História Atraída Por Um Gângster - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Beyoncé
Personagens Beyoncé, Jay-Z
Tags Drama, Revelaçoes, Romance
Exibições 41
Palavras 3.199
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Notinhas chatas no final do cap 😂

Capítulo 24 - Último Capítulo


Fanfic / Fanfiction Atraída Por Um Gângster - Capítulo 24 - Último Capítulo

NÃO REVISADO.

Pov Beyoncé

Três anos depois.

- Você está linda. - minha mãe disse pela terceira vez.

- Ah não mãe. Não chora. - implorei e ela riu

- Ah meu Deus, minha filha eu estou tão feliz por você. - ela sorriu

O que dizer sobre esses três anos que se passaram? Bom, depois daquele pedido de casamento não posso dizer que foram tudo só flores, claro que passamos a maior parte do tempo brigando porque eu não seria a Beyoncé se não fosse irritante.

Fizemos o que todo casal faz: Viajamos muito, pelo menos todo final de semana fugimos da realidade, de todo caos.

Se anos atrás me dissessem que eu estaria prestes a ir ao altar me casar com um ex-gângster eu diria que essa pessoa é maluca!

Mas o destino tem um jeito de juntar as coisas e fora o que ele fez. Fez com que eu casasse com uma pessoa que eu tinha ódio por sua profissão.

Agora casar? Nunca passou pela minha cabeça. Nunca mesmo.

Mas para tudo tem uma primeira vez, casamento para mim tem um significado diferente do antes Jay e pós Jay.

Casar-se não tem nada a ver com uma celebração ou com uns papéis. Casar-se não é outra coisa que a entrega mútua de duas pessoas para sempre. Os papéis não são senão uma expressão externa dessa realidade interior que se consuma na intimidade da vontade e se exprime na intimidade do corpo.

Esse texto em especial, é o meu preferido. Eu tinha uma visão diferente de um casamento.

Quando eu era pequena, eu pensava que a mulher só iria viver para casar.

Na adolescência eu imaginava que o casamento era uma forma de você mostrar que era independente.

E na vida adulta pós Jay eu imagino que casar implica em várias partes, a gente casa porque acha a pessoa certa. A gente casa porque a gente ama. A gente casa. Não importa o motivo, a gente casa.

Entenderam agora? Eu poderia de mil formas ter fugido do Jay mas não adiantaria. Eu fui destinada à ele. Nossos caminhos meio tortos foram essenciais para chegarmos até aqui.

- Eu tenho a filha mais linda de todas. - meu pai sorriu

- Está na hora. - minha mãe disse e se despediu de nós.

Meu pai me deu um beijo na testa e enroscou seu braço no meu.

Conforme íamos andando até o altar eu sentia meus olhos encherem de lágrimas, e de felicidade! O caminho repleto flores, as pessoas que eu amava estavam lá. Todas elas que de certa forma participaram da minha vida.

Meu pai apertou a mão do Jay e eu entreguei meu buquê para Kelly.

O padre começou a falar, mas quando eu encontrei os olhos do meu homem eu esqueci de tudo.

Fora como se um filme passasse em minha frente, todos os sorrisos, todas às lágrimas exatamente da mesma forma que fora vivido.

- Opa! Vai com calma gata!

Olhei para o lado e um cara alto estava me encarando com um meio sorriso

- Sozinha numa boate dessa?

- Não sabia que tinha que vir acompanhada.

- Ui ela é afiada. - levantou as mãos acabamos rindo. (...)

- Você não deveria ter brigado com seu pai por minha culpa Bee. Não é certo.

- Eu tinha que escolher... E escolhi você... - Ele me encarou sem reação. - Porque Eu Te Amo... Não importa o que aconteça, é a melhor escolha que já fiz. - soltei de uma vez e ele me encarou surpreso. (...)

Eu te amo. - disse e ela sorriu tristemente. - Eu te amo. Por favor não vá

- Eu sinto muito. - ela o encarou. (...)

- Eu te amo Jay. Muito, e eu estou morrendo de medo de você não ter mudado mas eu vou tentar. Por nós. - ele sorriu e agarrou minha cintura. (...)


- Façam seus votos. - o padre disse e o Jay sorriu

- Bom, não sei como vou fazer isso. Eu nunca fui bom em declarar meus sentimentos e você mais do que ninguém sabe disso, eu funciono sobre pressão e você teve certeza disso quando eu disse que te amava somente quando você foi embora. - rimos

"Acontece Bey, que você estava enganada. Eu sempre deixei claro que te amava, mesmo que tenha sido de um jeito torto ou errado na sua visão. Eu sou esse cara. Por trás daquele passado ao qual eu te apresentei, esse sou eu. O cara que erra, que xinga e o que ama. Eu nunca tive um lar, eu nunca tive afeto tirando o da minha mãe e você chegou derrubando toda minha ética sobre a vida.

