História Através da Escuridão. - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Hailee Steinfeld
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Hailee Steinfeld, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Visualizações 263
Palavras 4.279
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


EU JURO QUE TENTO! Eu tento ter um dia certo para postar, mas não rola, tá dificil, eu tento, mas tá díficl. ENFIM.

OLAAAAA ESTRELINHAS LINDAS DO CORAÇÃO DA TIA! AMO TODOS VOCÊS QUE VOTAM E COMENTAM AQUI, os que não, não amo não.

Brinks, amo sim, amo todos, pq meu coração é bonzinho e ama todo mundo que lê isso aqui <3

Cap fofo, leve, só paz e amor para vocês por hoje *--*

Capítulo 18 - Apaixonadas.


Pov Camila.

Seus olhos verdes estavam me encarando, por incontáveis minutos já, não muito diferente dos meus olhos castanhos que tentavam gravar cada detalhe de seu rosto. Sua expressão, o brilho em seus olhos, o sorriso leve em seus lábios. Eu queria gravar aquela imagem em minha mente, e nunca mais esquecê-la.

Eu era completamente, profundamente, loucamente, apaixonada por Lauren Jauregui. 
E ter dito isso, ter a beijado, e ouví-la dizer que também se sente assim por mim, fazia meu coração bater rápido em meu peito, veloz, apaixonado. E agora, ter seu corpo tão próximo de mim, ter seus beijos, esses que já trocamos tantos nessa madrugada que é difícil de contar.

Sua testa estava colada a minha agora, minha mão em sua cintura, a puxando para perto, enquanto eu sentia a pele macia e gelada da sua mão em minha nuca, mantendo nossos rostos próximos.

E eu a beijei mais uma vez, sentindo novamente como parecia moldada para mim, como seus lábios se movimentavam em sincronia sobre os meus.

— Laur — suspirei entre o beijo, encarando suas pupilas dilatadas.

— Eu sou louca por você, Camila — ela murmurou, e eu sorri, sem dizer nada, voltando a lhe beijar.

Eu já sentia meu corpo em chamas por beijá-la. Era sempre notável a tensão que havia entre Lauren e eu. E, agora, tê-la tão próximo de mim, era perigosamente atraente. Me movimentei no sofá, a beijando mais apressadamente, mostrando como eu a desejava insanamente. Me apoiei em seus ombros, subindo em seu colo, meus joelhos apoiados no sofá enquanto eu sentava em suas coxas cobertas pela calça de moletom que ela usava.

Desci meus beijos pela pele pálida de seu pescoço, sorrindo só imaginar as marcas que poderia deixar ali, beijando, mordendo, chupando toda sua pele. Suas mãos ágeis em minha cintura, adentrando minha camiseta, causando um leve choque em minha pele quente ao sentir suas mãos geladas.

Afastei minha boca de seu pescoço, encarando seus olhos, um pouco mais escuros e sorri.

Ela era absurdamente linda.

Toquei seu rosto com delicadeza, antes de me inclinar para beijar seus lábios macios, suas mãos estavam paradas em minha cintura, por dentro de minha camiseta, mas eu já sentia todo meu corpo fervendo, minha intimidade já pulsando por aqueles beijos mais quentes e apressados.

Por isso, me surpreendi quando Lauren me afastou devagar quando tentei voltar a beijar seu pescoço, minhas mãos procurando a barra de seu suéter. Encarei seu rosto confusa, mas assim que encontrei seu olhar receoso, engoli em seco.

— Eu, droga, me desculpe, Lauren — pedi, um pouco envergonhada, descendo de seu colo — Eu só, imaginei, bem...

Deixei as palavras morrerem, sentindo minha frustração lá embaixo por não continuar com aquilo, vendo Lauren desviar o olhar, quase tão envergonhada.

— Está tudo bem, Camila, eu só, bom, acho que precisamos conversar antes — Lauren me respondeu e prontamente assenti — Não quero apressar as coisas — ela completou, voltando seu olhar ao meu.

Me senti estúpida, eu acabo de dizer que estou apaixonada, e já quero ir para a cama com ela. Não posso me culpar tanto também, é difícil estar perto de Lauren e não pensar nessas coisas.

