História Até que a vida nos separe... - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Magcon, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Personagens Originais, Sammy Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Cameron Dallas, Magcon, Romance
Visualizações 254
Palavras 1.903
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Chegueeeei! Êêêêêê!!!!!
Novo cap genty, espero que vocês gostem! Estou procurando inspiração mas tá difícil.... mas prometo capítulos melhores!
Kisses ♡ R321
Obs : Não dei AQUELA revisada no capítulo mas espero que não tenham muitos erros! Eu fiquei com pressa porque quis postar logo pra vocês rsrs

Capítulo 12 - I love you.


Depois de comermos, ficamos na mesa conversando uns com os outros, até que Lauren se pronunciou:
- Qual será o próximo jogo pessoas?
- Eu nunca! - te odeio Aaron.
- Beleza então, vou pegar as garrafas de vodka.
Ferrou tudo. Imagina se eu ficar bêbada justo essa noite? Já era. Deixa eu ir me jogar da ponte e eu já volto. Brincadeira, ainda tenho muito pra viver.
- Vamos jogar no sentido horário, você começa Jack G.
- Eu... Nunca saí pelado na rua.- Katrine bebeu e todos a olharam surpresos.
- O que foi gente? Eu tava bêbada! - todos rimos.
- Agora você Nash.
- Eu nunca transei com mais de uma pessoa. - Cameron, Nate, Aaron, e Katrine beberam.
- Jane.
- Eu nunca transei. - Aha, cheque mate, todos beberam.
- Agora sou eu meu povo! - Katt já estava meio tonta - Eu nunca beijei o Nate. - Lauren bebeu.
[...]
No fim da brincadeira, Katrine, Cameron, Matthew, Nash, Aaron e Carter estavam bêbados.
- Vamos jogar 7 minutos no paraíso!
- Tá louca Lauren? A maioria aqui tá bêbado, não se sabe que bobagens eles poderiam fazer.
- Assim é mais divertido Jane. Vamos logo. Taylor, você organiza.
- Ok.
Usaríamos o quarto de hóspedes como "paraíso". Todas as meninas foram vendadas, inclusive eu, mas antes de minha visão ser tapada eu já sabia que o jogo funcionaria da seguinte forma: haviam dois potes e em um tinha o nome de todas as meninas ali presentes e no outro o nome dos meninos. Taylor tiraria um papel da menina e a colocaria dentro do quarto e secretamente tiraria o do menino que faria tudo acontecer ( se é que vocês me entendem ).
A primeira a ser selecionada foi a Elisabeth, sei disso porque ouvi Taylor dizer. Não sou amiga do coração dela, mas já trocamos algumas palavras, e também ela é outra com fama de puta.
Logo após foram Helena, Katrine, Lauren, Mary e Laysla. Não haviam meninas o suficiente para todos os meninos, então alguns ficaram de fora. Depois eu fui escolhida. Eu estava tensa.
Entramos no quarto ( eu e o boy magia misterioso ), me sentei na cama.
- Já vou dizendo, não me estupra não, tá? - Ele tentou segurar mas eu ouvi um pequeno riso escapar, e aquela voz não me era estranha ( eu sei que eu conheço todos os meninos ali presentes, mas esse riso é bem familiar ).
Senti o cara chegando cada vez mais perto, até que ele me beijou, normalmente eu recusaria, não sei nem quem é o cara, mas o gosto de sua boca era tão bom, não conseguia resistir. Minha mão estava em seu cabelo e a dele em minha cintura, nos beijávamos com desejo, ele me deitou gentilmente na cama, brincou com a barra da minha blusa e a tirou, eu já estava tremendo, não estava pronta pra ter minha primeira vez e muito menos com uma pessoa sem identificação. Mas fiz o seguinte: já que vai chover, por quê não abrir o guarda chuva? Louco, eu sei, mas faz sentido pelo menos. Ele beijava meu pescoço distribuindo pelo caminho pequenos chupões, sua mão passeava pelas minhas pernas, era delicioso, mas como eu sou muito insegura, não conseguia distinguir prazer de aflição.
