História Asylum - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Fluffy, Jikook, Jimin Uke, Jungkook Seme, Kookmin, Namjin, Shotacon
Exibições 125
Palavras 2.230
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Perdoem-me pelo atraso, estava complicado escrever com minha mãe em casa ~ela grita o tempo todo :v.

Mas enfim terei mais tempo para escrever pois está chegando as férias, e a minha mãe voltou ao seu trabalho ~OBG G-DRAGON.

Espero que gostem... E agradeço a todos que comentam, favoritam e os fantasminhas também <3 Amo vocês, são minha motivação ^^.

Boa leitura.

Capítulo 8 - Movie or sleeping


Fanfic / Fanfiction Asylum - Capítulo 8 - Movie or sleeping


  
                         ●•●•{Telefonem On}●•●•


       –Ainda não me respondeu, o que Jimin faz fora da clínica ?.

       –Faz parte do tratamento, o garoto fica o tempo todo apenas em seu quarto, isso o faz mal.

        –Apenas não se esqueça que o que está carregando de um lado para outro é um louco esquizofrênico.

        –Não se esqueça também que eu tenho um diploma, a melhora do seu filho foi notável, tenha um bom dia.

           ●•●•{Telefonema Off}●•●•


           No momento em que Jungkook encerra a ligação, o ruivo mira suas íris sobre o moreno, havia ouvido o que sua mãe proferiu, afinal estava falando de maneira estrondosa, porém não se feriu com o que a mesma havia dito, o seu dia estava tão agradável, não iria retirar o sorriso de seus lábios de forma alguma.

       Jimin observava a expressão furiosa de Jungkook, o rosto do moreno aos poucos se tornava avermelhado, e em suas orbes era possível notar nervosismo, o seu cenho estava franzido, Minie ficou um tanto amedrontado com a feição do outro, nunca o viu com uma expressão como aquela, pois a mesma está sempre serena e tranquila, em contraste com suas orbes, vulgo são selvagens.

        Desprendeu-se do cinto de segurança, movendo se para perto de Jeon, de um modo desajeitado se sentou sobre o colo do moreno,  aconchegando-se no mesmo, a vergonha dificultava o garoto de fazer tais atos, mesmo sem jeito rodeou seus braços no pescoço do mais velho, escondendo sua face no ombro alheio. Ao ver o estado de seu hyung quis ajudar de alguma forma, pois o mesmo já fez tanto por si, não queria o ver irritado, todavia ficou embaraçado com a situação, não sabia a maneira certa de demonstrar afeto.

       –Não fica irritado Hyung.

       Jungkook riu nasalado, quando notou que o ruivo estava preocupado com si, não conseguiu pensar em outra coisa a não ser o quão o garoto é adorável, o ruivo é tão frágil e delicado, não há motivos para a família esquecer de si, deixá-lo de lado, o moreno colocou-se no lugar do ruivo, refletindo sobre tudo que o garoto já passou, não podia deixá-lo a mercê, não iria tirar sua liberdade, muito menos parar de sair com o ruivo, ansiava por mais momentos com o garoto, usufruir de todas as expressões adoráveis possíveis de Park Jimin.

        Acolheu o pequeno corpo do ruivo em seus braços, notando o garoto se encolher minimamente sobre si, apertando o tecido de sua roupa, Jungkook antes julgou que o garoto estava desconfortável com estas carícias, porém agora o ruivo mostrava o contrário, colando seu corpo ao do outro, o coração do ruivo palpitava de um modo descomunal, se sentiu estranho, um sentimento lhe invadia sem ao menos perceber, ao mesmo tempo que lhe aquecia, também trazia um desconforto em seu peito.

        Jungkook não possuía qualquer malícia ou sentimento lascivo no momento, apenas aproveitava a quentura que o corpo de Park lhe proporcionava, pois o dia estava nebuloso e gélido, o ruivo não queria desfazer-se do abraço, pois o mais velho notaria o rubor em suas bochechas, não que o garoto entendesse o que sentia, mas seria embaraçoso perguntar a seu hyung, pois o desconforto que sentia, era por conta de Jungkook.

          De um modo desjeitoso, afastou o corpo do mais velho de perto de si, voltando a sua posição inicial, cujo onde estava sentado anteriormente, suas orbes miravam o estacionamento, e evitava encontrar suas orbes com a do maior, vulgo estava confuso, o garoto estava completamente sorridente e afetuoso, porém de uma hora para outra se fechou, considerava que o garoto era maleável e fácil de compreender, foi mero engano de sua parte.

       Girou as chaves que estavam no contato, ouvindo o soar do som que vinha do motor, ficou receoso de levar o garoto para sua casa, afinal a mãe do mesmo ligou a pouco reclamando, todavia não podia quebrar a promessa que havia feito, mesmo que ralhassem com si, levaria o garoto para brincar com o Pudim no período da tarde, afinal foram tantos anos que a Família Park ao menos se importou com o estado do garoto, não compreendeu esta mudança repentina.

