História Aulas de Sexo °•Markson•° - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 400
Palavras 1.052
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 50 - 49


Mark não via nada ao seu redor, tudo o que conseguia ver era o rosto de Jackson, lhe encarando com fúria nos olhos.

Alcançou os jardins do evento com grande alívio, recebendo de bom grado a lufada de ar fresco que corria do lado de fora, inspirou fundo e caminhou de volta para seu carro, a cada passo que dava, o aperto em seu coração aumentava, a vontade de voltar e obrigar Jackson  a vir com ele ameaçava enlouquecê-lo.

Deu a volta no automóvel, apoiou-se em sua lateral, buscando ar e juízo, quando seu aparelho celular vibrou em seu bolso.

- Alô - Atendeu com a voz arrastada.

- Mark! Tenho novidades!

 (...)

Jackson  lavou o rosto demoradamente depois que Mark se foi. Deixou a água gelada da torneira escorrer por seu rosto e pescoço, tentando esfriar os ânimos. Aquele homem o enlouquecia por completo e não era apenas sexualmente, ele literalmente o deixava louco!

Passou a mão pelos cabelos, tentando arrumá-los, mas era impossível que eles ficassem como estavam antes da intervenção de Mark. Mirou-se no espelho e aprumou-se no terno, sairia dali direto para casa, certamente o olhar interrogativo das pessoas o desconcertaria demais e seu futuro emprego poderia estar arruinado.

Inspirou e espirou algumas vezes antes de sair do banheiro, a dor no estômago  estava lhe torturando, só a esqueceu realmente quando estava nos braços dele… Mas, era melhor não pensar mais nisso. Não, precisava tirá-lo da cabeça, do coração, precisava de um banho.

Cambaleou até as portas duplas do salão de festas, cumprimentou algumas pessoas de longe, com acenos vagos, não se importava mais com as regras de etiqueta, dane-se não ter se despedido de ninguém. Quem se importa?

Caminhou pelo caminho que levava à saída, um pequeno caminho de pedra ladeado por cercas vivas, ali, próximo à entrada para o evento, ouviu um par de vozes, ambas familiares.

- Por Deus, homem! Controle-se!

Jackson parou de imediato, reconheceu aquela voz com facilidade, quase se casara com aquela voz, por um momento achou que ele estava falando com ele.

- Mas, estão me vigiando Junhoe! Você tem que me ajudar!

E a segunda voz fez o estômago de Jackson  dar uma volta completa, ela teve vontade vomitar outra vez. Tinha a impressão de conhecer aquele tom de voz enjoativo, mas não conseguia se lembrar exatamente da onde.

- Eu não tenho nada a ver com isso!

- Como assim, não tem nada a ver com isso!? - A voz do rapaz tilintou de indignação, Jackson  andou o mais demoradamente que conseguiu, podia ver as cabeças do outro lado da cerca viva, apenas a ponta das cabeças, eles conversavam bem próximos um do outro, aos cochichos.

Não queriam ser vistos juntos, muito menos ouvidos, isso era muito claro. Mas, porque? Ele aprumou os ouvidos, antes estava intrigado, agora era pura curiosidade e uma pequena pontada de intuição que dizia que ele deveria ouvir o que estava sendo dito ali.

- Isso tudo foi ideia sua, seu hipócrita! Você me passou o telefone dele, você me avisou quando eu teria que ligar, você até disse o que eu tinha que dizer! Eu nunca nem ouvi falar de Mark Tuan… - O peito de Jackson  comprimiu e seu estômago afundou vertiginosamente, ele se apoiou na cerca viva, segurando-se para não cair - … Até você chegar com essa proposta idiota e agora que a polícia está atrás de mim você vem dizendo que não tem nada a ver com isso! Eu exijo o mínimo de proteção, não ficarei sozinho! Não irei preso!

- E do que eles vão te acusar? Trote?! - Junhoe rebatia, nervoso.

- Você nem mesmo parece um advogado! Talvez eu deva procurar alguém mais profissional! - O outro debochou.

O outro. Kwan. Devia ser ele. Tinha que ser ele.

(...)

- Vocês o quê?

- Encontramos! Nós o encontramos! O autor da ligação misteriosa! Eu sei onde você pode encontrá-lo!  - A voz de Jinyoung  vinha animada pelo alto-falante do telefone e combinava com as batidas de coração de Mark que pulava com uma esperança empolgante.

- E o que está esperando, dê-me o endereço! - Mark mandou, ansioso.

- Ouça - Jinyoung  parou um instante para respirar - Nós o seguimos até certo ponto hoje, eu sei para onde ele foi, mas não posso tocar nele, não tenho uma acusação formal… Então, você terá que se virar…

- Certo. Certo - O outro rebateu com impaciência. Ele resolveria isso hoje, mesmo que tivesse que arrastar o tal homem pelos cabelos até Jackson  e o obrigasse a contar a verdade para o loiro.

- Há um evento acontecendo, de um grupo de advocacia…

Mark arregalou os olhos, sem ar, o coração deu uma guinada na batida, ele olhou rapidamente para a fachada do prédio, onde um banner balançava tristemente com a brisa noturna.

- O Grupo Maldonado?

- Sim, este mesmo!

- Você está de brincadeira…

- O quê?

- Eu estou saindo dele agora mesmo… - Ele mal podia acreditar.

- Então volte agora mesmo, meu irmão! O homem  refugiou-se nessa festa, eu garanto!

- Deus! Obrigado, Hyung  realmente obrigado - Mark não conseguia conter o sorriso de satisfação.

- É para isto que serve a família, não é? - A risada do irmão soou fraca e metálica no telefone - Vá resolver sua vida, irmão. Eu tenho que ir, uma ocorrência grave, acabei de receber a informação…

- Certo! Obrigado - Ele repetiu, extasiado - Não o atrapalharei mais! Eu te mando notícias!

- Promete? - Mas a pergunta saiu irônica e Mark nunca a respondeu, encerrou a ligação, guardou o aparelho no bolso e correu de volta para a festa.

Mark voltou à entrada da festa, correndo e derrapou nas pedrinhas quando encontrou Jackson bem no meio do caminho, pálido, com os lábios esbranquiçados, apoiado à sebe alta. O loiro o viu e eles trocaram um olhar prolongado, ele parecia fraco, parecia pedir colo, Mark se adiantou, estranhando encontrá-lo assim, tão vulnerável, Jackson parecia prestes a chorar, ele estendeu os braços para frente, na direção dele, tentou dar três passos, mas suas pernas fraquejaram, Mark arregalou os olhos, abismado quando os olhos cor lindos de Jackson  reviraram e ele despencou em direção ao chão.

- Jackson! - Num movimento rápido, ele o amparou nos braços antes que ele caísse de fato, estatelado na pedra - Jackson  ? Jack? Pequeno?

Mas, o loiro não respondeu, apenas continuou mole em seu abraço, com a cabeça pendendo pra trás e os braços balançando.

- Deus do Céu!


Notas Finais


Faltam apenas 5 capítulos pra fic acabar😔❤

Att dupla hoje hein hein kkkkkk
Saranghae 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...