História Attraction Empire - Capítulo 28


Escrita por: ~

Visualizações 831
Palavras 4.573
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Aqui está o final como a maioria queria/esperava e eu nunca falei isso com tanta sinceridade: espero que gostem, por mais que eu tenha escrito o capítulo completamente sem vontade. Agradeço à Yanca (reinless) por ter me ajudado. Estou fazendo isso apenas pela enorme consideração que possuo por algumas pessoas que conheci aqui, pois por mim eu teria apagado a fanfic e dito coisas tão horríveis quanto disseram para mim. Eu poderia copiar e colar aqui VÁRIOS indícios de que o Justin era o assassino dos pais da Babi e do Ryan e que ele e Chaz eram cúmplices o tempo todo, mas prefiro não discutir e infelizmente estes fatos ficarão sem uma explicação decente, porém está mais que explícito que isso não ocorreu por minha escolha. Não quero que achem que sou o tipo de pessoa que não aceita críticas ou que não sabe lidar completamente com elas, mas vocês realmente acham justo me lançar palavras daquele tipo enquanto em todos os comentários eu respondia vocês de forma amigável? E se um dia cheguei a tratar alguém mal, me perdoem de coração, pois a minha única intenção aqui é escrever histórias mesmo não sendo belieber e não atirar pedras em alguém. Alguns comentários foram sensatos, mas outros chegaram a me ofender, pois não criticaram apenas "Attraction Empire", criticaram a minha pessoa e eu acho que da mesma forma que eu não tenho intimidade com vocês, ninguém tem intimidade comigo e muito menos o direito de me insultar como foi feito. Mas sabe, não me magoou ler "pior fanfic", "você estragou o final", "tu jogou a história no lixo", "o que você tem na cabeça?" ou "você é louca", o que me magoou de verdade foram as pessoas (quero fazer questão de não lembrar os users, mas de qualquer forma, não citaria aqui, pois coisas anti éticas não fazem o meu estilo) terem escrito isso e no aviso do "capítulo" anterior terem se desculpado ou até por mensagem privada mesmo. Saibam que eu continuo magoada, saibam que muitas de vocês eram minhas amigas aqui no site e saibam que eu não irei responder ninguém pelos pedidos de perdão, não porquê não perdoei, mas porquê contrariedade como sinônimo de falsidade me irritam profundamente, me dói ver que apenas após perceberem que doeu em mim vieram tentar me confortar. Sabe, não vai mudar nada. Da mesma forma que vocês me disseram que não vai mudar nada eu escrever um outro final. Mas no meu caso eu irei fazer mesmo assim porque sei que teve gente que não leu o capítulo postado e também porque eu sou de cumprir os compromissos que tomo nas mãos. Eu não estou confortada, eu não estou feliz e odeio o fato da minha imensa sensibilidade fazer com que eu esteja chorando agora. Eu sei que o motivo é bobo, fútil e até mesmo insignificante, mas quem de fato escreve e ao mesmo tempo tenta lidar com as pessoas sabe que não é fácil e que isso machuca de verdade. Não quero que em momento algum pensem que estou fazendo um drama até porque já acabou, não é mesmo? Não faria sentido algum e estou falando numa boa, pois não sei se conseguiria guardar isso pra mim, eu espero que entendam assim como entendi a decepção que vocês sentiram quando leram o último capítulo, essa fanfic não é e nunca foi minha, ela é de vocês e para vocês, por isso ler "a história é sua, você que tem que se contentar com o que escreveu" não faz muito sentido pra mim. Eu apenas gostaria de entender o aparente anseio por algo que fuja dos padrões e dos famosos clichês para chegar na hora "h" e mudar drasticamente de opinião. Mas talvez eu compreenda (um pouco) isso também, fiz um tipo de história e no final fiz uma reviravolta, vocês tinham o direito de criticar construtivamente, mas infelizmente as belas flores que às vezes oferecemos nos voltam esmagadas por quem confiamos o zelo da mesma. Acontece.
Mais uma vez quero dizer que se não gostarem do capítulo postado por mim aqui agora não falem nada ou se expressem sabendo que por trás de um icon do Justin Bieber existem pessoas reais que gastam tempo, possuem outras obrigações e que se empenham em fazer algo que simplesmente gostam. E peço também meu mais sincero pedido de desculpas por quem teve que ler esse texto sem ter nada a ver com o que aconteceu.