       O som do automóvel se movendo prevalecia no ambiente, o silêncio que pairava ali era angustiante, durante todo o percurso foi deste modo, nenhuma das da partes proferiam alguma palavra, o ruivo estava com medo, afinal tudo é tão confuso para si, o que lhe amedrontava no momento, era a maneira que seu corpo reagia aos toques de Jungkook, seu desejo de perguntar ao mais velho sobre seus atos na cozinha lhe corroía, os arroxeados ainda permanecia em sua pele, se lembrou de quando era espancado por sua mãe, e as manchas que a mulher causava em si, será que Jungkook lhe machucou de propósito, será que havia feito algo errado, eram tantas dúvidas em sua cabeça, que os poucos a mesma começou a ter dores incomodas e latejar levemente.

       –Chegamos pequeno.

      O menor se distraiu em meio aos devaneios que nem notou o local que estava, havia um arranha-céu a sua frente, num tom esverdeado marinho, em contraste com as vidraças, cujo eram esbranquiçadas como neve, o mais novo ficou boquiaberto com o quão alto era aquele prédio, e o quanto era sofisticado, retirou o cinto de si, se movendo para fora do carro, ao menos aguardou seu hyung, sua curiosidade foi tamanha que não consegui esperar.

       O mais velho ativa o alarme de seu carro e guia se para próximo do ruivo, juntando suas mãos a do outro, porém Jimin a retira, quaisquer toque do mais velho era como um choque, algo estranho, lhe deixava desconfortável.

       Jeon estranhou o comportamento do mais novo, nunca agiu rudemente com si, todavia não lhe encheria de questionamentos, não deseja magoa-lo muito menos pressioná-lo, o seu medo é se havia chateado o ruivo, mas a mudança de humor repentina faz parte da esquizofrenia, não tinha noção do que esperar de Jimin.

       Caminhou ao lado do ruivo, o pequeno apertava entre os dedos a barra de sua camiseta e seu olhar se prendia ao chão, o moreno notou alguns tropeços por parte de Minie, o ruivo parecia alvoroçado internamente, seu comportamento mudou de maneira subitânea, antes sorria abertamente e agora não esboçava sorriso algum, parecia disperso.

       Pós a chegada na recepção, o mais novo analisa atentamente os detalhes do local, tudo era sofisticado, minimamente decorado, com tons de branco e controversos com o esverdeado, o ar do local era um rústico moderno, o elevador era transparente, dando vista ao hotel e suas decorações, não havia entrado em um elevador anteriormente e mentiria se dissesse que não estava amedrontado.

       O mais novo notava o olhar de Jungkook sobre si, sentia as orbes enigmáticas do mais velho sobre sua pele, a queimando, sempre julgou o olhar de Jungkook muito profundo, todavia hoje possuía intensidade descomunal, Jimin ouve o som soar do elevador, apitando a sua chegada, o medo fez suas pernas estremecerem, mesmo que a ideia de entrar ali fosse pavorosa, a enfrentou.

       Adentrou o cubículo, se posicionando a direita, num canto, apertando firmemente a barra de ferro entre os dedos, Jungkook estava longe de si, pressionando alguns botões no painel, a maior vontade do ruivo era gritar pelo moreno, e o implorar para cuidar de si, mas seu orgulho o impedia, quando as portas metálicas se fecharam e o elevador começou a se movem o garoto choramingou, não conseguia olhar para os lados, com medo da altura, a vidraça transparente dava a visão do transporte, no qual se elevava vagarosamente.

       O mais velho notou o pavor tomar conta do baixinho, estava receoso de se aproximar, porém fez tal ato, o encurralando contra a divisória do cubículo, acolheu o mais baixo em um abraço, no qual o menor correspondeu, escondia sua face contra a camisa alheia para afastar o seu medo, não queria passar a imagem de um medroso para seu hyung, porém foi inevitável, o medo tomou conta de si, lhe alastrando, todavia com o corpo de Jeon colado ao seu, o medo se esvaiu, evaporou se no ar, a quentura do outro lhe transmitia calma.

       As portas metálicas se abrem, provocando um pequeno rangido, os jovens se retiram do ambiente e agora seguiam para o corredor do apartamento, era demasiadamente extenso, a iluminação acendia conforme andavam pelo local, aos olhos de Jimin era assustador, o ruído dos sapatos contra o chão lhe irritava, e o breo atrás de si o amedrontava, estava como uma criança, que estremecia ao pensar nos monstros embaixo de sua cama.

       Nota o moreno procurar algum objeto em seu bolso, e o vê retirando uma espécie de cartão, o passando ao lado da porta, no momento em que o cartão desliza pelo sensor a porta se abre, e a iluminação do ambiente acionou se automaticamente, o ruivo ficou impressionado com aquilo, por mais que fosse tolo para muitos, o garoto considerava anormal, dentro da clínica é tudo tão simples e em sua antiga casa, sobrevivia em condições insalubres, não que sua família não possuísse recursos para cuidar de si, afinal é uma família nobre, de sobrenome conhecido, todavia seus progenitores ignoravam sua existência.

