História Autism Secrets - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Nina, Personagens Originais
Tags Autismo, Conspiração, Emoção, Lysandre Jully, Maxstiel, Maxys, Medo, Mistério, Suspense
Exibições 222
Palavras 578
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Heeeeeeeeeey! Obrigada por ter vindo dar uma chance à minha fanfic!

Bom, o enredo é completamente original, exceto pelos personagens. Alguns poucos serão de minha autoria.
Vamos aos avisos:

∆ Autism não é uma fanfic sem romance só pela personagem principal ter um problema de socialização;
∆ Plágio é crime, e eu denunciarei se ver algo parecido com o meu enredo;
∆ Os personagens são adultos e estão na universidade, portanto, carros e bebidas serão retratadas no decorrer da fanfic;
∆ Terá hentai e violência, não leia se não goste desses gêneros;

Um agradecimento especial à @Icce, à @ChelePlushie, à @Belandra e à @Trollei por terem me ajudado a desenvolver este enredo.

Bom, é isso. Espero que vocês gostem, nos vemos nas notas finais! <3

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Autism Secrets - Capítulo 1 - Prólogo

Prólogo

As mãos ágeis e pequeninas ajuntavam os carrinhos todos um do lado do outro, completamente alinhados. Seus olhos verdes passavam de brinquedo em brinquedo, analisando rapidamente qual se encaixaria melhor para continuar a linha perfeita. Seu cérebro danificado e ao mesmo tempo incrível estava funcionando desde manhã sem parar, focado apenas nisto, sem se atentar com o que acontecia ao seu redor.

Seus cabelos pretos estavam grudados em seu rosto oval, e os lábios carnudos se torciam, mas não em uma careta. A criança raramente fazia caretas, raramente demonstrava alguma emoção, somente a raiva. Seus surtos de ira eram constantes, e ela tinha apenas seis anos.

- Não sabemos o quê fazer, doutor. Já fomos em muitos médicos, estamos completamente sem chão. Ela não é uma criança normal! – A mulher exclama com as mãos trêmulas segurando o próprio rosto cansado. Estava ali já faziam umas 4 horas, apenas aguardando um encaixe.

O homem ao seu lado a abraçava com muita força, segurando as lágrimas enquanto observava o médico olhar para a sua pequena filha sentada no chão, sussurrando coisas desconexas e movendo rapidamente os brinquedos na sua frente.

- Bem, eu não costumo dar um diagnóstico tão rápido, mas visto o histórico médico e o comportamento dela, eu poderia dizer que a filha de vocês tem um grau de autismo. E é incurável.

 

A goteira estava incessável. As pequenas gotas caíam na pequena poça que estava formada no chão, fazendo um barulho estridente dentro de meu cérebro, que parecia se retorcer a cada vez que o som passava pelos meus ouvidos.

O vento uivando na janela fraca de vidro fazia meu corpo inteiro tremer, e era como se ele estivesse pegando fogo. Mesmo assim, eu estava incapaz de me mover. Meu corpo antes sempre agitado, agora estava imóvel, grudado no canto daquele armário. Meus olhos que sempre estavam em movimento, agora estavam cravados na cena que não parecia real. Eu sabia que era real, mas, pela primeira vez, o meu cérebro estava com dificuldades para processar aquilo em minha frente.

O rosto de minha mãe estava virado para baixo, e o de meu pai, para cima. Não estavam olhando para mim, e eu queria que estivessem. Eu sempre evitei contato visual, não era algo que meu cérebro aceitava com muita facilidade, mas desta vez, eu queria que olhassem para mim.

O grunhido escapando de minha garganta, o pequeno choro que começava a se formar. Eu estava triste? O que é ser triste?

Não, isso não estava parecendo tristeza para mim. Não me parecia absolutamente nada, mas eu estava chorando. As pessoas choram quando estão tristes? Eu havia aprendido muito sobre isso durante toda a minha infância. Aprendi a reconhecer feições das pessoas, a identificar os sentimentos delas. Mas e os meus? Ninguém me ensinou a reconhecer os meus sentimentos.

E, agora, eu poderia dizer que eu estava com raiva. Era isso que meus pais me diziam: “Você está sempre com raiva”

Vermelho. Eu adoro o vermelho. Mas não deste jeito. Este jeito me assustava, o vermelho não estava bonito, estava distorcido. Ele estava me incomodando, eu queria parar de olhar para aquele vermelho.

A fumaça já estava se alastrando por todos os cômodos atrás daquela fina porta. O fogo tentando entrar, batendo, se contorcendo na madeira. Os sons das sirenes apitando do lado de fora, os gritos de desespero dos vizinhos.

Sim, eu estou com raiva. E meus pais, estão caídos e imóveis bem na minha frente.


Notas Finais


Bom, como puderam perceber, a estória vai ser recheada de suspense e mistério. E sim, a personagem principal possui Síndrome de Asperger, que é um tipo de autismo. Não, isso não vai atrapalhar o romance. Sim, terá bastante romance.
Esse é apenas o prólogo, o início de tudo. Eu espero que vocês tenham gostado, foi feito com muito amor e dedicação, HAHA
Se gostou, deixa um favorito e um comentário que vai me ajudar bastante!
Obrigada e nos vemos no próximo capítulo! <333
Link do trailer da fanfic, feito pela @Trollei: https://www.youtube.com/watch?v=egg7H36AAq0&feature=youtu.be
Link do clipe do casal, também feito pela @Trollei: https://www.youtube.com/watch?v=-v1LOOuMr6M&feature=youtu.be


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...