História Até o limite da honra - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kaichou wa Maid-sama
Personagens Ayuzawa Misaki, Hinata Shintani, Shouichirou Yukimura, Soutarou Kanou, Takumi Usui, Tora Igarashi
Visualizações 69
Palavras 1.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, pessoal...
Peço desculpas por não ter postado antes. Esses últimos meses foram uma loucura para mim, tava executando meu TCC, tinha que fazer relatórios científicos e várias outras coisas que ocuparam meu tempo... E a partir dessa semana eu irei postar normalmente 1 capítulo por semana...
Obrigada de coração mesmo a todos que favoritaram a história...

Boa leitura...

Capítulo 8 - Ciúmes


Depois de longos tortuosos sete dias. Vários embates foram travados, mais pessoas foram mortas. Ao que parecia a guerra entre os reinos demoraria por algum tempo. Para alguns isso é bom, para outros nem tanto.

Na ala médica Kanou retirava as bandagens que cobriam os ferimentos de Misaki que se retraia ao ver-se seminua na frente dos dois homens.

Yukimura: Até que fim seus ferimentos cicatrizaram – diz aliviado – Como você é jovem futuramente quase não se verá a cicatriz.

 Kanou: Isso só foi possível porque a trancamos aqui – diz se afastando dela.

Misaki apenas assenti enquanto ajeita sua camisa.

Yukimura: Acho que deves descansar ainda um pouco – sugeri o pequeno olhando para ela. Misaki olha-o meio severa fazendo-o dar um leve sorriso.

Misaki: Preciso de sol e ar puro – diz ela se levantando – Estou mofando aqui tempo demais.

Kanou tenta ajuda-la, mas ela o dispensa com um gesto de mão.

Misaki: Posso me levantar sozinha – diz ela suavemente. Yukimura a censura com olhar que Misaki ignora.

Ao sair da tenda leva a mão à testa cobrindo os olhos do sol que há muito ansiava. Senti o ar fresco balançar seu cabelo enquanto olha o acampamento. Havia homens limpando suas espadas, outros cuidando da comida e a maioria treinando sob o olhar atento de Usui. Misaki suspira ao vê-lo. Ele é um homem e tanto.

“Será que estou confundindo amor com devoção?” – indaga para si mesma.

Ela leva sua mão a cabeça, não poderia se apaixonar por Usui. Ele é seu comandante, alguém que não iria por os olhos em alguém como si. Além do mais, Usui tem um histórico de não se interessar por nenhuma mulher. Assim devia parar de ter devaneios. É tolice imaginar isso.

Usui ao notar a presença de Misaki lhe abre um enorme sorriso, e ela lhe retribui da mesma forma.

  – MISAKI-KUN – ao ouvir seu nome sendo pronunciado de forma histérica ela vira-se de maneira assustada, sendo abraçada abruptamente.

Hinata: Eu estava com saudades de você – diz o moreno abraçado a ela.

Misaki: Shintani! Você me assustou – diz ela um pouco ofegante.

Hinata: Desculpa – diz soltando ela – Fico feliz que esteja recuperado, os outros também estavam sentindo a sua falta.

Misaki sorri para ele e Shintani retribui o sorriso com outro amplamente largo.

Usui ao ver a cena, senti algo gritar dentro de si, como se houvesse a ter ciúmes de Misaki. Mordi o lábio inferior rapidamente. Que coisa louca!

Misaki volta seu olhar para o Usui, o sorriso some de seus lábios ao notar a expressão carrancuda do General. O que fizera de errado?

Se afasta um pouco de Hinata e aproxima-se de Takumi  que lhe lança um olhar opaco.

Usui: Vamos ver o quanto estar recuperado – diz ele com um tom de voz um pouco frio.

Misaki senti um brusco arrepio, mas assenti com o olhar. Usui pega uma espada enquanto ela pega a espada oferecida por Shintani. Esta vê Yukimura e Kanou se aproximando que também queriam ver os dois lutando.

Forma-se se um círculo em torno de Misaki e Usui que se observavam. Misaki ajeita seu uniforme e logo depois avança contra Usui que a para com sua espada. O olhar dele lhe assusta por um segundo – Por que ele está com raiva? – Pensa Misaki.

Usui a afasta, girando a espada na sua mão enquanto a observa. Sentia uma estranha onda de ciúmes toda vez que seu olhar cruzava com Shintani. Raios! – O que está acontecendo comigo? – Pensa Takumi.

