História Até Você aparecer... - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Violetta
Personagens Diego, Francesca Cauviglia
Tags Diecesca, Diego, Dievica, Francesca, Lodovica Comello, Violetta
Exibições 29
Palavras 2.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Estupro, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente! Obrigada por comentarem e favoritarem! Amo vcs! 💕💕💜💜💚💚💝💝💟💟💛💛❤❤❤ Espero q gostem do cap!

Capítulo 3 - Capítulo 3...



          ~❤~
      
       Chegou no seu apartamento e Viu que o seu vizinho da frente estava sentado na portaria enquanto seu cachorro corria pela grama. O cachorro não tinha raça definida. Era de porte pequeno, pelo comprido e todo branco, com apenas uma mancha preta no olho direito. Como o rapaz sabia que o dono do cão não era dos mais amigáveis, apenas subiu até seu andar e entrou no seu pequeno apartamento e suspirou. Como ele queria chamar aquela coisa de "lar", mas era quase impossível, principalmente quando cortam a luz e a água. Como ele iria tomar banho?
- porque faz isso comigo hein?- diz ele olhando para o teto, e vendo as manchas de mofo que havia ali. Ele se sentou no sofá e olhou para a TV pendurada na parede. Ele precisa comprar uma estante nova, assim como muitas outras coisas. Diego pensou nas coisas que faziam ele continuar vivendo: Violetta e seus sobrinhos, e agora, Também Francesca. Ela por algum motivo fazia ele querer viver. Só de Diego saber que depois de amanhã, ele não a veria mais, mas ela estaria sendo bem cuidada, fazia ele querer viver e ser uma pessoa melhor.
          Ele então olhou para a meia dúzia de moedinhas dentro do pacote, e pensou que Francesca estava em uma situação bem pior que a dele. Francesca estava sem família alguma, e ainda por cima estava fora de seu país, e tinha sido estuprada por dezenas, ou até centanas de homens. Só de saber que alguem a havia tocado, machucado e feito coisas nojentas com aquela doce mulher, Diego ficava revoltado. Porque pessoas boas sempre se dão mal?
- Desculpa Vilu, mas tem coisas na vida que as vezes fazem a gente quebrar certas promessas.- diz o rapaz se levantando e abrindo um dos armários da cozinha. Lá ele encontrou encontrou algumas folhas de ofício e o convite de aniversário de 7 anos de seus sobrinhos. O tema era pirata, na qual o convite era um mapa na frente, e atrás, todas as informações sobre o aniversário. Diego pegou três folhas de ofício, o convite e cola e voltou a se sentar. Ele pegou as três folhas, colou uma na outra e depois colou na parte do mapa que havia as informações do aniversário. Pronto. Agora tinha seis moedas de ouro, e um mapa para Francesca desvendar. Como ela era uma "criança", iria adorar, além de realmente achar que foi um pirata que havia lhe enviado. Ele sorriu ao pensar o quanto feliz ela ficaria.
        A vida dele podia ser horrível, afinal, ela a realidade. Mas a vida de Francesca ainda podia ser feliz, e ele poderia fazer dela um conto de fadas incrível.
                         ~❤~
       Depois de um longo e cansativo dia de trabalho, Diego começou a recolher as suas coisas de seu apertado escritório. Ele iria levar um pouco de trabalho para casa, assim teria tempo para ir ver Francesca. Quando ele colocou os últimos papéis na pasta, ouviu alguém dar três batidas na sua porta e logo depois um homem, gordo velho e Negro adentrou sua sala com um sorriso no rosto. Era seu chefe.
- Diego! Tenho ótimas Notícias para você! Sente-se sente-se!- pediu o senhor se sentado na cadeira a frente mesa de Diego.
- olá Hinacio. O que houve?
- sabe o Cristian? Do andar 14?
- sim.
- ficamos sabendo que ele andou roubando dinheiro da gente, e alguém tem que ocupar o lugar daquele infeliz. E como você está a quatro anos no mesmo cargo, pensamos em te promover!- Diz o senhor sorrindete e Diego conseguiu abrir um sorriso maior ainda. Diego ganhava 800€ todo mês, e Cristian ganhava o triplo.
- é sério isso?
- claro! A partir de amanhã você será o novo gerente do andar 14. Parabéns!- diz Hinacio apertando a mão de Diego que não tirava o sorriso do rosto e ainda não estava acreditando que aquilo realmente estava acontecendo. Ele finalmente iria conseguir pagar as suas contas, comer melhor E resolver todos os problemas do seu apartamento.
                         ~❤~
          Agora, esperando na sala de espera, Diego estava com as moedas de ouro escondidas no bolso do casaco, e o mapa nas mãos. A secretária havia dito para ele esperar ali até ele ser chamdo para a visita, mas fazia mais de meia hora que ele estava ali, e ninguém havia lhe chamado. Ele ouviu passos de alguém que andava de salto, provavelmente uma mulher. Ele levantou o olhar e viu pernas claras andando devagar pelo corredor do hospital. A mulher usava o tal salto que ele ouviu. Conforme foi levantando a vista, observou os contornos da moça, desde as pernas, até o tronco escondido no jaleco. Diego mordeu os labios por ver aquelas lindas pernas de fora, mas quando foi o olhar para o rosto da tal mulher do salto, apenas viu as pernas da mesma se embolarem e um corpo ser jogado no chão, enquanto vários papéis voavam pelo largo corredor. Diego sem pensar foi ajudar.
- você está bem?- diz ele enquanto a ajudava a Levantar segurando de leve seus braços.
- estou sim. É que eu adoro esse salto, mas isso sempre acontece quando eu o uso.- Diego conhecia aquela voz. Quando os dois já estavam de pé, Diego viu Angeles batendo no seu jaleco para tiarar a sujeira. A moça sexy era a médica.
- Ahh sim, isso as vezes também acontece comigo... Quer dizer, acontece com a minha irmã, mas eu estou perto dela quando isso acontece.- Diego começou a suar frio e soltar aquele sorriso que soltamos quando estamos nervosos.
- você está pálido. Esta tudo bem?- pergunta a loira enquanto recolhida os papéis do chão.
- está, é que... Me disseram que iam me chamar para ver Francesca, mas faz uma meia hora que eu tô esperando pra ve-lâ e ninguém me diz nada.
- não precisa esperar ninguém chamar é só entrar. Pode deixar que eu junto isso tudo aqui.- diz ela pegando mais um papel.
- Ok. E se cuida com esse salto.
- pode deixar. Ahh, e a Fran tá com cólica, e tá naqueles dias, por isso ela deve estar quietinha. Tudo bem?
- claro. Até depois.
- até.
    
