História Auditory Hallucination - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7, Monsta X, SHINee, WINNER
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Hyung Won, I'M, J-hope, Jimin, Jin, Jinwoo, Joo Heon, JR, Jungkook, Kai, Lay, Lee Seunghoon, Min Hyuk, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Taemin Lee, V, Xiumin, Youngjae
Tags Baekhyun, Comedia, Drama, Minhyuk, Taehyung
Exibições 17
Palavras 3.569
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AAAAAAAAAAAAH olar -u-
Acho que vou dá oi para os leitores assim toda vez :v lajsjs então, vim dizer que achei o 1 capítulo pequeno e vou tentar fazer eles maiores ao longo do tempo, o que acham?
Enfim, continuando...

Capítulo 2 - Saliências a parte, seu sorriso é lindo.


      
                             [...]

    Já haviam se passado 3 aulas e eu definitivamente não parava de pensar no que o tal garoto tinha dito. Aquilo foi meio surreal, quem ele acha que é? Não sei, só sei que por causa dele não consegui prestar atenção em nada das aulas.
    Vez ou outra eu olhava para o lado disfarçadamente na tentativa de ver o que ele fazia, mas sempre dava de cara com o Minhyuk me olhando já que sentei na carteira ao lado dele. Na boa, ele não disfarçava nenhum pouco, toda vez que eu olhava ele dava um sorriso muito fofo e dizia um "oi" que me desconcertava toda. Queria por ele num potinho e não soltar nunca mais.

       -Yerin, me dá sua mão aí.

   Fui pega de surpresa quando ele estendeu o braço e falou super baixo para que a professora não percebesse. Semicerrei os olhos e estendi a mão, ele a puxou sem fazer força e desenhou algo na palma da minha mão, eu tentava segurar o riso pelas cócegas que o mesmo fazia.

       -Pronto. - Ele soltou minha mão e deu mais um daqueles sorrisos fofos se ajeitando na cadeira e foi se concentrar na aula.

   Olhei a palma da minha mão e ri abafado quando vi pequenos corações e alguma coisa em inglês que eu não fazia ideia do que era.

     A aula acabou rápido e era hora do intervalo. Não queria sair da sala, não ia comer e nem falar com ninguém já que o único que eu conheci foi o Minhyuk e bem, ele saiu com os amigos né. Resolvi andar pela escola e conhecer melhor o lugar, da diretoria eu vim direto para a sala, não tinha visto nada ainda.

     Me levantei deixando uns dois alunos ainda na sala fazendo sabe-se lá o que e comecei a andar lentamente pelos corredores cheios tentando não esbarrar em ninguém. Os 3 garotos idiotas de antes agora estavam em um grupinho de 6 ou 7 e andavam para a minha direção oposta.

    Parecia que uma máfia inteira tinha se reunido ali, quando eles passavam a galera abria caminho como se tivessem medo ou algo do tipo. Ri soprado fazendo uma careta discreta e segui reto ignorando eles.
   
    O intervalo dura em torno de meia hora, era um tempo muito bom já que a maioria sempre dura de 10 a 15 minutos só. Várias flores de todas as cores desabrochavam no jardim, era tão lindo que parecia que a primavera tinha chegado mais rápido ali. Havia um tipo de "estrada" entre uns arbustos altos e bem esverdeados. Fechei os olhos sentindo uma brisa suave pelo meu rosto e andei ali passando as mãos devagar sobre as folhas úmidas da chuva recente.
      
      Eu não tinha nada do que reclamar. Andei um pouco mais até chegar na quadra de esportes que era incrivelmente grande. Estava tudo vazio então fui dar uma olhada, nunca se sabe né...
     
     Olhei em volta e tinham muitas bolas de basquete e futebol espalhadas pela quadra, deviam jogar bastante por aqui pela bagunça que está. Tudo calmo e tranquilo até que ouvi um barulho vindo do vestiário, como se algo tivesse sido derrubado.

    Droga. Queria ir embora mas a minha curiosidade era beeeem maior que a vontade de sair dali como se nada tivesse acontecido. Sou fraca nessas coisas, fazer o quê.

   Na ponta dos pés comecei a andar até o vestiário, fazendo o mínimo de som possível. Me escorei na porta e desejei nunca ter feito aquilo. Era o tal "Baek", aquele idiota do bolo, lembra? Então...
 
