História Awake - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~badsoul

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Suga, V
Tags Awake, Black Pink, Bts, Drama, Fuckiss, Jenlisa, Jeon Jungkook, Jikook, Jung Hoseok, Kim Jennie, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Lalisa Manobal, Min Yoongi, Namjin, Park Jimin, Yaoi, Yuri
Exibições 168
Palavras 1.208
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem a demora, meus bbs. <3
Preciso conversar urgentemente com vocês nas notas finais, blz? c:
Tenham uma boa leitura e até as notas finais. <3

Capítulo 4 - Three.


 

 

Namjoom abriu os olhos;  Sua visão embaçada melhorou aos poucos, proporcionando-lhe uma boa imagem para o seu despertar. –

SeokJin estava desacordado, porém continuava lindo. Sorriu, enquanto escutava os batimentos cardíacos do mesmo junto dos sons das máquinas que verificavam os mesmos. O coração de seu Hyung estava acelerado e isso deixou o Dongsaeng esperançoso. Talvez esse estivesse o sentindo. Tirou a cabeça do peito do mais velho e levantou-se da cadeira onde estava, esquecendo-se da dor insuportável que ganhara ao dormir sentado na mesma. O mais novo inclinou-se o suficiente para manter seu rosto próximo do outro e depositou-lhe um selar a testa, permitindo-se sorrir. Sorrir triste.

- Bom dia, Jin. – Falou, chamando-o  seu Hyung pelo mais nostálgico apelido que dera a esse. – Seria tão bom se estivesse acordado, eu traria algo para você comer. Você ama comer.  – Permitiu-se tocar o rosto de SeokJin, acariciando as bochechas que já não tinha mais a cor rubra de sempre, causada por si.  – Eu... – Não completou a frase, pois já lagrimava e uma única lágrima havia caído sob a bochecha do outro. Limpou-a e ficara em silêncio.

Ainda doía-lhe.

Doía-lhe o fato que a pessoa que ele mais adorava pela personalidade vívida e calma estar passando por aquilo. Tudo que Namjoon conseguia sentir era culpa. A culpa de que o outro estava em seu lugar, um lugar que pertencia a si. E não eram apenas essas situações que faziam com que ele sentisse as piores dores em seu peito.

Era por quê do mais velho ter feito aquilo por ele. E não saber a resposta da sua pergunta.

A porta do quarto fora aberta e então vira, o médico que conversara consigo na noite anterior. Acompanhado de um – suposto-  enfermeiro; Cabelos negros, mais alto e a pele de porcelana, um sorriso infantil e olhos castanhos. 

-Bom dia, Kim. – Park dissera, sorrindo. – Dormira por aqui?

-Sim. – Respondeu.

-Bem, esse é Jeon Jungkook,  ele será um enfermeiro digamos que “pessoal” do SeokJin.  Ele vai  vir aqui todos os dias checar se ele está bem e cuidar devidamente dele.  -  Jimin olhara para Jungkook e esboçara um sorriso diferente, talvez... Bobo. E o mesmo retribuiu-lhe.

Namjoon notara algo entre os dois; Seriam grandes amigos apenas? Afinal, se entreolharam de uma forma tão estranha, no ponto de vista dele como um casal apaixonado se olha entre si. Balançou a cabeça, como se tal ato fosse fazer aquele pensamento “idiota” – na sua opinião- jogar fora o mesmo.

-Prazer. És Kim Namjoon, certo? – Falou, reverenciando o outro. Logo esboçando um outro sorriso.

-Sim, o prazer é todo meu. – Namjoon riu do comportamento do profissional a sua frente.

- Bem, você está bem? Parece exausto e suas pequenas olheiras confirmam isso. Por que não vai para casa descansar um pouco e volta mais tarde? – Jeon sugeriu.

- Er, ok. – Namjoon sorriu, descontraído com o comportamento gentil do enfermeiro. – Vou indo então. – Acenou para os dois enquanto comprimia os lábios, sem graça, tentou retirar-se, mas teve seu caminho atrapalhado quando sentira uma mão em seu ombro.

- Não se preocupe, iremos cuidar bem do seu amigo. Sabemos o quão importante ele é pra você. – Jimin disse, tirando sua mão dali.

- Obrigado.  – Namjoon assentiu.

Logo seguiu seu caminho, saindo do quarto.

 

 

No quarto onde se encontrava antes de saber do que ocorria consigo, Jin estava sentado na cama. Processando tudo que estava acontecendo, mesmo que fosse uma loucura no seu ponto de vista. Como seria possível estar morrendo e ao mesmo tempo vivo?  Aquilo era tão confuso para si e difícil de aceitar. Mas além disso, o que acabava consigo eram as cenas que não saiam-lhe da mente.