Capítulo 28 - No Pressure



POV JUSTIN BIEBER

   Acordei e não vi Barbara ao meu lado. Na verdade, me virei e meti o braço no colchão e despertei achando que havia a machucado, mas ela não estava lá. "Por que ela não está?" "Cadê ela?", pensei em mil perguntas, eu odeio quando ela faz isso, quando está longe de mim.
   Sentei na cama e vi um bilhete em papel cor de rosa em cima do criado mudo. Sorri e cocei os olhos antes de pegar para ler.
"Desculpa, amor, você sabe o motivo pelo qual tive que sair cedo hoje. Espero que você acorde até às quatro porque senão vou ter que te ligar, sei que odeia ser acordado pelo toque do celular. Eu te amo. Babi".
- Motivo? Por qual motivo ela teria que sair cedo?
    Deixei o papel ali e levantei. Fui para o banheiro lavar o rosto. Ouvi Debby bater na porta.
- Senhor? Está dormindo? Eu trouxe o seu terno.
- Ter...? CARAMBA! - abri a porta com tanta rapidez que vi o cabelo de Debby voar. - EU VOU ME CASAR HOJE!
   Tirei o terno da mão dela e puxei seu rosto lhe dando um beijo molhado na testa.
- Oh, desculpe, eu só estou...
- Feliz? - ela sorriu timidamente. 
- MUITO! 
- Me perdoe a pergunta, mas... O senhor é tão responsável e nunca esquece dos compromissos... Como foi esquecer o dia do seu casamento?
- É porque você não faz ideia de quão boa foi a noite passada, nem sei como a Barbara conseguiu acordar, ela dorme mais do que qualquer ser humano vivo na Terra.
   Debby deu uma risadinha. 
- Bom, eu tenho 3 horas para ficar pronto, mas não vou demorar tudo isso. Não sei se fico pronto e faço coisas sem importância como assistir um filme depois ou se faço as coisas sem importância primeiro e me arrumo ou...
- Até parece que o senhor não sabe como é casar. Não fique tão ansioso, respire. - ela disse divertida.
- É que com a Barbara é incrível, eu não consigo acreditar! Ela é... ela é especial e eu... Droga, eu estou tremendo! - escondi as mãos atrás do corpo. - A Barbara é a mulher da minha vida!