    Tomei um susto básico, já que não esperava ver aquilo logo no primeiro dia de aula, tapei a boca com as duas mãos para evitar qualquer gritinho histérico que eu poderia soltar. O garoto e uma garota que aparentava ser bem mais nova que ele estavam se agarrando ali na minha frente, eles se engoliam tamanha ferocidade da coisa.

   Sem querer pisei em falso e tropecei no meu próprio pé quase caindo, me segurei em uma barra de ferro e acabei derrubando outras barras de ferro que estavam perto fazendo um barulhão daqueles. Ativei o modo flash, nunca corri tão rápido na minha vida, foi meio cômico até.

    -Meu Deus Yerin, você tá morrendo? Tá bem? Nossa Sehuna do céu, a menina vai morrer, AMBULÂNCIA, EOEO, HELP! - Eu cheguei na sala ofegante e suando por causa da corrida, o único ali era o Minhyuk que já começou a falar sem parar e eu não conseguir conter os risos, ele parecia sério e ao mesmo tempo parecia que ele fazia aquelas palhaçadas de propósito.
     
     Eu acho que ri por quase 5 minutos inteiros perdendo o fôlego e me apoiando em qualquer coisa que vi pela frente. Não me aguentei quando o Minhyuk realmente ligou para a ambulância do celular dele que eu tive que pegar.

     - O que você tem menina? - Ele riu alto percebendo a minha situação. - Fofa.

     Eu estava parando de rir já, sentada na minha cadeira quando o mesmo pegou uma cadeira qualquer e sentou de frente apoiando a cabeça nas duas mãos e fazendo um bico muito apertável com os lábios.

     - Desculpa.. é que.... - Tentei falar recuperando o fôlego e devolvendo o seu celular.

     - Quer namorar comigo?

    Minha tentativa de recuperar o fôlego falhou totalmente. Eu fiquei sem reação e comecei a tossir igual uma retardada. Ai que dia.

     - É brincadeira, Yerin. - Ele riu. - Quer dizer, se você quiser né, eu não acho nenhum pouco ruim.. se você quiser eu quero.. quer dizer... não reclamo.

     Ri baixo, mas ri de nervosa mesmo. Ele havia se atrapalhado todo nas palavras mas sempre sentia confiança no que dizia. Ele desfez a cara de confusão e deu um sorriso afagando meus cabelos.

      - Como consegue ser tão adorável, Minhyuk?

      - I'm the best, I know.

   Inglês de novo nãaaao. Eu sempre fui péssima em inglês, nossa. Mais uma vez não consigo entender o que o Minhyuk me disse. Ai que vergonha.

                     POV Baekhyun

         
        Estava tudo muito calmo já fazia uma semana, é bem estranho essa tranquilidade na escola, sempre que  fico com a mesma garota por mais de um dia ela começa a grudar em mim, isso chega a ser irritante. Meu sexto sentido estava certo.

       Eu fiquei uns dois dias com uma garota do 2° ano, ela era bem burrinha mas era legal, em minha defesa ela tinha um corpão que, nossa, nada mais justo que aproveitar mais de um dia, né? O que acontece é que ela ficou grudenta, já queria namoro sério. Pff, tá de brincadeira. Um bolo? Pelo menos o glacê do bolo era gostoso.

      - Ei, Baekhyun, você viu isso? - Disse Sehun, ele era um dos meus melhores amigos e o mais velho do nosso grupo de 8 bad boys que metiam o terror nessa escola.

   Ele ergueu a tela do celular no alto me mostrando o que seria uma página de fofocas.

       - O que é isso? Ah, apareci de novo no Harlim New's? - Sorri de lado, já devia ser a 5° vez que apareço no site de fofocas da nossa escola esse mês.

       - "Byun Baekhyun tem mais um coração quebrado para a sua lista" Você é meu ídolo, cara. - Disse o mais novo membro do nosso grupo, Jungkook.

      Eu ri abafado e cruzei as pernas, eles continuaram com as fofocas do dia enquanto eu me perdia em meus pensamentos. Aquela garota, eu já havia a visto antes, mas onde? A novata me era muito familiar, e percebi que os outros do bando ficaram babando nela, tenho que admitir, ela é linda, muito. Porém algo nela me intrigava, tentei observá-la durante as aulas mas sempre que eu olhava aquele idiota do Minhyuk estava paquerando ela.

 
      -Baek? Baekhyun? BAEKHYUN PORRA!
   
