História Avoid - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hong Jisoo "Joshua", Seungcheol "S.Coups", Wen Junhui "JUN"
Tags Cheolsoo
Visualizações 97
Palavras 1.363
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi gente eu tive essa ideia no meu da aula e comecei a escrever asjajskjas
eh uma cheolsoozinha bem legal, espero q gostem sz

Capítulo 1 - Unique; you are avoiding me


Fanfic / Fanfiction Avoid - Capítulo 1 - Unique; you are avoiding me

- Você viu o Jisoo? – um homem moreno adentrou a sala dos professores da faculdade de onde trabalhava, se dirigindo ao outro moreno que usava a máquina de café.

- Hong? Eu o vi agora a pouco no prédio da Medicina. – falou o chinês retirando a xícara de debaixo da máquina e tomando um gole.

- Mas eu acabei de sair de lá.

- Você ainda deve estar bêbado de sábado, Seungcheol. – Junhui disse maldoso e o outro assumiu uma expressão rude.

- Nem me lembra disso. Minha cabeça ainda dói. Mas eu estou te falando, Wen. Eu não vejo Jisoo á dias, e damos aula basicamente nos mesmos cursos. Também tentei escrever pra ele mas nada de resposta. Fiquei preocupado. – disse e Jun se virou subitamente para o amigo.

- Alguns dias desde sábado? Quando a gente foi no bar que inaugurou no centro? – o chinês falou com a testa franzida e Seungcheol assentiu, confuso. Junhui deu uma risadinha e o Choi perguntou o porque daquilo.

- Talvez ele esteja se escondendo de você.

 

 

- Professor Choi. – um de seus alunos da Engenharia Civil, Seungkwan, disse baixinho para ele enquanto a sala silenciosa fazia uma série de exercícios. Seungcheol olhou a folha completamente respondida e repleta de cálculos e se perguntou que tipo de dúvida ele poderia ter.

- Sim, Seungkwan? – estranhou o fato de ele chegar ainda mais perto e falar mais baixo, sendo que o mesmo já estava em frente à sua mesa.

- O que você tem com o Professor Hong? – o loiro disse com uma das sobrancelhas levantadas e uma pontada atingiu Seungcheol de leve.  O mesmo franziu a testa;

- Com Jisoo? Como assim? Somos amigos. Porque? – falou o moreno e a expressão do aluno mudou para um olhar indecifrável.

- Ahn... Eu não sei se deveria me intrometer. – de repente o Boo parecia envergonhado.

- ... Quê? – o professor não entendia onde o mesmo estava querendo chegar. Seungkwan suspirou levemente enquanto mexia no cabelo com a ponta da caneta, parecendo levemente desconfortável.

- Promete não falar para o Professor Jisoo?

 

 

A boca de Seungcheol estava seca. Suas mãos tremiam e seu coração não parava de bater acelerado. Maldito! Até pouco tempo ele estava mais tranquilo que um monge budista e agora estava tendo um ataque de pânico. Se sentia um colegial estúpido novamente.

Respirou fundo e se colocou mais para trás da parede, com medo de ser visto. Passos foram ouvidos e ele conseguiu ver de relance um homem magro de cabelos castanhos, pescoço comprido e olhos grandes checando alguma coisa distraidamente no celular.

Rapidamente e sem tempo nem pra pensar, o mesmo foi puxado para um canto qualquer, um grito sendo abafado por uma mão e Jisoo quase começou a rezar antes de ver quem era.

- Seungcheol...! – o nome do moreno saiu miado da boca do americano e ele foi puxado novamente para uma sala vazia perto dali, que na verdade era um armário de vassouras pra ser mais exato.

- O que você está fazendo?! – assustou-se o Hong enquanto as mãos do Choi ainda estavam agarradas aos seus ombros, sentindo seu estômago se enfraquecer e o fazer querer jogar o cappuccino que tinha bebido pra fora.

- Jisoo você tá me evitando. – Seungcheol disse sem nem pestanejar e o outro arregalou os olhos.

- Eu não...!

- Foi por causa do que fizemos naquele dia? – o Choi queria parecer confiante mas sua voz falhava pelo medo.

- Você se lembra...? – falou baixinho e Seungcheol engoliu em seco, concordando e sentindo – poderia ser chamado de alivio? – pelo o que o aluno o tivera contado não ser mentira. Ele havia prometido a Seungkwan que não o citaria em momento algum e também tinha certa vergonha de admitir que seu aluno havia o visto se agarrando com outro professor por aí. – Esquece isso, Cheol. A gente meio que estava bêbado e cheio de proble-

- Mas significou alguma coisa pra você. – a angústia na voz do mais velho pegou Jisoo de surpresa pela centésima vez em apenas poucos instantes.  O americano abaixou os olhos pra evitar que alguma lágrima caísse.

