História Attraction or Love - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camilacabello, Camren, Fifthharmony, Laurenjauregui, Romance
Visualizações 72
Palavras 5.053
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Um pouco mais


Fanfic / Fanfiction Attraction or Love - Capítulo 7 - Um pouco mais

POV Camila

Seus beijos molhados agora estavam no meu pescoço, ela mordia levemente meu ponto de pulso fazendo com que um gemido baixo saísse involuntariamente por minha boca conforme seus dentes raspavam devagar em minha pele. Sua mão atrevida subiu por dentro de minha blusa chegando até meu seio e o apertando com vontade, eu estava sem sutiã, de forma a dar livre acesso para o que ela quisesse fazer comigo.

Seus lábios voltaram para minha boca e ela mordeu meu lábio inferior puxando-o pra si mesma me fazendo suspirar, seus dedos apertavam meu bico completamente rígido pela excitação do momento me fazendo gemer manhosamente.

Minha intimidade já me incomodava há algum tempo, desde o momento em que nossos beijos começaram a tomar outras proporções, eu estava completamente molhada, apenas aguardando pelos toques mais íntimos de Lauren.

Ela tirou sua mão de meu seio e desceu para a barra de meu short ultrapassando o elástico sem pedir permissão, sua mão foi direto para minha coxa onde ela cravou suas unhas e subiu arranhando delicadamente minha pele até chegar em minha virilha. Gemi alto quando sem aviso nenhum seu dedo massageou meu clitóris por cima da calcinha. Eu queria mais, eu precisava de muito mais que apenas seus toques.

- Chancho, você está bem? - Dinah balançou meu corpo fazendo com que eu abrisse meus olhos completamente assustada. 

- O que? - Perguntei ainda atordoada pelo sono. Passei a mão por meus cabelos, tudo parecia ter sido tão real.

- Você estava se contorcendo, parecia estar gemendo por alguma dor e está suando bastante também. - Senti meu rosto se esquentar no mesmo instante e ela não perdeu a oportunidade, minha amiga sacou na hora o que era. - Oh não! – Ela começou a gargalhar alto. - Você estava tendo um sonho erótico? - Me levantei rapidamente da cama e fui direto para o banheiro. Eu não iria conseguir olhar pra cara dela. - Por essa eu não esperava vindo de você. - Ela veio atrás de mim. - Anda, me conta.

- Dinah! - A repreendi ainda sem olhá-la.

- Ah, qual é! É só um sonho. - Joguei água no meu rosto, eu realmente estava suando e meu coração ainda estava acelerado. - Quem quase te fez gozar? Alguém famoso?

- Dinah, isso não é algo íntimo pra se contar assim. - Peguei a toalha e comecei a enxugar meu rosto.

- Então admiti que estava mesmo tendo um sonho erótico? - A olhei com a boca aberta indignada pela petulância da garota. - Há quanto tempo você não sabe o que gozar hein. - Não foi uma pergunta e sim uma afirmação. Ela negava com a cabeça enquanto me olhava.

Dinah sabia exatamente que eu não fazia sexo há pelo menos pouco mais de três anos, a última vez havia sido com meu ex-namorado, que terminei pouco antes de vir para New York. Alguém que eu fazia questão de nunca mais ver na minha frente ou sequer me lembrar que existia.

Desde que cheguei aqui, prometi a mim mesma que iria me dedicar inteiramente e exclusivamente para a música que era meu sonho e por enquanto estava dando certo.

  -Dinah, às vezes você precisa calar a boca sabia? - Me desviei do seu corpo e sai do meu quarto indo para a cozinha, durante o caminho fiz um coque em meu cabelo. Eu podia ouvir seus passos atrás de mim. - Não precisa me lembrar de certas coisas. - Abri a geladeira pegando água.

- Apenas te lembrei de algo muito prazeroso a se fazer. - Seu tom de voz ainda era malicioso. Neguei com a cabeça enquanto me esticava para pegar um copo. Aquela garota não tinha jeito mesmo.

- Precisamos sair, se arrume rápido. - Ela mudou de assunto. - Já está tarde, eu estou com fome e ainda precisamos passar no mercado.

- Mas nós já fizemos a compra do mês. - Franzi o cenho sem entender o que ela queria fazer no mercado. Coloquei água no copo.

- As garotas vão vir jantar hoje à noite, precisamos ter algo descente para as visitas comerem. - A loira se levantou indo em direção ao seu quarto.

