História Atrito - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Kizashi Haruno, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Tsunade Senju
Tags Aventura, Romance, Sasusaku, Universo Naruto
Exibições 36
Palavras 856
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oláaa!
Eu estava com essa ideia na cabeça sobre escrever uma história do universo Naruto, porém, com um pouquinho de universo alternativo.
Eu resolvi escrever uma possível história sobre a Sakura e o Sasuke se o massacre do clã Uchiha nunca tivesse existido.
Espero que gostem do primeiro capítulo.
Uma boa leitura, nos vemos no final da página ;D

Capítulo 1 - Prólogo


Fronteira do país da névoa. Ano do governo do quarto Hokage.

Eu estou escrevendo os meus últimos pensamentos nesta carta antes que o navio me leve para algum lugar distante onde devo me encontrar com Tsunade Senju, umas das ninjas mais poderosas do nosso tempo.

Bem, por onde eu começo?

Eu conheço Sasuke Uchiha desde o seu nascimento – um fato que eu gostaria que não tivesse ocorrido. Sasuke Uchiha, do clã Uchiha. Um nome que eu conhecia tão bem quanto o meu próprio e eu o desprezo com todo o meu ser.

Sim, o filho mais novo do chefe do clã. Um herdeiro. Apesar de nunca ter demonstrado qualquer interesse em ocupar a posição do seu pai um dia. Ele sempre soube que o seu irmão mais velho era o mais requisitado para tal função. O mais provável é que, um dia, ele acabe se tornando líder do esquadrão ANBU e se mate em alguma batalha.

Sasuke sempre foi um menino calmo – Tímido, pode-se dizer – exceto quando ele resolve me torturar. Não tenho certeza sobre em que momento exatamente nossa pequena guerra começou ou quando nós literalmente começamos a tentar matar um ao outro de diversas maneiras. Como, por exemplo, venenos, kunais, galinhas (não pergunte) e etc. Mas, a verdade é que nós já fizemos de tudo. E essa rivalidade entre nós dois existe desde que me conheço por gente.

Minha lembrança mais antiga não tem mais do que cinco anos, quando eu despertei do meu sono da tarde, no meu quarto aos sons de gritos vindos do andar inferior da casa e, em seguida, me deparei dividindo minha cama com cobras.

E os nossos pais? Nossos pais acham nossa rivalidade hilariante.

Acho que nada disso entre nós existiria se não fosse pelo fato de que minha família tivesse que viver provisoriamente no distrito Uchiha até que a rebelião na fronteira, perto da nossa antiga casa fosse suprimida.

O clã Haruno vivia perto da fronteira que separava Konoha da aldeia do som. Durante uma noite de inverno, nós simplesmente fomos atacados por rebeldes como algum tipo de retaliação contra a vila. Eu era apenas uma criança, mas ouvi relatos de que quase todo o nosso clã havia sido dizimado naquela noite. 

Uma guerra entre Konoha e a aldeia do som se iniciou por tempo indeterminado. Os sobreviventes ao massacre foram levados para viver provisoriamente no clã Uchiha, isso incluía minha família e eu. Ser obrigada a ver a cara feia dos Uchihas todos os dias não é algo recomendável para uma garota normal que está em fase de crescimento. Também, o fato de minha mãe e Mikoto (a mãe de Sasuke) terem se tornado melhores amigas contribuiu muito para que eu viesse parar aqui neste lugar.

No ano do meu sétimo aniversário, eu recebi de presente do meu pai um passarinho que ele havia comprado durante uma de suas missões na aldeia da pedra, que lhe custou um bom dinheiro e Sasuke “acidentalmente” deixou meu passarinho voar através da janela para nunca mais voltar.

Foi nesse dia que nós tivemos nossa primeira briga séria, com algumas fraturas e hematomas.

Nossos pais decidiram que já estava na hora de algo ser feito. Sasuke foi enviado para ser treinado com Obito no período da manhã e receber um treinamento de armas durante a tarde.  Eu fui enviada para aprender costura (ou aprender a escapar e a construir esconderijos em meio à floresta). O único momento em que nos víamos era ocasionalmente durante as noites quando nossos pais jantavam juntos.

No ano em que eu completei doze anos tudo desmoronou. Eu havia sido desclassificada no exame chunin e Sasuke, como sempre, havia me superado e estava mais uma vez à minha frente. Por mais que eu preferisse morrer ao invés de ter que admitir isso, eu sempre me senti muito fraca em relação a ele. Eu precisava provar que uma mulher poderia sim, se tornar uma excelente ninja.

Meu clã era extremamente tradicional. As mulheres não tinham muito valor e jamais poderiam sequer pensar em receber treinamentos ninjas. Meu pai era um ninja e minha mãe uma civil, eu sabia que no fundo ele torcia para que eu não herdasse seu chakra e fosse apenas uma garota normal, mas não havia como evitar. Com sete anos eu descobri que possuía correntes de chakra fluindo dentro de mim.

Eu estou frustrada e decepcionada. Sasuke teve o privilégio de nascer em um clã muito poderoso, todo o seu poder havia sido herdado. Eu não possuía nada demais, nenhum tipo de Kekkei Genkai. Eu estava ficando para trás e ele estava se superando a cada dia. Mas, quer saber? Eu não posso ficar para trás, estou cansada de olhar Sasuke pelas costas.

Eu não posso ficar me lamentando enquanto Sasuke parte em missões para defender nossa vila. Eu vou me tornar a ninja mais forte que Konoha já teve, eu vou ser a nova pupila de Tsunade Senju. Da próxima vez, quando eu retornar para a Konoha, será Sasuke que irá me olhar pelas costas.

Estou feliz por não precisar ver a cara dele por um tempo. Espero que ele se dane.


Notas Finais


O que acharam?
Deixem-me saber a opinião de vocês sobre essa nova história.
Beijoooos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...