— É claro, Laur, eu não sei o que me deu, desculpe — pedi novamente, me ajeitando no sofá, cruzando minhas pernas.

— É que, você não sabe como me deixa feliz ouvir a música que tocou e depois o que disse, mas eu, eu juro que estou tentando entender, mas está difícil — ela disse, se atrapalhando um pouco, o que me fez rir, ela era adorável. 

— O que tem para entender, Lauren? Eu sou apaixonada por você — sussurrei, encontrando sua mão, entrelaçando na minha.

Era um encaixe ideal.

— Como? — ela perguntou e eu sorri pela forma como a pergunta escapou tão sincera de seus lábios.

Como se fosse algo extraordinário eu ter me apaixonado por ela. Quando, na verdade, foi tão simples, eu tropecei, e caí por ela.

Sempre fui meio desastrada mesmo.

— A pergunta correta seria, como não me apaixonar? — respondi, ainda com o sorriso leve nos lábios — Como não me apaixonar por esses olhos? — toquei o contorno de seus olhos, a vendo os fechar, quase como se tivesse aproveitando meu toque — Ou como seu nariz se enruga quando os fecha, ou quando ri. Oh céus, como não me apaixonar quando você ri, e seus olhos brilham, e ficam ainda mais claros? — ela abriu os olhos, encarando meu rosto, as bochechas levemente coradas, mas eu só havia começado — Ou como não me apaixonar pelo teu sorriso, Lauren, largo, sorridente. Ou pela sua voz, rouca, que faz todo meu corpo de arrepiar. Como impedir meu coração de acelerar sempre que me toca? Me abraça? Beija meu rosto? É impossível não se apaixonar pelo teu coração puro, Lauren, pelas suas palavras, pela sua alma, por quem você é.

Seus olhos estavam marejados quando terminei, e eu sorri, beijando seu rosto, lhe dando um longo selinho, a vendo rir baixo.

— A escritora sou eu, mas eu poderia colocar tudo que disse em um livro e ele viraria um Best seller — ela disse, divertida, me fazendo rir com ela — Eu sou tão apaixonada por você, que eu não consigo me expressar, mas eu juro que ainda escrevo tudo o que sinto e te mostro, mas por enquanto, prefiro mostrar — Lauren disse, antes de me beijar mais uma vez.

Foram vários beijos enquanto víamos o sol nascer pela sua janela, e eu já sabia que estava viciada em seus lábios, e não iria conseguir viver mais sem seus beijos.

— Um momento — ela se afastou bruscamente, me fazendo franzir o cenho — Você não devia estar no Canadá?

— Eu precisava falar com você — dei ombros, como explicação, a vendo soltar uma risada — Mas, preciso pegar o jatinho à noite — lembrei.

— Fico feliz por ter vindo — Sua voz soou sincera e eu sorri, a vendo bocejar em seguida.

Lembrei que ela havia chegado tarde e praticamente não havia dormido. Me senti um pouco culpada.

— Você está com sono, eu também, por que não dormimos um pouco e depois conversamos? — sugeri, quase rindo por ver seus olhos brilharem.

— Vem, te empresto um pijama e você dorme na cama comigo — me puxou pela mão até seu quarto.

Vesti praticamente o mesmo que ela, antes de deitar em sua cama, sentindo seus braços rodearam minha cintura, enquanto eu deitava em seu peito. Era praticamente perfeito assim, como se fosse certo.

— Ei — ela me chamou e eu a olhei, suspirando surpresa ao sentir seus lábios nos meus — Um beijo de boa noite.

— Nesse caso, de bom dia — brinquei, me referindo ao horário, a vendo bocejar mais uma vez — Durma, Lo, eu ainda estarei aqui quando acordar — prometi, me aconchegando em seu corpo, a sentindo me abraçar forte.

E em segundos, nós duas caímos no sono.

(...)