- Não importa, Seungcheol. Não faz diferença. – falou o Hong abrindo um sorriso triste, mas uma mão foi de encontro ao seu queixo, puxando-o e quando percebeu seus lábios já haviam sido cobertos pelos do mais velho, e a lágrima que antes Jisoo tentava segurar caiu.

Os lábios do moreno eram como o céu, e Seungcheol não podia dizer nada menos sobre os do outro. Suas mãos foram de encontro à cintura do castanho, puxando seu corpo pra cada vez mais perto. As respirações descompassadas pareciam em perfeita harmonia. Jisoo não pode conter suas mãos que exploravam o corpo musculoso do Choi, chegando a lugares que eram praticamente uma tortura para o mais velho, fazendo-o apertar o corpo magro do outro mais ainda contra si, esperando que de alguma forma eles conseguissem se fundir. Tanto tempo de sentimentos escondidos faziam os dois sentirem suas gargantas reclamarem de um choro preso.

Seungcheol conseguiu por algum milagre divino separar os lábios dos do Hong, fazendo até um leve fio de saliva se entrepor entre eles, fazendo Jisoo olhar envergonhado para o outro, sentia como se tivesse dezessete anos novamente ao olhar para aqueles olhos, covinhas, sorriso, bochechas e os cabelos despenteados que ele tanto amava e faziam seu coração palpitar. O Choi arfou em busca de ar, acariciando a cintura de Jisoo com uma das mãos e com a outra levando os dedos a seu pescoço, dedilhando a pele macia e levando-o a fechar os olhos com o toque delicado.

- Quanto tempo faz? – Seungcheol disse tentando disfarçar a dor que sentia.

- Desde o ensino médio. – falou o americano com um sorriso um pouco triste, e o coração do mais alto estava prestes a se partir. Ele nunca havia percebido os sentimentos do amigo... Uau, ele era um completo babaca. – Eu nunca imaginei que isso fosse acontecer, ainda mais dentro de um almoxarifado depois de ser sequestrado num corredor. – os dois riram nasalmente.

- Me desculpe. – falou o moreno sentindo os olhos marejarem e Jisoo quase entrou em pânico.

- Ei, não foi nada. Você está comigo agora. – disse sorrindo e segurando o queixo de Seungcheol. O americano se embolou. – É isso não é? O que você quer dizer com isso, eu acho. – disse levemente desesperado e o outro riu do embaraço de Jisoo.

- É. Se você quiser, é claro. – disse e Jisoo o olhou com uma expressão emburrada.

- Depois de tanto tempo eu nem tenho que querer nada. – falou sorrindo com os olhos e o coração do Choi falhou uma batida. Subitamente eles aproximaram os lábios, unindo-se novamente no que parecia ser uma dança silenciosa.

Eles se apertavam tanto um contra o outro e contra as paredes do local que se sentiam quase claustrofóbicos. Novamente foram separados para uma pausa para respirar.

- Embora eu queira muito arrancar essa camisa social de você – Seungcheol disse vendo as bochechas de Jisoo ficarem rubras. – A sua próxima aula é em cinco minutos e não necessariamente eu queria que isso acontecesse aqui. – falou entre um selinho e outro com o mais novo.

- Então você tem algum tempo pra se preparar pra mim. – disse o Hong enquanto suas mãos exploravam o espaço aberto da camiseta de Seungcheol. Jisoo se aproximou da orelha do outro, sentindo sua pele se arrepiar levemente quando seus lábios tocaram o lóbulo do moreno. – Não vista nada muito quente, você não vai precisar.

Seungcheol arregalou os olhos. Essa era a coisa mais suja que ele ouvira o amigo falar em anos. Não que ele estivesse reclamando.

Os dois saíram, e Jisoo se despediu de Seungcheol apenas com um abraço antes de entrar na sala de aula. Seus alunos o olharam sugestivos, principalmente um loiro que observava o professor contendo um sorriso maldoso. Ele não entendeu o porquê exatamente, eles nem tinham como saber de nada. Bom, se ele tivesse percebido o fato de que o seu cabelo estava completamente desarrumado e os botões da camiseta ainda estavam abertos, sem contar os lábios inchados.

É, talvez Seungcheol não fosse o único tapado da relação.


Notas Finais


CHEOLSOO É LINDO ESCREVAM CHEOLSOO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...