História Aventuras em Sinnoh - Interativa - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Amizade, Aventura, Comedia, Drama, Ficção, Heterossexualidade, Homossexualidade, Luta, Mistério, Personagens Originais, Pokémon, Romance, Yaoi
Visualizações 45
Palavras 3.317
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 42 - Capítulo 42: Uma quase vitória


Fanfic / Fanfiction Aventuras em Sinnoh - Interativa - Capítulo 42 - Capítulo 42: Uma quase vitória

Que lugar lindo cheio de flores com um aroma maravilhoso, esse lindo e radiante sol e essa brisa refrescante que bate em meu rosto, mas eu não me lembro de como eu cheguei aqui. A única coisa que me lembro foi de ter batalhado no campeonato e depois todos fomos para uma lanchonete e viemos para casa do Thales, como eu cheguei aqui?

Acho que no momento isso não importa, esse lugar é realmente lindo e tranquilo, um lugar perfeito para pensar e vivar. Que estranho, o céu está começando a ficar escuro e parece que vai chover, mas não tenho para onde ir me abrigar se começar a chover agora. Droga, tenho que correr para não pegar essa chuva, mas não consigo me mover, o que será que está acontecendo com o meu corpo? Não consigo me mover e nem falar nada, eu preciso de ajuda!

O que é aquilo? Parece que são meus Pokémon, mas porque estão jogados na grama dessa maneira e seus olhares estão vazios? Minha respiração está começando a ficar pesada, não quero mais olhar para meus próprios Pokémon daquela forma, parece que estão mortos. Não consigo me mover, quero saber o porquê que meus Pokémon estão dessa maneira, mas o que é aquilo se aproximando deles?

Não se aproxime de meus Pokémon, deixe eles e paz, por favor não os machuque. Eu quero gritar, mas apenas consigo ouvir minha própria voz na minha mente. Meus Pokémon estão mortos na grama e aquela figura negra e encapuzada está se aproximando cada vez mais. Porque isso está acontecendo?

Mas é claro, estou em um pesadelo.

-Droga – Cochichou Douglas para si mesmo quando abriu os olhos.

O jovem se sentou na cama e passou a mão em seu rosto para tentar esquecer aquela imagem que tinha acabado de presenciar em sua mente, olhou para o lado e a única coisa que viu foi o pequeno Togepi dormindo completamente encolhido do lado de seu travesseiro. O jovem esboçou um sorriso achando o pequenino fofo já que desde o dia em que havia ficado naquela casa o Pokémon ovo se simpatizou com o jovem.

Douglas virou a cabeça um pouco para trás e viu que já era umas oito da manhã e todos já deveriam estar tomando café e treinando para mais um dia do campeonato em dupla. O jovem se espreguiçou, se levantou e foi até o banheiro fazer sua higiene matinal, quando voltou para o quarto viu que Togepi está dando tapinhas no travesseiro.

-Vai com calma se não vai acabar derrotando esse travesseiro – Disse o jovem dando um risinho ao ver Togepi com uma expressão séria lutando contra o travesseiro.

Douglas pegou uma camisa cinza, uma calça jeans e seus all stars e rapidamente os vestiu, pegou Togepi no colo e desceu as escadas onde encontrou Thales na cozinha tomando café.

-Bom dia – Disse Thales sorrindo.

-Bom dia, cadê todo mundo? – Perguntou Douglas.

-Zef e Fernanda foram treinar com suas duplas e Lírio e Star tiveram que ir embora – Dizia Thales – Acho que algum torneio vai acontecer na próxima cidade.

-E porque você não foi junto? – Perguntou Douglas se sentando em frente a Thales.

-Meu irmão teve que dar uma saída e resolvi ficar pra tomar conta da casa – Disse Thales.

Douglas colocou Togepi em cima do balcão de madeira e pegou um pedaço de maça para o pequenino comer. O jovem pegou um pedaço de torrada e colocou em cima do prato, Douglas não parou de pensar em seu pesadelo. Não seria a primeira vez que o jovem tinha aquele tipo de pesadelo com aquela figura negra e encapuzada, na verdade ele sabia muito bem quem era aquela figura que estava sempre em seus piores pesadelos.

-Está tudo bem? – Perguntou Thales vendo o jeito avoado d Douglas.

O jovem olhou para Thales, balançou cabeça fazendo um “sim” e deu um sorriso forçado. Thales retribuiu o sorriso e continuou a olha para Douglas com um jeito meigo sabendo que tinha alguma coisa o incomodando.

