História Até que a vida nos separe... - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Magcon, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Personagens Originais, Sammy Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Magcon
Exibições 56
Palavras 1.884
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HELLO GALERA!

Gente tenho um super aviso pra dar.... eu vou acabar com a fic....













MENTIRA!!!!!!! KKKKKK
Eu só vou aumentar o prazo pra postar os caps, se vcs já perceberam eu posto de dois em dois dias, agora pode ser de três quatro, sei lá.

É que dois dias é pouco, e eu acabo me enrolando e o cap sai de última hora e as vezes fica uma bosta.
OBRIGADA PELOS 50 FAVORITOS!!!!!! EU TÔ SUPER-HÍPER-MEGA FELIZ!!!!!!!!

E hoje tem momentos entre Cam e Jane... ( Não é hot kkk )
É isso.

Kisses ♡ R321

Obs : desculpe se tiver erros e se estiver pequeno. :3

Capítulo 24 - Promises


Fanfic / Fanfiction Até que a vida nos separe... - Capítulo 24 - Promises

Cheguei em casa e fui direto para o meu quarto, nem dei oi para Nick e Peter que estavam na sala, eu estava brava, Meghan estava brincando comigo, e eu não gosto nada disso.

Peguei o maldito papel da minha bolsa e o pendurei no meu mural, só mais uns dias e aquilo vai acabar, eu acho.

Ouvi batidas na porta e cobri o mural rapidamente com o lençol.

- Jane, sou eu o Nick. Posso entrar?

- Pode.

- Você chegou e subiu correndo, nem me disse oi. - ele riu fraco.

- Foi mal, é que eu tô com a cabeça em outro lugar, o dia hoje foi muito... inesperado.

- Quer contar o que houve?

- Melhor não, deixa como está.

- Ok então.

- Precisa de alguma coisa?

- Não, já vi que você quer ficar sozinha. - Quero mesmo.

- Desculpe, não quero te expulsar do meu quarto. - rimos.

- Não tem problema, até porque eu tenho uma pesquisa da faculdade pra fazer. Se importa se eu usar a impressora que tem lá embaixo?

- Fica a vontade.

- Valeu. - ele se retirou.

- E agora o que eu faço com isso? - sussurrei pra mim mesma. - Vou ligar pra Katrine.

TELEFONE ON

Katt: Oie.

Eu: Oi Katrine.

Katt: Opa, me chamou pelo meu nome? Que foi?

Eu: Rsrs. Eu... eu... achei outro papel daquele.

Katt: Outra Letra do Mistério?

Eu: Sim.

Katt: Mas isso é impossível! A Meghan tá em tratamento! Nem na escola ela vai.

Eu: Foi o que eu pensei! Mas eu não tenho inimigos, só ela. Você consegue imaginar outra pessoa pra entrar na lista de suspeitos?

Katt: Não.

Eu: Viu?

Katt: A não ser que...

Eu: A não ser que?

Katt: Seja uma pessoa que não é muito simpática, e que sua primeira impressão sobre ela foi uma das piores.

Eu: Safira.

Katt: Isso aí.

Eu: Mas eu continuo dando preferência a Meghan.

Katt: Mas não podemos investigá - la sem tê - la por perto, eu fico de olho na Safira, se eu notar algo suspeito te comunico.

Eu: Tabom ô detetive.

Katt: Sou boa nessas coisas né? Confessa.

Eu: Besta. Vou desligar, tchau, beijo.

Katt: Beijo.

TELEFONE OFF

Resolvi esquecer essa história por um tempo, e pensar em algo pior. Eu vou perder o Cameron. Ele me disse que não me esqueceria, mas um ano é muito tempo, eu não vou aguentar, até porque namoro a distância sem chance. Mas no que eu estou pensando, terminar com ele? Que horror Jane, o garoto fala que vai te amar e pensar em você em toda viagem, e você pensando em terminar? Mas e se ele me trair? Me esquecer? E eu viver aqui iludida pensando a todo momento no tão esperado dia em que ele irá voltar? Complicado. Muito complicado.

Ouvi meu celular vibrar. Mensagem. Fui ver de quem era e me surpreendi. Matthew.

