História Avatar: Deusa da Terra - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avatar: A Lenda de Aang, Avatar: A Lenda de Korra
Personagens Aang, Bolin, Korra, Kuvira, Kyoshi, Long Feng, Personagens Originais, Suyin Beifong
Tags A Lenda De, Aang, Avatar, Deusa Da Terra, Korra
Visualizações 58
Palavras 1.832
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Steampunk, Suspense, Violência
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Estou tentando o dar o meu melhor pra escrever, mas me sobra muito pouco tempo para dedicar a fic, espero logo poder me dedicar 100%, aproveitem o capitulo :D
ps. amei essa capa mds

Capítulo 10 - O espírito da fúria.


Fanfic / Fanfiction Avatar: Deusa da Terra - Capítulo 10 - O espírito da fúria.

Kyo tinha o cansaço estampado em sua cara, não havia dormido direito remoendo a conversa que ela teve com May na noite passada. Trabalhando no mínimo possível, trabalhava um pouco mais atrás devido ao seu cansaço, quebrava grandes pedras que vinham a ela através de uma esteira mecânica. 
- Ei Kyo, tudo bem? - Perguntou um rapaz de pele caramelada que estava do outro lado da esteira, fazia a mesma função que Kyo. 
Kyo olhou para ela, estava toda descabelada e com olheiras. 
- Estou bem… 
O rapaz deu risada da cara que ela fazia, Kyo sorriu e viu três homens se aproximando deles. Kyo percebeu que era o soldado de elite responsável pela sua captura, o mesmo vinha com um sorriso maldoso no rosto. 
- Kyo! A quanto tempo. 
Ela o olhou com um olhar de pura raiva e desconfiança. 
- A que devo a honra de sua presença? - Ela colocou as mãos na cintura ironicamente. 
- Chegou ao meu conhecimento que a senhora entrou para o torneio de luta da prisão, aí eu percebi que nunca havíamos nos apresentados. - Ele estendeu a mão para ela 
Kyo a olhou ironicamente e apertou a mão dele. 
- Me chamo Shen, só queria que soubesse que espero ansiosamente uma luta nossa no torneio. 
Ele sorriu e virou as costas, os outros dois guardas o seguiram logo em seguida. 
- Foi um prazer. - Ela disse ironicamente e voltou a trabalhar 
- Nossa, você é bem corajosa. - Disse o rapaz que trabalhava pouco a frente de Kyo. 
Ela então quebrou duas grandes rochas que vinha na esteira entre eles e secou o suor de seu rosto. 
- Por que acha isso? 
- Esse torneio só tem guardas como campeões, eles se certificam  que seja assim. 
- Bom, vamos mudar isso então. - Ela sorriu. 
Kyo segurava sua bandeja de almoço e procurava por um lugar para se sentar e comer, May estava sentada numa mesa mais ao canto. 
- Posso me sentar aqui? - Kyo perguntou em pé na frente dela. 
- Fique a vontade. - May nem a olhou, continuava a comer. 
Kyo se sentou e começou a comer, ficou um silêncio constrangedor entre elas por poucos minutos até que Kyo tomou coragem para falar. 
- Olha, sobre ontem… - Kyo foi cortada. 
- Não se preocupe. 
May se levantou bruscamente pegando sua bandeja. 
- Você deixou claro o seu ponto de vista. 
May então saiu, deixando Kyo sozinha na mesa que terminou de comer cabisbaixa. Após comer ela foi descansar em seu quarto, ela ponderava se podia haver algum sentimento dela pela May, ou o contrário talvez, ela não sabia. Kyo decidiu que precisava se distrair e foi para a academia um pouco mais cedo do que o de costume. Ao chegar lá a academia estava vazia, ela acendeu as luzes e foi até a geladeira pegar um suco para beber. 
A pouco mais de meia hora fazendo musculação ela ouviu a porta abrir e o Primeiro Oficial entrar. 
- Chegou cedo. - Ele disse colocando uma pequena bolsa sobre um banco ao lado da porta. 
- Eu precisava me distrair. 
