História Avengers - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Batman, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Jack & Jack, Magcon, Nash Grier, Nate Maloley, Os Vingadores (The Avengers), Quarteto Fantástico, Shawn Mendes, Superman, Viúva-Negra (Black Widow)
Personagens Cameron Dallas, Carter Reynolds, Jack Gilinsky, Nash Grier, Nate Maloley, Shawn Mendes
Tags Luta, Poderes, Vingadoras
Visualizações 8
Palavras 1.604
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi oi!
Voltei :) e preciso que leiam as notas finais. Please, baby, I'm beggigng you
Boa leitura <3

Capítulo 4 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction Avengers - Capítulo 4 - Capítulo 4

P.O.V. Samantha Vance

 

Depois de muito tempo, o jantar estava pronto. Sentamo-nos todos na mesa que tinha na cozinha. O jantar foi feito em silêncio, exceto pela Francesca e Charlotte, que conversavam baixo sobre o treino dos rapazes. O ambiente estava estranho, e eu não gostava disso.

Quando o jantar - que mais parecia uma tortura - acabou, nós as seis arrumamos as coisas na cozinha e depois fomos para os nossos quartos vestir o pijama, para que ficássemos mais confortáveis quando estivéssemos a ver um filme, como era nosso costume. Todas nos encontramos na sala e começamos a ver que filmes tinham dado. Quando finalmente escolhemos o filme que iríamos ver, já eram quase dez da noite, e assim que o filme começou, todos os rapazes desceram. Francesca revirou os olhos e levantou-se, puxando os calções do seu pijama logo em seguida, já que estes subiam bastante.

― Onde é que  vocês pensam que vão? ― Francesca cruzou os braços, dava para ver que ela estava irritada por terem interrompido a sessão de cinema.

― Vamos sair ― Nate respondeu simplesmente.

― O quê? Vocês estão loucos? ― Charlotte levantou-se e andou até ficar mais próxima deles.

― Vocês não podem sair sem nós ― Deborah, ainda sentada, virou-se e eu fui a seguinte a levantar-me.

― Claro que podemos, não somos bebés ― Jack contrapôs.  

― Não são bebés, mas precisam da nossa proteção ― disse e revirei os olhos.

― Não, não precisamos! ― Cameron exclamou, soltei uma risada  logo após a sua fala.

― É exatamente por pensarem isso que nós estamos corretas ― Madison disse.

― Nós vamos sair e vocês não nos podem impedir ― Cameron disse e começou a andar até à porta. Fazendo uso da minha velocidade sobre-humana, corri até à porta e coloquei-me em frente dela, bloqueando a passagem. Cameron e eu ficámos frente a frente.

― Sai da frente, baixinha. Eu não quero magoar-te ― Cameron disse e eu arqueei a minha sobrancelha.

― Baixinha? ― dei-lhe um soco no nariz e sorri cínica. Todos pareceram chocados por eu ter dado um murro a Cameron, mas eu nem liguei para isso. ― Doeu, não foi? Eu posso ser mais baixa que tu, mas sou muito mais forte. Não te esqueças disso.  

Completamente irritada, subi para o meu quarto. Assim que lá cheguei, peguei no computador e comecei a escrever uma das muitas ideias para livros que eu tinha na cabeça.

 

*

 

Minutos mais tarde, e eu ainda estava a escrever. Eu podia fazê-lo por horas, que nunca me cansaria. A minha atenção foi tirada do teclado do computador quando alguém bateu à porta.

― Samantha, posso entrar? ― a voz era masculina, chutei que fosse Cameron.

― Não ― disse, revirei os olhos e voltei a minha atenção para o que estava a escrever, até que a porta foi aberta. ― Eu disse que não podias entrar! ― tirei o computador do meu colo e levantei-me da cama, na qual estava sentada com as costas apoiadas na cabeceira.

― Eu queria pedir desculpa pelo que disse ― Cameron tinha o seu olhar focado em tudo o que estava no quarto, menos em mim. ― A Francesca contou-me que odeias quando te subestimam. Desculpa ― Cameron arriscou olhar para a minha cara e depois virou-se e saiu do meu quarto.

Levei dois dedos às minhas têmporas e comecei a massageá-las enquanto fechava os olhos.

Eu ainda ia dar em doida com estes rapazes.

 

*

 

Era de manhãa e eu estava a beber o sumo de laranja que eu tinha feito, quando alguém aparece na cozinha.

― Bom dia ― Cameron disse e bocejou. Ele estava com o cabelo todo despenteado e sem camisa. Tenho de admitir que ele tinha um físico bom.

― Bom dia ― respondi baixo e continuei a beber o sumo de laranja.

― Sabes, o murro que me deste foi muito bom ― ele disse e eu virei-me para ele, já que estava virada para a bancada, com um semblante confuso. ― Digo, doeu, mas foi perfeito. Quem nos vai dar o treino de combate?

― Todas nós ― respondo e acabo de beber o sumo.

Cameron concordou e nada mais foi dito. Olhei as horas no meu telemóvel, que eu nunca largava, e já eram nove e meia da manhã. Quando tirei os olhos do telemóvel, as raparigas já estavam vestidas com roupas desportivas à minha frente.

― Bom dia ― elas disseram em coro.

― Bom dia, meninas ― respondi e sorri-lhes. ― Vou só vestir-me, já vos encontro aqui.

Subi as escadas, e por todo o canto eu via os rapazes.

Era estranho. Eu e todas as meninas estávamos habituadas a viver sozinhas, com a ocasional presença de Davies na sede, que era um prédio bastante grande. E, ainda por cima, os rapazes eram todos bonitos. Eu nem sabia como estava a lidar com eles, uma vez que eu não vivi a vida da típica adolescente.

