História Através do Reflexo - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 21
Palavras 1.281
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Super Power, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Aparência do Henry

Capítulo 4 - Desertora part II


Fanfic / Fanfiction Através do Reflexo - Capítulo 4 - Desertora part II

- Para um café do Reflexo – Me empolguei, fiquei muito animada, ele apontou para o espelho e entramos nele.

 

O café em que fomos era tipo o Starbucks, tipo não, era uma filial do Starbucks! Atrevêssemos um espelho voltando para o mundo normal, bom, para a parte dos humanos, ele pediu um café descafeinado e eu um frappé, pegamos alguns cookies e nos sentamos em uma mesa enfrente a vitrine, eu tomei um gole do meu frappé e o olhei empolgada, como se dissesse: E então? Estou aguardado! Ele suspirou exausto, tomou um gole de café e abaixou a cabeça.

 

- Tenho mesmo que dizer? – Ele perguntou, fiz uma expressão séria dizendo sim – É que... Foi você que apagou a sua memória para não precisar lembrar de nada, eu não deveria te contar essas coisas... – Ele fala claramente dando um passo para trás na sua promessa.

 

- Liam, você disse que me contaria tudo! Então, conte-me – Exijo ríspida – Disse que me contaria tudo hoje, então me conte, por favor – Abaixei um pouco o tom, não que eu estivesse gritando antes.

 

- Okay... – Ele suspirou e sorriu gentil – Você era uma Gangster.

 

- Isso eu sei, você já contou – Falo o interrompendo,

 

- Mas eu não terminei – Ele disse obvio e eu o fitei curiosa – Você era uma Renegada, general de uma das tropas dos Gangsters... Vou dar um tempo para absorver essa informação.

 

- Espera... Eu era tão foda assim? – Pergunto surpresa.

 

- Sim, era o meu braço esquerdo e o de Henry também – Ele falou sorrindo, mas seu sorriso logo sumiu – Você sofreu um acidente de carro com a sua família, seus pais biológicos morreram, você tentava se adaptar a sua nova vida e resolveu sair dos Gangsters, tinha medo de irem atrás da sua nova família de novo – Ele explicou olhando para mim com um olhar um tanto triste, tomei outro gole do frappé e olhei para a vitrine.

 

- Qual era a minha relação com o Henry? Por que ele quer me caçar? – Pergunto olhando para a vitrine.

 

- Ele não se conformou com a sua saída, vocês dois discutiram feio antes de você apagar sua memória.

 

- Eu apaguei a minha memória? – Pergunto surpresa.

 

- Sim, esse é o seu poder. Mexer com a memória, tanto dos outros quanto a sua – Ele explicou e eu o olhei fascinada.

 

- Mas é claro que você não sabia disso, não é, minha doce desertora? – Me arrepio ao ouvir a voz rouca sussurrar isso como se estivesse próximo do meu ouvido, poderia estar enganada, mas era a mesma voz que ouvi na “reunião” do Liam com o Henry.

 

Eu tremi um pouco, meus lábios se abriram e fecharam milhares de vezes, eu estava soando frio e meus olhos estavam arregalados, eu estava com medo, medo que ele houvesse me achado, senti uma mão pousar em meu ombro, olhei para frente, não era a mão de Liam, me desesperei um pouco mais.

 

- Ei, ei... Não faça barulho algum, se ele descobrir, isso ficará pior do que já está – Estranhamente, o que era para ser uma ameaça me ajudou a me acalmar – Vá para o banheiro agora, quero falar com você, desertora – Senti uma mão se passar em meu rosto e respirei fundo.

 

- Ei, Milena. Houve algo? – Liam perguntou preocupado.

 

- N-não... – Gaguejei nervosa – Eu já volto! – Me levanto e corro até o banheiro feminino.

 

Ao chegar lá tranco a porta e suspiro nervosa, fui até os espelhos da pia e fechei os olhos, a torneira de sensor se ligou, aproveitei para lavar as mãos, tiro o excesso de água e passo as mãos no meu pescoço, olhei para o espelho e vi Henry ali, me assusto, mas me contenho para não gritar, ele abriu um sorriso psicótico ao me ver e atravessou o espelho, ficando em minha frente.