       Ouvi um deles gritar e automaticamente levei um cadernada na cara, que infeliz. Um dia ainda acabo matando o Sehun. Todos estavam de pé quando dei um olhar moral para Sehun que ria envolvendo o braço no ombro de Jungkook.

      - Pensei que tinha morrido de olhos abertos. É o intervalo agora, vai ir comer alguém? Quero dizer, "bater um papo"? - Ele riu. Me levantei pondo as mãos nos bolsos da calça.

     - Não esperem por mim se eu atrasar. - Ditei em voz alta andando até a porta da sala e fazendo um sinal com o dedo indicador.

      Ótimo. Temos 30 minutos de intervalo, e sempre dá para uma rapidinha, se é que me entende. A garota da vez é uma do 1° ano, ela é mais nova que eu uns 4 anos então tenho que ir com calma dessa vez, vale a pena já que ela é uma das mais cobiçadas de Harlim School. Uma versão feminina minha? Quase. A diferença é que eu pego todas, termino com todas em um dia e pronto, ela é garota, deve ser mais sentimental, tanto faz.

      Não perdi tempo e segui meu caminho até o vestiário da quadra, lá é o melhor lugar para essas coisas, sem contar que fica totalmente vazio no intervalo. Ela já estava esperando lá quando cheguei, e devo dizer que ela é bem mais safada do que eu imaginava.

      - Demorou por que? Hm? - Ela envolveu os braços em meu pescoço e apertou os seios contra meu corpo. Aquilo foi bem excitante. Segurei firme a sua cintura e pressionei meu quadril ao seu passando as mãos por sua coxa e subindo o tecido da saia devagar.

      - Você...

      - Gostou? - Droga, ela estava sem calcinha. Aquilo poderia ser considerado pedofilia, já que ela tem 15 anos e eu 19? Ah, quem se importa.

       Empurrei ela contra a parede fria e prendi seus pulsos sob a cabeça, descendo meus lábios por toda a extensão do seu pescoço estremecendo todo o seu corpo, não dava mais para recuar. Seu beijo era apressado, afinal tínhamos pouco tempo.

       Abri o primeiro botão da camisa ao mesmo tempo em que eu a beijava até sermos pegos de surpresa por um estrondo do lado de fora do vestiário. Com certeza havia alguém ali, olhei de imediato para a porta e larguei a garota que choramingou após cair de cheio no chão.

      Sorri de lado ao ver a novata correndo com as mãos tapando a boca, ela parecia ter visto algo surreal naquela hora. Foi um pouco engraçado, mas o que ela estava fazendo na quadra? De todo jeito, não tinha mais clima para fazer nada com aquela garota chorona perto de mim, então vai ficar para outro dia. Tudo culpa daquela metida da novata transferida. Já queria ela com um brinquedo novo meu, agora, eu quero ainda mais.

                         POV Yerin

      - Você não acha que isso é um pouco exagerado não?

    Minha voz soou um pouco receosa. Era a aula de artes, a última aula do dia. Eu fiz dupla com uma garota bem simpática mas bem atrapalhada, nosso trabalho de "iniciação do semestre" como a professora disse, era fazer um quadro.

     Não um quadro qualquer. Era um quadro em 3d, podíamos colar qualquer coisa na tela para formar um desenho, por mais abstrato que fosse ele. Eu queria fazer algo mais simples, mas minha dupla colou penas de ganso, glitter rosa e mais um monte de bugigangas. Eu não pude fazer nada, ela sabia convencer as pessoas.

     - Seu trabalho tá bem... peculiar? - Minhyuk veio ao meu lado e apontou para o nosso quadro, segurando o riso.

      - Não fale do meu, olha o seu. - Ri e me inclinei apontando para o quadro do Minhyuk. A dupla dele era um garoto infeliz, literalmente. O quadro dele tinha umas coisas bizarras, e beirantes à depressão.

      - Deixa ele, tadinho. Ele é rejeitado por todo mundo, tira notas baixas e sofre bullying nas mãos do bando do Baekhyun. - Ele sussurou para mim cobrindo a boca com a mão.

      - Bando do Baekhyun? - Sussurrei de volta.

      - É, aquele idiota ali, tá vendo? - Ele apontou para algumas carteiras atrás de onde estávamos e eu o vi. Ele parecia bastante concentrado... no seu iPod, porque a sua dupla fazia o trabalho todo sozinha.

     - Ele é tão ruim assim? - Perguntei, desviando o olhar.

