História Aula Extra - Capítulo 1


Escrita por: ~, ~Dyryet e ~isisgomes

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Hermione Granger
Tags Dramione
Visualizações 211
Palavras 1.740
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Yaoi, Yuri
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola.
esta é minha primeira fick entao... Podem dizer onde e como melhoro BJs

Capítulo 1 - Que confusão.


Fanfic / Fanfiction Aula Extra - Capítulo 1 - Que confusão.

Hermione estava mais nervosa do que nunca.

Seria o seu ultimo ano em Hogwars, mas o primeiro que passaria sem seus amigos.

Era de fato uma repetente e por conta disso queria ter as melhores notas possíveis não aceitando menos que a perfeição.

 

Se despediu dos dois atravessando a plataforma 9 ¼ e logo se viu dentro do trem que a levaria de volta a escola que podia muito bem chamar de lar. Tremia como se fosse enfrentar um comensal da morte ou ate mesmo como se um dementador estivesse parado a sua frente.

— Vamos ficar neste vagão.  — Sua amiga comenta distraída ao entrar nem notando que a jovem bruxa ainda permanecia no corredor a olhar em volta perdida em seus próprios pensamentos. — Eu juro que não sei mais o que pensar sobre ele. — Entretanto a ruiva era teimosa e não se dava por vencida logo chamando a atenção de Hermione com um belo puxão a fazendo olhar para o fundo do corredor e debater com sigo o "assunto".

E sem muita escolha ela olha para o que interessava tanto a amiga para assim poder comentar e agrada-la; tento sua atenção tomada pela figura a sua frente.

Draco Malfoy.

Fora um inimigo, um confuso aliado, e assim como a ruiva esta não sabia o que pensar sobre o mesmo. Ele estava a conversar com os amigos esboçando um largo sorriso de deboche com algo que se passava entre eles e brincando como sempre fez antes da guerra. Voltara ao brilho e opulência que ostentava outrora.

Sua bagagem diferente das dos demais o seguia flutuando a seu lado e parecia demasiadamente pequena com ralação a dos demais e a castanha não evita um pensamento: “Modo inteligente de usar o Levioussa. Como não pensei nisso?”

— É complicado. — A castanha pontua por fim, adentrando a cabine escolhida e se sentando ao lado de uma loura que parecia muito distraída; pelo menos mais do que o normal. — Boa tarde Luna. Não te vi ai. Como você esta? —- a mesma cumprimenta amigavelmente como sempre fez, mas a loura quase salta de dentro do corpo com o susto. — Esta tudo bem?

— Sim. Não. Quero dizer... Só estava distraída. — A pequena sorri amigável, entretanto a perspicaz Hermione logo nota um leve rubor em sua face.

— Tuuudo bem. — Sorri harmoniosa voltando a fitar Gina a sua frente que parecia interessada de mais em um certo louro. — Se o Harry souber disso vai ter a 3ª guerra bruxa. — A mesma brinca vendo a ruiva tomar o mesmo tom dos cabelos e assim fechar a porta. — Nossa. Era brincadeira. O que foi isso Gina?

— Não fala besteira! — A ruiva bronqueia sem ver como se defender sabendo que estava corada pelo comentário da amiga tapando o rosto o sentindo quente. — Ele é bonito sim... Não é novidade pra ninguém é só olhar pra ele e o numero de tietes que ele tem. Parece ate uma veela... — As explicações da moça só a fazem rir ainda mais. — Mas eu amo o Harry.

— Claro. Olhar não tira pedaço. — A própria castanha completa entre risos. — Mas se trair o Harry eu te mato. Ele é meu irmão de outra mãae.

— Digo o mesmo do Ron! Na verdade ele é o meu irmão mesmo da mesma mãe... mas você entendeu! — A ruiva se atrapalhava e logo ate mesmo a distraída Luna se põe a rir.

— De quem estão falando?

— Do Malfoy Luna... mas não fala disso pra ninguém. — A castanha assume em confidencia. — Ele é o maior cretino, mas não quer dizer que isso o torne feio.

Nesta hora o semblante da loura toma uma forma indescritível para a castanha e a ruiva que ate o momento riam e brincavam inocentes. Seus olhos se arregalaram em espanto enquanto sua boca tomou a forma mais revolta apertando os lábios de um modo descontrolado, a face se avermelhou demostrando grande constrangimento e assim ela se levantou deixando o local sem dizer uma única palavra o que preocupou ambas.

— Luna desculpa eu...

A castanha tentou seguir a loura que desaparecia no meio do corredor e sem querer se depara com o motivo dos comentários. Esta não o via desde o fim da guerra e em todas as férias seu nome, na verdade seu sobrenome estampava os jornais como uma família de comensais entre outros atributos junto com os feitos dela e seus amigos que eram apenas citados como “o trio”.

Ele se vira instintivo pelo esbarrão já que o mesmo estava em pleno corredor sem adentrar cabine alguma, enquanto a castanha se esquiva ou pelo menos tenta. Ele a olha nos olhos pela primeira vez na vida mas logo trata de virar o rosto fazendo de conta que nada tivesse acontecido.

— Draco. Senta aqui comigo. — Uma voz feminina o chama e logo ele atende saindo do corredor e a castanha segue seu caminho a procura de sua amiga.

Não entendera o porque da mesma agir desta forma com as brincadeiras inocentes das duas e se sentia mal, por de alguma forma ter a ofendido.