Você chegou e me mudou completamente e com toda certeza foi pra melhor, e a única coisa que eu quero te dizer é que eu te agradeço muito por tudo que você me fez. Todos os nossos momentos sendo eles bons ou não me trouxe um novo eu, e eu prometo que serei o melhor homem que você já conheceu. Eu te amo."

Oxigênio cadê você?

Jay colocou a aliança em meu dedo e depositou um beijo sorrindo logo em seguida.

- Ual, você me deixou sem palavras e isso é injusto!. - rimos - Eu nunca fui uma pessoa adepta em mudanças, muito menos se elas acontecem comigo.

" Mas você me mudou Jay, eu era uma mulher sozinha e ao mesmo tempo rodeada por pessoas que me amavam. Mas eu sentia que faltava algo, faltava alguém. Óbvio que eu nunca imaginei que esse alguém fosse ser você, e olha onde estamos. Se eu olhar para trás eu diria que não me arrependo de nada do que aconteceu entre nós. Eu sempre costumo achar que tudo que acontece em nossa vida tem um propósito. Nenhuma tristeza é infinita, e eu não procuro o felizes para sempre. Eu procuro o viver, eu não acredito que a morte será capaz de nos separar, chegamos à um patamar que o nosso amor não pode ser medido.

Poxa, foram tantas coisas, tantos muros derrubados, todas as incertezas. Eu não tenho palavras para dizer o quanto eu sou completa o quanto eu sou agradecida por você ter chegado de um jeito cafajeste em minha vida. Mas o que eu quero te dizer Jay é que eu não posso prometer a eternidade pra você, mas que eu vou fazer de tudo sobre nós ser inesquecível. Eu te amo. E obrigada por não ter desistido de nós."

Coloquei minha aliança em seu dedo e deixei um beijo ali.

O padre disse mais algumas coisas sobre o amor e como é difícil cultiva-lo. e então nós nos beijamos.

Uma chuva de flores foram jogadas em nós assim que passamos e eu não conseguia tirar o sorriso do meu rosto.


Eu estava realizada. Sentindo uma felicidade tão grande que eu chorava.

***

Chegamos ao salão de festa.


Ele estava todo decorado em creme e branco dando um ar romântico com as luzes e ao mesmo tempo despojado.

Agradecemos as felicitações dos convidados até Kelly me agarrar tirando-me o ar.

- Ah meu Deus! Você não sabe o quanto estou feliz por você. 

- Obrigada. - respondi sorrindo

- Te desejo tudo de bom e você sabe disso e nossa eu não tô acreditando que você se casou com ele.

- Oh eu estou aqui viu?! - Jay interveio fingindo estar magoado.

- Ah cala a boca. Aproveitem a lua de mel. - piscou e abraçou o Jay - Faça minha amiga feliz ou eu te mato.

Jay assentiu rindo e eu lhe dei um selinho.

- Está na hora da dança dos noivos. - disse sorrindo e me puxou.

Jay não me contou a música que iríamos dançar, ele disse que a surpresa da lua de mel começaria pela música.

O encarei emocionada quando Like I'm gonna lose you começou a tocar.

A letra nos define nessa nossa etapa e eu o enchi de beijos.

Meu homem me agarrou, me tirando do chão e me puxou de volta para o seu peito e sussurrou a música em meu ouvido.

- I found myself dreaming -sorri e encarei todos ao meu redor. - In silver gold, like a scence from a movie that every broken heart knows.

- We were walking on moonlight and you pulled me close, split second and you disappeared and then.

Puxei seu lábio inferior e iniciei um beijo lento e amoroso em meu marido.

Jay não dava certo cantando no lugar da Meghan Trainor,mas estávamos em nossa bolha que não importava a voz dele e sim o significado da música para nós.

- So I'll Kiss you longer baby, any chance that i get. I'll make the most of the minutes and love with no regrets. - cantarolei apaixonada

- I'm gonna love you, like I'm gonna lose you i'm hold you like I'm saying goodbye. Wherever we're standing. - sussurrou

- I won't take you for granted 'cause we we'll never know when, when we'll run out of time. So i'm gonna love you, like I'm gonna lose you. - cantamos juntos e nos beijamos ouvindo as comemorações das pessoas.