- Quem a Ally vai trazer? - Bebi a água rapidamente e guardei a garrafa deixando o copo em cima da pia e fui a passos apressados atrás de Dinah em seu quarto.

- Eu não disse que Ally iria trazer alguém. - Ela abriu seu guarda roupa e começou a revirar tudo lá dentro.

- Se Ally não vai trazer ninguém, porque você usou no plural "as garotas" - Repeti fazendo aspas com as mãos.

- Por que eu mandei mensagem pra Lauren e Normani virem também. - Senti um calafrio percorrer meu corpo.

- E elas já confirmaram? - Minha pergunta saiu mais curiosa do que eu pretendia e Dinah me olhou cerrando os olhos em desconfiança.

- Sim, elas confirmaram. - Ela ainda continuava me olhando. Oh Deus! Lauren vai vir jantar aqui.

- Eu vou me arrumar. - Sai o mais rápido possível da visão analítica de minha amiga e fui para meu quarto me trancando lá, ela poderia desconfiar de algo apenas por ver minhas reações. Dinah conseguia sacar as coisas há quilômetros de distância, eu precisava tomar cuidado.

Sorri involuntariamente quando fechei a porta atrás de mim, Lauren iria vir. Olhei pelo meu quarto e ele estava uma bagunça eu precisava arrumá-lo, mas poderia fazer isso quando voltasse da rua. Um pânico me consumiu ao me lembrar de que Normani nos viu juntas, será que ela contaria algo para Dinah? Minha amiga me mataria se ela soubesse que Normani sabe que eu beijei Lauren ontem, mas escondi isso dela.

Caminhei até meu criado mudo e peguei meu celular para ver as horas e já eram quase duas da tarde. Minha barriga roncou de fome. Vi também que havia uma notificação com duas mensagens de Lauren.

11:37 - Bom dia Camz, espero que tenha tido bons sonhos essa noite.

Corei novamente ao lembrar-me perfeitamente quais foram meus sonhos e o principal, que era o que ela fazia comigo nele.

13:15 - Não vejo a hora de te ver de novo, até mais tarde. Beijos

Lauren J.

Travei meu celular não mandando nenhuma resposta para a morena de olhos verdes, entrei no banheiro e tomei um banho correndo já pesando na roupa que usaria a noite. Eu não queria impressiona-la, mas também não quer dizer que eu teria que me vestir de qualquer maneira.

*-*-*-*-

A noite já havia chegado, Dinah como sempre fez um exagero na hora de comprar tudo, desde bebida à comida, até parecia que um batalhão iria sentar-se à mesa para jantar conosco. Ela disse que havia avisado todas que não deveriam se preocupar em levar nada, algo que ela sempre fazia quando tinha algum encontro com os amigos da faculdade em nosso apartamento.

Ally não demorou muito para chegar e nos ajudar a terminar de preparar algumas coisas, porque afinal, as visitas eram Lauren e Normani essa noite. Dinah ficou perguntando para a menor quem era o cara com quem ela tinha ido embora ontem, mas a pequena estava se esquivando muito bem das perguntas da maior. Eu ria da cara de frustrada de Dinah por não conseguir obter nenhuma resposta, ela precisava parar de ser tão curiosa com todo mundo, ela tem que entender que existem pessoas que não gostam que fiquem perguntando sobre sua vida.

A campainha tocou e meu sangue gelou, de repente a realidade estava de volta estampada na minha cara, minha respiração ficou alterada só por ter a certeza de que ela estava a poucos passos de mim. Dinah correu até a porta abrindo a mesma e deu passagem para as garotas entrarem, elas se cumprimentaram entre si e eu apenas fiquei parada ao do sofá como eu estava há momentos atrás.

Lauren estava de costas e eu não via a hora daqueles olhos verdes caírem sob mim e me encararem tão intensamente como ela sempre fazia. Ela se virou e tudo parecia em câmera lenta, no exato momento em que seus olhos se encontraram com os meus, ela sorriu. Seu sorriso era largo e mostrava aqueles dentes brancos, ela começou a vir em minha direção e eu pude ver perfeitamente a cor de seus lábios que não estavam em tom escuro, mas demarcavam bem a região que eu ansiava por tocar novamente.