  
           Diego abriu a porta do quarto de Francesca, e Viu 4 camas perfeitamente arrumadas. Não havia ninguém no quarto, apenas uma menina toda encolhida de lado na última cama cor de rosa. Diego fechou a porta atrás dele e se aproximou da morena que estava em baixo das cobertas, com as pernas encolhidas na direção do ventre, as mãos sobre os mesmo, olhos fechados e uma expressão de dor no rosto. Diego se sentou na ponta da cama e acariciou as pernas da mesma de leve até ela abrir parcialmente os olhos.
- Oi.- diz ele com um leve sorrisinho.
- Oi.- diz ela sem ânimo. Francesca tenta se sentar para olhar melhor Diego, mas uma pontada atingiu seu ventre, fazendo seus olhos se apertarem.
- não precisa se sentar. Tudo bem.
- eu queria te ver melhor, mas, dói muito.- Francesca olha para Diego enquanto deitava novamente de lado na cama.
- eu tenho uma coisa pra você, sabia?  Uma coisa que um pirata te mandou.- ele viu a morena arregalar os olhos verdes e um sorriso sapeca surgir no seu rosto.
- Um pirata? O que ele me mandou?
- ele te mandou isso.- então Diego entrega o mapa a Fran, que abre o mesmo e morde os Labios.
- tá mostrando que tem um tesouro no final. Mas eu estou com muita dor para ir procurar.- a moça cruza os braços e faz beiço, o que faz Diego dar uma leve risada, e o rapaz observou novamente Francesca. Uma menina em um corpo de mulher. Era isso que Fran era, e Diego achava isso surpreendente. Tão lindinha, doce fofa e gentil como uma criança. Não seria difícil Qualquer homem se apaixonar por ela.
- por isso eu já peguei o tesouro para você.- Diego se aproxima mais de Francesca, coloca a mão no bolso do casaco, e de lá tira a mão cheia de moedas. Fran abre mais um enorme sorriso ao receber várias moedas de "ouro".
- Eu estou rica!- diz ela abraçando suas moedas com força. O rapaz riu e balançou a cabeça de um lado para o outro.
- na verdade são de chocolate Fran. O pirata sabia que você amava chocolates, e deu esses pra vocês.
- mas não! Eles são de ouro! Olha!- A morena lhe entrega uma moeda E se surpreende quando Diego começa a desembrulhar o chocolate, e tira uma moedinha perfeita de chocolate.
- viu.
- mas... É de chocolate mesmo?
- é sim. Toma, experimenta.- diz Diego pondo o chocolate entre os dentes de Francesca, que quase morde os dedos de Diego quando mordeu a moeda. A morena mastiga, engole, se senta já cama e abre a boca pedindo mais. Diego deu uma leve risada e começou  desembrulhar mais uma moedinha.- cadê todo mundo daqui?
- foram para a sala de filmes. Não fui por causa da dor. Mas se eu tivesse ido, Não teria ganhando esse chocolate.- ela abre a boca até Diego lhe por mais uma moeda dentro da mesma, enquanto Fran se Deliciava comendo moedinhas de ouro.
- é verdade.- ele sorri e depois começa a desembrulhar outra moedinha.
- aqui os homens são tão legais comigo. Me fazem cócegas, brincam, e sempre me dão doces, igual a você. Você não me levou pra sua casa e fez coisas ruins comigo, só me ajudou.- Fran diz Tímida.
- como assim?- Francesca fechou a cara e olhou para as suas mãos. Era difícil para ela lembrar de tudo, e não entender o que estava acontecendo, e porque estava acontecendo.