Como Se Fosse Te Perder

Me peguei sonhando
Em prata e ouro
Como numa cena de um filme
Que todo coração partido conhece
Nós andávamos à luz do luar
E você me puxou para mais perto
Segundo separado, então você desapareceu
E eu estava completamente sozinha

Acordei em lágrimas
Com você ao meu lado
Uma respiração de alívio
E eu percebi
Não, não nos é prometido o amanhã

Então, eu vou te amar
Como se fosse te perder
Vou te abraçar
Como se eu estivesse dizendo adeus
Aonde quer que a gente esteja
Vou te valorizar, pois nunca sabemos quando
Quando o nosso tempo vai esgotar, então eu vou te amar
Como se eu fosse te perder
Vou te amar como se fosse te perder

[John Legend]
Num piscar de olhos
Num suspiro de fumaça
Você pode perder tudo
A verdade é que você nunca sabe

Então, eu vou te beijar demoradamente, querida
Qualquer chance que eu tiver
Aproveitarei os minutos e vou amar sem arrependimentos

Então vamos aproveitar o nosso tempo
Para falar o que quisermos
Use o que nós temos
Antes que tudo isso acabe
Não, não nos é prometido o amanhã

Então, eu vou te amar
Como se fosse te perder
Vou te abraçar
Como se estivesse dizendo adeus
Aonde quer que a gente esteja
Vou te valorizar, pois nunca sabemos quando
Quando o nosso tempo vai esgotar, por isso vou te amar
Como se eu fosse te perder
Vou te amar como se fosse te perder

Eu vou te amar
Como se fosse te perder
Vou te abraçar
Como se estivesse dizendo adeus
Aonde quer que a gente esteja
Vou te valorizar, pois nunca sabemos quando
Quando o nosso tempo vai esgotar, por isso vou te amar
Como se eu fosse te perder
Vou te amar como se fosse te perder.

***

Pegamos um pequeno trânsito no caminho até o aeroporto, nada que fosse nos irritar. Estávamos tão preso em nossa bolha que qualquer coisa que acontecesse não iria interferir em nossa felicidade.

Estávamos indo para Londres e depois ficaríamos um pouco em Paris... Ou não.

Fizemos o check-in e pegamos um jatinho particular, onde só tinha um piloto e uma aeromoça.

Ela nos avisou sobre os procedimentos e depois afivelamos o cinto e depois que o avião já estava entre as nuvens fomos para a suíte, Jay avisou para aeromoça que se precisarmos de algo que iríamos avisar.

Horas depois chegamos em Londres.

Jay me abraçou pelos ombros e então entramos ao hotel.


Agradecemos a recepcionista e pegamos a chave do nosso quarto.

Subimos em silêncio e sempre sorrimos um para o outro. 
Abrimos a porta e eu fui direto para a enorme sacada.

Jay agradeceu quando as malas chegaram e eu senti sua presença atrás de mim e deixei um sorriso escapar.

- Eu quero muito tirar esse vestido de você. - sussurrou em meu ouvido

Sorri e virei em sua direção passando meus braços em sua cintura.

- Eu te amo tanto. - sussurrei.

Ele levantou meu rosto e beijou meus lábios delicadamente.

Jay foi abrindo os botões do meu vestido enquanto eu distribuía beijos e mordidas em seu pescoço. Depois que sentiu minhas costas nua, ele foi abaixando os beijos enquanto tirava o vestido de mim.

Não era necessário ter usado sutiã com o vestido e tenho quase certeza que escutei ele agradecer por isso.

Deixei o vestido cair sob meus pés e então Jay me puxou pelo braço me levando em direção à suíte.

Tirei seu terno e depois a gravata. Desabotoei sua camisa social sem pressa, enquanto Jay me tocava e apertava.

Puxei seu cinto e tirei sua calça restando somente a boxer. Jay me puxou para seu peito e segurou meu rosto, olhando fixamente em meus olhos antes de puxar meu lábio inferior em um beijo lento.

Agarrei seus ombros me apoiando para então passar minhas pernas em volta de sua cintura.

Jay desfez o meu penteado e me colocou de volta no chão. Logo depois, me levou em direção a enorme banheira e eu sorri quando olhei a enorme vista da cidade.

Senti a água morna ir de encontro com meu corpo e gemi de satisfação. Meu marido me puxou pela cintura e então acariciou meus seios usando a língua e os dedos.

Ele circulou meu mamilo com a língua e depois sugou deixando um mordida. Passou para o outro e fez a mesma coisa.

Nesse meio tempo, meu corpo ia automaticamente de encontro com o dele, Rebolando devagar levei minhas mãos até o cós da sua boxer e eu puxei lentamente.

Jay desceu suas mãos para as laterais da renda da minha calcinha, para logo depois puxar fazendo o elástico bater em minha pele e depois rasgar.

Segurei em seu membro rígido e então comecei a masturba-lo ora rápido ora devagar.
Jay apertou meus mamilos entre seus dedos e depois desceu para minha boceta, paralisei ansiosa para seu próximo passo. E então lentamente ele escorregou seus dedos para cima e para baixo parando em meu clitóris fazendo uma pressão antes de voltar para dentro de mim.

Jay puxou meus cabelos fazendo-me sorrir e espremer meus seios em seu peito. Puxei o ar pela boca e sem que ele esperasse desci me abrindo completamente em volta do seu pau.