Eu já estava acordada por alguns minutos, observando a forma como Lauren dormia. Nós já dormimos na mesma cama antes, algumas vezes, era comum na nossa amizade, principalmente após meu divórcio. Porém, agora, parecia diferente. E realmente era. Eu podia me permitir observá-la, sem pensar nos motivos pelos quais eu a achava tão magnífica, sem tentar me impedir de sentir algo. Eu podia deixar todos os sentimentos virem a tona. 

Lauren dormia serenamente, era um tanto quanto engraçado, meio fofo. Sua cabeça deitada de lado no travesseiro, uma mão apoiando, a outra segurava o travesseiro - que coloquei ali para substituir minha cintura que ela abraçou durante o tempo que dormi -, os olhos fechados calmos, o boca entreaberta, um baixo som saía dali, não dava para considerar um ronco, era mais para um ronronar calmo. E com alguns intervalos, ela se mexia, soltava um som engraçado, e voltava a dormir. Seu sono deveria estar bom, porque ela estava quase babando.

Ri baixo, eu deveria estar muito apaixonada para considerar aquilo fofo.

Mas, não era minha culpa, se Lauren era um anjo até dormindo.

Levantei da cama com cuidado, saindo do quarto em direção a cozinha, já eram quase meio dia, e eu estava com fome, e tinha plena consciência que Lauren também estaria quando acordasse. Abri todos os armários de Lauren, procurando algo simples para fazer, e acabei sorrindo pelo seu estoque de massas prontas de pizza. Acho que eu tive alguma coisa a ver com isso. Tirei três do armário, sorrindo alegre por ver que Lauren tinha todos os ingredientes para os três melhores recheios de todos. Pepperoni. Bauru. Banana com chocolate.

Fiz pizza para um batalhão de pessoas, o que praticamente meu estômago achava que era, e coloquei no forno, e só então ouvi passos chegando na cozinha.

— Camila!

Franzi o cenho quando Lauren exclamou meu nome e correu para me abraçar, mas sorri, a envolvendo com meus braços.

— Ei, o que foi? — perguntei, calma, a guiando até o balcão da sua cozinha, a vendo se sentar em um dos bancos altos, sem me soltar.

— Hm, eu acordei e você não estava lá e eu achei que, bem, achei que havia sonhado — Lauren me respondeu, desviando o olhar do meu, envergonhada.

Não evitei o sorriso que saiu dos meus lábios, Lauren era a mulher mais adorável que eu já conheci, e chegava a ser engraçado como era conseguia ser tão sexy, ou ter uma expressão facial que a fazia parecer tão má ou metida.

— Ei, Lo, me olha — toquei em seu rosto, a fazendo me olhar para mim, tendo seus olhos verdes em contato aos meus — Eu, Karla Camila Cabello, sou, verdadeiramente e realmente, apaixonada por você — declarei, a vendo sorrir para mim, quase divertida, com aquele olhar apaixonado.

— Acho que me sinto melhor agora — murmurou, com o mesmo sorriso no rosto.

Não pensei, antes de me erguer um pouco, puxando sua nuca, colando nossos lábios com calma. Nossas bocas se beijando devagar, minhas mãos envolvendo seu pescoço, as suas descendo pela minha cintura.

Suspirei entre o beijo. Era tão diferente de qualquer uma que eu já tivesse beijado, seus lábios, pareciam encaixados aos meus, sua língua adentrava minha boca com experiência, como se soubesse todo o caminho.

Era tão novo, esses beijos eram recentes, mas parecia que fazíamos isso há anos, a química crescente entre nós, parecia que sempre havia existido.

— Mas me diga, o que tem no forno? — perguntou, quando nos afastamos.

— Adivinha — pedi, erguendo uma sobrancelha, a vendo soltar a risada por qual eu era tão apaixonada.

— Pizza — respondeu, me conhecendo tão bem como já conhecia.

Lauren disse que iria fazer alguma sobremesa, então resolvi ir tomar um banho. Até o jeito como eu andava e cantarolava indo ao banheiro deixava claro meu estado de espírito. E qualquer um, que me ouvisse cantando Better Than Words do One Direction há plenos pulmões saberia como estou apaixonada. Saí do banheiro, sorrindo largamente, andando até o closet de Lauren, ela tinha um ótimo estilo, então, não me importei em pegar uma de suas calças pretas, colocando uma camiseta de uma banda, e calçando meus próprios tênis.

