História Aventuras na Faculdade - Capítulo 72


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers, Fairy Tail
Personagens Ayato Sakamaki, Cana Alberona, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Hibiki Lates, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Mavis Vermilion, Natsu Dragneel, Reiji Sakamaki, Rogue Cheney, Shu Sakamaki, Sting Eucliffe, Subaru Sakamaki, Yui Komori, Yukino Aguria, Zeref
Exibições 31
Palavras 1.379
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Festa, Harem, Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 72 - O Galpão


Autora POV on

Um silencio paira no ar dentro da Van. Ninguém ousa olhar um para o outro. Não é um silêncio qualquer, com certeza é um silêncio de culpa, de tristeza, de medo, de incerteza. Mas como nada dura para sempre.. 

Kanato- como ela.. 

Mira- respirando com dificuldade - diz de cabeça baixa olhando para Felicita desacordada em seu colo

Seus longos fios vermelhos estão caídos no chão, bagunçados. Ela tem feições de dor e respira com dificuldade. Felicita foi baleada enquanto caminhava em direção a Liberta mas não foi ele quem atirou.

Laxus- Cornélio vai pagar muito caro - diz rangendo oa dentes e fechando as mãos bem forte 

Meredy- Mira quer ajuda? - Ajoelha-se no chão da van que balançava bastante

Mira- se você tiver algum paninho, blusa, algo limpo que eu possa usar para apertar aqui - direcionou seu olhar para a ferida que estava manchando a blusa de Felicita e a camisola de Mira. 

Meredy- pode pegar meu lenço - tirou o lenço de dentro do bolso do seu roupão - eu o uso para amarrar o cabelo. Está limpo. 

Mira- tudo bem. Pressione aqui - pegou a mão de Meredy e colocou em cima da ferida; ela engoliu a seco 

A sensação era da região estar inchada e molhada. 

Kanato- eu não entendo. Por que eles estavam nos impedindo? - Perguntou com o rosto entre as mãos, apoiado nos joelhos e olhando para baixo 

Jellal- eu achei estranho que apesar de estarem na nossa frente, não pareciam eles. 

Cana- também tive essa sensação 

Lyon- e vocês? Minerva, Kagura.. Por que estão aqui? 

Minerva- meu pai.. Aquele velho horrível.. É traficante. Ele trafica pessoas para cá. Recentemente ele foi contratado por um agente do governo 

Hibiki- deixa eu adivinhar.. Cornélio.. 

Minerva- sim. E com o recente desentendimento que eu tive com ele na Praia, no qual a Kagura, o Sting e o Rogue me ajudaram, ele ficou com muita raiva de mim. Resultado - disse sorrindo entre lagrimas- eu estou aqui.. 

Kagura- ei! Nós vamos sair dessa, ok?! Eu prometo! - Disse abraçando a amiga - estávamos evitando ir para a faculdade essa semana, por medo dele tentar algo, então ficamos na minha casa. Mas essa noite ele noa achou, arrombou minha porta, espancou meu irmão e nos arrastou para cá. - Disse triste e com raiva 

Gajeel- Rogue e Sting ficaram bem preocupados com vocês duas.. - Disse sorrindo de lado para as meninas, que não esperavam ouvir aquilo e sorriram reconfortadas - eles procuraram vocês todos os dias na faculdade..

Levy- precisamos sair daqui pra vocês poderem dar a felicidade de realizar o sonho deles e aparecerem lá na faculdade.. - Sorriu para as meninas 

Kagura- sim.. - Sorriu entre lagrimas 

 

No galpao

A Van parou na frente de um galpão. De repente uma movimentação começou para trás da Van

 Cana- o que está havendo? 

De repente ouviram-se tiros. 

Laxus- se abaixem! 

Laxus ficou em cima de Mira que permaneceu sentada encolhida em cima de Felicita. Enquanto todos os outros foram para o chão. 

Lyon- um tiroteio?? 

Hibiki- sera que é ajuda? 

O tiroteio cessou e a porta da Van foi aberta. 

- Lamento acabar com as esperanças de vocês, mas a ajuda não vem mais.. - Sorriu 

Kanato-... Vo-Você!! - Ficou branco 

Jellal- o cara que me tirou do meu quarto, você o conhece? 

- Digamos que eu e o Kanato somos parentes.. - Piscou para Kanato que permanecia olhando com raiva e ao mesmo tempo com medo 

O homem puxou o garoto pelo braço, jogando-o para longe. Kanato caiu a metros da Van. 

Cornélio- chega! Precisamos deles inteiros. Já temos uma a menos! Não me façam perder outro! - Ordenou com muita raiva 

Todos foram retirados da Van. Quando chegou a vez da Mira, ela insistiu que não sairia de la, sem a Felicita. Cornélio percebeu o tumulto e foi resolver. Ele entrou na Van e sentou-se na frente da Mira com os cotovelos apoiados no joelho e as mãos entrelaçadas. Seu ar era de superioridade e deboche 

Cornelio- escute. Ela não vai sobreviver. Deixa ela aqui que ela será a unica machucada na história. 

