História At the wrong time | Got7 - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, JR, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags Amizade, Amor, Cantoria, Got7, Grupo, Kpop
Exibições 79
Palavras 1.353
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Talvez eu tenha voltado antes da hora, mas mesmo aqui como no wattpad eu não me segurei e postei antes da hora, pq eu amo esse capítulo. AAAAAA. Aproveitem.

Capítulo 10 - Surpresa!


Alguém estava batendo na porta do quarto, olhei para o lado e vi o horário, 15:00, dormi demais, Lara ainda dormia serenamente ao meu lado, levantei e fui ver quer era o indivíduo que estava na porta.

- O que quer? - Me espreguiçei

- Querem sair conosco? - Era Youngjae perguntando

- Não, não. - Estava quase dormindo em pé

Ele não disse mais nada, voltei a cama e me embrulhei de volta aos cobertores.

{...}

Estava sentindo alguém beijar delicadamente meu rosto. Era Lara.

- Boa Tarde - Ela disse

- Bom dia! - Eu ri

Ela carregava consigo uma bandeja de café da manhã, que seria da tarde.

- Trouxe pra gente.

A menina se acomodou na cama e colocou a bandeja no nosso meio. Ficando um de frente para o outro.

- Você ainda está com a minha blusa! - Eu comia e falava

- Eu sei!

Nós comememos e conversamos um pouco.

{...}

- Vou te fazer um doce! - Ela riu travessa

- Que doce - Ponderei

- Brigadeiro. - Riu

- Bri o quê? - Eu estava relamente confuso

- Bri-ga-dei-ro. - Soletrou

- Brideiro?

- Vamos esquecer a pronúncia!

Ela se virou de frente pro fogão e começou a preparar o tal doce estranho.

- Como devagar, ele gruda!
Peguei uma colher e botei um mínimo pedaçinho, levei a boca, a menina me olhava apreensiva, tinha um gosto bom.

- É boooom? - Ela comia

- É maravilhoso. - Peguei mais

Nós ficávamos rindo um da cara do outro comendo aquele doce, era engraçado.

Tinha apenas um resto, o suficiente para uma pessoa, nos olhamos, como um filme cowboy, quando está prestes a acontecer uma rixa.

Sorrateiro peguei o prato e corri.

- Jinyoung! Volta aqui! - Ela corria atrás de mim

Eu corria sem parar, dávamos voltas e voltas dentro de casa.

- Aish, cansei! - Ela se jogou ao chão

- Eu também! - Me joguei ao seu lado

Em um piscar de olhos ela tinha pegado o brigadeiro que havia sobrado no prato que havia em minhas mãos.

- Ganhei! - Lara sorriu vitoriosa

- Não por muito tempo!
Me virei para cima dela, e começei a fazer o que ela mais odeia, cócegas. Lara ria como uma criança.

- Pa-Pa-Pare. - Lara dizia no meio de risos

- Só se você cantar pra mim! - Continuei com o "ataque"

- Não vou cantar! - Ela disse séria

- Por que não? - Parei o "ataque"

- Não consigo cantar na frente das pessoas.

- Por quê não? - Perguntei

- Ela deu um suspiro fundo e alto. - Oppa, eu vou me abrir, eu nunca contei isso a ninguém.

Eu levantei e a ajudei-a fazer o mesmo, ela se sentou de frente para mim no sofá e começou a contar...

- Eu tinha apenas 9 anos. Eu amava cantar, eu amava alegrar as pessoas com meu canto. Isso me fazia bem.

Mas isso mudou.

Meu tio, um homem sujo, grotesco, me olhava sempre de uma forma estranha, nas reuniões de família. Me assustava, mas podia ser apenas minha imaginação fértil.

Minha omma, não sabia de nada, para ela, e para todos era um homem normal, mas pra mim não, me deixou sozinha com ele, omma precisava ir ao banco e não tinha ninguém que pudesse ficar comigo, além dele.

As primeiras horas foram normais, até eu abrir a minha boca.

Começei a cantar, uma velha cantiga, música de criança.
Ele me olhava de todas as formas, de todos os lados, cada detalhe.

Ele me disse que ia fazer uma brincadeira, me amarrou em uma cadeira e retirou o meu vestido.

Estava calor, de dia, achava que íamos brincar com água, uma coisa divertida. Foi só o que eu pensei.

Flashback on
- Menina tosca, tão bobinha, des de tão novinha. - Ele ria sarcástico

Eu não respondi, so fechei meu olhos, queria imaginar o lado positivo, mas era quase impossível.

- Hoje, você vai cantar só pra mim, se chorar, vai levar. - Ele me mostrou uma madeira, aparentava ser velha, tinhas pregos enferrujados cravados. - Se desafinar, vai levar.

Qualquer delito, vai levar.
Começei a cantar, sem querer, deixei meu choro aparente. Uma maderada na barriga, impiedosamente.