-Sabe... – Thales começou a falar de um jeito acanhado – Eu estava pensando que seria legal voltarmos a viajar juntos como antes, era divertido ficar com vocês e tudo mais – Dizia Thales começando a ficar corado – E se você quiser eu posso ensinar algumas coisas de torneio pra você...não que precise, sua apresentação foi ótima.

Douglas olhava para Thales ficando corado e sentiu seu rosto ficar um pouco quente, o jovem sorriu pensando na possível ideia de Thales voltar a viajar com eles.

-Tenho certeza que a Fernanda e o Zef vão adorar a ideia – Disse Douglas segurando a animação.

-Eu gosto muito de estar com você – Disse Thales olhando para Douglas.

-Obrigado – Disse Douglas meio tímido – Também gosto de estar com você.

-Quando eu te conheci já estava começando a desistir de tudo, tinha participado de alguns torneios e havia perdido – Dizia Thales – Naquele dia do centro Pokémon mudou tudo para mim e mesmo que eu tenha ficado um bom tempo aqui em casa sem ter nenhum contado com o mundo dos torneios você fez de tudo pra me colocar de volta.

-Está me deixando com vergonha – Disse Douglas com o rosto corado.

-Eu andei pensando nisso desde o dia em nos reencontramos e acho que não consigo mais me segurar, você é uma pessoa maravilhosa e que ama os Pokémon e dá pra ver que o sentimento e reciproco – Disse Thales olhando para Togepi – E você mudou muito desde a primeira vez que eu te vi, mas ainda sim existe muita bondade dentro de você, então...eu queria saber...se...se...você...não gostaria de ser meu namorado

 

Campo de batalha do centro Pokémon

 

-Weepinbell, folha navalha – O Pokémon de grama começou a movimentar suas folhas laterais mandando múltiplas folhas afiadas em direção a seu oponente.

-Marshtomp, proteção seguido de evasiva – Ordenou Erik e logo em seguida seu Pokémon abriu os braços fazendo uma esfera verde ficar em volta de si e o protegendo das folhas e após a esfera desaparecer Marshtomp rapidamente abriu sua boca liberando um forte vento gelado com pequenas bolas e neve.

-Nó de grama modo defesa – Disse Fernanda e logo Weepinbell começou a emitir uma luz verde fluorescente de seu corpo e em seguida levantou suas folhas laterais fazendo várias videiras saírem do solo e fazendo uma barreira que o protegeu do ataque de Marshtomp

-Muito bem – Disse Erik – Estamos em forma, acho que temos grande chance de vencer.

-Assim espero, Zef e Gary estão indo muito bem – Disse Fernanda – Não podemos vacilar nem por um segundo.

-Isso é verdade, no momento eles são os favoritos para vencer o campeonato – Disse Erik.

-Precisamos de uma formação de ataque ou alguma combinação que não de chance alguma dos dois poderem atacar – Disse Fernanda.

-Fernanda – Chamou uma voz conhecida.

A jovem olhou para trás e seu humor havia mudado, Marcelo se aproximava da jovem meio acanhado enquanto Fernanda o encarava com uma expressão séria.

-Oi cara, como vai? – Perguntou Erik.

-Vou bem, obrigado – Marcelo respondeu sendo simpático deixando Fernanda surpresa.

-O que quer? – Perguntou Fernanda em um tom sério.

-Posso falar com você? – Marcelo perguntou meio acanhado.

-Claro – Disse Fernanda ainda em seu tom sério – Erik, poderia nos deixar um tempo sozinho por favor? – Perguntou em um tom mais meigo.

-Tudo bem, vou falar com a enfermeira Joy – Disse o jovem se retirando.

-Desembucha – Disse Fernanda cruzando os braços enquanto encarava Marcelo.

-Eu sei que não sou a pessoa que você gostaria de ver e sei que magoei muito o Douglas – Marcelo começou a dizer – Mas eu quero consertar isso tudo e quero me dar bem com a melhor amiga do cara que eu gosto – Fernanda fez uma cara um pouco surpresa ao ouvir aquilo – E ainda não sei como fazer isso já que eu sei que um simples “me desculpe” não vai adiantar muita coisa.

