História Attack On Titan Online ( 2yeon ) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Jungyeon, Mina, Momo, Nayeon, Personagens Originais, Sana, Tzuyu
Tags 2yeon, Dahmo, Im Nayeon, Jeongyeon, Michaeng, Nayeon, Satzu, Twice, Yoo Jeongyeon
Visualizações 57
Palavras 1.118
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hellou pessoas

Tudo baum ?

Se vc não assistiu esses animes e quiser assistir, não tem problema de ler a fic pois nela não terá nenhum spoiler sobre o que acontece nesses animes ( talvez só alguns... )

Os nomes de cidades e muralhas vão ser trocados e algumas outras coisas.


Boa leitura

Capítulo 1 - Prólogo


Nayeon POV

Mais um vez um dia terrível na muralha Maria. Eu não entendo, eu sou tão azarada assim ? As pessoas da Sina e da Rose são tão sortudas.

— Nayeon, estou saindo — Meu pai diz — Cuidado, e cuide de sua irmã.

Dahyun não era bem a minha irmã, mas ela sofreu muito com a perda de seus pais e como os meus queriam outra filha eles a adotaram. Dahyun é bem reservada e eu só a vi chorar uma única vez, que foi quando ela perdeu os pais dela. 

Flashback ON

Eu estava com minha amiga, Sana, e escutamos barulhos estranhos vindo da casa em que estávamos então, como somos bastante curiosas, fomos olhar o que estava acontecendo. 

Fomos até a casa e começamos a espiar pela janela.

Dois homens grandes e fortes entraram na casa de Dahyun e ficaram longos segundos conversando com os pais dela até que um deles perdeu a paciência com o pai de Dahyun e o matou. O outro, que também estava irritado, matou a mãe de Dahyun, sobrando somente ela para matar.

Nessa hora eu disse para Sana:

— Chame meus pais.

Sana saiu correndo até minha casa para chama-los.

E eu ? Eu entrei na casa de Dahyun com uma faca que eu tinha para cortar galhos de árvores e ameaçei a ameaça-los

— Garotinha, por que não vai embora ? Sua amiguinha e nós só estamos conversando — O primeiro homem diz.

— Eu vi sua conversa com eles-

Antes que eu pudesse terminar o homem cospe sangue no chão. Dahyun havia enfiado uma faca em suas costas e consequentemente o matou.

— Agora você vai ver garota — O outro diz indo para cima de Dahyun.

— NÃO ! — Meu grito saiu agudo.

Fui para cima do homem com minha faca e a botei no pescoço do meio.

Eu o matei. 

Jorrou sangue. 

Meus olhos viram o que minha ação impulsiva fez.

Dahyun e eu havíamos matado.

— Você está bem-

Ela me interrompe com um abraço bem apertado.

— Obrigado — Ela sussurrava várias vezes.

Eu somente retribuo o abraço na mesma intensidade e meus pais chegam.

_______

Depois daquele dia, eu e Dahyun viramos melhores amigas e consequentemente irmãs.

Flashback OFF

— Pode deixar, eu cuido dela. Tchau pai.

Meu pai é médico e ele sempre viaja para as outras muralhas para trabalhar e ganhar mais.

— Ah, e antes que eu me esqueça... Tome isso.

Meu pai me entrega uma chave. 

— Do porão. Mas me prometa algo... Só abra quando eu chegar.

— Okay pai.

Digo, ele me dá um beijo na testa e sai. 

Vai ser uma enorme luta contra minha curiosidade mas eu vou fazer de tudo para abrir quando ele chegar aqui. 

— Nayeon unnie — Dahyun diz entrando no quarto — Esta na hora.

Hora de ir "trabalhar". Na verdade, eu tenho quartoze anos e Dahyun vai fazer quartoze mês que vem. Nós apenas ajudamos com as coisas que precisamos em casa; por exemplo, lenha, tecido – para fazer lençóis, roupas, etc –, frutas e algumas outras coisas.

— Estou indo maninha — Digo enlaçando meu braço em seu pescoço e beijando sua testa — Bom dia Dahyun.