Matthew: "Oi"

Visualizei e não respondi. Ele pensa que depois de tudo nos tornaremos amigos, e que eu esquecerei o que ele me fez. Mas sinto muito em dizer "Matt", isso não vai rolar. E o beijo... ah o beijo... foi bom...

Cancela, cancela, cancela. Eu tenho namorado. Mas isso não é o suficiente pra abafar os meus suspiros ao pensar naquela noite, fazia tanto tempo que eu não sentia o seu gosto... mesmo sendo por poucos segundos, já bastou.

Por quê a minha vida tem que ser tão complicada? Eu prefiro passar horas resolvendo equações de matemática ( uma matéria da qual eu não sou muito íntima ) à ter que resolver os problemas da minha vida, pois de um lado é o meu triângulo amoroso, e do outro são as más companhias que fazem absolutamente de tudo pra fuder com a minha vida.

Depois de eu ficar alguns segundos no mundo da lua ouvi um barulho vindo da árvore que ficava de frente para o meu quarto, me escondi atrás da minha cama e fiquei espionando pra saber do que se tratava, até que vi Cam batendo no vidro da minha janela, ele pedia para entrar.

- O que você tá fazendo aqui a essa hora? E por que não entrou pela porta como uma pessoa normal?

- Oi pra você também meu amor! - ele disse irônico e roubando um selinho.

- Oi! Mas você ainda não respondeu minhas perguntas.

- Ok, ok. Eu fugi da minha casa pra poder ficar com você - só aí vi sua mochila - e eu entrei pela janela pra sentir a emoção mesmo. - rimos.

- Você não tem jeito mesmo.

- Não posso nem querer ficar com a minha namorada?

- Mas é claro que pode.

- Espero que não se importe se eu dormir aqui e ir pra escola com você.

- Tabom. Vou colocar um pijama, já tô com sono. - peguei um pijama de frio, meias e uma blusinha de manga longa pra pôr por baixo da blusa do pijama, e fui indo para o banheiro.

- Onde você vai?

- No banheiro me trocar ué.

- Se troca aqui mesmo.

- Não obrigada.

- Tá com vergonha? Relaxa anjo, eu sou seu namorado, e também não há nada que eu já não tenha visto.

- Ha ha ha, que engraçado - fui sarcástica e ele cruzou os braços - Cameron eu vou me trocar no banheiro e pronto. - ele bufou.

Me troquei, penteei meu cabelo e fiz uma trança. Cheguei no quarto e Cam estava só de bermuda, deixando seu lindo e maravilhoso tanquinho à mostra.

- Pra que tanta roupa? - ele disse.

- Eu estou com frio.

- Mas tá calor.

- Você viu como o tempo estava hoje?

- Vi. E daí?

- Eu estou com frio. - Mas vou confessar que a visão que eu estava tendo de Cam era capaz de esquentar as coisas.

- Você só deita nessa cama se estiver no máximo com a blusa.

- Desde quando você manda no que eu visto?

- Deixa de ser chata Jane.

- Eu acho meio suspeito deitar só de calcinha e blusa com você.

- Ok, sem sexo. - Abri a boca em sinal de surpresa com a sua fala. - Mas só cumpro essa promessa se você deitar aqui sem a parte debaixo. - Bufei e tirei minha calça.

- Tabom assim?

- Tá ótimo. - ele me olhava com malícia.

Eu ia dar o primeiro passo para ir pra cama quando Cameron levantou e veio em minha direção. Ele atacou meus lábios com voracidade, "entrei na dança" e retribuí o beijo com a mesma intensidade. Ele me deu impulso e eu agarrei a sua cintura com as minhas pernas, ele me deitou na cama sem parar o beijo.

- Lembra da sua promessa? - Eu disse entre o beijo.

- Vai ser muito difícil cumprir ela.

- Mas você vai ter que dar um jeito. - Me sentei na cama e ele me encarou insatisfeito com a minha ação - Que fogo é esse?

- Sei lá, eu só não resisti. - ri.

- Vamos dormir.

Nos deitamos e eu o abracei ainda deitada, ele passou o braço pela minha cintura e começou a distribuir beijos pelo meu pescoço, aquilo me arrepiava e por consequência eu também arfava.