Fernanda continuava olhado para o jovem com seus braços cruzados enquanto o mesmo tentava encontrar um modo de seu desculpar, a jovem pensou que por um breve momento que Marcelo havia mudado sua personalidade e estava até pensando na possibilidade de perdoa-lo já que Douglas poderia ter uma grande chance de ter um relacionamento com ele.

-Olha, sei que as pessoas merecem uma segunda chance na vida e dá pra perceber que você mudou completamente a sua personalidade, então por mim está tudo bem – Dizia Fernanda – Só não quero que você o machuque.

-Eu nunca faria isso de novo – Disse Marcelo.

-Assim espero – Disse Fernanda.

 

Estádio do campeonato em dupla

 

Todos os participantes que iriam batalhar já estavam na sala de espera assistindo o mestre de cerimonias fazer um belo discurso motivador para o público, todos estavam cada vez mais animados com para as duas batalhas que iriam começar e decidir quais duplas finalmente conseguiriam chegar na final e ganhar o prêmio.

Fernanda estava atenta olhando para o telão que ficava na sala dos participantes quando viu que Douglas estava um pouco inquieto andando de um lado para o outro com uma cara de nervoso.

-Ei cara, fica calmo – Disse Mickael – Vamos dar o nosso melhor para vencer aqueles dois.

-Não é por isso que estou assim – Disse Douglas com a voz um pouco tremula.

-Então o que foi? – Perguntou Mickael.

-Não é nada demais, vamos prestar atenção no que estão dizendo lá no campo de batalha – Falou Douglas parando de andar de um lado para o outro e olhando para o telão.

-O que foi? – Perguntou Fernanda.

Douglas abriu a boca mais não falou nada, estava na cara que alguma coisa estava incomodando o jovem naquele momento e isso poderia atrapalha-lo durante sua batalha.

-Thales me pediu em namoro – Falou Douglas tapando o rosto.

Fernanda arregalou os olhos com uma mistura de surpresa e alegria, um grande sorriso largo agora estava estampado em seu rosto e seus olhos brilhavam de alegria pelo amigo. Fernanda sempre achou Thales uma ótima pessoa e sempre sentiu a química entre ele e Douglas, mas nunca pensou que o jovem seria capaz de fazer esse pedido assim tão de repente.

-E o que você falou? – Perguntou Fernanda com um sorriso no rosto.

-Eu...

-Douglas, Mickael, Zef e Gary por favor venham comigo para iniciarmos a batalha – Chamou um dos funcionários interrompendo Douglas.

O jovem rapidamente seguiu seus amigos deixando Fernanda morrendo de curiosidade sobre a resposta. Os quatro foram encaminhados para o campo de batalha onde foram recebidos por aplausos e gritarias, cada dupla foi para um lado do campo e rapidamente o mestre de cerimonias de a deixa para começarem a batalha.

Os quatro pegaram suas pokébolas, maximizaram e jogaram para o alto liberando seus Pokémon. Mickael iria usar seu Buizel, Douglas usaria sua Aipom, Zef seu Luxio enquanto Gary surpreendeu todos quando mostrou uma Eevee, que não tinha usado até agora em nenhuma batalha.

-Eevee, vamos começar com estrela cadente – A pequena raposa marrom deu um salto fazendo múltiplas estrelas amarelas saírem de sua cauda e irem em direção aos seus adversários.

-Aipom, vamos rebater essas estrelas com soco focalizado – Ordenou Douglas e logo em seguida Aipom fechou o punho de sua cauda e o mesmo começou a brilhar e rapidamente a macaquinha roxa começou a acertar algumas estrelas mandando de volta para os adversários.

-Eevee, estrela cadente novamente – Eevee abaixou um pouco seu corpo e apontou sua cauda para frente e começou a liberar suas estrelas amarelas fazendo-as se chocaram com as estrelas rebatidas por Aipom.

-Luxio, carga – Ordenou Zef e no mesmo instante seu Pokémon começou a ficar com algumas faíscas em volta do corpo.

-Não podemos deixar ele acumular muita carga – Disse Douglas – Eu já vi isso antes e o resultado não é nada bom.

-Buizel, nevasca – A doninha do mar deu salto, abriu a boca e liberou um forte vento gelado com algumas pequenas esferas de neve.

-Ataque rápido – Ordenou Gary, Eevee começou a correr rapidamente deixando uma cauda branca para trás e acabou desviando do ataque de Buizel e se aproximando dos seus adversários enquanto Luxio havia sido atingido, mas continuava carregando sua eletricidade.