- Sete minutos queridinhos. - Taylor disse arreganhando a porta, me fazendo corar por me pegar naquela situação.
Vesti minha blusa e me juntei as outras meninas ainda vendada.
- Podem tirar as vendas. - a sensação da luz nos meus olhos era estranha. - Vocês têm sugestões de quem foram os garotos que passaram esses minutos com vocês?
- Não. - dissemos juntas.
- Posso revelar?
- Pode sim Taylor. - Elisabeth tomou a frente de tudo.
- Bom, quem foi com você foi o Gilinsky. Helena foi com o Matthew. Katrine foi com o Aaron. Lauren com o Hayes. Mary com o Nash. Laysla com o Carter e Jane com o Cameron.
Puta que pariu, justo o Cameron? Tem uns 10 meninos ou mais aqui e foi cair justo ele? Sério cara, eu quase transei com ele lá dentro, não quero nem pensar no que a Katt tá pensando e muito menos na possibilidade dele ter gostado. Mas o que passou, passou.
- Gente, eu vou beber um copo d'água e já volto.
Cheguei na cozinha, que era extremamente grande, procurei um copo no armário, quando me virei para ir até o bebedouro levo um dos maiores sustos da minha vida. Matthew.
- O que você tá fazendo aqui seu louco? Quase me matou de susto! Se eu estiver com algum fio de cabelo branco agora eu juro que mato você!
- Calma, eu só queria saber se tá tudo bem entre a gente, meio que eu sinto que ainda tem tensão nessa história.
- Matthew, para, você é péssimo com desculpas, eu ainda tô um pouco chateada e confesso que suas atitudes não tem ajudado muito.
- Me desculpe Collins.
- Que costume idiota é esse de me chamar pelo sobrenome?
- É coisa do treinador do time de futebol.
- Mas para, é estranho.
- Ok JANE, eu não quero ficar assim contigo, eu gosto muito de você, muito mesmo.
- E o que você quer que eu diga?
- É o que eu quero que você faça.
- O qu... - ele me beijou com voracidade, retribui, lógico, não é todo dia que seu crush diz que gosta de você e te beija, fomos andando pra trás até que eu bati no armário e gemi um "ai".
- Desculpa - ele me colocou em cima da pia - assim tá bem melhor. - rimos e continuamos com a beijação.
- Isso não tá certo. - Me afastei.
- Por quê não?
- Primeiramente, você está bêbado, e segundo, a gente não pode sair por aí se pegando quando quer, como se fossemos brinquedinho um do outro.
- Olha, de uma coisa você pode ter certeza, você não é meu brinquedinho, porque se fosse, seria o parque de diversões inteiro.
- Ha ha, tá ouvindo as babaquices que você tá dizendo?
- Eu sou louco por você desde que te vi pela primeira vez.
- Sei.
- É verdade!
- Me prova.
- Namora comigo.
- O quê?
- Namora comigo.
- Você não está lúcido, está dizendo bobagens.
- Eu não quero que você fique com mais ninguém, quero que você seja minha. Acredita em mim, por favor.
- Sua? E eu não fico com muitas pessoas, você fala como se eu fosse uma puta atirada.
- Não claro que não. Você não é nada disso, e isso é uma das coisas que eu mais admiro em você. O tanto de beleza que você possui, representa a sua inocência. - nossa, eu nunca achei que ouviria isso dele. Tô chocada.
- E por quê eu deveria aceitar?
- Pode ser coisa da minha cabeça, mas eu sinto que você sente algo por mim, nem que seja o menor dos sentimentos.
As palavras de Matthew pareciam tão sinceras. Eu não queria um coração partido de novo. Não quero me arrepender de uma decisão, de novo. Fiquei por um tempo em silêncio, mas obtive minha resposta.
- Me dê um tempo pra pensar.
- Ok, vou respeitar sua decisão, mas pense com carinho, e sempre lembre que EU AMO VOCÊ. - Não pode ser, não pode ser, meu coração não aguenta desse jeito, minha vontade era de gritar um sim com todas as forças que eu tinha. Mas não posso. Me entregar como fiz uma vez, nunca mais.