Sorri de volta assim que ambas pararam em minha frente, cumprimentei Normani primeiro enquanto Ally cumprimentava Lauren, depois que me soltei da morena, Lauren veio direto me abraçar. Seu perfume leve e delicado tomou conta de minhas narinas, seu abraço era gostoso e aconchegante.

- Oi Camz. - Ela sussurrou em meu ouvido enquanto ainda me abraçava. - Você está linda. - Ela disse antes de me soltar.

Ela realmente não deveria dizer aquilo, ela sim era linda. Parecia ser aquelas modelos famosas de capa de revistas, seus traços eram fortes e marcantes, é aquele tipo de rosto que vemos uma única vez e nunca mais esquecemos.

Ela estava vestindo uma calça preta de tecido um pouco brilhante bem agarrada em suas pernas, nos pés usava um salto. Uma blusa simples, porém também preta estava por baixo de uma jaqueta com três tons de cores diferentes e alguns dizeres bordados nas mangas e nas laterais do corpo. Seus cabelos estavam soltos e seu rosto estava coberto por uma maquiagem leve, porém como sempre, seus olhos bem marcados.

Não pude deixar de olhar para seus lábios novamente e ela percebeu meu ato sorrindo ainda mais.

 - Eu trouxe um presente. - Só então percebi que em sua mão havia uma sacola de papel na cor parda fechada com um laço.

- Deixe-me ver. - Dinah rapidamente pegou das mãos de Lauren e retirou uma garrafa de dentro do embrulho. - Um Chardonnay... Ótima escolha Lauren. - A loira mais alta saiu de perto de nós provavelmente indo colocar a garrafa em algum canto.

- Pena que hoje não temos uma massa ao molho pesto para fazer a combinação perfeita. - Eu disse e ela me olhou impressionada. Percebi de relance Ally também sair do nosso lado.

- Entende de vinhos Srta. Cabello? - Nossa interação havia começado e eu simplesmente amava daquilo.

- Apenas o suficiente para saber as combinações necessárias, mas se quiser podemos abri-lo. - Nossa troca de olhares era intensa.

- O presente é pra vocês apreciarem depois, eu não sou muito fã de vinho. Prefiro outras coisas. - Seus olhos percorreram meu corpo demoradamente e eu senti minhas bochechas queimarem.

- Hey vocês duas! - Normani sussurrou ao nosso lado, eu nem havia percebido que a morena ainda estava ali. - Não vão começar com isso. - Ela apontou o dedo indicador para nós duas em forma de repreensão e se afastou.

- Tenho medo de Normani contar pra Dinah sobre nós. - Aquele sentimento de insegurança havia voltado.

- Eu já conversei com ela. - Lauren tocou meu ombro fazendo um carinho. – Pedi para não contar nada. - De certa forma eu havia ficado mais aliviada, porém ainda não tinha nenhuma garantia.

- Ah! - Chamei a atenção daqueles olhos verdes novamente pra mim. - Eu adorei sua jaqueta. - Ela franziu o cenho.

- Vai querer roubá-la de mim também? - Dei de ombros e desviei meus olhos de forma divertida. - Pode ficar com ela se quiser. - A morena disse se aproximando. - Mas vou cobrá-la de uma maneira diferente dessa vez. - Ela sussurrou em meu ouvido e saiu.

Ela me deixou ali com a garganta seca por suas palavras. Maldita.

Passado algum tempo todas nos sentamos a mesa, tudo estava sobre móvel. Havia dezenas de pratos diferentes e eu duvidaria muito de que apenas nos cinco déssemos conta de comer tudo aquilo. Garrafas das mais variadas bebidas também estavam sob a mesa, mas me surpreendi ao ver que Lauren havia ficado apenas no suco.

- Não vai beber nada com álcool? - Perguntei baixo, pois ela havia feito questão de se sentar ao meu lado.

- Acho melhor não, ainda tenho que deixar a Mani em casa antes de ir embora. - Ela se referiu a morena que estava ao lado dela na mesa e que conversava animadamente com Dinah e Ally.

- Faz tempo que vocês se conhecem? – Me referia à amizade das duas.

- Há quase quatro anos. – Ela sorriu. – Normani é como se fosse uma irmã pra mim. – Eu podia ver sinceridade em seus olhos.

- Laur. - Ally chamou a atenção da morena que ainda me encarava. - Me conte, onde aprendeu a fazer tudo àquilo com as garrafas? - Lauren riu pelo jeito que Ally fez a pergunta fazendo gestos com as mãos.