Fiz uma careta ao ver as horas, nesse horário, Ally já deveria estar louca atrás de mim. Procurei meu celular, quase rindo ao ver todas as chamadas perdidas da minha empresária. Se eu não estivesse tão feliz, ficaria até com medo de todas essas ligações. Mas, hoje, apenas liguei de volta, esperando só alguns minutos.

— Camila Cabello! Onde você está? Você tem noção que eu tive que abafar milhares de matérias? Custava avisar algo?

Segurei um sorriso, era engraçado quando Ally estava tão preocupada que não sabia se seria minha melhor amiga ou minha empresária primeiro.

— Desculpe não ligar antes, Allycat — pedi, em um tom calmo, ouvindo seu suspiro — Eu, hm, eu vim para o apartamento da Lauren, estou aqui desde que cheguei em Nova York.

— Camila...

— Eu sou apaixonada por ela, Ally, o que acha que eu vou fazer? Me afastar pra mídia não me encher o saco? — Perguntei retoricamente.

— Droga, é tão profundo assim? — questionou, em um suspiro pesado.

— Digamos que mesmo com todos meus medos, eu estou aqui, me declarando para ela — respondi, ouvindo a linha ficar muda por alguns minutos.

— Sabe que fico feliz por você, Mila, merece isso. E Lauren é uma mulher excelente, sabe que só o quero que seja feliz e siga teu coração — Ally disse, no tom de irmã mais velha que sempre me fazia sorrir.

— Eu estou seguindo ele, e estou feliz — garanti, sorridente.

— Certo, eu vou resolver tudo por aqui hoje, você provavelmente vai ter que ligar para Dinah e contar tudo aliás — comentou, despreocupada, o que me fez rir — Mas, já vou mandar seu jatinho de volta, para você viajar para cá de noite, tenta não vir de madrugada.

— Tudo bem Ally, vou um pouco mais cedo — prometi — Algo mais?

— Vou pedir para Big Rob chamar pelo menos dois segurança da agência para te levarem até o aeroporto, fotógrafos estão fazendo plantão em frente seu apartamento, o condomínio onde morava, e em frente ao prédio onde você está — avisou, e eu soltei um gemido frustrado, teria que avisar Lauren.

— Tudo bem, me mande mensagem me atualizando ok? — pedi, andando até a janela do quarto da Lauren, olhando discretamente para baixo.

— Ok! Até mais.

Mal me despedi e desliguei o celular, ainda olhando nem meia dúzia de fotógrafos do outro lado da rua. Rolei meus olhos, eles não tinham nada melhor para fazer? Saí dali, guardando meu celular, e voltando para cozinha, onde o cheiro das pizzas, misturado com um cheiro forte de limão se fazia presente.

— Torta de limão? — perguntei, fazendo minha presença ser notada, mas já abrindo a geladeira, sentindo minha boca salivar ao ver a torta.

Fechei a porta da geladeira, franzindo o cenho por não ouvir nenhum comentário de Lauren, e então ergui meu olhar. Lauren me encarava sem nem ao menos piscar corretamente, o que me fez soltar uma risada. Eu sabia que ela nunca se importaria que eu usasse suas roupas, até porque era comum vestir suas camisetas. Só que eu também estava aprendendo que ela achava sexy me ver vestida em suas roupas. E, a cara que ela fazia ao me ver, era, tão fofa como engraçada.

— Ainda aí? — estalei os dedos na sua frente, rindo e pegando uma das mini pizzas que já estavam em cima do balcão.

— Hã? Oi! É que, essa calça fica bem em você — murmurou, meio aérea, antes de balançar a cabeça e me lançar um daqueles sorrisos adoráveis.

Hmm, o que estava passando por sua mente, Lauren?

Deixei a pergunta morrer em meus pensamentos, e apenas me esforcei para sentar em um dos bancos altos, em frente Lauren.

— Desculpe a demora aliás, tive que lugar para Allyson.