POV BARBARA PALVIN

   Minhas mãos estão suando, borboletas voavam de um lado para o outro em meu estômago. Observei meu reflexo no espelho pela milésima vez, a forma como o vestido longo e branco destacava minhas curvas e como as rendas que ele possuía me davam um ar singelo e delicado. O vestido lembrava a cauda de uma sereia, sendo colado no corpo até os joelhos e depois se desfazia em inúmeros babados. A coroa de flores em meu cabelo destacava o azul dos meus olhos, enquanto meus lábios eram preenchidos por um batom quase imperceptível. Justin sempre disse que gostava quando uso o vermelho, mas acho que ele vai entender, sabe que não sou assim, gosto de coisas simples.
   Eu estava nervosa, e não adiantava o quanto eu andasse de um lado para o outro ou o quanto falassem que tudo daria certo. Eu sabia que só estaria segura quando estivesse andando pelo grande tapete vermelho até os braços do meu amado. O nervosismo era algo inevitável em um dia tão especial como esse. Assim que acordei hoje pela manhã senti que o dia nunca esteve tão bonito, os pássaros nunca haviam cantado com tanta harmonia e o perfume das flores nunca esteve tão agradável como o de hoje, eu não sabia se era isso de fato, ou se o fato de eu estar apaixonada tornava tudo mais bonito. Talvez fosse a última opção, nem há tantas flores assim em Miami.
    Por um minuto parei para pensar sobre tudo que eu e Justin tivemos que enfrentar até, finalmente, estarmos juntos em cima de um altar. É surpreendente a forma como as coisas acontecem, é surpreendente a forma como o amor acontece. O amor acontece espontaneamente, quando menos esperamos e por quem menos imaginamos. Quando o amor nasce em dois corações, eles deixam de serem dois, para se tornarem um só coração e passarem a bater em uma mesma sintonia para sempre. Quando é verdadeiro não importa as barreiras que forem impostas no meio do caminho ou quantas são, o amor verdadeiro continuará eterno e invicto de qualquer dor e amargura. O único problema do momento era Caitlin que estava mais agitada do que eu.
- Quer parar de gritar e tirar tantas fotos de mim? E se você não percebeu está com o flash na minha cara! - falei irritada e Caitlin guardou o celular de mau grado.
- Por que você tá brava? Você está linda, Babi!
- Obrigada, Cait. - falei seca.
   Apesar de tudo, eu sentia uma dor insuportável nas costas, meu rosto estava pesado, meu corpo apertado e a coisa mais difícil era equilibrar o pescoço para fazer com que minha cabeça não saísse do lugar. Essas sensações eram fruto do vestido apertado, da maquiagem e da coroa presa em meu cabelo. Caitlin não parava de pular e bater palmas feito uma menina fresca dizendo o quão bonita eu estava.
- Pode parar por um segundo? - perguntei novamente. - Eu estou passando mal, a minha cabeça tá doendo. - hesitei ao sentar, seria algo difícil com esse espartilho e essa saia enorme.
- Por que, Babi? Você não está feliz?
- Não é isso, eu só estou nervosa.
- Toma, beba um pouco de água, menina. - a dona do salão de beleza me ofereceu um copo. - O que está sentindo?
- Esse vestido está me machucando, eu posso ficar sem até passar a dor? - me virei e Chloe correu rapidamente para soltar os botões e laços da parte de trás.
- Vou afrouxar um pouco. Onde dói?
- Minha barriga. Parece que tá tudo revirando, mas eu só comi algumas frutas.
- Tudo bem, apenas se olhe a última vez com o vestido no espelho. - ela disse e eu olhei, era realmente lindo, mas por algum motivo não me sentia bem dentro dele.
    Chloe me ajudou a tirar com cuidado, eu me sentia bem mais leve e à vontade. Uma das mulheres da equipe logo vieram tirar uma mecha do meu cabelo que havia ficado no rosto.
- Agora se olhe no espelho de novo. Fique com a barriga normal. O que foi que eu disse?
- Bom, você não disse da outra vez que eu teria que engordar para não perder o vestido?
- Não, Babi. Você não está gorda, você está grávida! - Caitlin exclamou com uma animação exagerada.
- O-o que? Eu estou? EU ESTOU! - coloquei a mão sobre a barriga e virei de lado.
   Vi todas aquelas mulheres ali vibrarem de alegria comigo mesmo sem me conhecerem e isso fez meu coração palpitar ainda mais de alegria nesse dia que é tão especial pra mim.
- E então? Tá esperando o que para ligar para o Justin? - Caitlin perguntou.
- Eu não vou contar agora. - disse depois de pensar por um tempo, meus olhos estavam marejados.
- O que? Ele vai surtar!
- Relaxa. - ergui as mãos.