- Hã... – Ela jogou seus cabelos para o lado provavelmente pensando na resposta. – Na minha fase rebelde eu acabei conseguindo um emprego como bartender em Miami, uma garota me ensinou a fazer os malabares e acredite, foram milhares garrafas quebradas até me aperfeiçoar. - Ela conversava gesticulando com as mãos enquanto sorria ao se lembrar.

- Mas onde você trabalhou? Porque eu e Camila revirávamos aquela cidade nas madrugadas. Conhecemos cada casa noturna de lá e nunca te vimos em nenhuma delas. – A morena me olhou com uma expressão de surpresa por saber que eu vivia nas baladas com Dinah.

- Acho que vocês não frequentavam o tipo de lugar que eu trabalhei. - Ela coçou sua nuca ficando um pouco sem jeito.

- E onde era? - Agora era eu quem estava curiosa pela sua reposta. Seus olhos voltaram pra mim.

- Trabalhei por três anos em uma boate de striptease. - Arregalei os olhos diante aquela informação.

- Não! Você está brincando comigo. - Dinah praticamente gritou fazendo a morena a olhar de volta. Eu ainda tentava digerir aquela informação, Normani não conseguia parar de rir, com certeza ela já sabia daquela história de trás pra frente.

- Não estou não. - Lauren riu do jeito da maior.

- E como era trabalhar num lugar desses? – A pergunta veio de Ally que já estava bem curiosa por saber mais.

- Posso dizer que era tranquilo, tínhamos seguranças ao nosso lado o tempo todo para evitar que algum cliente fizesse alguma gracinha. - Ela se ajeitou melhor na cadeira e percebi que seu celular começou a tocar, mas ela ainda não tinha visto, pois continuava a explicar para Ally e Dinah como era o ambiente em que trabalhou.

- Lolo. - Involuntariamente a chamei pelo apelido que criei naquele dia e ela me olhou com o cenho franzido, mas logo sorriu pra mim. - Seu celular está tocando. - Indiquei o aparelho a sua frente que provavelmente estava no silencioso.

- Oh! Obrigada. - Ela agradeceu e pegou o aparelho vendo quem era antes de atender. - Oi Tay. - Ela disse animada e percebi Normani achar estranho aquela reação. - Estou bem e você pequena? - Ela falava intimamente com a pessoa. Ally e Dinah voltaram a puxar assunto, mas assim como eu, Normani estava atenta. - Tay... - Ela disse de maneira cansada, passou seus dedos por suas têmporas massageando aquele local. - Eu já te pedi pra não me ligar pra falar do Chris. - Seu tom de voz foi um pouco rude. - Peça para Dona Clara passar a mão na cabeça dele como ela sempre faz. - Ela foi grossa e no mesmo instante as outras garotas pararam a conversa que tinham e encararam Lauren.

Ela levantou da mesa indo em direção à sacada que havia na sala, a porta estava aberta fazendo com que o ar entrasse deixando o local mais agradável, mas não conseguimos mais ouvir sua voz, pois ela fechou a porta de vidro que dava acesso ao lado de fora. Lauren passava a mão em seus cabelos em puro sinal de nervosismo enquanto falava no celular e andava de um lado para o outro.

- O que acontece com ela e essas ligações? – Dinah perguntou para Normani e pelo que pude perceber aquela reação deveria ser frequente.

- É complicado Dinah... – Normani disse soltando o ar pela boca. – Nem eu mesma sei ao certo que acontece na vida de Lauren, ela é muito fechada. – A morena parecia cansada de todas às vezes ter que passar pela mesma situação. - A única coisa que sei é que Tay e Chris são seus irmãos, apenas isso. – Voltei meus olhos para Lauren que já havia desligado o celular, porém ainda estava do lado de fora apoiada pelas mãos no parapeito.

- Mas você já tentou abordá-la de outra maneira? – Ally perguntou receosa.

- De todas as maneiras possíveis. – A morena olhou em direção a sacada e percebeu que Lauren iria voltar para dentro. - A única coisa que peço à vocês, por favor. – Ela dizia rápido. - Não perguntem sobre sua vida pessoal, ela não suporta isso.

Assim que a morena terminou de falar um silêncio desagradável se fez presente na mesa e ele continuou até que Lauren voltasse. Ela parou atrás da cadeira onde estava sentada e respirou fundo.