 

- Olá, minha querida desertora... – Ele falou debochado, fiquei assustada e recuei alguns passos.

 

- O-o que quer de mim? – Ele começou a andar em minha direção e eu continuei recuando, até bater na parede, ele segurou meus pulsos na altura da minha orelha e me encarou sério – Vai me matar? – Pergunto assustada, fechei os olhos apavorada e me surpreendi com o que ele fez.

 

Ele havia me beijado, abri os olhos assustada, fiquei surpresa, ele invadiu minha boca com sua língua, me dando um beijo bruto, ele separou nossos lábios quando o ar começou a faltar, pelo menos para ele, porque eu estava com falta de fôlego um pouco antes, eu respirava forte e ele me olhava de cima, quase como se quisesse insinuar a sua superioridade.

 

- Finalmente eu te achei – Ele sorriu malicioso, fiquei sem entender nada – E sobre as suas perguntas... Não, eu não vou te matar... – Ele sorriu psicótico e eu estremeci – Eu só vou te fazer saborear o gosto do doce e feliz sofrimento, esquecimento e desespero – Ele segurou meu queixo, soltando meus pulsos.

 

Eu juntei a coragem que desconhecia existir e o empurro para trás, ele me encarou surpreso.

 

- Não ponha suas mãos em mim... – Ele franziu o cenho – Não sei o que houve entre nós, o que éramos, mas pelo que entendi, agora somos inimigos, certo? – Ele ficou bravo, mas logo soltou uma risada.

 

- Certo – ele concordou sorrindo com uma sobrancelha arquielada.

 

- Então pronto... Eu ficarei forte, não deixarei você me matar tão fácil assim! – Falo determinada, ele gargalhou mais ainda – Pelo que Liam disse, discutimos antes de eu apagar minha memória...

 

- “Pelo que Liam disse”? – Ele me olhou furioso e me interrompeu – Pelo menos descubra sozinha o que rolou entre nós! – Ele gritou agarrando meu pescoço com uma mão.

 

- N-n-não consigo respirar... – Falo com dificuldade, ele soltou sua mão do meu pescoço.

 

- Quando se lembrar de tudo, lembre-se que não existe mais lugar para você nos Gangsters! – Ele se afastou de mim e foi em direção do espelho.

 

- Ei... Espera! – Ele parou de andar e me olhou por cima do ombro – Qual é a sua? O que eu era? Porque está fazendo isso? – Pergunto receosa.

 

- Não me pergunte isso, pergunte a si mesma, Milena – Assim que disse isso ele pulou para dentro do espelho.

 

Eu escorei na parede e deslizei no chão fiquei perplexa, aquele olhar, aquele olhar frio, sombrio e maldoso, aquele olhar obscuro havia me atravessado, talvez não só atravessado meu corpo, talvez a minha alma também, aquele olhar tenebroso não sairia da minha memória, disso eu tinha certeza, eu saí do banheiro e voltei para a mesa, Liam ficou surpreso ao ver meu estado, ele iria perguntar o que houve se eu não houvesse começado a falar antes.

 

- Liam... Henry esteve aqui...

 

- O quê? – A reação do Liam não foi nada boa – O que ele queria? O que ele disse? – Ele perguntou um tanto eufórico.

 

- Disse que vai me fazer sofrer e... – Abaixo a cabeça.

 

- E...? – Liam me incentiva a continuar.

 

- Disse que não existe espaço para mim nos Gangsters... – Liam pareceu preocupado por um tempo, mas logo sorriu.

 

- O que ele fez quando te encontrou? – Ele pergunta com um sorriso de canto e muito curioso.

 

- Henry... Ele... Ele me beijou... – Falo baixo completamente corada.

 

- Hum... – ele ficou interessado – Milena, você não tem espaço nos Gangsters, mas pelo visto... – Ele parou no meio da frase.

 

- O que? – Pergunto curiosa.

 

- Nada, é assunto meu – Sorriu divertido e eu o olho incerta.

 

- Okay né...

 

- Vou mandar embrulhar os cookies e comprar algumas rosquinhas para comermos na livraria – Ele se levantou e sorriu gentil, eu forcei um sorriso e me levantei também, terminei o frappé e comprei outro para tomar na livraria.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...