História Até Mesmo O Amor Pode Ser Louco (Yaoi) - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~OxiSeokjin

Postado
Categorias Originais
Tags Falta De Sanidade Mental, Fuga, Romance, Shoujo, Yaoi
Exibições 27
Palavras 613
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Suspense, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Transsexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais uma historia mucho loka, lembrece que drogas nao foram ultilizadas no proceso de criaçao dessa historia, das outras talvez...

Quem escreveu foi o Mininuh do Equador mas a Mina da Amazonia aqui veio dar um recadinho: Mininuh não mora mas no Brasil e esse putu desaprendeu o português, então se tiver escrito alguma coisa errada é culpa do espanhol. 2Bj de luz

Capítulo 1 - Novato no Internato


Fanfic / Fanfiction Até Mesmo O Amor Pode Ser Louco (Yaoi) - Capítulo 1 - Novato no Internato

Arthur Rodrgues... Esse é o nome de mais uma pessoa comum, mais que assim como muitos outros sempre teve um pavil curto. Ele alem de se extressar por qualquer coisa ele também demontrava se comportar de forma anormal, sendo com frequencia estranho, fazia coisas como em praças deixar pó de pão no chão para que os pombos vierem, e logo que chegavam ele se afastava e tentava acertar pequenas pedras neles, de longe, esse era mais um de seus passatempos que aparentemente eram crueis, porem que não eram, ele não tinha a intençao de machucar nenhum passaro e nem de fazer mal a nada nem ninguem, era apenas como dito anterriormente um "passatempo".

Ele alem disso não era tão sociavel, ele sempre era sinico, demonstrando sempre com clareza sua ironia sempre que não gostava de algo, tambem tinha olhos lindos, era uma das poucas pessoas no mundo com olhos lilás naturais, mais ainda assim por ser sempre "cabisbaixo" ele não demonstrava. Alem de tudo isso ele não era muito feliz, ele vivia sem se divertir nem nfrequenciaostava de musicas, jogos, livros, viagens nem de nada, umas das poucas coisas que gostava era a noite escura e silenciosa, quando o tempo passa mais devagar e sem perturbação. É... ele tinha oque muitos chamam de "depressão" mesmo que ele nem soubesse que isso existia de verdade, pois esse tipo de informaçao chega sempre até voce de alguma forma, voce escuta de alguem e procura na internet, pergunta a um amigo o que é, etc. Mais ele não tinha interesse em conversar com a maioria das pessoas, e sem escutar uma palavra nenhuma vez você nem sequer saberá que ela existe obviamente.

Bem, sabemos que "nosso heroi" não era o tipo de pessoa "sociavel e amigavel" e se tivessem que suspeitar entre uma pessoa qualquer, "normal", e ele em relaçao a um assassinato ou coisa do tipo ele provavelmente seria incriminado, e o incriminador poderia nem pestanejar. O mais triste é que assim aconteceu, ele foi incriminado pelo sequestro de uma garotinha que nem 10 anos tinha, a filha da vizinha, pois a garota foi dita como desaparecida durante a noite, uma noite deserta que ele estava caminhando, como sempre fez, aproveitando o mesmo céu estrelado que ele saia de casa todas as noites para ver.

Nesse dia a noite estava deserta, e com ele sendo o unico na rua acreditaram que ele foi o culpado do sequestro, mesmo que ele estivesse sozinho, sem nem sinais dessa menina e tendo um alibi, na praça proxima de casa, porem como não tinha ninguem para confirmar isso, ja que a praça estava literalmente vazia seu alibi nao serviu de nada, e com isso ele foi preso, seus país nem se importaram, afinal, esse tal de Arthur Rodrigues tambem quase nunca estava em casa, e quando estava sempre estava em seu quarto, literalmente não falava nada com ninguem da casa e quase não comia nem gastava dinheiro, ele lavava as proprias roupas durante a noite, e apesar de saber costurar usava roupas rasgadas e nunca queria novas. 

Como nem seus pais nem ninguem fez nada ele acabou sendo julgado como culpado, por alguma razão seus país não tiveram que atender a prisão, mesmo que ele tivesse inflingido a lei sem ter 18 anos completos, ele teve que ir a um internato, com apenas 16 anos ele foi obrigado a ir a um internato, um que so iam pessoas que tinham infligido a lei, e ele inocente teve que ir para la tambem.

Bom, dizem que a males que vem para o bem, ele não via graça na vida, sera que agora ele finalmente vai encontrar um lugar para si? 


Notas Finais


Esse capitulo foi escrito pelo ~Meninuh, aquele que ta no fim do mundo: Equador, aqui tem dolar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...