- Me desculpem pelo modo que agi. – Ela parecia estar envergonhada. – Onde é o banheiro? – Ela queria fugir dali, eu conseguia entende-la.

- Eu te levo. – Me levantei rapidamente e a morena acompanhou meus passos.

Antes de seguirmos para o corredor ela parou pra tirar sua jaqueta e deixá-la em cima do sofá, ela logo voltou a me seguir em total silêncio. Apenas ouvíamos as risadas das garotas que tinham ficado na mesa de jantar, parei ao lado da porta e me encostei na parede a indicando com o dedo enquanto sorria.

- Obrigada Camz. – Ela sorriu fraco e entrou no banheiro se trancando lá dentro.

Resolvi ficar esperando por Lauren, ela não parecia bem, estava agindo da mesma forma que aquele dia na cafeteria. Por que ela se afetava tanto com essas ligações? Por que ela era tão fechada como Normani dizia? Eu não entendo como alguém consegue viver aguardando os problemas para si mesma. As vezes quando eu tenho uma mínima dificuldade e não a compartilho com ninguém minha cabeça começa a ficar zonza, teorias malucas começam a se formar e sinto que posso começar a enlouquecer a qualquer momento se eu não conversar com alguém.

Eu não poderia deixá-la daquela maneira, eu tinha que fazer algo e iria fazê-la esquecer de seus problemas pelo menos até o fim desta noite. Ouvi a porta destrancar e quando ela abriu me olhou confusa por provavelmente me encontrar ali ainda.

- Você está bem? – Me praguejei internamente por fazer aquela pergunta, não pretendia começar assim.

- Apenas problemas Camz. – Ela se aproximou de mim. – Eles insistem em me perseguir.

Ela deu mais um passo em minha direção ficando bem próxima a mim, nossos corpos estavam quase colados um ao outro, o cheiro de seu perfume chegou até mim e eu fechei meus olhos apreciando aquele momento. Senti suas mãos em meu rosto e por instinto os abri novamente, ela segurou meu maxilar fazendo com que eu olhasse diretamente em seu mar de verdes. Engoli em seco pela intensidade em que eles me encaravam, confesso que às vezes eu me sentia estranha, era como se Lauren pudesse ler meus pensamentos apenas com o olhar.

- Fiquei esperando uma mensagem de resposta hoje à tarde, mas ela não veio. - Recebi um carinho no rosto.

- Eu acordei tarde e Dinah estava com pressa de sair... - Comecei a me explicar, mas ela me cortou.

- Queria saber se era apenas eu que estava ansiosa pra te ver. - Ela aproximou ainda mais seu rosto e colou nossas testas.

- Você estava ansiosa pra me ver? - Minha voz quase não saiu. Em momento algum desconectamos nossos olhares e eu estava completamente surpresa pela confissão da morena.

- Sim. - Ela passou seu polegar por meu lábio inferior enquanto olhava para ele. - Eu quero te beijar de novo Camz. - Meu coração se acelerou com as palavras de Lauren, ela começou a se aproximar, mas eu coloquei a mão em seu busto a impedindo.

- Alguém pode nos ver aqui. - Desviei meus olhos rapidamente para o corredor e voltei a olha-la. Minha respiração estava começando a ficar ofegante, ainda era possível ouvir a voz das garotas na sala.

- Que tal se você me mostrasse seu quarto? - Sua voz baixa soava mais rouca que o normal. Engoli em seco novamente pela ansiedade de tocar meus lábios nos seus.

Ela afastou seu corpo de mim e eu segui caminho mais adentro no corredor, cheguei em frente a porta do meu quarto e a abri. Agradeci internamente por ter conseguido arruma-lo depois que cheguei das compras.  

- Entre. - Arqueei uma sobrancelha sorrindo e ela seguiu caminho para dentro, entrei logo em seguida acendendo a luz e encostando a porta atrás de mim.

Eu podia ver os passos receosos de Lauren pelo cômodo, seus olhos analisavam tudo minuciosamente. Ela continuou caminho até chegar na minha escrivaninha e passou seus dedos levemente pela peça de madeira, depois nas capas dos livros, cadernos e até por um mini piano que eu tinha de enfeite sob a mesa. Ela olhou para cima encontrando um mural de fotos que eu tinha, ali havia várias fotos minhas e de Dinah em Miami e claro fotos de minha família. Ela ficou por um tempo as encarando e em algumas fotos o sorriso em seus lábios se fazia presente e eu acabava sorrindo junto ao vê-la daquela maneira.