Uma marca roxa, se revelou.
Continuei a cantar, sem transparecer nenhum sentimento, mas mesmo assim, levava mais e mais madeiradas.

Ele leu algo no seu celular e paralisou, me soltou da cadeira, e me jogou o vestido de volta.

O homem segurou meu braço de uma certa forma bruta.

- Se você contar algo que aconteceu aqui para sua omma burra, você vai morrer. - Ele passou sua mão pela garganta

Flashback off
- A Tortura só continuou, eu me fechei para o mundo, a menininha que cantarolava por aí, desapareceu, eu me tornei agressiva, pois tinha medo de tudo, me tornei arrogante, pois não deixava desaforo passar, me tornei assim, pois eu queria me defender, não passar por isso outra vez. A mesma coisa continuou por 4 anos...

Minha omma descobriu, ele foi preso, perpétua, mas continuo com medo dele.

Eu a observava atentamente, a cada palavra que ela dizia, eu estava estupefado, sem palavras.

- Miane, não vou te fazer cantar. - Dei um beijo em sua testa

- Eu gosto de cantar, mais não na frente de pessoas. - Ela riu sarcástica - Eu não gosto de tirar roupa na frente de outras pessoas, ou ir a praia de biquíni, pois minhas marcas são muito visíveis.

- Por isso... - Bati na minha cabeça - Mas você não devia ligar para isso. Você sabe que tem um corpo incrível - Sorri bobo

- Tenho uma proposta pra ti.

- Qual?

- Eu canto, mais você vai cantar comigo.

- Feito. - Demos as mãos

N/a: Socorro! Eu amo muito essa música, agora eu fico imaginando esses dois extremamente desajeitados cantando, gente eu imagino que tenha ficado fofíssimo! / Pessoinhas do Spirit, a música é Dream - Baekhyun e Suzy.

A cantoria foi incrível, a potência vocal de Lara era de outro mundo, todos deviam ouvi-la cantar, mas ela não gosta, então nao irei força-la nada.

- O que vamos fazer? - Perguntei para ela

- Não sei... Assistir filme tá chato... Comer, já comememos, podíamos comer de novo, mas não. Ham... Vamos ficar na praia.

- Beleza. - Sorri

Nós saimos de casa de mãos dadas em direção a praia.

- Olha o casalzinho. - Yugyeom apontou para nós
Sentamos na areia no meio da rodinha.

- O que fizeram a tarde toda sem nós em casa? - Youngjae perguntou com seu sorriso malicioso nos lábios.

- Não fizemos nada! - Eu falei
Lara estava com o rosto vermelho, ela tem a personalidade forte, mas também tem vergonha de mínimas coisas.

O pessoal caiu na risada.

- Aigoo, eles são um casal, são adultos, qual o problema? - BamBam se pronunciou

- Não fizemos nada! - Disse mais forte - Aonde está Mark e Jackson?

- Sairam pra se pegar. - JB disse rindo

Estávamos rindo, porquê é sempre assim, nunca vimos eles se pegar na nossa frente, só as escondidas, acho que tinham medo de paparazzi ou de julgarmos.

- Lara... Posso falar contigo? - Lisa me perguntou

- Claro... - Ela respondeu

Pov Lara
Me levantei da areia junto com Lisa e fomos até a pedra, pedra do amor.

- Diga! - Eu disse

- Hoje eu de JB fazemos 1 ano de namoro... (N/a: Hehehe, eles completam 1 anos de namoro, no dia que estou escrevendo isso, 8 de Outubro) - Abriu um sorriso bobo - Queria fazer uma surpresa... Se é que me intende...

Eu começei a rir igual uma gazela desmamada, eu entendi o sentido que ela quis dizer, eu só não esperava que ela fosse esse tipo de pessoa.

- Pare de rir sua besta. - Riu soprado - Preciso de ajuda, ainda dá tempo de ir ao shopping? - Ela olhava o seu relógio de pulso

- Dá tempo calma, são 18h, o shopping é aqui do lado, venha vamos logo! - A puxei de volta pra rodinha - Nós vamos ao shopping, não desapareçam! Quero vocês de volta em casa as 22h! Me ouviram? - Adverti

Eles acentiram com a cabeça, nós fomos em casa pegamos o que precisávamos e saimos de novo. Caminhamos bem rápido, os meninos iam voltar as 22h, precisávamos de tempo para arrumar as coisas, tinha que ajudar ao máximo minha amiga.

- Do que precisa? - Perguntei

- Aish... Preciso de Lingerie nova, só isso. O resto ta tudo certo.

Encaramos a loja, nos olhamos, e demos uma risada.


Notas Finais


Bom, o motivo de eu ter postando da hora é pelo fato que eu to muito maaaal, e eu sei que vocês gostam dessa fic, e talvez gaçam vocês sorrirem, e como eu amo sorrisos, por mais que eu não goste sorrir, sei lá, vocês entenderam.
É isso, até qualquer dia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...