- Você quem sa... - ela respondeu se afastando depois de tirar o celular que estava tocando do bolso.
- Falta apenas uma hora para a cerimônia. Já está melhor? Podemos colocar o vestido e deixar um pouco mais folgado, pode ser? - Chloe perguntou com toda paciência do mundo.
- Claro. - assenti e ela começou a me vestir novamente junto com mais duas mulheres.
- Ei, tem alguém aí fora que quer te ver! - Caitlin voltou apertando os lábios em um sorriso.
- Quem? - perguntei em um tom exagerado de curiosidade. - Manda entrar.
   Caitlin saltitou novamente sumindo de vista.
- Assim está bom? - Chloe indagou.
- Sim, obrigada. Eu acho que agora já consigo me mover e respi... 
- Babi? - ouvi uma voz masculina falar atrás de mim e olhei para o espelho vendo o reflexo de Charles.
- Chaz! - abri um sorriso do tamanho do mundo e me virei pulando em seus braços para abraçá-lo. - Eu não te vejo faz quase cinco semanas!
- Eu estava viajando. - ele me soltou.
- Sério? Foi pra onde?
- Canadá. Eu fui resolver algumas coisas comigo mesmo.
- Como o que? - franzi o cenho.
- Olhos azuis. - ele respondeu simplesmente evitando olhar para Caitlin.
- Você precisa deixar o passado pra trás.
- E eu deixei. Não vou deixar a minha loucura evoluir.
- Você não é louco, Chaz. - sorri amigável.
- Vou ter mesmo que fazer aquela piadinha do "eu só sou louco por você"?
- Não. Não faça isso. - abaixei a cabeça.
- Ei. Olha pra mim. - ele tocou em meu queixo fazendo-me olhar em seus olhos. - Fica tranquila, não tenho mais em mente a ideia de destruir seu casamento. Eu vim aqui pra ser sincero mais uma vez com você. E para pedir perdão também. 
- Você não precisa pedir perdão por nada.
- Babi, me ouve.
  Ele disse sério e então eu fiquei quieta esperando que ele prosseguisse.
- Eu não vou ir ao seu casamento. 
- O que? - senti meu coração murchar.
- Você sabe o motivo e eu sei que nada pode consertar isso, mas... - ele colocou para frente a mão que escondia atrás do corpo revelando uma bela e delicada rosa vermelha.
   A peguei com cuidado e Chaz me abraçou como nunca antes, bem apertado.
- Não chora, eu sei o quanto isso é importante pra você. Eu espero que me entenda, a sua felicidade é a maior das minhas prioridades, mas eu não posso mais viver esquecendo da minha. O Justin é mau comigo e com toda razão, é claro, mas ele é o cara certo pra você, é gratificante pra mim ver que ao lado dele os seus olhos brilham com mais intensidade, vocês se merecem e eu não tenho direito nenhum de interferir nisso.
- Mas, Chaz...
- Não insista. Eu posso estar sendo egoísta, mas eu sei que você não vai deixar de me amar por causa disso. Não há quem consiga fazer o seu coração diminuir de tamanho, Babi.
- Eu sempre vou amar você.
- Eu também. - ele sussurrou em meu ouvido. - Você está linda hoje, é uma pena que não seja para mim, mas como você disse, eu ainda vou encontrar o meu anjo voando por aí. Não esquece de mim, gatinha, eu estou torcendo por você.
- Eu jamais esqueceria de você, Charles, não fale uma coisa dessas! - lhe dei um tapa no ombro. - E mesmo não te entendendo vou respeitar sua decisão.
- Obrigado.
- Não, não agradeça. Nós estamos amadurecendo e eu sinto que está na hora de mudanças. 
- Ah, mas se vocês não me chamarem pra esse abraço eu vou ficar triste! - ouvi a voz de Caitlin.
   Chaz soltou uma risada agradável e a puxou dando-lhe um beijo na testa. Ficamos um tempo abraçados até o pateta cortar o clima:
- Andem logo! Qual das duas vai chorar primeiro?
- Você estraga tudo, Charles! - Caitlin parou o abraço e lhe deu um tapa. Ele a abraçou de lado e eu me virei para olhar no espelho novamente, eu não cansava de ver meu reflexo, de enxergar todo aquele momen...
- Ora, ora. Que bela palhaçada temos aqui. - ouvi uma voz feminina que me fez gelar e virei para trás tentando me convencer de que aquilo era mentira.
  Adriana estava plantada ali equilibrada em seus enormes saltos e seus olhos azuis pousados nos meus com um olhar maldoso e superior.
- O que você está fazendo aqui? O salão está fechado.
- Só para você? Coitadinha. Eu sempre venho aqui e abriram uma exceção pra mim, o dinheiro compra muita coisa. Mas o melhor de tudo é comprar o meu riso ao ver uma criança vestida de noiva.
  Fiquei quieta, não sei se foi porquê ela já havia conseguido estragar meu dia ou se por conta por achar que não valia à pena discutir.
- Isso tudo é ciúmes? - perguntei puxando de dentro de mim uma coragem que achei que não tinha.