-Aipom, soco focalizado na Eevee – Aipom começou a correr com o punho de sua cauda levantado e brilhando e rapidamente acertou o rosto de Eevee a mandando para perto de Luxio.

O Pokémon de Zef abriu os olhos e os mesmo estavam com uma energia azul com amarelo, Douglas logo viu que aquele poderia ser o fim mesmo estando no início da batalha. Aquela estratégia de Zef era seu ponto forte, carregar o máximo de energia que seu Luxio conseguisse e mandar tudo para seu adversário.

-Luxio, vamos terminar logo com isso usando descarga – Luxo olhou para seus dois adversários com um sorriso no rosto e seu corpo ficou completamente azul, o Pokémon deu um rugido mandando uma quantidade enorme e medonha de eletricidade.

-Eevee, estrela cadente – Ordenou Gary e rapidamente sua Pokémon se levantou e mandou várias estrelas amarelas que começaram a rodear a eletricidade de Luxio.

-Aipom, proteção – Aipom se pôs à frente de Buizel, abriu os braços e os dois ficaram cercados por uma grande esfera verde, o ataque combinado de Luxio e Eevee havia se chocado contra a esfera protetora de Aipom e ambos estavam protegidos, mas o ataque de seus adversários ainda estava sendo lançado. Aipom estava aquentando o máximo que conseguia, um pouco de suor escorregou no rosto de Douglas quando o jovem olhava a expressão de dor de sua Pokémon.

Aipom caiu de joelhos e ao mesmo tempo sua esfera verde protetora se quebrou em pedaços, a eletricidade junto das estrelas cadentes logo acertaram a macaquinha roxa e a mesma gritava de dor. Quando o ataque havia acabado Aipom caiu no chão, mas ainda sim estava tentando se levantar com uma dificuldade enorme.

-Mickael me desculpe, mas não posso ver minha Pokémon dessa maneira – Disse Douglas – Terei que desistir.

-Aipom! – Gritou a Pokémon fazendo uma cara de raiva para Douglas.

Aipom estava de pé com o corpo completamente ferido e o olhar de Douglas era de espanto, o jovem sempre acreditou em seus Pokémon, mas sabia o que aquilo significava e não podia acreditar que mesmo naquele estado horrível Aipom ainda queria continuar a batalha.

-Aipom, você não pode continuar – Falou Douglas – Está machucada demais.

-Aipom, aipo, aipo – Falava o Pokémon enquanto balançava a cabeça fazendo um não.

Aipom se virou para seus adversários e todo seu corpo começou a brilhar, o Pokémon começou a crescer e ao mesmo tempo sua forma começou a mudar. Quando a luz desapareceu um novo Pokémon estava diante dos olhos de todos, um Pokémon roxo de um metro e vinte com duas longas caudas, cada um com uma grande mão arredondada com três dedos com pontas vermelhas, tem orelhas redondas com interiores vermelhos, possuía dois fios longos de cabelos em sua cabeça, tinha um nariz roxo e triangular e olhos largos.

Pokédex: Ambipom, o Pokémon cauda longa. Eles vivem em grandes árvores e dizem que eles se comunicam conectando suas caudas às de outros.

Todos ficaram maravilhados com mais uma evolução que havia acontecido no meio da batalha, Zef e Gary estavam um pouco preocupados já que no dia anterior o Pokémon da Fernanda havia evoluído e tinha dado a vitória para dupla.

-Luxio, presa do trovão – Luxio começou a correr com a boca aberta e seus dentes começaram a liberar eletricidade. O Pokémon faísca deu um salto pronto para abocanhar Ambipom, mas rapidamente a macaca roxa recém evoluída deu uma cambalhota para trás e os punho de suas caudas começaram a emitir uma luz roxa, em seguida Ambipom deu um giro acertando Luxio com suas duas caudas.

-Batida dupla – Disse Mickael – Parece que Ambipom aprendeu um ataque.

-Eevee, estrela cadente – Eevee surpreendentemente saltou de trás de Luxio e apontou sua cauda para Ambipom e a acertando no peito com suas estrelas.

-Buizel, aquela míssil – Disse Mickael e logo em seguida Buizel começou a ficar envolto de água e rapidamente avançou contra Eevee como um foguete de água.

-Luxio, descarga – Luxio se levantou rapidamente e ficou na frente de Eevee, o Pokémon faíscas liberou uma quantidade razoável de energia quando Buizel estava bem próximo, o Pokémon de água foi atingido e caiu com tudo no chão reclamando de dor.