- Desde que eu me perdi dos meus pais, todos os homens que eu conheci fizeram coisas comigo. Coisas que me faziam chorar, gritar de dor antes e depois. Me obrigavam a tomar um remédio, que não deixava eu menstruar.- ela ficava mexendo nas mãos enquanto falava, e seus olhos começaram a lacrimejar.
- e o que eles faziam com você?- ele sabia o que era, mas achava que ela contando pra alguém se sentiria mais aliviada. Francesca olhou para Diego, e deixou uma lágrima pesada descer pela sua bochecha.
- eles... Eles me faziam tirar toda a roupa, e eles também tiravam. As vezes eles me deixavam de pé, as vezes deitada, mas todos faziam a mesma Coisa: colocavam alguma coisa dentro da mim. E eu nunca quis saber o que era, porque sempre fechei os olhos.- e então, a morena não aguentou e começou a chorar Forte, fazendo seu rosto ficar vermelho e sua respiração descompasada. Diego largou as moedas, e se aproximou de Francesca para lhe abraçar forte, e ela retrebuiu o abraço, afundando seu rosto no colo do rapaz.
- desculpa tocar nesse assunto, não era minha intenção te fazer chorar.- diz ele passando a mão nos cabelos negros de Francesca que apenas chorava e apertava Diego mais contra si.
         Os dois ficaram assim por incontáveis minutos, sem pronunciar nenhuma palavra. Diego depois de um tempo apoiou o queixo no topo da cabeça da moça e fechou os olhos. Ele só queria reconfortala naquele momento, e mostrar a ela que não estava sozinha, e que ele era um Homem bom que só queria seu bem.
       Depois que Diego se tocou que Francesca havia dormido, a colocou deitada novamente na cama e a tapou até os ombros e então, a observou dormir. Aquele rosto fino e delicado, estava calmo e em paz. Diego passou novamente a mão sobre os cabelos da moça, e sorriu fraco. Não deixaria ninguém machuca-la, não mais. Ela já havia sofrido o bastante.
- Ela é linda né?- Diego virou o rosto para ver quem era, então vou um rosto conhecido. Achava ele que era o enfermeiro do primeiro Dia.
- é sim. Quem é você?- pergunta sério e tocando o braço de Francesca como se quisesse mostrar posse da garota.
- Pablo, o enfermeiro dela. Trabalho com a Angie.- o moreno se aproxima de Diego e cruza os braços.- sabe se a cólica dela passou?
- sim, acho que sim.
- que bom. Enfim, vou ter que pedir pra você se retirar. A hora de visita acabou.- diz Pablo em um tom superior de propósito para irritar Diego.
- só me deixa ficar um pouco mais com ela? Depois só vou ve-lâ amanhã à noite.- Diego olha para Francesca que dormia com a boca entre aberta. Ele ouve Pablo respirar fundo.
- ok. Eu vou sair, e quero que 5 minutos depois você saia também.- e então o rapaz começa a dar passos rápidos até ultrapassar a porta decorara. Diego virou o rosto novamente e continuou a olhar Francesca dormir. Ele não iria deixar de ver ela. Ele sentia que ela precisava dele, e ele também precisava dela. Com ela, ele tinha mais um motivo para viver.
        Diego viu o relógio de palhaço na parede, e viu que marcava quase nove e meia da noite.
- vou indo. Até amanhã boneca.- ele acaricia a mão de Francesca e depois sai do quarto, encontrando Pablo conversando com Angie. Se despediu com um asseno de mão e saiu do hospital.


Notas Finais


E ai? O que acharam? Comentem! Favoritem! O q acham da Fran tão inocente? Beijos💝💕💕💕💜💜💜💜💚💚💚💟💟💟💟❤❤❤❤💛💛💛💛💝💝💝💝💝😍😍😍😍😍😍😍💘💘💘💘💘💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...