- Por que eu teria ciúmes? - ela cruzou os braços.
- Porque aparentemente a sua vida é uma merda. Seu primeiro marido te trocou e o segundo morreu.
   Meu coração palpitou, eu não deveria ter falado do Ryan! É muita maldade, eu não sou assim! Mas tudo "ficou bem" quando ouvi ela dar uma risadinha. Fiquei sem entender.
- Diferente de você, eu nasci rica, fiquei com metade do que era do Justin quando nos divorciamos e graças à "morte" - Adriana fez aspas no ar. - do Ryan, estou com tudo que era dele. Acha que estou com ciúmes ou triste? Me poupe, eu não tenho 17 anos.
- O-o que quer dizer com as aspas? - uni as mãos suadas, eu estava tremendo.
- Nada. - ela respondeu ainda com um sorriso enorme nos lábios.
- O que você fez com o meu primo?! 
  Ouvi Chaz gritar. Foi tudo tão rápido, quando vi, ele já havia ido para cima de Adriana e lhe acertado um soco no rosto. Porém ela o empurrou parecendo não se importar com seu lábio cortado, não sei de onde ela tirou forças para empurrar Charles. Caitlin estava estática com a mão na boca.
- Como você pode? - saiu automaticamente. - Isso é sério?
- O amor sempre acaba, pequena Babi. Talvez aconteça o mesmo com você, eu amava o Ryan, mas o amor que adquiri pelo que ele tinha falou mais alto em algum momento. Aliás, você já está fazendo isso com Justin, mas puxa, você é boazinha mesmo, pelo menos deixou ele vivo. É realmente mais fácil quando se tem a sua idade.
- Quantas vezes vou ter que dizer que estou com o Justin porquê o amo e não por interesse?
- Não se...
- Você não tem que dizer nada à essa cobra, Babi. - Caitlin olhou para mim e depois para Adriana, não sei como ela tinha coragem para olhar nos olhos dela. - Você ouviu o que acabou de falar? Você apagou o seu ex marido pra ficar com o dinheiro dele, todo mundo aqui ouviu.
- E você vai fazer o que? Ir à polícia? Vai lá. Acha que eu já não confessei o que fiz e paguei uma fiança? Agora você, - Adriana apontou para Chaz e para o próprio rosto. - vai pagar por isso.
- Já que eu vou pagar, me deixa dar outro soco, vagabunda.
- Me chamou de quê?
- Vagabunda. - Chaz repetiu pausadamente. Ele estava estranho, a raiva em seu rosto estava estampada de uma forma assustadora.
- Chaz! - Caitlin o segurou pelo braço antes de ele ir para cima de Adriana de novo.
- Ei, você acabou de me dizer que ia mudar. - segurei o rosto dele entre as mãos. 
- Isso pode ficar pra depois que eu fizer com ela o mesmo que ela fez com o meu primo.
- Chaz, não vale à pena brigar ou sujar as mãos com ela. Essa mulher é louca. - Caitlin disse "baixo".
- Garota, se você não parar de me ofender...
- Você vai fazer o que? - a cortei. - Adriana, se não percebe, sua presença está incomodando e se de fato não se importa, por que está aqui tentando me atingir de alguma maneira? Meu casamento vai acontecer e você não vai impedir isso, não vai conseguir me fazer chorar como sempre fez.
- Que pena. - ela deu de ombros.
- É mesmo uma pena. Mas saiba que você não vai sair ilesa de tudo isso, um dia você vai pagar. Você é a mulher, se é que te posso chamar assim, mais mal amada que eu conheço. Espero te reencontrar daqui uns anos com seu dinheiro para saber se ele comprou o amor. - fiz uma pausa enquanto ela me observava calada. - Tenho uma ideia! Você pode comprar aqueles gatos de raças caras, sei lá, uns cem deles e encher a sua casa para viver o resto da vida com eles. Gatos são fofos, você não acha?
- O que eu acho fofo é você pensando que algo assim pode me ofender.
  Ergui uma sobrancelha e a medi de cima à baixo. Depois de um bom tempo de silêncio, ela girou os calcanhares e simplesmente foi embora. Soltei todo ar que estava prendendo imaginando quando seria a próxima vez em que teria coragem enfrentar alguém dessa maneira.
- Quem era a louca? - Chloe perguntou.
- Ninguém. Não quero falar disso, estou atrasada. - suspirei.
- Barbara, está na hora! - Caitlin disse atrás de mim.
Depois de ouvir tais palavras, meu coração errou uma batida e eu senti meu corpo paralisar por um segundo. Não respondi nada. Estava na hora. Em algumas horas eu estaria casada com o homem da minha vida. Eu nunca estive tão certa em nada na minha vida, como eu tenho a certeza do meu amor pelo dono dos olhos castanhos. 
Se nós dois havíamos chegado até ali, não havia mais nada e ninguém que pudesse nos separar.
  Chaz lançou um sorriso pra mim e eu caminhei para fora do salão, onde uma limousine me esperava.
 