— Bom dia.

Vou até a cozinha pego uma maçã e saio com Dahyun até o portão da muralha. Hoje vamos passar lá antes de ir para ver a chegada dos militares da área de Reconhecimento.

Explicando as coisas, militares de Reconhecimento são as pessoas que saem das muralhas para estudar os titãs e o mundo a fora.

Eu os admiro muito e minha vontade de sair dessa muralha aumenta todos os anos em que eles voltam do mundo lá fora.

Chegamos lá e já pude ver as pessoas aguardando a chegada deles, alguns eram familiares, outros, amigos, e a maioria só estava lá para ver a chegada dos heróis.

Os portões abriram e o capitão Yuta – o melhor da equipe – é o primeiro que vemos. Ele está junto com sua aprendiz, Jeongyeon que é uns dois anos mais velha que eu, ou seja, ela tem dezesseis, que é a idade mínima para entrar na academia de treinamento.

— Ela é bonita, não é Unnie ? — Dahyun pergunta.

— Sim, ela é sim — De fato, ela é.

Eles continuaram andando até que chegou a um certo ponto em que eles pararam, desceram da carroagem e tiraram um cara de lá.

— O que está acontecendo Unnie ? — Dahyun pergunta após ouvir um grito agudo de uma mulher.

— Não sei Dahyun. Vem para mais perto de mim.

Dahyun cola sua cintura na minha enquando estamos "abraçadas".

Sinto muito senhora, ele não resistiu.

Só escutamos isso e depois Dahyun enterrou seu rosto no meio dos meus seios pouco desenvolvidos.

— Vamos embora Unnie — Ela diz pegando minha mão e me puxando até longe da multidão — Taeyong… Era ele.

Taeyong era o segundo melhor da equipe de reconhecimento, ele tinha e torno de vinte e três mortes. Estou me referindo aos titãs.

— Ah, Dahyun… Não fique assim.

Dahyun o idolatrava pois ele também perdeu os pais de uma forma terrível.

(…)

O dia passou rapido, nós estávamos pegando lenha e tecido já que o inverno está chegando.

— Unnie, acho que está bom.

Dahyun diz quando seu saco de tecido e lenha enxeu.

— Como sempre você pehou mais que eu não é, maninha — Digo rindo e bagunço seus cabelos — Vem. Vamos.

Estávamos voltando para casa quando escutamos um tremor no chão.

Eu e Dahyun nos assustamos mas continuamos andando.

— Nayeon Unnie ! Dahyun ! Os titãs ! Eles estão vindo ! — Sana grita para nós.

Quando olhamos para a muralha, havia um enorme titã que ultrapassava o limite dela. Ele era vermelho e parecia ser bem forte. E como se só ele não bastasse, havia outro...

— Chame o exercíto ! — Escutamos isso e saímos correndo — É o titã colossal !

Titã colossal é o titã mais forte já visto. Ele é totalmente blindado e musculoso.

Sem esperar mais nenhum segundo, os dois titãs derrubaram a muralha. 

Eu, Dahyun e Sana corremos até o portão da muralha Rose que era a mais próxima da nossa.

Quando estávamos perto do portão – que também era perto da minha casa – vimos todo o exercíto saindo da muralha e atacando os titãs – que agora eram muitos – que passaram pela muralha.

— Mãe !

Grito ao ver minha mãe saindo de casa.

Esse foi o pior momentos da minha vida.

Quando eu vi minha mãe morrer ao meu lado. Por um titã.

O titã chegou rápido e agarrou minha mãe antes que ela chegasse até nós.

A cena foi rápida mas para mim foi lenta.

Minha mãe foi devorada pelo titã.

Não pude ver o que aconteceu depois. Sana e Dahyun me puxaram até o portão da muralha Rose e ficamos lá até o exercíto abrir os mesmos.

Hoje eu juro a mim mesma.

Eu irei matar todos os titãs que aparecerem na minha frente.





Continua...



Notas Finais


Najayeon agora mata titãs


Baye pessoas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...