- Certo, venha cá. 
Ela se levantou do equipamento de musculação e foi até ele. 
- Eu preciso que daqui pra frente você atenda uma certos modos. 
Ela colocou as mãos na cintura e entortou um pouco a coluna. 
- Como assim? 
- Exatamente assim. -  Ele apontou para ela fazendo-a perceber sua postura. 
- Sua postura é desleixada, quando você estiver com o seu uniforme e/ou na presença de Oficiais você deve ficar com a postura ereta, observe. 
O Oficial se colocou em posição de sentido e com as mãos para trás. Kyo olhou e copiou a postura dele, colocando as mãos para trás. 
- Um pouco mais de espaçamento entre as pernas. 
Ela abriu um pouco mais as pernas. 
- Erga o queixo um pouco. 
Ela assim o fez, olhando-o. 
- Isso. Você sabe fazer a saudação militar? 
Ela então levou a mão direita até a cabeça fazendo a saudação de sentido. 
- Muito bem, toda vez que você estiver na presença de um Oficial Você deve fazer a saudação. 
- Sim senhor. 
- Bom, vamos começar? 
Ela treinou junto com o Oficial por toda a tarde, treinava a sua dobra e alguns contragolpes específicos para cada um dos elementos. 
- Nossa, hoje foi um dia produtivo. - Kyo dizia ofegante, sentada no chão ela descansava. 
- Foi sim, venha cá. - Ele foi até a sua bolsa e tirou alguns livros de dentro. 
Kyo aproveitou para pegar uma água, pegando os livros em seguida. 
- São livros para você aperfeiçoar os seus movimentos de dobra. 
- Legal… - Kyo folheava um dos livros. 
- Acredite, saber como performar uma dobra de forma correta pode salvar a sua vida. 
Kyo sorriu - Certo, vou dar uma olhada mais tarde. 
- Sua amiga May vai lutar hoje, você vai ir assistir? 
- Talvez… Bom, até mais. - Kyo foi tomar seu banho e descansar. 
Kyo acordou pouco antes da luta de May começar, ela se arrumou e foi para a arena. Ao chegar viu May sentada na arquibancada com as mãos sobre os joelhos, Kyo se aproximou timidamente. 
- Posso me sentar aqui? 
- Claro. - May deu espaço para ela se sentar. 
Kyo se sentou e entrelaçou os próprios dedos. 
- Eu vou ser sincera contigo, eu tentei mas não consegui te tirar da cabeça, me desculpe por tudo que eu falei, me desculpe pelo jeito que eu falei. Eu não tenho nenhum direito de te julgar ou julgar as suas ações. 
- Me desculpa também… - May parecia um pouco triste. 
- Eu sei que você não confia no caminho que eu estou trilhando… Mas eu te prometo que nunca vou mudar. 
May sorriu levemente, segurou a mão dela e apertou dando um leve beijo em seguida. Kyo a abraçou bem forte. 
- Agora May contra Abdalah! - Gritou o narrador 
May se levantou e Kyo levantou junto. 
- Acaba com ele amor… - Kyo estava um tanto acanhada. 
May a beijou ternamente enquanto a arena as aplaudia. 
- Pode deixar. 
May entrou no ringue junto de seu inimigo, Kyo se sentou apreensiva enquanto May lutava. Seu oponente bateu com o pé no chão e uma rocha subiu ao ar e com a outra perna ele chutou a rocha na direção de May, a jovem esticou as mãos á sua frente parando a rocha no ar,  afastando as mãos para lados opostos ela partiu a grande rocha no meio e as atirou de volta. Seu oponente rapidamente pulou para o lado desviando do ataque, se apoiou na parede para um salto ainda maior, disparando vários projéteis contra ela em pleno ar. Era uma luta frenética de ataques e contra ataques, May possuía muita facilidade em dobrar as rochas à sua volta, porém seu oponente se mostrava sagaz e estava sempre um passo à frente dela. 
