com a ajuda de Shizune e passou a vestir suas roupas. — Ei, Teme… Por ficar para ver seu irmão… Eu vou à frente buscar as crianças na casa de Ino! — disse entre bocejo.

— Obrigado, — Sasuke disse para ela muito suavemente, mas ao mesmo tempo com muita clareza. Era raro vê-lo agradecer por algo, assim, Tsunade entendeu que era desde pelo irmão aos cuidados de Naruto.

~oÕo~

Sasuke seguiu a enfermeira pelo corredor frio e silêncio até o terceiro andar do hospital. Aquela ala havia sido separada exclusivamente para os dois ninjas ressuscitados. Havia pelo menos quatros ANBU fazendo a segurança.

Kakashi ainda estava lidando a história que criaram para o retorno dos dois, a fim de não causar tanto alvoroço no mundo Shinobi. Muitas pessoas iriam querer esse justu para trazer seus entes queridos de volta, por isso, precisavam de uma capa bem elaborada.

Sasuke parou em frente à porta branca e ignorou o que a enfermeira falou antes de se afastar e deixá-lo sozinho.

Ele respirou fundo e girou a maçaneta da porta. Seus passos firmes soaram no quarto. Ele parou dois passos da cama hospitalar e seus olhos brilharam ao visualizar seu irmão mais velho.

Itachi encontrava sentado na cama e com os olhos igualmente fixados em seu irmão. As feições de ambos Uchihas eram fria e em emoção, porém em seus olhos podia se ver tudo que sentiam. Uma mistura de alegria, medo e expectativa.

— Olá Ototo! — Itachi disse quebrando o silêncio.

Sasuke engoliu sua saliva e desviou a face, reparando na decoração escassa do quarto. — Olá!

— Me informaram que estava em uma missão. Tudo ocorreu bem? — indagou Itachi.

Sasuke aproximou mais da cama e sentou na cadeira ao seu lado, e finalmente voltou a encarar seu irmão.

— Sim, quero dizer… Eliminação o alva, mas Naruto foi ferido.

— Naruto-kun está bem?

— Ele está se recuperando!

O silêncio retornou a cair no quarto por alguns minutos. Itachi olhou para suas mãos calejadas. E Sasuke parecia contar o gotejar da intravenosa conectada ao braço do irmão.

— Me contaram que você se casou com ele, e tem dois filhos.

Sasuke deu pequeno sorriso. — Sim! Natsu tem seis anos.

— Possivelmente não é filho seu e Naruto-kun?

— Não! Ele é fruto de uma experiência de Orochimaru. — disse tom amargo. Amava seu filho primogênito, mas não era ‘entusiasmado’ como aconteceu. Teria para sempre o receio que Natsu tivesse alguma sequela de qualquer experiência daquela cobra. — Já Yuki é minha e do dobe.

Itachi contorceu o canto dos lábios em um sorriso mal formado. Após anos sem motivo para sorrir, ele certamente desaprendeu a fazer.

— Acredito que Naruto-kun seria peculiar para conseguir essa façanha!

— Sim, somente ele. — Sasuke exclamou. Ele reuniu toda sua coragem e finalmente perguntou: — Decidiu o que fará de sua vida agora

Itachi virou o rosto e encarou o céu pela janela. A vida naquele momento parecia tão calma e sem grande expectativa. Ele não precisava mais lutar e isso deixou um espaço muito grande.

— Não sei! Eu… Cogitei em ir embora… Mas…

— Você está em casa, oni-chan… Não precisa mais fugir. — Sasuke disse com firmeza. Não queria que Itachi fosse embora. — Nosso Clã… Nossa família… Sempre terá um espaço para você!

Itachi olhou para Sasuke com os olhos arregalados. Uma família! Era algo que há muito tempo desistiu.

— Aposto que se decidi retornar as funções de Shinobi, terá sua posição. Seu nome está limpo na aldeia.

— Não! Eu… Não quero mais lutar. Faria para defender… Minha família… — disse baixinho.

Sasuke acenou.

— Estou reformando o Distrito. Aluguei algumas casas para alguns amigos… Pode escolher uma das casas ou podem viver conosco…

Itachi sorriu com suavidade, dessa vez, sem parecer forçado. Para Sasuke confiar nele o suficiente perto de sua família, era importante. Aqueceu seu peito.

— Acho que gostaria disso. Conhecer meus sobrinhos… Conviver… Com… Meu irmão e cunhado. — disse.

O silêncio retornou a cair no quarto e dessa vez nenhum deles fez sinal que quebraria tão cedo. De alguma forma, era reconfortante estarem no mesmo recinto apenas apreciando a respiração um do outro e a presença. Algo que perderam há muito tempo. A paz!

Um novo caminho abria diante deles. Uma vida que anos atrás foi roubada. Temia imensamente essa possibilidade, mas igualmente queria agarrar a ela e nunca mais deixar fugir.

~oÕo~

Naruto seguiu para casa. Ele acenou para algumas pessoas, mas evitou falar. Aproveitou e passou na barraca Ichikaru e encomendou cinco ramen para almoço. Tudo que queria era dormir o dia inteiro. Ele pagou a Tenchi e retornou a caminhar.

Ele passou pela porta do Distrito Uchiha e rumou para a casa que Ino e Sakura moravam. Sabia que Sakura já tinha ido para casa e torceu para que ela garantisse que as crianças estivessem prontas apenas esperando por ele.

Não preciso bater na porta, porque Natsu e Yuki esperavam por ele na porta com Ino. O menino correu para avistou Naruto e o encontrou no caminho.

— Chichue… — Natsu gritou e agarrou o corpo de Naruto, rodeando os braços em seus quadris.

Naruto agachou e retribuiu o abraço.

— Ei, garotão! Também estava com saudade.

— Vocês demoraram. — Natsu disse fungando. Ele permitiu que o loiro afastasse sua face e limpasse as pequenas lágrimas. — Você falou que seria rápido.

— Lamento… Demorou mais que previmos. — disse a voz rouca.

Natsu viu o curativo ao redor do pescoço de Naruto e estremeceu. — Você se machucou? Cadê Tousan?

— Seu pai está no hospital. Ele está visitante alguém. Vamos para casa?!

Natsu acenou.

Naruto quando este levantou e entregou as sacolas com Ramen para que Natsu levasse.

Ino aproximou com uma Yuki irritada nos braços. A menina estendeu os braços gordinhos para seu pai.

Naruto pegou Yuki e a aninhou contra seu corpo. — Ei, tudo bem, princesa. Mama retornou. — disse com sutileza. — Eu vou pegar as coisas depois, Ino!

— Claro! Você está bem? Sakura me contou…

— Ficarei! — Naruto disse um pouco grosseiro. Ele apenas queria ir para casa curtir seus filhos e descansar.

Ino acenou em concordância e permaneceu na entrada da sua casa assistindo a família Uchiha-Uzumaki afastar.

Até o próximo capítulo...


Notas Finais


Qualquer errinho, me avisem que corrijo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...