— E está tudo certo? — Sua voz soou preocupada, e eu apenas dei ombros, minha mão se esticando para pegar mais uma pizza, antes de responder.

— Só queria saber onde eu estava, avisar que iria mandar o jatinho e, bem — fiz uma careta, mordendo um grande pedaço, antes de responder após engolir — Há poucos fotógrafos lá fora, do outro lado da rua — vi a cara confusa e um pouco frustrada de Lauren e me senti mal — Desculpe, Lauren, de verdade, não sabia que iriam acabar percebendo que eu viria aqui. Eu sinto muito por te arrastar para isso, sei que a mídia anda falando muitas coisas ao seu respeito, e peço desculpas por isso.

Soei sincera, mostrando o quão eu me sentia mal por fazer com que ela fosse alvo de especulações, fofocas e seguida por fotógrafos.

— Ei, Camz, não se desculpe, nada disso é sua culpa — tentou me confortar, segurando minhas mãos — E se quer saber, toda essa mídia, está trazendo ótimos números para meus livros e para o filme que vem aí — completou divertida, o que me fez rir baixo.

— Falando no filme, como andam as coisas? — perguntei, parte para mudar o assunto, parte porque eu realmente estava curiosa.

Ouvi Lauren falar, ela tinha uma paixão enorme por livros, e sentia uma honra por uma grande produtora querer fazer do seu livro, um filme que faltavam poucas gravações, e já estava sendo promovido à todo vapor. Acabamos com mais da metade das pizzas, e vários pedaços de torta depois, e eu ainda estava ouvindo ela me contar como era as gravações.

— Enfim, Cara é uma das pessoas mais engraçadas que já conheci e devo admitir que me surpreendi com sua atuação — Lauren comentou, enquanto eu a ajudava a lavar tudo que sujamos, se referindo a atriz protagonista do filme.

— Ah sim, e ela é um amor de pessoa — respondi, me lembrando das várias vezes que encontrei a modelo e atriz.

— Ok, acabamos! — Lauren declarou, quase com uma dança das vitória quando terminamos tudo — Então, sala?

Apenas assenti, a seguindo até a sala, vendo Lauren se sentar, e me aproximei devagar, até que estivesse entre suas pernas, deitando minhas costas em seu peito, a sentindo rodear minha cintura. Entrelacei nossas mãos.

Parecia tão certo, estar assim com Lauren, como se fosse o correto a ser feito, como se fosse nosso destino.

— Como vai ser? — Lauren perguntou baixo e eu virei meu rosto para a encarar confusa — Digo, e agora, o que acontece?

Sorri carinhosa, de sua preocupação, de sua ansiedade para saber o que aconteceria. Nos declaramos, e agora?

Me virei um pouco, me sentando de lado, jogando minhas pernas por sua coxa, ainda sentindo suas mãos em minha cintura. Me aproximei devagar, tanto que quase podia sentir seu hálito em meu rosto.

Sorri, cheirava a limão, por causa da torta.

Segurei um pouco minha vontade de beijá-la e apenas toquei em seu rosto, deixando o sorriso leve em meus lábios.

— O que vai acontecer é que hoje nós vamos nos beijar mais vezes — contei, vendo uma risada escapar de seus lábios batendo em meu rosto — E então, vamos ficar aqui, abraçadas, assistindo alguma comédia romântica, nos beijando algumas vezes — sussurrei, a vendo soltar um suspiro — E então, eu terei que ir embora, viajar ao Canadá.

— Farei questão de te levar ao aeroporto — prometeu e eu me limitei a sorrir.

— Mas então, quando eu voltar, vou te levar a um encontro — lhe contei, vendo um sorriso bobo nascer em seus lábios — E, vamos ter um dia excelente e eu irei te beijar inúmeras vezes, então te trarei para casa, e te beijarei mais uma vez — minha voz soou baixa, um pouco rouca, a ansiedade de realmente fazer com que Lauren tivesse o melhor encontro de sua vida — E eu te chamarei para sair comigo de novo, e de novo, e então, a vida vai nos dizer o que vai acontecer.