Mira- você não vai me machucar. Precisa de todos nós inteiros- disse firme 

Cornelio- é...eu disse - disse olhando para baixo com ar de ator 

Ele pegou as bochechas de Mira e apertou bem forte. Ela solrou gemidos de dor. 

Laxus- Mira!!! Não encoste nela seu verme! - Gritou tentando se libertar 

Cornelio- namorados? - Olhou para Laxus e depois para o dedo de Mira- ooh! Noivos! - Sorriu diabolicamente - então vamos apressar as coisas, que tal? 

Ele aproximou sua boca do rosto de Mira e lambeu sua bochecha demoradamente. 

Cornélio- vamos fazer sua despedida de solteira, que tal? - Pegou o ombro dela e prensou contra o assento da Van. Aproximou sua boca do pescoço de Mira, enquanto uma de suas mãos tapava sua boca. Ele mordeu forte o pescoço dela a ponto de todos ouvirem um grito abafado. 

Fora da Van, Cana, Lyon, Hibiki, Jellal, Meredy, Kanato, Gajeel, Levy, Minerva, Kagura e principlamente Laxus se debatiam para tentar se soltarem e ajudar Mira. Enquanto tentavam inutilmente, guardas riam, só se ouviam gargalhadas e gritos abafados. 

As maos de Cornélio passeavam pelo pescoço da Mira e pelos seus seios. Ela tentava conter as lagrimas, mas era inútil. Todo o desespero e humilhação vinham a tona. 

-Caham! Vamos nos preparar para o procedimento ou você quer adiar para aproveitar ela? - Perguntou o homem de cabelo Verde escuro que lançou Kanato longe da Van anteriormente 

Cornélio parou o que estava fazendo e olhou para o colo de Mira, onde Felicita estava ainda respirando com dificuldade. Ele suspirou e saiu da Van 

Cornélio- ela é deliciosa. Talvez a deixe reservada para mim no final. 

-Mas ela estará.. 

Cornélio- eu sei. Mas pense comigo, sem vida, ela não pode gritar nem se debater 

-Seu gosto é estranho

Cornélio- o sujo falando do mal lavado? 

Deram gargalhadas e entraram no galpão, sendo seguidos pelos guardas e pela turma que ainda tentava escapar. Mira fou arrancada da Van pelos homens. Deixando Felicita sozinha na Van abandonada na frente do galpão. 

 

Cornélio- muito bem.. Quem será o primeiro? - Perguntou sorrindo 

Todos os amigos estavam acorrentados na parede. Seus pés em contato com o chão gelado e as maos presas às algemas pregadas na parede. 

- Talvez a minha filha.. - Apontou o velho para Minerva 

Uma gritaria começou. Minerva berrava enquanto Kagura gritava tentando se soltar e ajudar a amiga. Os rapazes faziam o mesmo. Enquanto outros entravam em desespero. 

Kanato- EU POSSO IR! 

-Hmmm.. Kanato dando uma de herói.. Hahahahaha pra compensar o fato de ter saido do armario? Hahahahaha - gargalhou o homem de cabelos verdes 

Kanato ficou em silêncio encarando o homem. O mesmo parou de rir e ficou muito irritado por não ter humilhado Kanato como queria. 

-Então que seja! Ele sera o nosso primeiro! Levem ele! - Ordenou, chegou perto de Kanato e sussurrou em seu ouvido- seu pai teria ficado tão desapontado com ess notícia.. Maaas.. Vocês fizeram o favor de matar ele para mim.. Pena que a sua mãe não está aqui para me divertir mais.. 

Kanato ficou em silêncio, mantendo a postura firme e ignorando-o completamente. O homem se irritou mais ainda e esbofeteou o rosto do Kanato. 

-Prendam ele na máquina logo, antes que eu o espanque.. 

Kanato foi preso a uma mesa de metal. Em sua cabeça foi colocada uma rede que tinha diversos fios ligados a um aparelho enorme ao seu lado. 

Cana- KANATOOO!! - Gritou 

Em sua boca colocaram uma especie de rolinho de pano. Em seus braços colocaram diversos eletrodos. Kanato suava frio. Ele estava com muito medo. E muito assustado. 

Minerva- Kanato!!! - Chorava 

O aparelho foi ligado. 

Ele sentiu uma dor aguda. Muito aguda mesmo. A dor se tornou tao intensa que sua visão começou a ficar turva e estranha. Ele gritou com todas as forças. 

Um estrondo interrompeu o procedimento. Uma explosão seguiu o barulho e o lugar ficou cheio de fumaça. Sombras são vistaa de relance. 

 

-Ka..Kanato?? 

Minerva- Sting! 

Laxus- pessoal!! 

Cornélio- essa interferência passou dos limites. MATEM TODOS, AGORA! E vocês! Continuem o procedimento!! 

O aparelho foi ligado novamente

 

 

 

 

Continua... 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...