Acordar e não tocar seu Dongsaeng.

Sentir o mesmo estando fora de si.

E Namjoon a dormir com a cabeça deitada em seu peito.

Fechou os olhos, imaginando-se do lado do mesmo. E assim que abriu, viu em um outro lugar; Aconchegante por sinal e tão familiar. Observou tudo ao seu redor, vendo os mais bonitos móveis até que seu olhar bateu em um criado-mudo e  um quadro que ali tinha. Havia uma foto ali.  Era sua com Namjoon, o que significava que estava na casa deste. No quadro havia uma foto de infância, lembrava-se bem da época que havia tirado. 

 

-

Dia de Natal, ele tinha 13 anos e Namjoon tinha 9

As famílias de ambos haviam  se reunido em um jantar em família, a tão esperada Ceia . Um perfeito tédio para os dois, eles amavam Natal, mas odiavam a ideia de suportar a chegada da meia-noite para poder a festa e a comilança começar.  E apesar de tudo, ficavam felizes. Não por estar nevando ou por ser a data em que encontravam-se, ou muito menos pela festa ou a comida. Ficaram felizes por estarem juntos naquela noite mais que especial.  Estavam na sala de estar, assim como o restante presente. Jin lia um livro e Namjoon pensava em algo para chamar a atenção do amigo. Assim que teve uma grande ideia, seus olhos brilharam e o garoto levantou-se do sofá, chamando atenção do que estava ao seu lado.

Sem demora tinha pegado na mão de SeokJin e o levantado do sofá de uma forma desajeitada, fazendo com que o livro que segurava caísse ao chão. E os dois receberam os olhares em sua volta.  Jin corou e Namjoon sorriu.

- Eu... – Pronunciou-se o mais novo, agora recebendo o olhar do amigo e fez o mesmo, olhando-o. – Quero dizer algo que não vai servir para este Natal, mas que vai servir muito mais que todos os Natais que vou ter pela frente; Não existe um presente, melhor que o  Jin para mim em um dia como esse.  Sempre amarei ele mais que qualquer presente nesse mundo.

Namjoon abraçara Jin, este retribuiu o mesmo afeto aos poucos, ainda surpreso com a suposta declaração do amigo. E naquela noite; O seu melhor presente foram palavras, abraços e aplausos.

-

 

Tais lembranças fizeram o loiro sorrir abobalhado; Namjoon era mais que um motivo para ser feliz ou uma razão para viver. Mas agora, Kim SeokJin tem seu mundo desmoronando para si; Seu melhor amigo , Kim Namjoon, era seu mundo.  E ele ainda não estava preparado para deixa-lo.

Acordaria. E tinha certeza disso, não aceitaria o que estava sendo destinado a si.

De repente, Kim ouvira um barulho vindo diretamente da porta e assim que olhara para mesma, sentiu um calor. O calor familiar, o calor em si que significava que o outro estava ali. A porta fora fechada e ali estava Namjoon, tirando seus sapatos, visivelmente cansado e abatido.  Apesar de ter visto o mesmo raramente assim, não poupou-se de pensar em mais uma coisa sobre o mesmo:

Realmente lindo.        

E tal pensamento trouxe-lhe uma sensação diferente, sentia uma espécie de pontada no peito, que aumentava mais e mais, com a visão do outro ali à sua frente.

 

Jungkook  estava ajeitando SeokJin em seu leito, em uma posição mais confortável para o mesmo. Mas os barulhos da máquina, agudos  que representam os batimentos cardíacos e sendo irritantes para os ouvidos de qualquer um que por ali estivesse, aceleraram. Olhou para a mesma e vira que tinham aumentado consideravelmente.

- 289 por hora. – Disse para si, lendo as informações, um tanto surpreso.

 

 


Notas Finais


É o seguinte:
A demora foi por conta do meu planejamento de seguir a ideia de postar capítulos das minhas fics aos sábados, também por uma VHope q tô pensando em lançar pro mundão e tbm porque venho pensando carinhosamente no final do Jin.
E sobre as narrações dos personagens, deixo claro que a narração deles será apenas no 'Extra', pois planejei a história desde o começo na mais pura narrativa em terceira pessoa. ;)

AAA, ESPERO QUE TENHAM GOSTADO E ATÉ O PRÓXIMO, BJS.

Twitter: @jeonmeow


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...