Voltava a tentar lembrar se sem querer havia dito alguma vulgaridade ou pego pesado, mas nada lhe veio a mente. Lembrava então do ultimo contato com o mesmo; o breve esbarrão no corredor, não lembrava de que seus olhos eram tão claros; pareciam feitos de cristal e não soube identificar se seriam azuis ou cinza, sempre soube que eram claros mas como o mesmo parecia sempre evitar o contato visual nunca se deu conta do verdadeiro tom que agora lhe trazia tanta confusão.

Voltou então para junto de Gina que questiona aflita se havia encontrado a loura e esta apenas responde com um aceno de cabeça que não.

 

Não demoram e logo estão adentrando os portões da escola mais famosa do mundo novamente e pela ultima vez. Hermione sente as pernas bambear, e em um ato corriqueiro busca o rosto familiar de seus amigos inutilmente. Harry e Rony não estariam junto dela.

Engole seco ao subir as escadas sozinha degrau por degrau e se vê em meio a tantos outros alunos que cordiais conversavam entre si e brincavam cumprimentando-se.

— Aqui Hermione! — Uma voz familiar a faz sorrir de canto a canto do rosto e ela não evita correr ate o mesmo e o abraçar como se fosse seu aniversario.

— Neville que saudades! — Comenta feliz por ver um rosto conhecido e de sua mesma turma sentando-se a seu lado. Também não evita notar que o mesmo havia mudado desde de seu primeiro ano onde gordinho agora se encontrava alto e bem parrudo. — Nossa como você cresceu.

Mas o mesmo apenas responde com um sorriso sem graça que ela não nega ser muito bonito.

A cerimonia dos novos membros é como em todo ano, mas desta vez ela olhava emocionada cada novo aluno se sentar sobre o banco que uma vez ela se sentou e receber o chapel. e por fim; nervosos e irem para suas determinadas casas. Era como se a mesma pudesse reviver ali seu primeiro momento.

Mas logo o salão tão movimentado e forrado de risos e encantos se silenciou.

A castanha não soube o porque do caso se espantando com o fato e logo percebendo que todos os olhares, ou pelo menos dos veteranos, se voltavam para as escadas. Nelas se podia ver o louro que seguia em direção a sua própria casa em silencio, sendo seguido por olhares de ódio que se mostravam juízes e jure.

O mesmo se senta e se posta como se nada estivesse ocorrendo ali, sentando-se junto de seus colegas de casa; a castanha não pode evitar nutrir um fio de admiração pela força do mesmo ao notar que os membros de sua própria casa se afastavam ao ver ele se aproximar, mantendo a expressão limpa e serena.
 

Mas não demora e um rebuliço de vozes volta a tomar o local.

— Como ele tem coragem de voltar aqui?

— Por que alguém o aceitaria de volta depois de tudo?

— Credo.

— Cara de pal.

— Olha que desgraçado.

Hermione não sabia porque tais comentários a incomodavam. Ela mesma estava a falar as mesmas coisas, usar as mesmas palras durante todo o verão e ate mesmo a poucos segundos atrás. Mas a verdade é que não imaginava que o assunto fosse geral; em sua mente um comentário rápido e bobo não faria mal, mas quando toda a escola comenta e fala sem escrúpulos na cara da pessoa é outra coisa.

Seus olhos vagavam para a direção do louro que permanecia quieto a ler um livro groso e de capa de couro onde parecia completamente absorto. Os cabelos platinados penteados com maestria a pele impecável de um príncipe e aquele ar de nobreza.

— Parece mesmo uma veela. — Deixou o comentário escapar por entre os dentes antes de se levanta e seguir ate seu quarto onde sem demora organizou todas as suas coisas, se pondo a conversar com Gina.

— O que acha que deu na Luna? Não vi ela mais.

— Eu não sei. Mas vou pedir desculpa.

— Você viu a cara dela? O que foi aquilo?

— Eu também não sei.

Por um segundo se sentiu mal pela amiga. Não conseguia decifrar seu rosto naquele momento, e enquanto Gina se banhava decidiu ir ate a casa de Corvinal para ver a amiga e em fim se desculpar. Entretanto no caminho...
 

— Você não devia estar aqui. — A vozinha miada da amiga era marcante e familiar, entretanto soava junto de outra que apesar de também ser, não era nada meiga.

— Vai me dizer que também pensa assim? — A voz entona raivosa inicialmente, mas logo volta a um tom ponderado.

A curiosa Granger apenas se estica por de traz de uma parede percebendo um apresado e irritado Malfoy deixando uma Luna muito desconfortável no corredor.

— Luna?

Era nítido a vontade de forrar a amiga de perguntas, mas igualmente era a vontade da loura fugir do assunto.

— Hermione... Sei que o odeia mas... O Malfoy não é tão mal. Só... deixe o em paz tudo bem?

E assim a loura se vai.
 

Com a cabeça ainda a girar a castanha volta a seu dormitório se largando na cama tentando imaginar o que poderia estar se passando entre aqueles dois e logo um nó prende sua garganta. Não podia ser! Ela havia sido sequestrada e presa na casa do loiro durante a guerra... Mas quanto tempo passou lá? O que poderia ter acontecido neste tempo?

Só de imaginar seu estomago embrulhava.


Havia sido uma noite muito mal dormida.
 


Notas Finais


É dramione sim calma que tudo se explica rsrs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...