Avança contra Misaki que o para com sua espada, ela detinha um olhar confuso no rosto que ele achava tão gracioso e que não conseguia parar de apreciar. Mordi a língua para si livrar de tal pensamento. Afasta-se dela, tentando cortar sua garganta, mas ela inclina rapidamente a cabeça para trás evitando o corte.

Misaki olha-o surpresa, ele realmente está levando á serio as coisas. Usui joga a espada para o lado passando depois a mão no lindo cabelo loiro. Misaki o olha por um momento confusa e inebriada, mas devolvi a espada para Hinata.

Após a pequena luta ela ficou sem entender a atitude de Usui, que a olha sombrio. Este caminha rumo a sua tenda emburrado, e Misaki fica ali sem saber que tinha acabado de abalar a mente do então impassível General.

˳˳˳˳

 

– O General deseja ver você Misaki – um soldado informa ela que estava sentada a volta da fogueira com os demais soldados. Ela assenti e caminha até a tenda do Usui.  

Misaki: O que deseja General? – pergunta, enquanto Usui permanece de costa para a mesma.

Usui: Amanhã você irá comigo até Kyoto, vista-se com roupas civis – informa ele ainda de costas para a morena.

Misaki: Não compreendi General? – indaga confusa.

Usui: Fomos informados que a comitiva do General Igarashi está na cidade, vamos nos misturar aos civis para recolher informações ao nosso favor – diz virando-se para ela – Amanhã de manhã me encontre na saída do acampamento. Está dispensado.

˳˳˳˳

 

No dia seguinte Misaki encontrava-se arrumando a sela de seu cavalo à espera de Usui.

Usui: Vamos? – pergunta ela galopando em seu cavalo.

Misaki assenti e sobe em seu cavalo seguindo logo atrás de Takumi.

Havia alguns minutos que ambos tinham saído do acampamento, e desde lá não haviam trocado uma palavra sequer. O silencio se fazia incômodo para os dois, Misaki ia falar algo mais foi interrompida por Usui.

Usui: Não acha que deveria vir com uma roupa mais simples? – o indaga, pois ela trajava um kimono um pouco extravagante.

Misaki: Foi Shintani que me emprestou, ele insistiu que eu usasse – diz um pouco envergonhada.

Usui: Shintani? – ela com vergonha não notou a alteração na voz de Usui.

Misaki: Sim, Shintani Hinata.

Usui: Vocês parecem próximos.

Misaki: Ele é meu melhor amigo – concorda ela – Nos conhecemos no campo de treinamento – falou sorrindo.

Usui: Hum.... Entendo.

Quando virou de lado, enfim notou a cara emburrada do General. – Por que ele ainda continua assim? – se questiona ela.

Após a pequena conversa que tiveram chegaram finalmente à entrada de Kyoto, deixaram seus cavalos amarrados em uma árvore e seguiram andando para a cidade. Misaki olhava admirada a arquitetura da cidade, nunca tinha ido a um lugar assim.

Usui: É a primeira vez que vem a Kyoto?

Misaki: Sim... Nunca sai do meu vilarejo, é a primeira vez que vem a um lugar tão bonito – diz sorrindo.

Usui: sorri levemente – Vamos nos separar... Se misture aos outros, seja discreto... Colete informações, nos encontramos na saída da cidade.

Misaki assenti, e segui a direção oposta da qual Usui está indo. Enquanto caminha ela observa tudo atentamente, mantendo-se mais discreta possível, pede informações dos moradores locais e segui em frente.

Ao entrar em um beco, ela avista uma jovem moça sendo agredida por um soldado do exercito inimigo. Sem pensar duas vezes, corre em direção a “garota” e desfere um soco no soldado, este tenta atingir Misaki com a espada, porém ela foi mais rápido que ele e tira a espada de sua mão desferindo um golpe certeiro em seu ventre, assim matando o homem.

Misaki: Você está bem? – pergunta enquanto solta a espada no chão.

– Sim... Obrigada por me salvar... Se você não chegasse a tempo eu acho que ele iria me matar – diz choramingando.

Misaki: O meu nome é Misaki... – diz sendo gentil com a loira a sua frente.

– Sou Aoi, Hyoudou Aoi. 

Misaki: O que ele queria com você? – pergunta curiosa.

Aoi: Depois eu explico... Vem precisamos trocar a sua roupa, esta coberto de sangue... Quando acharem o corpo do soldado vão procurar quem fez isso – diz pegando o braço de Misaki e correndo pelas ruas e becos de Kyoto.

 

Continua...


Notas Finais


XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...