- É sua irmã? - Ela encarava uma determinada foto a sua frente fixada no mural.

- Ela se chama Sofia. - Tomei a liberdade de me aproximar da morena parando ao seu lado.

- A mini Cabello vai ser linda como a irmã. - Ela sorriu me olhando e sustentou seu olhar com o meu por longos segundos. - Sente saudades? - Ela perguntou curiosa, mas travou seu maxilar e desviou os olhos voltando a encarar a foto. 

Será que algo de errado em relação aos seus irmãos era o problema? Pensei comigo mesma, mas logo tratei de desviar meus pensamentos.

- Muita, faz três anos que não os vejo. - Pude ver de perfil ela franzir o cenho.

- Você não viaja todo ano ou a cada seis meses para vê-los? - Seus olhos voltaram a encarar os meus.

- Eu não tenho dinheiro pra isso. - Fiquei um pouco sem jeito por revelar minhas condições e vi confusão em seus olhos. - Eu sou bolsista em Juilliard. - Ela arqueou as sobrancelhas em total surpresa.

- Desculpe, é que eu achei que... - Ela parou e levantou os braços mostrando ao redor, não sabia quais palavras usar, mas eu havia entendido muito bem o que ela queria dizer.

- Dinah e eu somos amigas desde pequenas e eu sou muito grata pela ajuda que seus pais e ela me dão. - Eu sorri ao ver sua expressão de compreensão.

 Ela desviou os olhos para cima da escrivaninha e passou novamente o dedo pelo pequeno piano de enfeite.

- Imagino que o piano na sala seja seu. - Ela perguntou mudando de assunto e eu me virei para escorar na escrivaninha. - Ele é lindo, adoraria te ver tocando.

- Foi um presente de Dinah, ela me deu logo no primeiro dia. - Ela sorriu e deu um passo para o lado parando na minha frente.

 - A Hansen adora dar presentes não é mesmo? - Ela colocou uma mecha de meu cabelo para trás da orelha.

- Por quê? O que ela já te deu? - Perguntei totalmente inocente e curiosa, queria saber qual o presente ela havia ganhado de minha amiga. A morena se aproximou ainda mais me deixando um pouco nervosa pela proximidade repentina.

- Me deu a oportunidade de te conhecer Camz. - Em um movimento preciso ela segurou em meu queixo e colou seus lábios ao meu.

Fechei meus olhos no mesmo instante em que vi os dela se fechando e soltei todo o ar pelo nariz. Eu desejava por aquele toque desde o momento em que ela chegou. Devagar senti seus dentes se arrastarem para meu lábio inferior, ela impôs uma leve pressão no local e os arrastou para si. Descolamos nossos lábios por breves segundos e eu abri os olhos a vendo me encarar, num ato rápido ela avançou para minha boca novamente, uma de suas mãos foi para minha nuca enquanto a outra desceu para minha cintura e sem permissão nenhuma ela invadiu minha boca com sua língua tomando-a para si.

Como no dia anterior nossa luta por dominância era intensa, minhas mãos que estavam ambas apoiadas nos ombros de Lauren desceram para a cintura da morena e apertaram o local enquanto a mesma me desencostava da escrivaninha e começava a andar comigo pelo quarto.

Invertemos as posições de nossa cabeça para dar um encaixe melhor para o beijo que era magnífico. Beijar Lauren era como se perder olhando para as milhares de estrelas no céu, você sabia que elas estavam ali e que eram impossíveis de se contar, mas sempre começava a contagem só pra ter o gosto se perder e começar tudo de novo.

Deixei que ela conduzisse o beijo e senti a parte de trás dos meus joelhos tocarem minha cama, Lauren descolou sua boca da minha por questão de segundos, apenas para me deitar na cama e se posicionar deitada em cima de mim. Quando ela voltou, seus lábios foram direto para meu pescoço, ela chupou meu ponto de pulso e eu suspirei baixo. Sua mão foi para minha perna a puxando para cima fazendo com que eu a dobrasse e seus dedos deslizaram por minha coxa. Como eu estava de short ela teve contato direto com minha pele que se arrepiou com seu toque, ela subiu com suas unhas arranhando devagar, porém intensamente. Dios! Aquilo estava sendo melhor que o meu sonho.