       –Venha pequeno. - o mais velho o puxava pelos pulsos para dentro, o ruivo estava envergonhado com a situação, afinal seu hyung faz de tudo por si, sempre atendendo seus desejos, seu medo é estar sendo abusivo.

         No momento em que adentrou a sala, o felino de pelos alaranjados correu em sua direção, esfregando se nos calcanhares do ruivo.

       –PUDIM.- o ruivo gritava em animação, acolhendo o felino em seu colo, ao observar a sala, notou a casinha onde supostamente o felino descansa, era almofadada, com um pequeno travesseiro no tom branco, combinando com o negro do ambiente.

        Procurou entre as sacolas de compras, achando a pequena roupa para o felino que haviam adquirido, de tricô, apertou a pequena vestimenta em suas mãos, tão pequenina. Com cuidado trajou o felino, observando o quão ficou adorável daquele modo, o animal parecia desconfortável com aquilo em si, se remexia de um modo estranho.

        –Olhe hyung, ele não está fofo ?.

        –Está amável - riu nasalado - Quer assistir um filme pequeno ? .- o mais novo assente ruborizado.

        –Me aguarde em meu quarto, levaria algo para comermos.

      O mais novo caminhou pelos corredores daquele apartamento, a procura do quarto do moreno, com o felino entre os braços, o pequenino ronronava com as carícias distribuídas em si, e o ruivo sorria satisfeito, parou em frente a uma porta amadeirada no tom negro, com maçaneta metálica, girou-a levemente, o rangido da porta invade seus ouvidos, adentrou o ambiente um pouco envergonhado, observando tudo a sua volta, sua curiosidade sempre foi algo gritante. As cortinas eram negras e pesadas, havia um carpete acinzentado sobre o chão, e uma box de proporção gigantesca, o local era pesado, assim como o escritório do mais velho, tudo ali era tão obscuro, sem vida, porém o moreno parecia se agradar em um ambiente assim.

       O mais novo resolveu ajudar de certa forma, deixou o felino sobre a cama e aproximou-se das cortinas negras, as fechando, queria deixar o mais confortável possível, procurou no guarda-roupa se havia algum travesseiro, encontrou o que procurava e estava pronto para fechar o armário, quando se depara com uma camiseta de Jungkook, o cheiro que vinha da mesma era intenso, sempre se deleitou com o perfume que seu hyung exalava, pegou a peça, a cheirando, tão agradável, uma fragrância amadeirada, e excêntrica, o cheiro parecia ser único de seu hyung.

        Deixou o tecido sobre a cama, e arrumou os travesseiros, de forma desajeitada, sua tentativa era fazer uma "poltrona", algo confortável para com que encostassem, considerou perfeito aos seus olhos, perdido na arrumação não notou a chegada de Jungkook, que agora estava atrás de si, lhe abraçando.

       –Você voltou hyung, olha o que eu fiz. - o garoto agora parecia animado, apontava alegremente para um amontoado de travesseiros em completa desordem.

      –Parabéns pequeno, parece confortável, eu trouxe a pipoca.

       O mais novo praticamente o arrastava para a cama, dizendo o quão o amontoado de travesseiros era confortável, causando risos por parte de Jungkook, o ruivo sempre emanava alegria, se animava facilmente com atos simples, o garoto julga que seu hyung sempre lhe ensina algo, e ele é desprovido de ensinamentos para passar a Jungkook, porém não sabe o quanto o mais velho aprecia a sua forma de ver o mundo.

        –Deite-se em meus braços Jimin.

       O mais novo deitou-se ao lado do mais velho sem hesitação, é aconchegante o calor emitido por Jeon Jungkook, o baixinho apreciava de certa forma, o felino estava a sua frente, juntamente aos jovens, dormindo encostado no ruivo. O filme se iniciou, a tela negra transmitia uma imagem perfeita, era diferente dos televisores antigos da clínica, ora ou outra levava suas mãos gordinhas ao vasilhame de pipocas, derrubando diversas sobre a cama, por falta de atenção, estava intensamente preso as imagens no televisor.
       
       Jungkook acariciava seus fios enruivados, que deslizava entre os dedos do moreno, as carícias eram tão suaves, que o menor sentiu suas orbes pesarem, e fecharem lentamente, tentava com brandura combater seu sono, porém se rendeu ao mesmo, seus braços amoleceram, juntamente ao seu corpo, a respiração do ruivo aos poucos foi se tornando vagarosa, e um pequeno filete de saliva escorria sobre a camiseta do moreno, o garoto havia adormecido entre os braços de Jeon.


Notas Finais


"Não ficairritado Hyung" ... ALGUÉM GUARDA ESSE HOMI NUM POTINHO HAJSHHASHAHA

Me desculpem se decepcionei vcs >.< Não achei q está bom o suficiente.
No capítulo tentei ao máximo passar a confusão na mente de Jimin... pensamentos desorganizados fazem parte da esquizofrenia, mesmo com a mente estabilizada (digo das crises ) não consegue organizá-los. ~se acostumem com esse Minie confuso <3.

Bjin... Até o próximo capítulo :3 ~não me responsabilizo se chorarem ~olha o spoiler hahhshhahasj.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...