May tentou um golpe mais ousado, em uma aproximação veloz ela envolveu seu braço esquerdo em rocha e desferiu um forte cruzado da esquerda, seu oponente desviou facilmente e em seguida dobrou as rochas que envolviam o braço de May, quebrando o seu braço em três lugares. May foi aos joelhos em um grito de dor, Kyo se assustou e levou as mãos à sua boca abafando seu grito. O homem aproveitou-se da oportunidade e desferiu uma forte joelhada que acertou em cheio o queixo de May, jogando-a para trás, o homem a pegou pelos cabelos com um olhar sádico e desferiu outra joelhada, dessa vez acertando em cheio o rosto da garota que sangrava muito, May possuía um olhar já quase apagado. 
- NÃO, POR FAVOR! 
Kyo gritava em desespero ou ver a cena, o homem então olhou para Kyo e deu um leve sorriso, ele então bateu com o pé no joelho de May, o barulho do joelho dela quebrando ecoou na arena que assistia aflita, Kyo ficou sem voz de tanta raiva, lágrimas de ódio escorriam pelo seu rosto. 
O homem então bateu com o pé no chão e uma estaca de pedra emergiu do chão perfurando o abdômen de May que já estava completamente inconsciente. 
Kyo viu sua visão escurecer e em um surto de raiva ela pulou para dentro da arena enquanto gritava freneticamente, ela caiu sobre o homem que nem teve tempo de reagir, Kyo dava socos e rasgava a pele do rosto daquele com as próprias unhas em um ataque de puro ódio. Ela o segurou pela cabeça e o arrastou pelo ringue e o bateu contra a parede. Ela bufava feito um animal em frenesi, Kyo o prendeu na parede com dobra de terra, dois guardas pularam para dentro do ringue e por trás seguraram os seus braços, mas Kyo com uma força impressionante arqueou o corpo para frente e arremessou os dois soldados contra a parede. 
- Não, por favor moça. - Abdalah mal conseguia manter os olhos abertos naquela expressão de medo que fazia. 
Kyo andou até ele lentamente dobrando a sua armadura de antebraço em uma lamina, mais dois guardas pularam sobre ela e agora quarto a seguravam no lugar em uma prisão feita de rocha que imobilizava o seu corpo, Um grito de dor de May ecoou pela arena, foi como se uma brisa leve acalmasse uma furação, Kyo precisava ver sua amada e  em outro surto ela gritou e as rochas que a seguravam se desfizeram em migalhas, ela então correu até May que estendia o braço para Kyo, ela então segurou a mão de May. 
- Não fala, não.. - Kyo tinha lágrimas no rosto, ela desfez a estaca em migalhar e as retirou do abdômen dela. 
- POR FAVOR, ALGUÉM ME AJUDA!! UM MÉDICO POR FAVOR! 
Ela gritava chorando enquanto segurava o corpo de May em seus braços, rapidamente o Primeiro oficial se levantou de seu assento, e pulou para dentro do ringue acompanhado de vários socorristas. 
- POR FAVOR SENHOR! EU FAÇO QUALQUER COISA! - Ela implorou olhando para o Oficial. 
- Levem ela para a enfermaria, não poupem esforços ou recursos, ela é prioridade nível vermelho! 
Os guardas rapidamente fizeram os primeiros socorros ali mesmo e levaram May para a enfermaria, o Primeiro Oficial pegou Kyo pelos braços e a levou até a sala do Oficial da Arena. 
- Eu vou salvar sua amiga, mas eu peço apenas uma coisa em troca. 
- Qualquer coisa. - Kyo parece um pouco mais calma. 
- Jure sua lealdade à mim, e apenas a mim. 
Kyo o olhou, secou as lágrimas do rosto e ajoelhou uma perna e se apoiou na outra. 
- A minha lealdade é sua meu senhor. - Ela abaixou a cabeça. 
- Ótimo, vá descansar, amanhã começa o torneio e eu preciso de você concentrada, não se preocupe com a sua amiga, ela ficará bem. 
- Sim senhor. - Ela levou a mão à testa saudando-o em sentido e deu as costas.


Notas Finais


Capitulo que vem vai ser foda, até semana que vem haha ;D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...