[...]
 


    Em cada novo passo em direção ao altar, podia reparar na linda decoração do enorme jardim. Estava todo decorado entre vermelho e branco. Rosas brancas banhavam o chão em direção ao altar. Os enormes lustres contracenavam junto ao brilho natural das flores. Os convidados já estavam sentados em seus devidos lugares e olhavam atentos para cada passo meu, enquanto eu segurava firmemente o buquê de rosas vermelhas em minhas mãos. Tudo parecia tão certo e meu nervosismo já não existia mais. 
A cada passo em direção, eu sentia que estava cada vez mais perto da felicidade. O sorriso em meu rosto era tão grande que eu sentia que poderia sustentá-lo pelo resto do dia. No fundo podia-se ouvir a voz suave do cantor em cada novo verso da bela música.


Para sempre pode nunca ser o suficiente para que eu
Sinta que tive tempo suficiente com você
Esqueça o mundo agora não vamos deixá-los ver
Mas há uma coisa a fazer


Agora que o peso tem levantado
O amor certamente tem mudado meu jeito
Case comigo
Hoje e todos os dias
Case comigo



   Foi quando meus olhos se encontram com os dele que eu perdi a noção de quantos passos já havia dado. Ele estava tão lindo! Justin sempre havia sido dono de uma beleza inegável, mas ali vestido naquele terno preto e ostentando um maravilhoso sorriso no rosto, não havia nada que eu considerasse mais bonito que ele naquele momento. Eu não tinha dúvidas do quanto apaixonada eu estava por Justin, e parecia que em cada novo passo em sua direção esse amor crescia e se intensificava dentro de mim.

Estar junto pode nunca ser perto o suficiente para que eu
Sinta que estou perto o bastante de você
Você usa branco e vou usar as palavras "eu te amo"
E "você é linda"
Agora que a espera acabou
E o amor finalmente mostrou a ela minha maneira
Case comigo
Hoje e todos os dias
Case comigo


   O altar parecia cada vez mais longe, e tudo que eu queria era estar finalmente nos braços dele. A emoção era tão grande que me fez transbordar em lágrimas, eu não me importava com o que as pessoas iriam pensar, a única pessoa que me importava agora tinha meu coração em mãos e estava me esperando em cima de um altar. 