     - Ruim é apelido. Se essa sala aqui é o inferno, ele é o próprio diabo.

     Engoli seco e me virei um pouco na tentativa de olhar para trás e um calafrio subiu por todo o meu corpo quando percebi que Baekhyun estava nos olhando, ele nos encarava sério de braços cruzados e fones no ouvido.

     Era incrível como ele não desviava o olhar nem por um segundo, ele parecia não se importar nenhum pouco que eu tenha o pego no flagra a nos olhar, ele apenas continuava nos encarando na maior cara de pau. Me virei para frente e mordi o lábio inferior, Minhyuk percebeu e encarou Baekhyun fazendo uma careta enquanto voltava ao seu lugar.

                             [...]

      O dia passou rápido, aliás, o mês passou passou rápido. Acabei fazendo amizade com a garota maluquinha que foi minha dupla no trabalho de artes, o nome dela é Naeyeon e ela me contou que era seu segundo ano estudando ali e me contou também várias coisas sobre vários alunos, o básico que eu preciso para sobreviver ali.
      
      De acordo com ela, Minhyuk é o treteiro da escola, todo dia ele passa pela diretoria, sem exceção. Seja por brigas, expulsões de sala, ou por fazer "brincadeiras" do tipo jogar balões de farinha no carro dos professores. Ele é realmente uma figura, sem contar que é lindo e sabe seduzir as garotas quando quer.

     Ah, ela me falou também sobre o Baekhyun e seu grupinho de valentões. Eles são o terror da escola, sempre implicando com todo mundo, e claro, tem o Baekhyun que é o líder da alcatéia e um verdadeiro casanova, já saiu com 90% das meninas da escola e do resto do mundo, e já percebi que ele e o Minhyuk não se dão muito bem. São ao todo uns 8 caras no grupo, e eles são todos super hiper lindos e uns pedaços de mal caminho.

     O mês todo eu passei os intervalos com a Naeyeon e de vez em quando com o Minhyuk e seus amigos. O mais estranho é que eu esperava que o Baekhyun fosse implicar comigo ou algo do tipo, mas pelo contrário, ele não falou comigo nenhuma vez, mas apenas ficava me encarando entre as aulas. Que psicopata.

      - Senhorita Yerin, sabe que dia é hoje, certo? 

    A voz grossa de Taehyung me tirou dos meus devaneios. Estávamos no carro indo direto para casa depois de mais um dia chato de aula. Hoje meu avô vai dar uma pequena festa de despedida, isso porque ele irá viajar à negócios para o Canadá e vai ficar lá por exatos 4 meses. É muito tempo? Pra mim isso pode ser até bom, já que ficarei 4 meses naquela casa gigante, fazendo o que eu quiser, ou pelo menos tentando né.

       Meu avô colocou o Taehyung colado em mim, 24 horas por dia. Ele vai ser como um guarda costas integral, vai até vir morar aqui na casa principal comigo para fazer com que eu não me meta em encrencas, o que é um trabalho difícil pois sempre faço alguma merda ao longo do dia, é tipo um ritual já.

       - Sei sim, Taehyung. A tal festa. Ele não podia só ligar dando tchau para as pessoas e ir embora de uma vez? Desnecessário.

        - Senhorita Yerin, o Sr. Shin é um homem de negócios, isso é necessário no mundo em que ele vive. Você é nova para entender isso ainda.

       - Ah, qual é, eu sou nova? Você também é novo. Não tem nenhuma namorada pra se entreter ao invés de servir de guarda costas?

      Me inclinei até o banco do motorista encarando Taehyung e piscando os olhos repetidas vezes num ato mais fofo, vai que cola né?

     - Ah.. er.. ahn... muito perto Senhorita.

   Ele gaguejou um pouco corado e me empurrou na testa com o dedo indicador fazendo com que eu caísse no banco. Emburrei a cara e suspirei alto abrindo a janela do carro.

    - Se você não tem namorada, eu arranjo uma pra você. Só quero um pouco mais de liberdade nesses 4 meses.

    - Eu só preciso cuidar da Senhorita nesse período, não vou te prender na casa. As ordens é te deixar longe do perigo.

    - Mas... tá, tudo bem.

     A primeira coisa que fiz ao chegar em casa foi me arrumar para a festa, esse é um daqueles milagrosos dias em que uso uma roupa chique e um salto alto. Meu dia a dia é mais moletom, shorts, e qualquer tênis que eu achar. Não ligo muito para isso.