Deixando os pensamentos de lado, cheguei ao meu quarto e despi o pijama. Vesti um conjunto de roupa desportiva e fui lavar os dentes e fazer um rabo de cavalo. Desci novamente e todos me encararam a partir da sala.

― Eu nem demorei ― disse e revirei os olhos.

― Pois não, mas esperar é uma seca ― Francesca revirou os olhos ao falar. ― Muito bem, rapazes. O vosso treino vão começar agora com uma pequena corrida. Deborah e Madison vão com vocês. Boa sorte ― ela sorriu e os rapazes e a Deborah e a Madison saíram de casa.

― O que vocês querem fazer enquanto eles não voltam? ― perguntei.

― Podemos ir para a cave e treinar ― Victoria sugeriu.

― Por mim ― dei de ombros e seguimos para a cave.

― Eu e a Samantha, tu e a Charlotte? ― Francesca perguntou para Victoria e ela assentiu.

Eu e Francesca começamos a lutar, socos e pontapés certeiros eram distribuídos por ambas as partes.

― Cameron foi ao meu quarto na noite passada ― disse e desviei-me de um soco na cara. ― Ele disse-me que tu disseste que eu odeio que me subestimem. Porquê?

― Estou errada? ― Francesca levantou uma sobrancelha e acertou-me com um pontapé na barriga.

― Não, mas…

― Olha, eu fui tratar do nariz dele e ele parecia arrependido ― Francesca interrompeu-me. ― Eu só lhe disse aquilo para garantir que ele te ia pedir desculpas e nunca mais dissesse alguma coisa parecida. Quis colocar-lhe algum peso na consciência. Não pensei que te fosses importar.

― E não importo, mas… é esquisito. Seria melhor se não tivessemos que lidar com eles.

― É a nossa missão, Samantha. Eles são a nossa missão, não há como evitá-los.

― Eu sei, mas ainda assim… Eu não gosto da situação. Qual é, nós somos seis adolescentes. Nós as cinco temos 18 anos, a Charlotte tem 19. Fomos privadas de viver uma vida de adolescente normal ― a esta altura, nós já tínhamos parado de lutar. ― Eu não sei como lidar com eles. O último contato que eu tive com um rapaz deve de ter sido quando eu tinha 12. Muita coisa mudou desde lá.

― Samantha, eu entendo. Eu também não sei como lidar com eles. E, para além disso, tu sabes como eu sou. Eu sou bastante  tímida. Podes imaginar como eu me sinto ao pé deles. Eu só quero que saibas que estamos aqui para nos  apoiarmos umas às outras. Não seríamos um grupo assim tão poderoso se não fôssemos unidas ― Francesca respirou fundo quando acabou de falar e olhou nos meus olhos. Ela sorriu, e eu sorri de volta. Eu amava a Francesca, e amava quando ela me ajudava.

― Obrigada, Francesca.

― Não tens de quê, Sam. Eu, e todas as outras, estamos aqui para o que precisares. Não te esqueças disso. Às vezes é importante saber quem está ao teu lado.

― Não te preocupes, eu sei quem está do meu lado ― abracei Francesca brevemente e vi as horas. ― A Madison e a Deborah já devem de estar quase a chegar com os rapazes. Não queres ir vestir o fato de banho? ― perguntei.

― Sim. Também queres fazer a aula?

― Não ― torci o nariz. ― Sabes que não gosto muito de natação.

― Vale sempre a pena tentar ― Francesca sorriu e saiu da cave. Não demorou muito para eu estar a fazer o mesmo que ela.

Fui até à cozinha. Eu estava mesmo com sede, então enchi um copo com água da torneira e bebi-o, fiz o mesmo processo duas vezes. Coloquei o copo no lavatório e virei-me. Apanhei um susto enorme quando vi Cameron muito perto de mim. À medida que ele ia andando para a frente, para mim, eu ia encostando-me mais à bancada. O meu rabo estava completamente espremido e eu já não conseguia ir mais para trás. Quando o seu corpo estava praticamente colado ao meu, susti a minha respiração e baixei a minha cabeça. Senti que ele levantou o braço e abriu o armário para tirar um copo. No momento que eu pensei que ele fosse afastar-se completamente, ele colocou o indicador debaixo do meu queixo e levantou-me a cabeça, olhou-me nos olhos e fez um carinho na minha bochecha.

― Espero que não estejas zangada comigo. Eu ia odiar estar numa má situação contigo ― ele deu uma última olhada nos meus olhos e foi-se embora. Só aí é que eu soltei a minha respiração.

Ok, o que acabou de acontecer aqui?

 

NOTAS FINAIS!

 


Notas Finais


Então, estou a escrever-vos por causa dos comentários. Não houve nenhum nos outros capítulos e isso deixou-me desanimada e triste. Eu esforço-me para escrever alguma coisa que seja boa e não obtenho resposta. Como escritores, ou não, entendem o que eu estou a sentir. Não obrigo ninguém a comentar, longe de mim fazer isso, mas só vos levaria poucos segundos. Pode ser uma crítica construtiva, sugestões ou até mesmo um simples "continua". Eu só vos peço que me passem um pouco de força.

Agora, vamos a outros assuntos. O trailer já está pronto. Não está perfeito, mas eu esforcei-me para fazê-lo.
Link: https://www.youtube.com/watch?v=R-50cEL6fBI

Ah, e se quiserem, contactem-me nas minhas outras redes sociais:
- Twitter: _ruelle_
- Ask: pipa_matias
- Instagram: filipa matias

Beijos, ~e por favor não me ignorem~ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...