Lauren não disse nada, apenas cortou a curta distância entre nós, me beijando com toda a paixão que existia em seu peito. E eu retribui a altura, deixando minhas mãos se perderem em seus cabelos, as suas segurando firmemente em minha cintura.

— Parte um, beijos, já estamos cumprindo — Lauren comento, risonha, quando se afastou e eu ri.

— Filme, então? — sugeri, a vendo assentir.

(...)

O dia passou mais rápido do que eu e Lauren esperávamos. O plano de ficar no sofá, nos beijando e assistindo filmes, funcionou perfeitamente. Como se fizéssemos isso há décadas. Era calmo e relaxante estar com Lauren, esquecer da vida lá fora.

Mas a vida sempre nos chama de volta. Ou no meu caso, Ally mesmo, que me mandou uma mensagem, às oito horas da noite, me avisando que o jato estava à minha espera, e que eu deveria ir. Por, isso, ainda não eram nem nove horas, e eu estava me despedindo de Lauren, na sala de vôos privados do aeroporto, ainda com suas roupas, apenas meu próprio casaco e minha mochila que já estava dentro do jatinho. Os dois seguranças que vieram me acompanhar foram de extrema importância, já que aparentemente ficaram sabendo do meu vôo e o aeroporto estava cheio de fãs e fotógrafos.

— Hm, tem certeza que tem que ir? — Lauren murmurou manhosa, sem me soltar, me fazendo rir.

— Tenho um show para fazer amanhã a noite, e inúmeras entrevistas durante o dia — lembrei, sentindo um leve aperto em meu peito por ter de deixá-la.

— Me ligue quando pousar, pode ser? — pediu e eu assenti em concordância.

— Eu irei, e também irei mandar mensagens, nos falamos assim que eu chegar, certo? — prometi, a vendo acenar — E, quando eu voltar, prometo te levar naquele encontro, eu quero começar algo com você Lauren, porque, eu sou apaixonada por você com todo meu coração, e espero que se lembre disso.

Seus olhos brilharam e meu coração se acelerou, as palavras, agora tão naturais, ainda não perdiam seu efeito sob nós duas.

— Ei, um momento — pediu, colocando a mão dentro da jaqueta, tirando de lá um envelope — Tome isto — me entregou, e eu peguei, vendo sua letra em um bem feito "Camila" — Eu escrevi enquanto estava no banho, eu disse que iria escrever como me sinto, e aí está — sussurrou, levemente envergonhada. 

— Irei ler assim que entrar no jatinho — garanti, vendo seu sorriso.

Soltei um suspiro, estávamos em um lugar muito aberto para que eu a pudesse a beijar, e meu suspiro veio de novo quando um dos seguranças me disse que eu deveria ir. Pedi para que ambos ajudassem Lauren a voltar para casa, e mesmo com os protestos da de olhos claros, não mudei de idéia, não queria que meus próprios fãs ou fotógrafos a machucassem seja verbalmente ou fisicamente.

— Ok. Eu tenho que ir — murmurei, a vendo concordar.

Me aproximei, envolvendo sua cintura, a sentindo abraçar meus ombros, nossos corpos colados, que eu quase conseguia sentir seu coração batendo. Fechei os olhos, aspirando o perfume doce, provavelmente de algum hidratante. Rocei de leve meu nariz em seu pescoço, a vendo se arrepiar, o que me fez sorrir.

— Volto antes que perceba — prometi,  sem me afastar.

— Ainda sentirei sua falta — murmurou — Tchau, Camz.

— Tchau, Lern — me despedi, me afastando, lhe lançando um sorriso, antes de virar as costas e seguir para o jatinho.

Entrei na aeronave, me sentando, já colocando o cinto de segurança. E enquanto eu sentia o avião de mexer, a onda de tristeza me atingiu de repente. Era um sentimento quase sufocante, lágrimas chegaram aos meus olhos, meu peito subindo e descendo rápido, procurando algum tipo de ar. Fechei os olhos com força, sentindo algumas lágrimas escorrerem. Encarei a janela enquanto o jatinho subia ao ar, olhando para o aeroporto que se distancia, sentindo minha angústia aumentar.

Oh céus, eu estou com saudades. Já estou com saudades.