- Isso é tortura Cameron.

- Eu sei. - ele riu sapeca e agora distribuindo beijos pra baixo do meu ombro.

- Para Cameron, por favor.

- Tabom anjo. - ele me abraçou e dormimos assim o resto da noite.

[...]

Acordei com o meu despertador tocando a música "This is how we do - Katy Perry", Cameron acordou assustado, acho que ele esqueceu que dormiu aqui.

- Vamos Cam, hoje tem aula sabia?

- A gente não pode faltar e dormir mais? - ele disse com sua voz abafada porque o travesseiro cobria seu rosto.

- Não senhor responsável. Eu vou tomar banho, depois você vai.

Hoje o dia amanheceu um pouco mais quente, já dava para se notar o sol presente no céu. Eu tomei um banho não muito rápido, como eu já tinha levado às minhas roupas pro banheiro foi bem mais fácil, coloquei uma calça jeans preta, uma blusinha bege com uma estampa não muito cheguei, uma jaqueta não de couro, aquelas de tecido grosso preto, e uma bota de cano curto sem salto também preta.

Saí do banheiro praticamente pronta, só faltava o meu cabelo e uma make, Cameron ainda estava deitado.

- ACORDA! A CASA TÁ PEGANDO FOGO! - Eu gritei perto dele o balançando.

- Ai meu Deus! - ele levantou assustado e eu estava lá, com dor de barriga de tanto rir. - Não acredito que você fez isso.

- Pois acredite, porque eu fiz sim. - Eu ainda estava rindo.

- Agora você vai ver! - ele foi vindo atrás de mim e eu já imaginei o que ele pretendia.

- Cócegas não!

- Cócegas sim!

Eu tentei sair do quarto mais ele me segurou e começou a fazer cócegas na minha barriga, meu ponto fraco.

- Para...Cameron! - Eu disse pausadamente por conta das risadas.

Eu já estava ficando vermelha de tanto rir, então ele parou.

- Aprendeu a lição? - Cameron perguntou cruzando os braços e sorrindo vitorioso.

- Aprendi. Agora vai se arrumar pra gente não se atrasar.

Enquanto ele tomava banho eu arrumei meu cabelo, desmanchei a trança que eu fiz ontem e deixei meu cabelo solto mesmo, pois ele ficou ondulado por causa da trança, ficou bonitinho. Passei uma base, um rímel e um batom roxo escuro, nunca gostei de blusa, e também não sou de usar sombra, então eu já estava pronta.

Cameron saiu do banheiro já trocado também, até já tinha arrumado o cabelo, me surpreendi pela sua rapidez. Ele estava lindo, uma calça jeans preta também, uma camiseta toda branca, um Vans preto e uma jaqueta esporte preta.

- Demorei? - Ele disse sorrindo.

- Não. - retribuí o sorriso.

...

Chegamos na escola juntos, Cam passou seus braços por cima dos meus ombros, atraímos olhares, e ele parecia nem ligar pois já estava acostumado. Avistei Katt, dei um beijo no Cam e fui até ela.

- Oie! - Eu disse.

- Oi amiga!

- E aí? Novidades?

- Não muitas.

- Mas isso significa que tem.

- Eu acho que não tem como ser a Meghan.

- Por quê não?

- Tenho dois motivos, primeiro: ela está internada. Segundo: não tem a possibilidade de alguém ajudá - la, pois Meghan é muito odiada pelas garotas aqui na escola, perguntei pra várias, Mary, Helena, Samantha, até a Safira, Sophia, Dove, Diana, Victoria, Lauren...

- E se for um garoto?

- É, pode ser, já que eles fariam de tudo por sexo.

- Isso é muito complicado.

- O pior é que não temos nenhuma pista. Nem da pra reconhecer de quem é a letra que desenha as letras... pera aí buguei. - ri.

- Eu vou investigar os meninos que ela mais tem contato, e você fica com as meninas.

- Mais eu já disse que é difícil ser alguma menina!

- Eu sei! Mas deve ter algo que está debaixo do nosso nariz e não vemos.

- Ok, eu continuo com as meninas.

- Boa garota.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...