Prometa-me
Você sempre será
Feliz ao meu lado
Eu prometo
Cantarei para você
Quando todas as músicas morrerem

E case comigo
Hoje e todos os dias
Case comigo


   Éramos apenas eu e ele e nosso amor naquele lindo pôr-do-sol. Não havia nada que eu quisesse naquele momento, exceto me tornar para sempre sua. Meus passos foram diminuindo e logo eu estava ao seu lado. 
- Você está magnífica, meu amor. - sua voz grossa preencheu os meus ouvidos. 
    Eu já não podia controlar as lágrimas que insistiam em descer pelo meu rosto. E pela primeira vez, eu estava chorando de felicidade. 
Justin depositou um beijo singelo em minha cabeça e entrelaçou os nossos dedos. Era hoje, era agora que nos tornariamos unha e carne, e a partir daí, seríamos apenas eu e ele por toda a eternidade. Era para sempre.



POV JUSTIN BIEBER


   Barbara com certeza era a imagem mais linda que meus olhos tiveram o prazer de contemplar. A cada novo passo seu em minha direção eu me apaixonava novamente por ela. O seu sorriso, seus olhos, tudo nela parecia me atrair e me deixar completamente entregue ao sentimento que sentíamos um pelo outro. Era amor, e eu não tinha nenhuma dúvida disso. Não mais.
   Eu nunca imaginei que poderia me apaixonar com tanta intensidade por alguém, ainda mais por uma garotinha, como eu sou apaixonado por ela! Barbara foi a minha luz, a minha salvação. Seus olhos me faziam enxergar a verdade, e seus lábios me levavam ao delírio. Dois segundos ao seu lado era o bastante para visitar o paraíso. Ela era o meu paraíso particular, a princesa do nosso reino escondido. Eu não via a hora em que eu poderei chamá-la de minha, acordar ao seu lado todos os dias e poder dizer o quanto ela é linda e o quanto eu sou apaixonado por todas suas perfeições e imperfeições. 