Suas mãos foram automaticamente para a minha bunda dando apertões fortes que com certeza ficariam marcados. Dancei lentamente no seu pau e conforme ele me acariciava eu aumentava a velocidade.

Jay sugou meu mamilo com vontade e deixou um chupão em casa um deles.

Senti meu ventre se contrair e então aumentei a velocidade buscando seu olhar no meio do meu ápice. Jay sorriu e me segurou sem sair de mim.

Senti minhas costas baterem em algo macio e percebi que estávamos na cama.

Jay ajoelhou e abriu minhas pernas me deixando exposta para ele. Senti ele morder o interior da minha coxa para depois com os dedos separar meus lábios e me penetrar devagar com sua língua.

- Ah meu Deus. - gemi fechando os olhos.

- Deus não querida. Seu marido, o cara que vai te foder até o fim da sua vida. - sorriu malicioso e eu mordi o lábio.

Jay passou a língua por toda a minha boceta de cima a baixo e mordeu de leve meu clitóris.

Agarrei sua cabeça fazendo com que ele só movesse a língua. Então ele me segurou pela bunda para que eu não me movesse e chupou com toda vontade fazendo eu me esfregar sem pudor algum na sua cara.

Não demorou muito para que meu orgasmo aparecesse e então ele aumentou a velocidade da sua língua me fazendo rebolar rápido e duro mesmo que sua mão apertasse minha carne.

Gozei gritando seu nome e então me joguei na cama sentindo ele subir com seus beijos e mordidas.

Segurei o rosto do meu homem iniciando um beijo repleto de tesão e então segurei seu membro em minhas mãos masturbando com força.

Empurrei até que suas costas ficassem na cama e então direcionei seu pau para minha boca.

Apertei suas coxas com minhas unhas e então subi e desci com seu pau na minha boca ouvindo seus gemidos em aprovação. Segurei suas bolas e acariciei enquanto chupava seu pau todo em minha boca.

Jay apertou meus cabelos com força fazendo eu subir em seu colo rápido. Ele mordeu meu lábio com força e entrou em mim de uma vez só me fazendo gritar.

Senti dois tapas certeiros em minha bunda e então Jay agarrou meus mamilos mordendo e chupando com força.

Meu marido trocou as posições ficando por cima e agarrando minha perna. Ele tirou todo seu pau e depois enterrou em mim novamente lento e depois rápido. Seus braços apoiavam seu peso sobre mim e então maltratei suas costas, arranhando e apertando.

Jay me empurrou e eu fiquei de quatro com a bunda bem empinada pra ele. Senti ele me preencher com vigor e senti meu líquido escorrendo pela minhas pernas. Rebolei contra suas investidas e então ele deu uma última estocada caindo logo em cima de mim.

Ofegantes, deitamos lado a lado e então Jay me puxou para seus braços sorrindo e me dando beijos.

- Definitivamente a gente não sabe fazer amor. - disse em respiração entrecortada.

***

Depois de algumas horas, estávamos deitado contemplando a enorme vista e vendo o anoitecer se despedir de nós. Jay apareceu com uma taça de vinho e quando me entregou reparei na enorme marca de mordida em seu braço. Ele desceu o olhar para o mesmo lugar e sorriu apontando para o meu pescoço que com certeza estava muito pior.

Dei um gole e ele me puxou sentando no meu lugar e me acomodando no meio de suas pernas.

Estava perdida em pensamentos quando ele me chamou.

- Está com fome? - perguntou e eu neguei.

Deitei minha cabeça em seu peito e respirei fundo.

- Você pensa em daqui pra frente Jay? - quebrei o silêncio.

- Está querendo dizer entre nós? - perguntou e eu assenti - Claro que eu penso, eu mudei Bey e toda vez que eu olho pra você, eu te vejo grávida.

Gargalhei

- Você já quer me engravidar? - perguntei divertida.

- Toda história clichê não é assim? - não precisei olhar para saber que ele estava sorrindo. - O cara mau que fica bom? - me apertou em seus braços.

- E quem é que quer essa história perfeita? - me virei e segurei seu rosto.

- Você não quer?

- Nós criamos nossa própria história meu amor, nós escolhemos os clichês. - segurei seu rosto e lhe dei um selinho.

- Sem você eu não tenho nada a perder. - fiz uma careta e ele riu.

- Sem nós você não tem nada a perder.

Agarrei sua mão e levei até meu ventre.

Ele sorriu, me perguntando com os olhos e eu confirmei.

- Nós escolhemos o que é clichê em nossa vida.

FIM!


Notas Finais


Sim, a história chegou ao final. Aí que triste. Jsjdjdjdkekd
"nóis se vê por aí!" KKKKKKKKK tchau amorinhos 🌚💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...