Respirei fundo, tentando me controlar, sorrindo educadamente quando a comissária de aproximou educada, me oferecendo um copo d'água que eu logo aceitei. Tirei do bolso o envelope que Lauren me deu e abri com cuidado, me deparando com sua letra bem feita.

"Ainda sinto o sabor de seus lábios 
Naquele beijo calmo
Sinto o calor da suas mãos 
Que se perderem em meus cabelos 
Consigo até sentir teu coração 
Que bateu junto ao meu 
No abraço apertado 
Que parecia como lar

Consigo ouvir tua voz 
Uma música alegre e animada 
Que saí por entre seus lábios 
E me encontro tão apaixonada 
Que canto junto em um tom baixo 
Meus pensamentos voam até você 
E me pego pensando no que está a fazer 
Me lembro das suas palavras
Nossas mãos se unindo 
E os sentimentos escapando pelas bocas 
Como borboletas que fugiram do estômago

Vi seus olhos
Castanhos reluzentes 
Doces como chocolates 
Profundos como o oceano 
Encaram os meus como se vissem minha alma 
Talvez vissem
Minha alma se desnuda à sua vista 
Meu coração dispara ao encarar seus olhos

Seu sorriso 
A língua entre os dentes
Adorável
Brilhante 
Me deixa em paz 
Como um rio cristalino

Me sinto como 
Nuvens 
Leves, flutuam pelo céu 
Me sinto leve
Flutuando ao seu redor 
Meu coração que se joga em meu peito 
Sempre que ouve sua voz 
Talvez queira correr 
E se encontrar com teu coração 
Borboletas já fugiram 
E rouxinois habitam meu estômago 
Cantam divinamente

Oh espere, 
Essa é apenas sua voz

Mas ainda há pássaros em mim
Batendo suas asas
Sempre que se aproxima 
E arrepios percorrem todo meu ser 
Quando sinto seus lábios em mim 
Beijos leves
Apressados 
Calmos 
Ou desejosos 
Não importa como são 
Me fazem quase perder meus sentidos

Apaixonada 
É como estou 
Porque cada batida em meu coração
Clama por você 
Porque cada sorriso em meus lábios
Foi você quem causou 
Porque sempre que ouço sua voz 
Me perco em mim mesma à procura de você 
E te encontro 
Impregnada em cada parte de mim
Me fazendo sua à cada segundo do dia 
A cada palavra

E eu poderia lhe dizer tantas outras coisas, mas já escuto seus passos, e estou tão apaixonada, que deixo de lado todas minhas citações literárias, e lhe digo uma música que aposto tudo que tenho, que você saberá qual é.

"Verdadeiramente, loucamente, profundamente, eu estou totalmente, completamente me apaixonando. E de alguma maneira, você cedeu todas as minhas paredes, então baby, diga que você sempre irá manter-me verdadeiramente, loucamente, profundamente apaixonada por você. Apaixonada por você."

Ps: Acho que estar apaixonada me faz querer citar músicas bobas sobre o amor.

Carinhosamente,

Da mulher que é apaixonada por você,

Lauren Jauregui."

As minhas lágrimas se perdiam entre a risada baixa que saía da minha boca. Seu poema ecoando em minha mente, mas a risada por ela citar uma das músicas mais fofas de One Direction, me fazia ter certeza de seus sentimentos por mim. Encarei seu poema, sentindo meu coração ainda mais acelerado, porém, uma parte da saudade diminuindo, porque agora, era como se eu sentisse ela comigo.

Porque Lauren estava tomando todo meu coração.

Encarei a janela, ainda com a carta em mãos, sorrindo porque em algum lugar lá embaixo, Lauren estava pensando em mim. E em breve, eu estaria de volta, e poderíamos começar tudo da maneira correta. 


Notas Finais


E então? O que acharam?

O poema da Lauren foi totalmente escrito por minha pessoa aqui. E a música que ela cita é Truly Madly Deeply da One Direction.

Até que foi um capitulo fofo, não é?

Não se acostumem...
@semiharmonizer
semi-harmonizer.tumblr.com


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...