- Justin Bieber, você aceita Barbara Palvin como sua esposa na alegria e na tristeza até que a morte os separe? - o pastor perguntou. 
- Aceito. - respondi de imediato. 
- Barbara Palvin, você aceita Justin Bieber como seu esposo na alegria e na tristeza até que a morte os separe? 
- Sim, eu aceito. - ela respondeu com um sorriso nos lábios e com lágrimas nos olhos. 
- As alianças, por favor. 
   Com a aliança em minhas mãos trêmulas, segurei delicadamente a mão de Barbara, enquanto assistia a pedra de diamante se encaixar em seu pequeno dedo, finalmente, marcando-a como minha.
   Respirei fundo antes de olhar em seus olhos azuis repletos de lágrimas e dizer: 
- Você é o meu porto seguro, onde encontro paz e aconchego. Você é a melhor parte de mim, mesmo que eu seja repleto de defeitos, escolher você foi o meu melhor acerto. E eu escolheria você por mais mil vidas se fosse possível, e em cada vida eu me apaixonaria por você mil vezes. Eu me apaixonaria por você em inúmeras situações diferentes, mesmo que fosse no frio do Alaska ou no calor do Havaí, eu teria a certeza de que você é o amor da minha vida assim que olhasse em seus olhos azuis, e ali, naquela imensidão azul, encontrar a paz. A minha paz. Eu me apaixonei por você em cada defeito seu, e por te amar tanto, seus defeitos acabaram se tornaram suas maiores qualidades para mim. Eu prometo que vou continuar me apaixonando por você mesmo quando o dia estiver nublado e o sol não aparecer, e que te amarei mais ainda em uma manhã ensolarada de sábado. Não importa em qual estação do ano estivermos, você sempre será a minha flor, e com o seu perfume e a sua delicadeza me mostrará o caminho de volta para casa. Eu serei capaz de te amar mesmo quando tudo parecer perdido. Eu te amarei quando você não estiver mais motivos para sorrir. Eu te amarei quando você já estiver perdido todas as suas esperanças. Eu serei capaz de te amar em todas as circunstâncias, seja na alegria ou na tristeza, na saúde ou na doença, eu sempre irei continuar me apaixonando por você diariamente e intensamente, cada dia um pouco mais. Eu prometo ser para você, pelo menos a metade de tudo que você é para mim, porque mesmo nas mais belas palavras ou nas flores mais bonitos do jardim, eu jamais encontraria algo que pudesse representar tudo o que você significa para mim. Quero que saiba que independente de qualquer coisa que venha acontecer, você sempre continuará sendo a minha primeira e única opção. Eu me apaixonei por você da maneira mais singela que alguém poderia se apaixonar, eu me apaixonei por você ser simplesmente você, sem tirar e nem por. Eu nunca fui a melhor pessoa do mundo, mas você me fez querer ser melhor, e desde então eu venho melhorando a cada dia mais por você. Somente por você. Somente por você que eu mantenho um sorriso, é somente por você que eu estou aqui hoje dizendo tais palavras. Mesmo que um dia meu coração venha a parar de bater, eu te amarei em cada uma das últimas batidas do meu coração. Eu espero poder viver com você uma vida inteira, acordar ao seu lado, realizar os seus sonhos e fazer de você uma mulher feliz em cada novo dia. Eu espero poder envelhecer ao seu lado e contar os seus cabelos brancos, e poder dizer que mesmo assim, você continua linda para mim. Eu espero que todas essas palavras tenham simplificado pelo menos um terço da imensidão de sentimentos que eu sinto por você, os quais podem serem reduzidos em três palavras. Eu amo você. 
    Ela estava chorando mais ainda e as pessoas estavam aplaudindo. Ri baixo e ela pareceu ficar brava por rir da cara dela, mas eu na verdade estava sorrindo, pois sabia que suas lágrimas eram de felicidade.
- Desculpa. - falei baixinho.
  Eu já deveria imaginar que todos aqueles ensaios não serviriam para nada. Sem aviso prévio Babi me selou rapidamente e me abraçou forte como se eu fosse fugir dali, e isso não estava no roteiro.
- Desculpa não ter preparado um discurso, só posso dizer que é tão bom finalmente estar em seus braços! Agora é pra sempre, só nós três. Eu prometo, Justin.
- Três? Babi, eu sei que está emocionada, eu também estou. Mas ainda sei contar.
   Ela me soltou e disse convicta:
- Sim, três.
- O pastor não vai ficar com a gente pra sempre.
- Por Deus, rapaz! Ela quer dizer que está grávida! - o pastor disse divertido.
- O QUE?! - gritei e o silêncio reinou, foi a vez de Babi de rir da minha cara por conta das expressões surpresa das pessoas.
- Lembra da última vez? Da nossa conversa no carro? Eu não tomei o anticoncepcional, deu certo.
- Deu certo? Certo! Certo! - a abracei tirando-a do chão. Babi estava uns cinco quilos mais pesada, talvez fosse por conta do vestido e do nosso filho.
- Nós estamos casados e você vai ser pai agora! - ela sussurrou e eu a coloquei no chão lhe dando o beijo final mesmo sem a permissão do pastor que sorria, já havia desistido de seguir o roteiro também.
- Direi mais uma vez hoje: eu te amo mais do que minha própria vida. Agora posso dizer de fato: amo vocês dois. - acariciei sua barriga e senti o flash da câmera do fotógrafo registar o momento.
  Mais do que nunca eu tinha a certeza de que Barbara Palvin é, e continuará sendo, o amor de toda minha vida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...