-Eevee, estrela cadente – Disse Gary.

-Soco focalizado – Eevee deu um salto e apontou sua cauda para Buizel e no minuto em que ia atacar foi surpreendida quando via as duas caudas de Ambipom nas suas laterais se fechando contra si.

-Descarga – Zef aproveitou a proximidade de ambos os adversários e deu o comando para seu Pokémon, Luxio no mesmo instante liberou novamente uma quantidade razoável de eletricidade que acertou Ambipom e Buizel.

Depois dos ataques recebido, Eevee e Buizel estavam desmaiados no chão deixando apenas Zef e Douglas na disputa. Os treinadores retornaram seus Pokémon desmaiados e foram se sentar em um dos bancos próximos ao campo de batalha.

Ambipom e Luxio estavam exaustos, Ambipom já havia sido atingida várias vezes e Luxio tinha liberado duas vezes seu ataque mais poderoso sem recarregar nenhuma vez. A torcida ao mesmo tempo estava a mil, alguns gritavam o nome de Douglas e outros o nome de Zef.

-Carga Luxio – Disse Zef, Luxio ficou parado enquanto seu corpo estava liberando algumas faíscas azuis.

-Ambipom, sequência de soco focalizado – Ordenou Douglas e em seguida Ambipom correu até Luxio com os punhos de sua cauda brilhando e começou a acertar o Pokémon. Luxio gritava de dor a cada golpe que era dado por Ambipom, mas mesmo assim ele estava aguentando firme a pressão e a força dos golpes.

Todos da plateia estavam surpresos pela determinação de ambos os Pokémon, Ambipom por estar lançando seus poderosos socos seguidos mesmo estando cansada e Luxio que recebia os golpes firmemente e ainda sim usava seu ataque carga. Depois de levar mais um dos vários socos de Ambipom, Luxio abriu seus olhos e os mesmo estava com a mesma cor que da primeira vez em que tinha lançado seu poderoso ataque.

-Descarga! – Falou Zef com uma forte intensidade no tom de sua voz e rapidamente Luxio abocanhou a cauda de Ambipom e liberou toda a energia fazendo a Pokémon gritar de dor. Depois de liberar toda a carga ambos ainda continuaram em pé se encarando e deixando todos da plateia e da sala de espera surpresos, mas tudo mudou quando Ambipom caiu de joelhos e logo estava desmaiada no chão e a foto de Zef, Gary e seus Pokémon apareceram no telão como vencedores daquela partida.

A plateia toda estava empolgada com a vitória da dupla Zef e Gary e por eles estarem indo para final. Luxio caiu logo em seguida totalmente exausto e rapidamente Zef correu para ajuda-lo, Douglas também correu pelo campo de batalha e foi até sua Pokémon tentando levanta-la.

-Você foi incrível – Disse Douglas para Ambipom.

-Am, am – Disse a Pokémon tentando esboçar um sorriso.

-Conseguimos amigão – Disse Zef para Luxio.

-Luxio, lux – Disse o Pokémon sorrindo.

Os quatro foram até a sala dos participantes onde estava vazia já que as outras duas duplas estavam sendo encaminhadas para o campo de batalha para a próxima disputa.

-Uau, aquilo foi incrível – Disse Zef – Essas batalhas estão ficando cada vez melhores e a evolução foi muito maneira, eu tava me cagando todo quando a Ambipom veio com aqueles socos.

-Foi uma batalha bem difícil mesmo – Disse Gary – Vocês foram adversários muito bons.

-Valeu cara – Disse Mickael.

-Já quero saber quem vai vencer a próxima batalha pra quando chegar amanhã estarmos preparados – Disse Zef.

Depois de uns 45 minutos a segunda batalha havia acabado dando a vitória para Erik e Fernanda. As duas duplas finalistas estavam no palco onde o mestre de cerimônia novamente estava dizendo algumas palavras sobre o árduo caminho que as duplas enfrentaram para chegar naquele momento e a decisão de tudo seria decidida no próximo dia, Fernanda e Zef se olharam com um sorrisinho nos rostos.

-Está pronto para perder? – Perguntou Fernanda.

-Gata, vem com tudo – Respondeu o jovem.


Notas Finais


Críticas, opiniões e idéias são sempre bem vindas <3
Comentem!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...