    Coloquei um vestido preto brevemente curto com mangas compridas, e um salto alto vermelho. Me olhei no espelho e até que não estava mal, sorri algumas vezes para relaxar mais e sai do quarto esbarrando em cheio no Taehyung.

    - Ah, Senhorita, d-desculpa.. eu.. eu...

    - Não foi nada, culpa minha.

    - A Senhorita se machucou?
   
    - Tudo normal aqui. - Ri para descontrair. - Já chegaram muitas pessoas?

    - Sim, muitos dos convidados já estão presentes no salão. E...

    Ele de repente parou de falar, parecis incomodado com alguma coisa e desviou o olhar para o chão. Estava com as bochechas levemente coradas e coçava a nuca tímido por receio de algo. Ele raramente ficava assim, era muito fofo, seus lábios formavam uns sorrisos "quadrados" que podiam fazer qualquer uma se apaixonar por eles.

     - E...?

     - E você está especialmente bonita hoje, Senhorita Yerin. Er...

     Ele corou ainda mais e saiu andando apressado sem que eu pudesse dizer  nada, sorri minimamente e o segui até o salão onde a festa aconteceria. Muitas pessoas estavam ali já e meu avô entre elas jogava conversa fora.

     Caminhei até umas cadeiras altas que ficam de frente a um balcão onde estavam servindo as bebidas e coquetéis. Taehyung veio ao meu lado depois de cumprimentar meu avô e sentou-se em uma das cadeiras, pedindo dois coquetéis de frutas e me entregando um.

     - Ele parece feliz. - Ditei tomando a bebida.

     - Sim. - Ele sorriu e suspirou. - O Sr. Shin é bastante prestativo com seus amigos e com os negócios também.

    - É. Taehyung, posso perguntar algo?

    - Claro, Senhorita.

    - O meu pai.. você por acaso sabe se...ah, nada, esquece.

    Iria perguntar algo sobre o meu pai mas não conseguia, algo ainda parecia errado e eu precisava de respostas. Mas acho que o Taehyung não saberia dar essas respostas por mais que fosse a pessoa mais próxima ao meu avô. Tomei um gole da bebida olhando ao redor do salão e quase me engasguei com a mesma quando meus olhos pararam em um grupo de pessoas, na verdade, especificamente em uma dessas pessoas. Baekhyun estava ali.

      Me virei de imediato e botei a taça em cima do balcão torcendo para que ele não tivesse me visto. Mordi o lábio e me amaldiçoei mentalmente, o grupo dele estava quase todo ali, de ternos e gel no cabelo. Era a visão do paraíso, só que com os demônios vestidos de anjos. Respirei fundo e me levantei de onde estava, queria saber o porquê deles terem vindo à festa do meu avô mas não iria lá perguntar na maior cara dura.

    Minha cabeça estava por um fio de explodir tamanho eram os pensamentos que invadiam minha mente, queria sair dali mas não podia, queria perguntar o que ele fazia aqui mas não podia, queria fingir que nada estava acontecendo e isso eu podia tentar. Agi normalmente e me virei para o Taehyung que me observava calado de olhos semicerrados.

    Sorri para ele que logo sorriu de volta e se levantou, estendendo a mão para mim.

    - Senhorita Yerin, você quer..

   Antes que ele pudesse terminar o que estava prestes a dizer, uma voz descontraída acompanhada de risadas baixas soaram perto de mim. Virei para trás em meros segundos e demorei mais outros segundos para entender minha situação. Baekhyun estava a minha frente e seus cães seguidores logo atrás dele. Ele mordeu o lábio inferior me olhando de ponta a ponta e colocou as mãos no bolso da calça.

     - Ora, ora. Sabia que já tinha te visto em algum lugar. Parece que, as coisas vão ficar mais... interessantes por aqui.

     Sua voz quase rouca fez um arrepio percorrer o meu corpo inteiro, o jeito com que ele me olhava e o seu jeito de sorrir eram devastadores, aquilo me causava uma sensação que nunca senti antes, inexplicavelmente assustador e ao mesmo, sentia um cheiro no ar de: vai dar merda.


Notas Finais


Então foi isso, Aaaaeh ~

Qualquer erro ou coisa que queiram que eu melhore, é só comentar, quero saber o que vocês estão achando da fanfic, sintam-se a vontade ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...