- Você nem imagina as diversas coisas que eu penso em fazer com você Cabello. - Ela sussurrou lentamente em meu ouvido e senti sua mão em meu abdômen por dentro da blusa. - Tenho tantos pensamentos impuros quando olho pra você. - Ela voltou a dizer e mordeu novamente meu pescoço me fazendo soltar um gemido involuntário.

Ela subiu um pouco sua mão, mas não foi ousada o suficiente para chegar até meus seios, eu pude sentir que ela se conteve para não me tocar. Aproveitei de sua posição para tirar vantagem da situação, minha mão apertou a parte de trás da sua coxa bem perto de sua bunda e ela me encarou. Seu sorriso foi safado e ela subiu o indicador para o meu rosto pousando-o em meus lábios.

- Juro que eu queria te possuir aqui e agora. – O quarto estava quente e minha intimidade já pulsava há algum tempo. Seu indicador desceu para o meu queixo e pescoço, eles trilhavam um caminho lento que eu não sabia onde seria o fim. Os verdes acompanhavam seus próprios movimentos. - Mas sinto lhe informar que já devem estar sentindo nossa falta. - Ela continuou o caminho pelo meu busto e passou entre o vale de meus seios parando ali. - Porém prometo não faltar oportunidade pra isso. - Ela se aproximou colando novamente nossos lábios num selinho demorado.

Lauren se arrastou para fora da cama e me ajudou a levantar, eu ainda estava atordoada e sem saber direito onde estava. Confesso que também fiquei frustrada, se estivéssemos sozinhas naquele apartamento só Deus pra saber o que aconteceria dali em diante. A morena se aproximou de mim e arrumou meu cabelo e sorriu quando olhou para minha boca.

- Acho melhor eu retocar meu batom? – Perguntei e ela concordou com a cabeça. – Então você deveria fazer o mesmo, pois não está tão diferente de mim Lolo. – Soltei um riso baixo que foi acompanhada por ela.

Depois de devidos retoques no banheiro voltamos conversando um assunto qualquer para a sala, quando nossos corpos foram vistos pelas demais o coômodo ficou em total silêncio.

- Onde vocês estavam e o que faziam? – A voz autoritária de Dinah nos tirou de nossa conversa. Eu congelei, Lauren percebeu e responder por nós.

- Camila estava me mostrando o apartamento. – Normani cerrou os olhos em nossa direção, ela desconfiava do que realmente estávamos fazendo.

- Nosso apartamento não é tão grande assim para demorarem tanto. – A loira mais alta insistia enquanto nos aproximávamos para nos sentar.

- Desculpe, é que perdi tempo demais vendo as fotos do mural do quarto da Camila, elas são ótimas. – Lauren continuava a falar. – Aliás, tem uma foto linda de vocês duas que daria uma bela pintura, vocês estão sentadas na beira de um píer enquanto o sol se põe ao fundo, é uma das fotos mais belas de lá. Qual píer é aquele? – Fiquei impressionada com a forma que Lauren desviou o foco do assunto fazendo com que minha amiga a respondesse animadamente.

Dinah no mesmo instante que começou a ouvir a morena falar sobre aquela foto mudou totalmente sua expressão, Lauren ilustrava tão bem sobre como a pintura em tela ficaria perfeita com aquela imagem, que Dinah começou a contar detalhadamente sobre aquele dia e eu claro apenas fiquei encarando as duas conversarem enquanto ria internamente.

Deixei as garotas na mesa e me levantei indo para a pia levar alguns pratos, senti alguém se aproximar de mim e colocar alguns copos em cima da pia.

- Espero que saiba o que está fazendo. – Olhei com o cenho franzido para Normani não entendendo o que ela quis dizer.

- Eu não entendi Mani. – Encarei a morena.

- Lauren não se envolve emocionalmente com ninguém e você sabe disso. – Ela olhou para Lauren na mesa e voltou a me encarar. – Só não quero que se iluda Camila. Eu não sei o que aconteceu com ela, mas aquele coração de gelo está petrificado e eu já vi muitas chorarem por isso. – A morena saiu e me deixou ali com meus pensamentos.

O que eu sentia por Lauren era apenas atração e não algo maior, porque ela estava falando aquelas coisas pra mim? Eu não pretendia ter nada sério com a morena de olhos verdes.


Notas Finais


Estão gostando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...