- É melhor que a gente volte pra lá, já devem estar sentindo a nossa falta.
- Ou estão pensando que nós estamos transando.
- Sem brincadeirinhas Matthew.
- Desculpe, não resisti.
Chegando na sala, onde todos se encontravam, realmente os olhares não escondiam suas percepções, eu estava querendo começar a corar mas me contive, era isso ou virar motivo de chacota. Tabom, exagerei, mas com certeza seria motivo de brincadeirinhas totalmente sem graça.
- A água tava boa Jane? - Shawn disse e risadas domaram o lugar.
- Ha ha ha ha ha, você é muito engraçado! - disse irônica. - Já tá ficando tarde e é melhor eu ir.
- Você não vai ficar aqui essa noite?
- Não Lauren, eu tenho umas coisas pra terminar em casa. Vem Katt.
- Eu vou ficar.
- Vem Katt!
- Tá bom, sem stress. - saímos da casa - por quê você me tirou de lá desse jeito? Você é a certinha que tem hora pra voltar, mas eu não.
- O Matthew me pediu em namoro.
- WHAT?!
- Não grita sua tonta!
- Você aceitou?
- Disse que queria um tempo pra pensar.
- Fez muito bem, namoro só serve pra prender as pessoas, tirar a liberdade.
- Liberdade do quê? Esqueceu com quem você tá falando?
- Putz. Mas que resposta você pensa em dar?
- Não faço a mínima ideia. Ele tava bêbado.
- Nossa. Faz o seguinte, espera até ele ter uma reação quanto a isso, daí você aceita.
- Você acha mesmo que eu devo aceitar?
- Se você gosta dele vai fazer o quê? Esperar ele pegar uma qualquer na sua frente? E você se mergulhar em doce pra afogar as mágoas? Nada disso, aceita logo e vê no que dá, só me promete uma coisa, se vocês, por qualquer motivo terminarem ou tiverem uma DR, não quero ver você na deprê.
- Ok então. Valeu pelo conselho. - Magina amiga.
- Vou nessa. Beijo.
- Beijo.
...
Já estava na cama, continuava pensando no que Katrine disse. Pra ela tudo parecia tão fácil, é como se chovesse soluções em sua horta, e comigo, é totalmente diferente, a cada problema um drama a mais na minha vida. Eu quero muito que o Matthew esteja sendo sincero, não quero me iludir, mas o que eu espero? Um namoro perfeito, com um cara que te recebe todo dia com um buquê de flores? Não mesmo. E o Cameron? Ele quase tirou minha virgindade umas horas atrás, como eu conversaria com ele depois disso? Claro que existe a possibilidade de só eu estar me preocupando com essa história por eu ser uma pessoa que se encuca facilmente com as coisas, e que quando gruda, é igual tatuagem.
E foi isso que fez com que eu virasse na cama a noite inteira, levantei e resolvi comer alguma coisa, olhei no meu celular e eram 03:24.
Na cozinha estava tudo escuro, acendi a luz sem olhar em volta, e fui até a geladeira pegar um iogurte, me curvei porque ele estava no gavetão lá de baixo (eu escondo meus iogurtes do Peter).
- Oi.
Levei um susto daqueles, e quando me dei conta, eu estava de um pijama curto, e de bunda virada para um estranho que veio passar uns dias na minha casa.
- Nick?!
- Te assustei né?
- Posso dizer que sim. O que faz acordado essa hora?
- Não consigo dormir. E você?
- Também, vim pegar um lanche.
- É isso que você chama de lanche?
- Iogurtes são saudáveis e gostosos, eu preciso pegar leve depois de ter passado uma semana comendo besteira.
- Mulheres rsrs.
- Vou subir pra ver se consigo dormir. Boa noite Nick.
- Boa noite Jane.


Notas Finais


Será que vai rolar Jane e Matthew? Hummmmmmm
São muitas emoções... kkkkk Tchau galera!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...